sábado, 15 de maio de 2010


Não é
da competência
dos servos


Introdução:

- O senhorio de Cristo Jesus sobre seus servos é completo.

- Quem segue a Ele há de se render integralmente, ou será um tropeço ao invés de bênção.

- Seguir as normas e orientações do Bom Senhor de nossas almas é uma posição honrosa e não humilhante.

- Para não entrar em áreas de conflito e privativas, o breve estudo foi esboçado.

Não compete, pois, aos servos do Senhor:
Parte I – Caráter jurídico – Exercer julgamentos

a) – Separar o joio do trigo – Mt 13. 28-29, 41-43.
b) – Separar os peixes bons dos ruins – Mt 13. 47-50.
c) – Separar as ovelhas dos bodes – Mt 25. 31-32.

Só há um juiz – Tg 4. 12; Jesus será o juiz no último dia – At 17. 31. Deus é um ser moral e ninguém escapará de sua justiça.
Parte II – Caráter autônomo – Exercer soberania

a) – Escolher o assento no reino – Mt 20. 21.
b) – Escolher ir ou ficar – Mt 8. 9.
c) – Ordenar o desfecho da própria existência – Jo 21. 18-22.
d) – Escolher a vocação – Ef 4. 11.

O servo não dita ordens, aguarda-as – Is 6. 8; Salmo 40. 8. Ele procura cumprir os desígnios de seu Senhor.
Parte III – Caráter soteriológico – Salvar os pecadores

a) – Convencer o pecador de seu pecado – Jo 16. 7-8.
b) – Dar o crescimento ao que se converte – I Co 3. 6.
c) – Batizar no Espírito Santo – Jo 1. 33.
d) – Galardoar os justos – Ap 22. 12.

O servo é um instrumento da semeadura e da colheita de almas para o reino de Deus. Nada mais – Jo 4. 36-38. Somos vasos para honra – II Tm 2. 21.

Parte IV – Caráter sapiencial – Possuir onisciência

a) – Há segredos que o servo ainda não sabe – Mt 24. 36.
b) – O servo segue pela fé – Jo 16. 12-14.
c) – O conhecimento dos servos é limitado – I Co 13. 9.
d) – Jesus, o Senhor, revelou muito da intimidade do Pai aos seus amigos – Jo 15. 15.

O futuro e o mundo espiritual não são totalmente conhecidos pelos servos. Andamos por fé e não por vista – II Co 5. 7. Sabemos que uma pátria nos espera – Fp 3. 20-21.
Parte V – Caráter teológico – Alterar as Escrituras

a) – Produzir e interpretar a Bíblia com fins particulares – I Pd 1. 21.
b) – Aumentar ou reduzir o tamanho do Vernáculo Sagrado – Ap 22. 18-19. c) – Conduzir as profecias sob ponto de vista humano – Mt 16. 21-23.
d) – Buscar detalhes desnecessários sobre tempos e épocas – At 1. 6-7.

- As heresias surgiram ao longo da história por interpretações duvidosas e rebeldes sobre as Sagradas Escrituras. I Tm 4. 1-5.

- É preciso da luz do Espírito Santo e da operação do Mestre Jesus para se entender e praticar a palavra de Deus com acerto – Lc 24. 45; Jo 16. 13.

Conclusão:

- A parte que deve ser desenvolvida pelos filhos de Deus é clara: servir, obedecer, semear, socorrer, dignificar o Senhor, esperar suas ordens e orientações, submeter-se aos propósitos divinos.

AUTOR: Pr. Odair Alves de Oliveira



::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::

:::::::::::::::::::

O trabalho
dos servos
de Cristo Jesus


Introdução:


- O Reino de Deus na terra requer a mão de obra espontânea e dedicada dos servos do Senhor. Cada redimido é um operário, um trabalhador na seara do Mestre.

- O Senhor necessita que desenvolvamos as tarefas que estão ao nosso alcance; as de maior magnitude serão operadas por ele.

- Não pode haver a menor negligência de nossa parte, sob pena de perdas irreparáveis e o entristecimento do Espírito Santo de Deus.

Seguem alguns exemplos:

1 – Encher as talhas de água – Jo 2. 7.

- Encher as pessoas da Palavra de Deus.

- “Saí, com água, ao encontro dos sedentos” – Is 21. 14.

- O milagre da transformação depende das talhas estarem cheias de água.

2 – Trazer os perdidos para a grande ceia – Lc 14. 23.

- Buscar e recepcionar os convidados para a festa da salvação. Is 55. 1.

- Há lugar para todos. Ninguém deve ser esquecido de ser avisado do horário e de como se preparar para entrar no banquete.

3 – Receber cordialmente o filho pródigo – Lc 15. 22-24.

- Evitar julgar os méritos de quem se chega ao Reino do Senhor. Mt 7. 1.

- Não ficar recordando a vida errônea que os arrependidos levaram; isto deve ser esquecido.

4 – Recolher as sobras dos pães multiplicados – Jo 6. 12-13.

- Não deixar o pão da vida se perder sem oferecê-lo ao povo. Ec 11. 1-2.

- O alimento espiritual não pode ficar em prateleiras ou oculto no coração do crente.

- Deve ser entregue, oferecido aos famintos na estrada da vida.

5 – Negociar as minas do Senhor até que ele volte – Lc 19. 13.

- Investir o máximo que pudermos na obra da redenção. At 20. 24.

- A igreja tem contas a prestar de sua mordomia espiritual.

- Como ela está operando seus dons a favor do mundo que perece?

6 – Lançar as redes para pescar – Jo 21. 6.

- Pregar o evangelho a tempo e fora de tempo. II Tm 4. 2.

- Os peixes estão morrendo nas tempestades do mar e na poluição prevalecente. Os pescadores devem, urgentemente, lançar suas redes.

7 – Compartilhar do azeite com as virgens loucas, hoje – Mt 25. 8.

- Orar e orientar as pessoas a receberem o Espírito Santo. At 19. 1-6.

- Enfatizar que para ser pleno do Espírito Santo de Deus requer-se a renúncia completa do pecado, e submissão integral ao senhorio de Cristo Jesus.

- O noivo, Jesus, vem buscar uma noiva que brilha, uma noiva adornada.

Conclusão:

- O serviço do Reino de Deus deve ter prioridade permanente e urgente por parte dos eleitos para a salvação, e pelos vocacionados para o exercício dos dons e talentos a favor dos irmãos em Cristo, bem como, dos pecadores indiferentes.


AUTOR: Pr. Odair Alves de Oliveira


:::::::::::::::
:::::::::::::::