quinta-feira, 5 de maio de 2011



COMO TER



UMA VIDA



DE REALIZAÇÕES?
2 Crônicas 26: 1-21



1. Quem não deseja ter muitas realizações?


1) Uma pessoa sem realizações tenderá ser uma pessoa frustrada. Sem realizações o indivíduo não deixa marca da sua passagem pela vida;

2) Todos desejam ser reconhecidos pelos seus méritos, e são as realizações que viabilizam esse reconhecimento;

3) As realizações não são privilégios de alguns, mas, estão acessíveis a todos os que as desejam e perseguem.


2. Se você deseja ter muitas realizações você precisa saber que:

1) A motivação e as atitudes são fatores essenciais às realizações:

a) Quando você tem sonhos e faz projeções, você produz automotivação. Não existe motivação pessoal, o que existe é automotivação, somente você pode se motivar;

b) As realizações somente surgirão com atitudes. Intenção não é realização, é fantasia;

c) Você precisa saber que realizações é tornar real ou efetivo um sonho ou projeto. É colocar em ação ou em prática as estratégias para se conquistar um determinado objetivo. É fazer existir no mundo natural, através das ações próprias, o que existe no mundo sobrenatural.

2) As realizações são expressões da prosperidade;

3) Realização é obter sucesso nos empreendimentos da vida;

4) Por que as realizações são importantes?

a) Elas fazem com que os indivíduos percebam o seu valor;
b) Elevam a auto-estima;
c) Elas fazem você ver o quanto vale (Uma nota de cem e uma de dois reais. A única diferença é o valor expresso, o resto é igual);
d) Elas elegem o indivíduo como referencial (as placas que homenageiam o realizador);
e) Elas fazem todo o seu potencial entrar em ação;
f) Elas ampliam o seu potencial;
g) Elas dão ao indivíduo uma boa fama;
h) Elas são um instrumento para exercitar a humildade;
i) Elas glorificam o nome de Jesus Cristo:
“Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” – Mt 5:14-16.

3. Com que idade uma pessoa pode começar a ter realizações?

“Era Uzias da idade de dezesseis anos quando começou a reinar e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Jecolias, de Jerusalém” – v. 3.

1) Uzias começou a reinar com 16 anos: Que idade você pretende ter para começar a fazer alguma coisa?

2) Uzias reinou por 55 anos: Tem gente que mal começou e já está pensando em parar;

3) Jecolias era o nome da mãe de Uzias e eram de Jerusalém: nunca se esqueça das suas origens.

4. Princípios fundamentais para quem deseja realizações:
“E fez o que era reto aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizera Amazias, seu pai. Porque deu-se a buscar a Deus nos dias de Zacarias, sábio nas visões de Deus; e, nos dias em que buscou o Senhor, Deus o fez prosperar”
– v. 4, 5.


1) Faça o que é reto aos olhos do Senhor;
2) Aplique-se a buscar a Deus (priorizamos mais afazeres do que a comunhão com Deus);
3) Tenha o seu pastor como autoridade espiritual sobre a sua vida;
4) Quando você busca a Deus, colocando diante dele os seus projetos, Ele te faz prosperar, as realizações acontecem.

5. Uzias para obter realizações precisou ter atitudes:
“Porque saiu, e guerreou contra os filisteus, e quebrou o muro de Gate, e o muro de Jabné, e o muro de Asdode, e edificou cidades em Asdode e entre os filisteus. E Deus o ajudou contra os filisteus, e contra os arábios que habitavam em Gur-Baal, e contra os meunitas”
– v. 6,7.


1) Uzias saiu e foi guerrear. Você precisa ir a luta para poder realizar os seus projetos;
2) Uzias quebrou os muros. Você precisa derrubar os muros que separam você das suas conquistas;
3) Uzias edificou cidades. Você precisa ter uma vocação para edificação. O que é que você tem realizado? O que você pretende realizar?
4) Deus ajudou Uzias. Deus é um forte aliado daqueles que tem atitudes voltadas para realizações.

6. As primeiras atitudes de Uzias lhes renderam resultados:

“E os amonitas deram presentes a Uzias, e o seu renome foi espalhado até à entrada do Egito, porque se fortificou altamente” – v. 8.

1) Como você pode querer ser presenteado, ou seja, obter vantagens se não tem realização alguma?
2) Os presentes, ou as vantagens, são reconhecimentos dos nossos méritos, e os méritos advém das realizações;
3) A fama de Uzias se espalhou. A fama é o resultado natural das realizações;
4) As realizações revelam: o quão forte você se tornou.


7. Uzias era um homem de visão, então pôde criar estratégias para manter e ampliar o seu patrimônio:

“Também Uzias edificou torres em Jerusalém, à Porta da Esquina, à Porta do Vale e aos ângulos e as fortificou. Também edificou torres no deserto e cavou muitos poços, porque tinha muito gado, tanto nos vales como nas campinas, lavradores e vinhateiros, nos montes e nos campos férteis, porque era amigo da agricultura” – v. 9,10.


1) Ele edificou torres:

a) São os lugares de onde se tem uma grande visão. Você precisa desenvolver expectativas, usar as habilidades, e ter atitudes para ampliar a sua visão. Você precisa ocupar um espaço onde pode enxergar melhor (Zaqueu subiu na figueira);

b) Você não tem que se conformar com o ditado: “em terra de cego quem tem um olho é rei”. Você precisa querer ser “rei”, ou seja, ter o domínio de algo, em terra onde todos enxergam;

2) Ele fortificou os ângulos dos muros:

a) São os lugares das junções das muralhas. Você precisa estar preparado para as novas etapas da sua vida, sem deixar ruir as suas estruturas psicológicas, emocionais, físicas e espirituais;

b) Você precisa estar preparado para novos desafios em carregar traumas de etapas passadas.

3) Ele também edificou torres no deserto:

a) Ele marcou território onde não tinha nada, estabeleceu um marco para enxergar o mais longo possível;

b) Você precisa sair da sua zona de conforto, fincar estacas para se apropriar de novos territórios. Construir onde não tem nada. Usar o “nada” como desafio para construir algo. Usar esse novo território para enxergar mais longe.

4) Ele cavou muitos poços:

a) Ela sabia que podia se estabelecer até no deserto se tivesse água, por isso cavou muitos poços. Nem sempre você vai encontrar “água” disponível para regar os teus sonhos e alimentar as suas realizações, por isso, você precisa ter disposição de ânimo para “cavar”;

b) Crie a sua fonte de “águas”. Crie o seu sistema de sustentação. Construa fontes de vida para mantê-lo vivo: leia a Palavra de Deus, ore, jejue, tenha um mentor, ande com gente que ama a prosperidade, ande com quem anda pra frente e pra cima, ande com vencedores, faça muitas amizades... Abra muitos poços!



8. Uzias organizou um grande exército com homens hábeis, ágeis, que saíam à guerra em tropas para
ajudar o rei contra os inimigos:

“Tinha também Uzias um exército de homens destros nas armas, que saíam à guerra, em tropas, segundo o número da lista feita por mão de Jeiel, chanceler, e Maaséias, oficial, debaixo das mãos de Hananias, um dos príncipes do rei. Todo o número dos chefes dos pais, varões valentes, era de dois mil e seiscentos. E, debaixo das suas ordens, havia um exército guerreiro de trezentos e sete mil e quinhentos homens, que faziam a guerra com força belicosa, para ajudar o rei contra os inimigos” – v. 11, 13.


1) Ninguém vence sozinho. Ninguém que anda só conquista realizações. Quem anda só é facilmente vencido;

2) Faça muitas amizades e no mínimo você terá alguns amigos. Isso não poupará você de ter inimigos. Mas, são os verdadeiros amigos que o ajudarão contra os teus inimigos. Para ter uma vida de realizações você precisa saber que “não vai ter moleza”. Você vai precisar de ajuda;

3) Se você não constrói amizades, com quem você vai contar nos dias de adversidades?

4) Deus sabe que todos nós precisamos de amigos. Coloque pra fora da sua vida os que não servem pra andar com você;

5) Deus quer mandar pra dentro da sua vida gente boa, pessoas segundo o Seu coração. Os amigos de Deus são pessoas excelentes para serem nossos amigos. Elas choram quando choramos, e se alegram quando nos alegramos.

6) Você precisa de gente boa pra te ajudar nas suas realizações.


9. Uzias municiou o seu exército:
“E preparou-lhes Uzias, para todo o exército, escudos, e lanças, e capacetes, e couraças, e arcos, e até fundas para atirar pedras. Também fez em Jerusalém máquinas da invenção de engenheiros, que estivessem nas torres e nos cantos, para atirarem flechas e grandes pedras; e voou a sua fama até muito longe, porque foi maravilhosamente ajudado até que se tornou forte
– v. 14,15.


1) De que adiante você ter um exército de amigos desarmados? Você não os minúcia de informações. Eles não sabem nada sobre os seus desafios;


2) A sua cara não mostra o seu coração;

3) Eles não podem te ajudar se você não pede ajuda. Não podem te socorrer se você não pede socorro;

4) Como poderão lhe ajudar se quando você pede ajuda o seu “defunto” (problema) já está fedendo a muito tempo?

5) Se você quer ter uma vida de realizações, mantenha os seus amigos informados sobre os seus sonhos, projetos e atitudes.


10. Uzias depois de se tornar forte perdeu a humildade, deixou que a soberba tomasse conta de sua alma e se corrompeu. Uzias colocou-se acima da autoridade espiritual, não soube respeitar o limite estabelecido por Deus:

“Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e transgrediu contra o Senhor, seu Deus, porque entrou no templo do Senhor para queimar incenso no altar do incenso. Porém o sacerdote Azarias entrou após ele, e, com ele, oitenta sacerdotes do Senhor, varões valentes. E resistiram ao rei Uzias e lhe disseram: A ti, Uzias, não compete queimar incenso perante o Senhor, mas aos sacerdotes, filhos de Arão, que são consagrados para queimar incenso; sai do santuário, porque transgrediste; e não será isso para honra tua da parte do Senhor Deus” – v. 16, 18.


1) Por mais realizações que você venha obter, sempre haverá um limite a ser respeitado;

2) Você nunca poderá fazer tudo. É aí que grandes realizadores se perdem e caem;

3) Você precisa ver o abismo que precede a sua queda quando você não reconhece os limites estabelecidos por Deus: o que te compete fazer e o que não te compete fazer:
“A ti, Uzias, não compete queimar incenso perante o Senhor, mas aos sacerdotes”.


11. A autoridade do rei uzias era reconhecida. As autoridades que ele nomeou também eram reconhecidas. Porém, a soberba e o seu coração corrompido o tornou cego e ele não reconheceu e nem se submeteu a autoridade espiritual estabelecida por Deus para aquela nação e sobre a sua própria vida:

“Então, Uzias se indignou e tinha o incensário na sua mão para queimar incenso; indignando-se ele, pois, contra os sacerdotes, a lepra lhe saiu à testa perante os sacerdotes, na Casa do Senhor, junto ao altar do incenso. Então, o sumo sacerdote Azarias olhou para ele, como também todos os sacerdotes, e eis que já estava leproso na sua testa, e apressuradamente o lançaram fora; e até ele mesmo se deu pressa a sair, visto que o Senhor o ferira. Assim ficou leproso o rei Uzias até ao dia da sua morte; e morou, por ser leproso, numa casa separada, porque foi excluído da Casa do
Senhor; e Jotão, seu filho, tinha a seu cargo a casa do rei, julgando o povo da terra”
– v. 19,21.


1) Uzias se indignou contra os sacerdotes. Olha bem o motivo da sua ruína: indignou-se contra os sacerdotes:


a) Até hoje esse é o grande motivo da queda e da ruína de muitos ministérios, muitos crentes, e de muitos outros chamados à liderança, quando decidem estabelecer a autoridade que lhes foi concedida, acima da autoridade conferida por Deus;

b) Toda autoridade precisa saber para o seu próprio bem que: Deus não dá a ninguém autoridade absoluta.

2) O sumo sacerdote Azarias e todos os sacerdotes olharam para Uzias:

a) Cuide-se para não atrair os olhares que o lancem para fora do meio em que você é um realizador, é uma bênção, é respeitado, e é reconhecido como um homem de Deus;

b) Não atraia um olhar de condenação, as conseqüências são desastrosas;

c) É mais fácil do que você imagina deixar de rei para ser um leproso. A distância entre o céu e o inferno é tão pequena que é quase impossível calcular. A queda é tão rápida que quase chega a ser imperceptível, pergunte a Lúcifer! Quando a “ficha cai” já aconteceu.

3) A lepra é a doença da deterioração, do isolamento, do abandono, da repulsa, do rompimento, e da separação. Uzias morou numa casa separada até a sua morte, excluído da Casa do Senhor;

4) Todo realizador corre o risco de “despencar” do pódio das suas realizações quando quebra o princípio divino de não se submeter à autoridade e de indignar-se contra a autoridade estabelecida por Deus.

5) Deus chamou Uzias para reinar. Uzias decidiu arruinar-se.

6) O grande segredo para as grandes realizações é o teu olhar estar focado nos princípios divinos. Mas, você não pode perder o Senhor de vista para que as realizações não distorçam o seu modo de ver;

7) Deus chamou você para reinar em vida e não para ser arruinado nesta vida.



FRASES SOBRE REALIZAÇÕES:



Se não posso realizar coisas grandes, as que posso, realizo com excelência – Pr. Josué Gomes



Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização - Martin Luther King.



O autêntico, o verdadeiro grande talento descobre as suas maiores alegrias na realização - Johann Goethe.



O sonho é o primeiro passo da realização de um projeto – desconhecido. Amar é querer a plena realização do ser querido - Pe Henri Caffarel.



Sou a vida. E faço de meus dias a realização de uma vida - Bruno Calil Fonseca.



O sonho é o início da realização – Roobertchay Rocha.



Ter sonhos é saber que nossa capacidade de realização não conhece limites – Rosemary Pereira Araújo.

AUTOR: Pr. Josué Gomes
FONTE: http://www.prjosuegomes.com.br/pdf/como_ter_uma_vida_de_realizacoes.pdf






================
=================
===================
======================
======================






AGARRE AS


GRANDES


OPORTUNIDADES


DE DEUS



Marcos 10:46-52







I – INTRODUÇÃO



1. Todos nós desejamos conquistar vitórias ao longo da vida e sermos bem sucedidos.



2. A vida está repleta de oportunidades. Porém, quase sempre passam despercebidas.



3. As oportunidades:



1) Nem sempre são representadas por grandes promessas;
2) Às vezes aparecem de forma simples e até dissimulada;
3) Às vezes são imperceptíveis;
4) Por não serem identificadas, são desperdiçadas;
5) Daí surgem os fracassos e os insucessos.



4. Mesmo os menos favorecidos, e até os que levam consigo o estigma da derrota e do fracasso, como Bartimeu, as oportunidades também surgem em suas vidas. É necessário aprender a reconhecê-las.



II - MARCADO PARA SER UM PERDEDOR – v 46



1. O destino foi implacável com Bartimeu:



1) Cego, nunca viu a luz ou as cores;
2) Vivia em um mundo de escuridão;
3) Não teve oportunidades na vida;
4) Não tinha como subsistir dignamente, por isso, mendigava;
5) Vivia em permanente solidão e a margem da sociedade;
6) Sofria discriminação.



2. Uma vida marcada pela miséria e pelo sofrimento: “Que possibilidade de sucesso poderia esperar para o seu futuro?”



3. Bartimeu tinha consciência das suas necessidades e sabia quem e o que era:



1) Um cego;
2) Um mendigo;
3) Você conhece as suas necessidades?
4) Você sabe quem de fato é?



III – A ESPERANÇA QUE FAZ A DIFERENÇA – v 47



1. Jesus se movimentava e junto d’Ele uma grande multidão:



1) O ambiente era de festa;
2) Jesus o grande profeta, homem famoso estava na importante cidade de Jericó;
3) De crianças a idosos; de saudáveis a enfermos; de cultos a humildes; todos queriam vê-lo;
4) Gritos, sussurros, empurrões;
5) Afirmações e indagações;
6) Credulidade e incredulidade;
7) Súplicas e pedidos os mais variados e até absurdos.



2. Bartimeu, apenas um “mendigo cego”, como tantos outros carentes e miseráveis no caminho da confusão e dos empurrões:



1) Bartimeu estava bem informado, sabia quem era Jesus;



2) O seu coração bateu mais forte, resultado da esperança, alimento de sua vida;



3) A sua grande oportunidade chegou:



a. Jesus era a oportunidade única da sua vida;
b. Muitos anos se passaram até que a única oportunidade chegasse;
c. Essa oportunidade ele não podia desperdiçar.



3. O encontro da “Esperança” com a “Grande Oportunidade” o fez agir:



1) Ninguém o ajudaria, pois todos queriam aproveitar a chance de falar ou tocar em Jesus;



a. Todos querem os bens empregos;
b. Todos almejam os melhores salários;
c. Todos querem conquistar o melhor cônjuge.



2) Ele não podia ver Jesus, mas tinha senso de direção para saber onde Jesus estava:



a. Você sabe onde e como ter um encontro com Jesus?



3) Ele utilizou-se da ferramenta que dispunha, a sua voz:



a. Gritou;
b. Que ferramenta você dispõe para chamar a atenção de Jesus?
c. Você tem coragem suficiente para tilizá-la?



IV – DISPOSTO A SUPERAR OBSTÁCULOS – v 48



1. Ninguém consegue vencer os obstáculos da vida sem disposição de ânimo.



2. Muita gente o “repreendia” porque gritava:



1) O que você fará poderá causar incômodo;
2) Tentarão calar você, impedindo você de agir;
3) Tentarão impedir que você sonhe com a grande oportunidade da sua vida.



3. De todos os presentes, quem mais enxergava era o cego Bartimeu:



1) Sabia que a sua oportunidade tinha chegado;
2) Decidiu não desperdiça-la;
3) Gritou cada vez mais alto;
4) Enfrentou aqueles que o repreendiam;
5) Você está disposto a superar os obstáculos para segurar firmemente a sua oportunidade?



V – O QUE PODE FAZER JESUS PARAR? v 49



1. Alguém que não desperdiça oportunidades:



1) Jesus tem motivos para parar aqui neste lugar?
2) Você pode crer que hoje á uma grande oportunidade para sua vida?



2. Jesus mandou que chamassem Bartimeu:
1) O cego descobriu que Jesus estava disponível para atendê-lo;
2) Ele soube que a oportunidade não estava mais passando por ele, mas, parou para que ele a recebesse;
3) Chamaram Bartimeu:



a. Alguns tentem impedir que a bênção de Deus, a sua grande oportunidade chegue até você;



b. Outros, a mando de Jesus, removem os obstáculos para que você se aproprie da sua oportunidade.



3. Incentivaram Bartimeu dizendo: “Tem bom ânimo”:



1) Bartimeu já estava animado!
2) E você, está animado com a grande oportunidade de Deus?



VI – UMA EXTRAORDINÁRIA DECISÃO – v 50



1. Bartimeu decidiu romper com o seu passado:



1) Levantou-se cheio de esperança e fé;
2) Foi ter o encontro mais importante da sua vida, com o homem mais importante daquela época;
3) Quem diria que aquele mendigo cego teria uma atenção especial de Jesus;
4) Se você decidir romper
com a sua vida de hoje, Jesus lhe dará uma atenção toda especial.



2. Bartimeu fez um “ato profético”:



1) Abandonou a sua capa;
2) A capa era o seu patrimônio de miséria: o seu colchão, o seu cobertor, parte da sua identidade de mendigo;
3) Você pode hoje fazer um ato profético, em fazer da sua grande oportunidade?



VII – AGARRANDO A SUA GRANDE OPORTUNIDADE – v 51



1. A pergunta crucial que determina se sabemos ou não o que queremos:



1) O que queres que te faça?
2) Bartimeu sabia claramente o que queria:


a. Não pediu comida, nem uma capa nova;
b. Não pediu uma bicicleta;
c. A resposta estava na “ponta da língua”.



3) O que você deseja que Jesus faça deve estar na “ponta da língua”;



4) Se você não souber claramente o que deseja, as grandes oportunidades serão desperdiçadas. Elas passarão e não pararão.



VIII – A FÉ QUE SALVA E DÁ RUMO A VIDA – v 52



1. Bartimeu ouviu uma sentença de Jesus: “Vai, a tua fé te salvou”:



1) Estava salvo do estigma da derrota e da miséria;
2) Estava livre do destino cruel;
3) Aquele que nasceu para ser um derrotado e um perdedor teve o seu fturo reencrito por Jesus;
4) Bartimeuzinho e a sua história;
5) Quem diria, de mendigo e perdedor para um homem vitorioso, com o seu nome escrito no livro mais importante da raça humana: a Bíblia Sagrada;
6) A oportunidade aproveitada que levou o seu nome a ser gravado na história.




2. Passou a seguir a Jesus:



1) Não buscou o milagre pelo milagre;
2) Reconheceu em Jesus o seu Salvador e Senhor.











++++++++++++++
++++++++++++++
++++++++++++++++
++++++++++++++++
++++++++++++++++++
++++++++++++++++++