sábado, 26 de fevereiro de 2011


O PREÇO DO
DISCIPULADO

Lucas 9.57-62


=> Para caminharmos bem, na direção certa, é necessário estarmos dispostos a pagar o preço do caminho estreito. Será que você e eu estamos dispostos a pagar esse preço?

 Jesus foi um homem que caminhou pelas estradas da Palestina.

 Caminhos, naquela época, poeirentos, sujos e mal cuidados.

 Todo o ministério de Jesus, podemos dizer, foi feito pelo caminho.

 O texto diz que indo eles caminho fora alguém veio e se candidatou a seguir Jesus. Depois mais um também e ainda um terceiro que recebe o convite do Mestre.

O nosso objetivo é pensar um pouco sobre esses candidatos a discípulos de Jesus; ver que preço lhes foi exigido e avaliarmos se estamos nós mesmos dispostos ao pagamento desse preço, hoje.

Primeiramente, é importante pensarmos que Lucas não identifica os (as) candidatos (as) a discípulo (a). Haveria alguma razão para isto? Creio que sim, pois, mesmo quando a Bíblia se cala, ainda assim, ela está querendo dizer algo.

 Creio que a Bíblia está dando-nos a oportunidade de nos identificarmos com os(as) candidatos(as) do texto para que possamos avaliar a nossa própria condição hoje e darmos uma resposta de obediência e fé ao Senhor Jesus.

Então vejamos:

Primeiro:
O candidato do versículo 57 diz a Jesus: “seguir-te-ei para onde quer que fores”.

 A resposta de Jesus foi bem seca dizendo que as raposas têm seus covis e as aves dos céus seus ninhos, mas o filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.

 Vem a nós a seguinte indagação: Porque Jesus respondeu a essa pessoa dessa maneira?

O que Jesus quis dizer com essa resposta?

 Não parece, aos nossos olhos que o(a) candidato(a) apresenta-se como uma pessoa bem disposta e desprendida?

 Qualquer pessoa que olhasse para Jesus saberia que Ele estava indo para Jerusalém. O seu aspecto indicava isto. Jesus estava indo para Jerusalém, principal cidade de Israel e também o centro de decisões políticas e religiosas.

O que Jesus faria em Jerusalém?

Qual era a expectativa dos judeus com a ida de Jesus para Jerusalém? Veja-se o que Lucas diz no capítulo 19, versículo 11: a expectativa é de que Jesus restaure o reino a Israel.

 Esse alguém está pensando que Jesus ia para restaurar o Reino a Israel à força, ou seja, com guerra aos romanos e conseqüentemente com a vitória.

 Essa pessoa está interessada em ser promovida no reino, talvez quisesse ser um dos ministros do reino que Cristo estava para instalar.

 Jesus conhecendo o coração e a intenção daquela pessoa, diz com clareza pura e simples de que não adianta seguí-lo pensando em recompensas terrenas. O seu reino não é daqui.

 Esse ensino deve ser aplicado aos prováveis candidatos ao discipulado hoje. Seguir a Jesus não garante nenhuma recompensa terrena; há galardão sim, mas, está guardado para a eternidade, para o futuro.

Segundo:
 O candidato do versículo 61, conforme o texto bíblico, diz a Jesus o seguinte: “Seguir-te-ei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa”.

 Jesus também dá a esse candidato uma resposta muito incisiva, dizendo: “ninguém que, pondo a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus”.

 Qual a razão de Jesus responder dessa maneira a esse candidato? Essa pessoa, mesmo chamando Cristo de Senhor, estava impondo condições para seguir a Jesus.

 O antônimo de Senhor, no grego neotestamentário, é escravo.

 Um escravo não tem vontade própria.

 Um escravo não pode impor condições para ser escravo.

 Se alguém chama Jesus de Senhor, não pode esse alguém impor condições para ser escravo.

 O escravo deve submeter-se, incondicionalmente, ao seu Senhor, às condições que lhe impõe o seu Senhor.

 Muitos se candidatam a seguir a Jesus, mas estão estabelecendo suas condições para tal; exigindo isso ou aquilo. Jesus está respondendo de igual modo. Jesus está respondendo: “Quem não se dispõe a ser meu escravo, na expressão máxima da palavra, não está apto, ou seja: ‘não presta’ para o meu reino, para o meu discipulado”

Terceiro:

 O candidato do versículo 59 é convidado, por Jesus, a segui-lO. É o próprio Jesus quem faz o convite.

 Nesse caso quem dá a resposta é o candidato, dizendo a Jesus para deixá-lo ir primeiro sepultar o pai. Ao que Jesus insistiu dizendo: “deixa aos mortos o sepultar os seus mortos, tu porém, vai e prega o reino de Deus”.

 Esse último candidato estava elegendo suas prioridades, colocando em primeiro lugar a sua questão a ser resolvida. No entanto, Jesus quis mostrar àquela pessoa que nada pode anteceder o Reino de Deus na lista de prioridades do discípulo. “Buscai, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça...” É o Reino de Deus a prioridade número um na vida do discípulo.

 É necessário eleger as prioridades de acordo com a vontade de Deus, porque não há nada mais urgente na vida do discípulo do que fazer a vontade de Deus. O próprio Jesus Cristo disse de si mesmo que: “a minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou, e completar a sua obra”.

 Não é o alimento para o corpo uma urgência humana? Pois bem, ainda que seja uma necessidade premente, questão de vida ou morte, ainda assim, não é mais urgente que “pregar o Reino de Deus”, pois, é, com muito maior razão, uma questão de vida ou morte, e vida ou morte eterna.

 Não sei qual é a sua situação em relação a Cristo. O importante é ser discípulo de Jesus. Para ser discípulo tem de pagar um alto preço. A salvação é grátis, obra do Soberano Senhor, todavia ser discípulo implica disposição para a autonegação e confissão do senhorio de Cristo.

 Talvez você tenha se oferecido para seguir a Jesus pensando em recompensas temporais: posição, poder, riqueza, status, coisas desse tipo

 Talvez tenha se oferecido, mas, não esteja disposto obedecer-lhe a vontade até às últimas conseqüências, a de ser escravo d’Ele; ou, talvez, você tenha prioridades que julga mais importantes que a prioridade do reino de Deus, de pregar a palavra, a tempo e fora de tempo.

 Em qualquer dessas circunstâncias, quero dizer a você: seguir a Cristo é o melhor projeto de vida que um ser humano pode ter, em toda a sua existência.

 Disponha o seu coração para seguir a Jesus, disponha o seu coração para pagar o preço do discipulado. Você vai ver que vale a pena seguir a Jesus, irrestrita e incondicionalmente.

Faça a oração que fez o salmista, no Salmo 86.10: “Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; dispõe o meu coração para temer o teu nome”. Amém!

Rev. Washington Paulo Emrich - Mensagem pregada pelo
Rev. Valter de Souza Matos na igreja Presbiteriana do Sudoeste em 25/03/2007 / Fonte:
http://www.ibsweb.com.br/ipsw3/index.php?option=com_content&view=article&id=267:o-preco-do-discipulado&catid=18:sermoes&Itemid=32



#############

###############

#################

###################