quinta-feira, 3 de dezembro de 2009


O fim não é o caos,
mas a glória


* A fé cristã não subscreve a visão pessimista da história. Não somos fatalistas como pensavam os Estóicos nem hipotecamos apoio à visão cíclica da história como ensinavam os gregos, como se ela estivesse dando voltas, sem rumar para um propósito final.

* A história é teolológica, ou seja, ela caminha para um fim e esse fim não é o caos, mas a glória.

* A história não é como um caminhão sem freio, desgovernado, ladeira abaixo. As rédeas da história estão nas mãos de Deus.

* Ele está assentado na sala de comando do universo e conduzirá a história à sua consumação, onde a verdade triunfará sobre a mentira, o amor sobre o ódio, o bem sobre o mal.

* Quando Deus fechar as cortinas da história, aqueles que zombaram dele serão banidos da sua presença eternamente e aqueles que se deleitaram nele, hão de fruir inefável comunhão com ele pelos séculos sem fim.

Levantamos, aqui, três pontos importantes, para a nossa reflexão:

1. Quando esse fim acontecerá?

- A consumação de todas as coisas dar-se-á na segunda vinda de Cristo. Até lá as forças do mal estarão em ação.

- O diabo e suas hostes se esbravejarão com indômita fúria, roubando, matando e destruindo vidas. Nessa caminhada da história, Deus abriu os portões da graça e está chamando a si um povo, que ele escolheu na eternidade e a quem tem chamado com vocação eficaz pelo santo evangelho.

- Quando o número dos eleitos se completar e, todos aqueles por quem Cristo morreu forem eficazmente chamados para a salvação, então, a trombeta de Deus soará, e Cristo virá com grande poder e glória, para consumar todas as coisas, arrebatando sua igreja e redimindo a própria criação do cativeiro da corrupção.

2. Como esse fim acontecerá?

- A consumação da história não é uma ação humana, mas uma intervenção divina. Não é uma iniciativa da terra, mas uma operação do céu.

- O homem não tem poder de dar sentido à história.

- As filosofias humanas não podem conduzir a história ao seu propósito último.

- Os sistemas de governo são, também, absolutamente impotentes para cumprir esse desiderato.

- O livro da história está nas mãos daquele que está assentado no Trono e somente o Cordeiro de Deus tem poder para abri-lo e desatar-lhe os selos.
- Somente Deus é poderoso para conduzir os destinos da história e só ele pode levá-la à consumação final.

- Descartamos como uma posição indigna aquela que enfatiza a presença de duas forças iguais e antagônicas no mundo, como se o bem e o mal, a luz e as trevas, Deus e o diabo estivessem no mesmo pé de igualdade, porém, de lados opostos.

- Deus sempre governou, soberano, o universo.

- Ele jamais perdeu o controle das coisas. Seu trono nunca foi ameaçado.

- Ele jamais poderá ser desafiado.

- Ele mesmo levará a história à consumação, com a derrota esmagadora de todo o mal e com o triunfo de seu povo.

3. Por que esse fim acontecerá?

- Deus levará a história à consumação para a glória do seu nome e para o bem do seu povo.

- Tanto Cristo como sua noiva serão honrados ao máximo.

- Aquele que morreu, ressuscitou e já está assentado à destra do Todo-poderoso Deus, virá em glória, para buscar sua noiva, a quem ataviou. Nesse glorioso dia, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro, depois os vivos serão transformados e arrebatados para encontrar o Senhor Jesus nos ares.

- Entraremos para as bodas do Cordeiro. Habitaremos na Cidade Santa, a Nova Jerusalém. Deus mesmo estará conosco e enxugará dos nossos olhos toda lágrima. Já não haverá mais luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas já terão passado.

- A eternidade infindável e imperturbável estender-se-á diante de nós, povo amado, escolhido e remido pelo sangue de Cristo, e desfrutaremos, então, para sempre e sempre das venturas benditas que Deus preparou para nós, e que, ainda, nenhum olho viu nem jamais ouvido nenhum ouviu.

Oh! Glória bendita! Oh! Verdade consoladora! Oh! Esperança inaudita!


AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.