sábado, 9 de maio de 2009



A INFLUÊNCIA DE MÃE
(I Samuel 1.1-22)

* Muitas vezes desprezamos a influência que as mães têm na transformação do mundo.
* Mas pessoas famosas se deram conta disto. Por exemplo:
* Napoleão, imperador da França que disse: "Deixem que a França tenha boas mães e então haverão bons filhos".

* Nos dias de hoje e sempre, é necessário que as mães tenham caráter cristão e eduquem seus filhos no caminho do Senhor... (Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele – Pv. 22.6)
* E quando as mães se dão conta disto, da influência que tem na formação do caráter de seus filhos, elas podem fazer toda a diferença.
* Nenhuma outra força na vida da criança é tão poderosa em influência como a mãe.
* Através dos séculos, a mãe tem tido presença marcante na história história...
* O próprio imperador Napoleão disse: "O destino de uma nação está sempre nas mãos da mãe".
* Nós sabemos que está nas mãos de Deus, mas as mães tem uma influência muito grande no fato de seus filhos seguirem ou não ao Senhor.

* Muitos homens famosos foram influenciados por suas mães...
* A mãe de John Wesley era uma mulher que buscava todos os dias ao Senhor, embora fosse mãe de 12 filhos.
* A mãe de Nero, que incendiou Roma e pôs a culpa nos cristãos era gananciosa, sensual, assassina...
A mãe pode influenciar seu filho tanto para o bem como para o mal.
Ah! Como necessitamos de mães cristãs nos dias de hoje.
E quero tomar a palavra de Deus como exemplo disto. Vimos na leitura de hoje o caso marcante de uma mulher que honrou a Deus...
* Ana de Efraim viveu num tempo em que a nação de Israel estava num estado lastimável...
* A condição espiritual daqueles dias se assemelha muito com a sociedade corrupta de hoje...
- Eli, que era o sacerdote, estava tão distanciado de Deus que não conseguia perceber a comunhão de Ana com o Senhor.
- Toda a nação estava longe do Senhor
- Gideão e Sansão não eram nada mais do que memórias...
- O patriotismo havia desaparecido e os ideais eram baixos...
- Os heróis estavam todos mortos e os profetas não haviam nascido.
- Sim, a nação estava numa condição deplorável...
- Um despertamento espiritual era desesperadamente necessário...

Ana não veio de uma cidade grande
A Bíblia nos diz que Ana tinha vindo de uma pequena cidade chamada Ramataim de Zofim...
Tudo que sabemos desta cidade é apenas o seu nome, na verdade a cidade nunca mais é mencionada na Bíblia.
No entanto, nesta obscura e pequena vila, Deus tinha uma mãe, que desejava serví-lo, portanto Ele teria um profeta...

A oração de Ana
Ana, a esposa de Elcana, era uma mulher que padecia porque não tinha filhos
A ela tinha sido negado o que era considerado a maior glória para uma hebréia: o privilégio de ser mãe.
Durante vários anos Ana orara por um filho...
Ela anciava poder levar um bebê consigo na peregrinação anual que fazia a Siló para adorar ao Senhor...
Chegada a época da peregrinação, estando ainda sem bebê, seu desapontamento parecia ser maior do que ela podia suportar...
A Bíblia nos mostra que ela estava profundamente amargurada
Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou muito (I Samuel 1.10)
Então o fardo que ela não podia repartir com amigo algum terrestre, lançou-o sobre Deus.
Aqui uma mensagem que não é somente para as mães: Jesus sempre nos convida a deixarmos nosso fardo com Ele à Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. (Mt. 11.28)
Ana rogou que lhe tirasse a vergonha, e lhe concedesse o precioso dom de um filho para o criar e educar para Ele...
Ela fez um propósito com o Senhor de que, se seu pedido fosse satisfeito, dedicaria o filho a Deus desde o seu nascimento.
Quando Deus atendeu seu pedido, parece que estava dizendo: "Encontrei uma mãe consagrada, portanto terei um servo dedicado"...

Ana orou ao Senhor, e o Senhor ouviu sua oração.
Ela recebeu a dádiva pela qual havia rogado tão fervorosamente...
Olhando para o filho, chamou-o Samuel - "pedido a Deus"...
Ela era uma mulher simples, não tinha estudo, não tinha uma faculdade.
Suas vestes também eram muito modestas...
Mas apesar de tudo isso, Deus ouviu sua oração...

A RESPOSTA DE ANA...
Ana era uma mãe piedosa...
Desde o primeiro desapontar da inteligência do filho ela lhe ensinara a amar e reverenciar a Deus e a considerar-se como sendo do Senhor...
Por meio de todas as coisas conhecidas que o cercavam, procurou ela elevar seus pensamentos ao Criador...

Depois de separada de seu filho, a solicitude da fiel mãe não cessou...
Cada dia ele era objeto de suas orações...
Cada ano ela lhe fazia, com suas próprias mãos uma túnica para o serviço.
Ao subir com o esposo para adorar em Siló, dava ao menino esta lembrança de seu amor...
Cada fibra da pequena veste era tecida com uma oração para que ele fosse puro, nobre e verdadeiro.
Não pedia para o filho grandezas mundanas mas rogava fervorosamente que ele pudesse alcançar aquela grandeza a que o Céu dá valor.
Ansiava que ele honrasse a Deus e fosse uma bênção para seus semelhantes...
Que recompensa teve Ana!... e que estímulo para a fidelidade é o seu exemplo!...
* Há oportunidade de inestimável valor, interesses infinitamente preciosos, confiados a toda mãe...
* A humilde rotina dos deveres domésticos que as mulheres as vezes consideram uma fastidiosa tarefa, deve ser encarada como obra grandiosa e nobre...
* É privilégio da mãe abençoar o mundo pela sua influência, e fazendo isto trará alegria a seu próprio coração...
* Ela pode fazer retas veredas para os pés de seus filhos, através de claridade e sombra, em direção às alturas gloriosas do céu...

Como a mãe formou o Caráter do Filho?

- Só tem um meio da mãe influenciar positivamente seu filho que é seguindo aquilo que Jesus deixou em sua Palavra.
* O mundo está repleto de influências negativas.
* A moda e os costumes exercem forte poder sobre os jovens.
* Se a mãe falta em seu dever de instruir, guiar e restringir, os filhos naturalmente aceitarão o mal e se desviarão do bem...
* Toda mãe deve ir muitas vezes ao seu Salvador com a oração: "me dá sabedoria"; como fizera Ana...
Se ela atender à instrução que Deus dá em Sua Palavra, ser-lhe-á concedida sabedoria conforme necessitar.

Seja uma mãe de oração
Sua vida de oração é o fundamento de um lar cristão...
Ana era uma mãe que orava. Ela orava por um filho e Deus a ouviu...
Ela prometeu a Deus que se Ele a abençoasse com uma criança ela o criaria e o educaria para serví-Lo...
Ela o guiaria no caminho do Senhor...

O maior sermão que nossos filhos podem ouvir é a nossa vida...
Somos exemplos...
Somos conhecidos pelos frutos (Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Mt. 7.20)
Qual é a sua atitude diante de seus filhos?
Ela é mesquinha ou generosa?
Ela é negativa ou positiva, crítica ou estimuladora, cristã ou incrédula?

Ana possuía uma atitude de louvor!
* Ela ensinou seu filho a amar e honrar a Deus...
* Uma amiga visitante encontrou uma jovem mãe sentada com seu bebê no colo, tendo a Bíblia aberta em sua mão. Ela perguntou: "Você está lendo a Bíblia para o seu bebê?" "Sim", respondeu a mãe. A visitante replicou: "Certamente você não pensa que ele vai entendê-la, não é?" "Não", disse a mãe, "ele não vai entendê-la agora, mas desejo que a sua primeira recordação seja a de estar vendo e ouvindo a Palavra de Deus."

A submissão de Ana...
Ana havia feito um voto ao Senhor...
Logo que o pequeno teve idade suficiente para separar-se de sua mãe, ela cumpriu seu voto...
Amava seu filho com toda a devoção de um coração de mãe...
Era seu único filho, uma dádiva especial do Céu, mas recebera-o como um tesouro consagrado a Deus, e não queria privar o Doador daquilo que Lhe pertencia...
Ele deveria tornar-se um servo do Senhor...
Mais uma vez Ana viajou com o esposo para Siló...
Chegando na casa do Senhor, apresentou ao sacerdote, em nome de Deus, sua preciosa dádiva...
Que maravilhoso retrato de uma mãe dedicada a Deus!...
Ana deu o menino ao Senhor...
Não aos negócios, não à sociedade, nem mesmo à sua pátria...
Ela o deu ao Senhor!
Conclusão:
Muitos grandes homens e mulheres de Deus estão servindo a Cristo hoje não por causa de seu grande talento ou habilidade, mas porque eles tinham uma mãe que os ofertou ao Senhor...
* Agostinho, o grande teólogo possuia uma mãe que devotou sua vida para a formação cristã dele e sua conversão a Cristo. Em seus primeiros anos, parecia que seus fervorosos esforços foram todos em vão.
Agostinho vivia em pecado e imoralidade; desrespeitou toda e qualquer restrição moral e rebelou-se abertamente contra Deus. Mas um dia padecendo terrível agonia, lembrou-se das orações de sua mãe e arrependeu-se de seus pecados. Ele foi gloriosamente convertido... Certo dia, ele foi levado a dizer: "Se sou teu filho, ó Senhor, foi porque me deste tal mãe."
* Sim, é impossível calcular o poder da influência de uma mãe que serve ao Senhor.
Ela reconhece a Deus em todos os seus caminhos
* Leva seus filhos ante o trono da graça e apresenta-os a Jesus, suplicando sobre eles suas bênçãos.
* A influência dessas orações é para esses filhos como fonte de vida...
* As orações de uma mãe, oferecidas em fé, são o sustento e a força da mãe cristã...
* O poder da oração de uma mãe não pode ser calculado...
* Aquela que se ajoelha ao lado do filho ou filha, em sua infância, nos perigos de sua juventude, ou mesmo mais tarde não saberá senão no juízo a influência de suas orações sobre a vida de seus filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.