quarta-feira, 25 de janeiro de 2012



A INDIFEENÇA DO CRENTE

Texto: Jonas 1:4-6





Introdução:

- O livro de Jonas é uma parábola que descreve a vida do crente acomodado, desobediente e indiferente.

- Em nossos dias, temos sido envergonhados pela generosidade dos espíritas; pela dedicação e organização dos mórmons; pela renúncia à própria vida dos muçulmanos; pelo apego ao ideal dos comunistas; pela incansável catequese das testemunhas de Jeová; pela insuperável paciência dos budistas em meditar no nada; pela devoção apaixonada dos hindus aos deuses mais exóticos.

- O livro de Jonas é um livro sobre missões. É um livro que descreve a indiferença do povo de Deus para com o seu chamado, vocação e missão.

- Normalmente, um sermão presbiteriano tem três pontos e o sermão batista quatro pontos. Este sermão tem sete é a soma dos dois, portanto é um sermão batisteriano.

Em que sentido Jonas é um modelo do crente indiferente.

- Jonas foi indiferente à ordem de Deus.

- Jonas foi indiferente à advertência de Deus.

- Jonas foi indiferente aos esforços dos outros.

- Jonas foi indiferente à gravidade do momento.

- Jonas foi indiferente ao destino dos outros.

- Jonas foi indiferente ao clamor dos outros.

- Jonas foi indiferente ao seu próprio destino.

I) Jonas foi indiferente à ordem de Deus.

- Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim.

- Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do SENHOR, para Társis; e, tendo descido a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e embarcou nele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do SENHOR.

- Qual é a ordem de Deus para sua vida?
- Qual foi a ordem específica que Deus lhe deu à qual você tem sido indiferente.
- Onde é que Deus tem lhe enviado.
- Para onde você está sendo comissionado?
- Qual é a sua Nínive?

II) Jonas foi indiferente à advertência de Deus.

- Mas o SENHOR lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar.

- Deus já começou a tempestade dele na sua vida?

- Deus já começou a despedaçar o barco com o qual você pensava em fugir da vontade dele?

III) Jonas foi indiferente aos esforços dos outros.
- Então, os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que estava no navio, para o aliviarem do peso dela.

- Como é que você tem reagido à situação?

- Os espíritas não agem de má fé quando apregoam as suas doutrinas, eles acreditam que estão fazendo o melhor para o barco não afundar.

- Os budistas são sinceros na divulgação dos seus ensinamentos e estão tentando evitar que o barco afunde.

- Os mulçumanos quando lutam pela expansão do islamismo estão fazendo o que podem para que o barco não afunde.

- Os católicos quando rezam o terço, quando fazem romaria, estão dando o melhor de si para que o barco não afunde.

- Muito embora estejam orando a deuses que não podem responder, a deuses que não têm domínio sobre o universo e seus elementos. Mas eles estão tentando.

- E você que como Jonas conhece o Deus verdadeiro, está dormindo o sono da indiferença?

- Quanto nós temos investido em missões, quanto nós temos intercedido pelos missionários?

- Quanto de compaixão há nos nossos corações pelas milhares de pessoas que estão morrendo a cada minuto e indo para o inferno.

IV) Jonas foi indiferente à gravidade do momento.
- Eram homens experimentados no mar.

- Com certeza já haviam enfrentado outras tempestades.

- Estavam cheios de medo.

- Clamavam aos seus deuses.

- Aliviaram a carga do navio.

- Vivemos uma hora crucial para o evangelho.

- Do ponto de vista interno, o evangelho tem sido diluído numa filosofia de vida egoísta, consumista e interesseira.

- As pessoas querem mais divertimento, menos compromisso; mais sinais e menos cruz; mais a doutrina do momento do que o evangelho bíblico; mais benefícios e menos sacrifícios; mais liberdade e menos responsabilidade; Mais sucesso e menos cruz; mais bênçãos e menos o abençoador.

- Do ponto de vista externo, a proliferação das seitas, das heresias, da nova era, do misticismo. Da agressiva expansão do islamismo. Da violência desenfreada, da imoralidade disseminada. Do relativismo ético e moral que tem invadido as igrejas; do sexo livre e sem limites.

V) Jonas foi indiferente ao destino dos outros.

1) Jonas foi indiferente ao Destino dos que estavam no Barco.

- Jonas não estava muito preocupado com o que poderia a acontecer com aqueles que estavam próximos a ele e que estavam sofrendo as conseqüências de sua desobediência a Deus.

- Quantas pessoas estão ao seu lado remando no meio da tempestade, sofrendo em meio a angústia e o sofrimento, tentando de todas as maneiras evitar que o barco da sua vida afunde e você está dizendo: são incrédulos, o que me importa. Bem feito porque não adoram ao Deus único, vivo e verdadeiro.

2) Jonas Foi indiferente ao destino dos ninivitas.

- Jonas tinha uma ordem específica de Deus de levar a mensagem ao povo de Nínive. Povo violento, povo incrédulo, povo cego, povo idólatra, mas objeto da misericórdia de Deus.

- Qual é a sua nínive? Teu bairro? Sua cidade? O Sertão? A África? A Índia? Os drogados? Os aidéticos? As prostitutas? Os homossexuais e travestis que estão ocupando as esquinas das nossas cidades? Os órfãos? Os que estão sofrendo nos leitos dos hospitais? A quem Deus lhe enviou?

VI) Jonas foi indiferente ao clamor dos que estavam com ele no Barco.

- Chegou-se a ele o mestre do navio e lhe disse: Que se passa contigo? Agarrado no sono? Levanta-te, invoca o teu deus; talvez, assim, esse deus se lembre de nós, para que não pereçamos.

- Ao seu redor e ao redor do mundo, há muitos clamando por salvação, por libertação, consolo, paz.

- E o que você faz dorme?

- Hoje há clamor no sertão nordestino, na índia das meninas prostituídas pela vontade da família; na China pelas meninas mortas porque são meninas; no Afeganistão pelas mulheres que estão sendo apedrejadas e mutiladas, espoliadas em sua liberdade. Pelos famintos da Somália, da Etiópia. Há um clamor no mundo.

- Onde você está? Como você está?

VII). Jonas foi indiferente ao seu próprio destino.

- Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente. Por causa da sua desobediência você está preste a afundar junto com o barco. Mas você está preferindo morrer a obedecer a Deus.

- Você está dizendo, jogue-me no mar, sigam a sua vida, não me importa o que venha a acontecer.

- Estou fugindo de Deus e da sua vontade. Se isso não é possível no porão de um barco, quem sabe no fundo do mar? A dureza do seu coração chegou a esse ponto?

Conclusão:

Apesar da nossa indiferença Deus não escolheu outros: Ele escolheu a nós; Ele só conta conosco.

· Ele está buscando homens e mulheres que não fujam.

· Ele está buscando homens e mulheres que não se escondam.

· Ele está buscando homens e mulheres que discirnam a gravidade do momento.

· Ele está buscando homens e mulheres que sobrepujem aos incrédulos em coragem, renúncia, amor, honestidade, altruísmo, verdade, justiça.

· Ele está buscando homens e mulheres sensíveis ao destino dos perdidos.

· Ele está buscando homens e mulheres atentos ao clamor dos aflitos e desesperados.

· Ele está buscando você!

AUTOR: Rev. Kléber Nobre de Queiroz - Pastor da 1a Igreja Presbiteriana Independente de Natal





#################
################
###############
##############

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.