quarta-feira, 30 de junho de 2010


Vencendo a
Escravidão
dos Desejos


Introdução:

- Na semana passada você foi incentivado a realmente viver uma busca intensiva por Deus. Viver uma verdadeira espiritualidade é viver um pouco daquilo que vai ser o céu.

“... mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus”. 1 Co 2. 9,10

“... Nós, porém, porém não recebemos o espírito do mundo, mas o espírito que procede de Deus, para entendermos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. 1 Co 2. 11,12

Poderíamos usar a analogia do mergulho feito por duas pessoas em condições distintas: SLIDES

Mergulhador 1 – mergulhou no mar com esnórquel e viu coisas bonitas e interessantes, mas em função da sua superficialidade queimou as costas e não pode ver muito além.

Mergulhador 2 – mergulhou no mesmo local aparelhado com cilindro de oxigênio e preparo adequado. Desceu nas profundidades e viu e sentiu muitas coisas, porque no “profundo” é que realmente se conhece o mar.

- Deus deseja que você O conheça na profundidade para ser inundado pela sua grandeza e majestade. Com certeza isso não será possível apenas com uma devocional rápida e com orações “pidonhas”, mas na busca contínua da amizade de Deus.

- Poucos foram chamados de amigos de Deus na Bíblia, muitos foram chamados de servos ou filhos.

- Sabe por quê? Porque realmente não eram todos que verdadeiramente experimentavam um verdadeiro relacionamento com Ele. Acredito, nesta noite, se você continuar com esse cristianismo superficial; cheio de discurso com pouca “vida”, você sofrerá uma surpresa “esquisita” no céu, por não ter vivido na intimidade que Ele esperava de você.

- Quanta vantagem existe nas profundezas de Deus; lá reconhecemos realmente quem somos e nossa eterna dependência dele. Isso só é possível se esvaziarmos de nós mesmos para sermos cheios de Deus.

- Uma das grandes batalhas para alcançarmos uma espiritualidade saudável são os nossos apetites. Como homens temos apetites e somos impulsionados a sacia-los. (SOMOS CONDICIONADOS PELO APETITE-FEIJOADA)
- A Bíblia define também um verdadeiro discípulo de Jesus pelo seu apetite: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos” Mt. 5.6.

- Você precisa apresentar sede e fome de Deus, de estar com Ele, ouvir a sua voz e executar sua vontade! Infelizmente muitos nesta noite apresentam uma leve “vontade de comer” em relação a Deus e uma voraz fome por valores meramente humanos como: casa, comida, status, realização sexual.

- Esses desejos fazem parte da vida do homem, o grande problema é quando damos um foco demasiado a algum deles.

- O desequilíbrio dos seus desejos é um veneno letal para seu relacionamento com Deus, longe do melhor dele para sua vida.
- Qual solução para vencer a tirania dos desejos?

- Em Lc 9. 23 encontramos a resposta: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me”. (FALTA FAZER SLIDE DO VERSÍCULO)

- Somente o auto-sacrifício tem o poder de equilibrar todos os apetites. Quando você não vive mais para si; seu casamento é duradouro, seu namoro não é doentio, seu caráter é aprovado etc.

- De acordo com o texto a autonegação é a única forma de vencer a escravidão dos desejos.

E hoje você vai aprender como isso é possível considerando três estratégias:
1. Para vencer a escravidão dos desejos...

Você não pode focalizar no freio antes da direção.
- Muitas pessoas relutam em se tornar cristãs porque acham que “seus freios não são suficientemente grandes”.

- Ficam pensando: “Será que vou conseguir abrandar meus apetites para ser um cristão de boa moral?”.

- Para a maioria dos não-crentes,o cristianismo é um calhambeque velho, não um carro esportivo. Pra os de fora da igreja, parece que o freio é tudo o que importa para os cristãos.

- Um dos grandes obstáculos para que as pessoas se aproximem de Deus tem sido uma ênfase exagerada no que as pessoas vão precisar deixar para seguir a Cristo, elas pensam: “Puxa não estou conseguindo levar a minha vida e sou tão fraco para resistir determinadas coisas! Com certeza a proposta do evangelho não é para mim”.

- Essa mística do tipo “nada de alegria” leva os possíveis convertidos a duvidar que possuem freios suficientes para ser cristão.

- Fazemos a pergunta errada: “Você quer frear sua vida de pecado?”. A pergunta certa é: “Para onde você quer ir na vida?”. Os evangélicos têm enfatizado mais o freio do que a direção.

- Talvez você já é um cristão e tem se esforçado muito para deixar de fazer certas coisas. Saiba que o seu problema do pecado já foi solucionado na Cruz.

- Você precisa entender que o primeiro passo da nova vida é crer no sacrifício de Jesus e entender que sua luta não consistirá simplesmente no fato de deixar de fazer certas coisas. (ex. pessoal).

- O cristão não tem tanto que abandonar, mas, sim tem muito que começar. Não se fazem agradáveis a Deus por tudo que deixaram na conversão. Pelo contrário, são as novas atividades em que se engajam que cativam a estima do céu.

- A grande verdade é: Quanto mais eu me relacionar com Ele mais distante estarei de começar algo que entristeça seu coração. Nas orientações do Apóstolo Paulo, percebemos um foco na vida nova, pois já recebemos nesta vida inúmeras bênçãos.

- Pare nesta noite de viver um cristianismo negativo, opressor e frustrante e passe a desfrutar da alegria da presença real de Deus em sua vida. Desfrute a alegria de ser filho de Deus.

2. Para vencer a escravidão dos desejos...

Você precisa viver perto do único que satisfaz a alma.
- Um vício não se instala na vida de alguém rapidamente. Existe um processo, às vezes longo, para que isso ocorra.

- Geralmente a porta de todo desejo desenfreado é o vazio da alma do homem, Jung disse: “A ausência de espiritualidade é a neurose central dos nossos tempos”.

- Uma das lições do livro uma vida com propósitos é que todo homem é dirigido por uma força, esta lição está ligada diretamente ao tema do vazio espiritual do homem, pois não é possível uma vida sem influências espirituais, não é possível viver neutro neste assunto.

- Miller diz: “O vazio pode nos deixar levianos, a ponto de o preenchermos com a satisfação de qualquer apetite secundário que aparentemente sacie a fome da nossa alma”.
- Para você ser liberto da centralidade dos desejos e ser conduzido em uma experiência verdadeira com Deus você precisa ser cheio dele.

- Pascal sabiamente afirmou: “Existe em nós um espaço vazio na forma de Deus que somente Deus pode preencher”.
- Não importa, nesse momento, quanto tempo de vida cristã você tenha e a forma que você se aproximou de Cristo, o que interessa é se você não vem sentindo um vazio em seu coração.

- O vazio é um “prato cheio” para que Satanás lhe sugira algo para suprir, mesmo que momentaneamente, seu vazio. Dependendo do que você se envolver toda sua vida pode ser comprometida a uma destruição terrível, e o que gera isso é a falta de satisfação em Deus.

EX: Recebi um e-mail hoje de um pastor amigo(Pr. Tom) que está nos EUA. Tem boas notícias, mas conta da dificuldade de várias igrejas lá, que estão sem liderança, e alguns líderes que caíram em imoralidade.

- Quando Deus preenche nosso vazio interior com o Espírito Santo, a vida funciona.

- Quando Deus não preenche, uma multidão de apetites devoradores destrói suas melhores intenções; como sexo, bebida, drogas, baixa-estima, infidelidade conjugal e etc.
Lembre-se: O velho homem sempre irá tentar ressuscitar.

- A solução é andar bem perto, nas profundezas de Deus, para obter satisfação e assim viver livre das garras dos desejos.
3. Para vencer a escravidão dos desejos...

Você precisa enxergar as coisas com os olhos de Deus.
- Uma pergunta chave nesse ponto é perguntar-se diariamente: “Como Deus está me vendo como seu discípulo?”
- Quando o presidente Clinton enfrentou aquele escândalo sobre seu caso com sua secretária, muitas autoridades religiosas norte-americanas se pronunciaram. Todas focaram o problema ético em si. Acontece, que o alarme que realmente tinha que ser feito era em ralação a degradação moral que a sociedade americana vive, muito longe de nação cristã.

- É uma tendência humana não olhar as coisas do ponto de vista divino, mas para viver longe dos desejos destruidores você vai precisar ver o mundo assim.
- A mesma história se aplica a sua vida e você precisa, ter o hábito, de avalia-la da forma como Deus a vê. Assim, orientado pelo ponto de vista do céu você será guiado a uma obediência prazerosa e livre de opressões.

- Decida viver hoje uma vida piedosa que irá capacita-lo enxergar como você realmente deve viver, desejando que tudo seja como deve ser.


Fonte: Pr. Luiz Sanches




+++++++++++++++

+++++++++++++++

+++++++++++++++
+++++++++++++++

Nenhum comentário:

Postar um comentário