sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O QUE VOCÊ É? FILHO OU ESCRAVO?

 

O QUE VOCÊ É?

FILHO OU ESCRAVO?

Texto: Lucas c15 v11-25

 

Introdução:

- Quando Jesus contou a parábola do filho prodigo, literalmente ele narrou a historia e um jovem que deixou a posição de filho e após esbanjar todos os seus bens, passou a viver como um escravo em terras estrangeiras.

- E por inspiração do Espírito Santo me coube analisar as grandes diferenças que há em ambos estilos de vida.

- Um estilo de vida proporcionado por Cristo e outro estilo de vida proporcionado por Satanás.

AS DIFERENÇAS ENTRE FILHO E ESCRAVO

1. Direito da Vestimenta

- O filho se vestia do melhor que o pai concedia.

- Jesus quer no revestir com as vestes salpicadas pelo seu sangue carmesim.

- Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa (Lucas 15:22)

O escravo se vestia com os remendos das sobras.

- Satanás quer nos vestir com a roupagem da vergonha e da humilhação.

- Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez (Ap 3:18)

2. Direito da Refeição

- O filho comia o melhor da mesa de seu Pai.

- Cristo quer nos alimentar com sua santa palavra, com o maná vivo que desce dos céus.

E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; (Lucas 15:23)

- O escravo comia os restos, as sobras

- Satanás quer nos dar restos, sobras como drogas, bebidas, prostituição, fornicação e etc.

E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam (Lucas 23:11)

3. Direito do Domínio Próprio.

- O filho tem domínio próprio.

- Cristo quer que sejamos livres na sua presença, quer que vivamos nossos sonhos, nossos projetos. Cristo nos da o direito de tomar nossas próprias decisões

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. (João 8:36)

- O escravo não exerce a sua própria vontade

E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos.

- Satanás quer tirar o nosso direito de escolha não nos deixa ter vontade própria, coloca um jugo sobre as nossas costas para nos dominar e nos destruir.

- Você drogado, alcoólatra, fumante, que muitas vezes quer parar de cometer tais atos e não consegue, você esta sob o domínio das trevas, mas Jesus quer te libertar.

4. Direito do Descanso.

O filho tem direito ao seu descanso.

Jesus quer nos dar descanso das dificuldades e dos fardos dessas vidas.

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. (...) e encontrareis descanso para as vossas almas.

Escravo não tem direito a descanso, é o ultimo a se deitar e o primeiro a se levantar.

Satanás quer roubar a nossa paz, não nos deixa descansar, quer infernizar a nossa vida e destruir tudo que temos (Jo 10:10)

5. Direito de Herança

O filho herda o que é de seu Pai.

Jesus quer que sejamos filho do Pai celestial para que herdamos a vida eterna.

Para uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós, (1Pe 1:4)

O escravo não tem direito a herança por que não faz parte da família

O diabo quer nos manter sob a escravidão e roubar de nos a nossa herança, sendo assim a única coisa que nos resta é a morte eterna.

Conclusão:

Podemos ver muito bem as enormes diferenças entre o Filho e o Escravo, sendo assim fica a pergunta.

O que você tem sido Filho ou Escravo?

Jesus te ama e quer salvar a sua vida, mas a escolha esta em suas mãos e é você quem decide.

 

FONTE: Read more: http://www.mefibosete.com/2013/06/sermao-esboco-filho-escravo.html#ixzz2rynVscly

 

Robernane Ferreira Lima

RECOMENDA:

https://www.facebook.com/groups/170443579820049/

GRUPO DE ESBOÇOS

DE SERMÕES NO FACEBOOK

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

VOCÊ É CHAMADO PARA SER SAL DA TERRA

 

VOCÊ É CHAMADO
PARA SER SAL
DA TERRA
- Mt.5.13

 

“Vós sois o sal da terra..”

Não basta uma pessoa querer ser "sal", ou pensar e dizer que é "sal".

O sal verdadeiro é inconfundível, devido às suas QUALIDADES:

1. SUA CAPACIDADE DE CONSERVAR:

-O sal foi o primeiro conservante utilizado pela humanidade.

-Todo cristão verdadeiro é um CONSERVADOR.

-Ele crê na Bíblia e condena todas as formas de pecado que ela denuncia, não importando se a sociedade o considera politicamente incorreto, retrógrado, careta ou coisas semelhantes.

-Ele repudia tudo aquilo o que a Bíblia denuncia, coisas tais como o adultério, a fornicação, a pornografia, as piadas indecentes, o homossexualismo, o ódio, a fofoca, etc.

2. SUA FACILIDADE EM DAR SABOR:

-Uma das grandes busca do ser humano é por sabor.

-Sabor na vida, na existência.

-E, nesta sua busca por sabor, enganado e iludido pelo Diabo, ele acaba experimentando vários "sabores" estragados, contaminados, venenosos.

-Todo cristão verdadeiro tem o SABOR DE CRISTO e é capaz de dar um tempero especial à vida das pessoas ao seu redor.

3. SEU VALOR INTRÍNSECO:

-Não é à tôa que a palavra "salário" vem de sal, pois, nos tempos de Jesus, o sal era tão valioso que era usado como moeda.

-Todo cristão verdadeiro tem VALOR INTRÍNSECO, pois o Espírito Santo de Deus produz em seu íntimo uma série de qualidades inigualáveis, conforme nos relata Gálatas 5.22:

- Amor

- Alegria

- Paz

- Longanimidade

- Benignidade

- Bondade

- Fidelidade

- Mansidão

- Domínio próprio

CONCLUSÃO:

-Se algum cristão não é Conservador, não é capaz da dar sabor à vida das pessoas ao seu redor nem tem valor intrínseco, NÃO É CRISTÃO.

-O cristão verdadeiro, aquele que um dia se arrependeu de seus pecados e abriu seu coração para Jesus, este, sim, tem estas qualidades e é considerado por Deus (e também pelos homens) o SAL DA TERRA!

Postado por Pr. Israel H. Daciolo

 

 

Robernane Ferreira Lima

RECOMENDA:

https://www.facebook.com/groups/170443579820049/

 

GRUPO DE ESBOÇOS DE SERMÕES NO FACEBOOK

VIVENDO ACIMA DA MEDIA

 

VIVENDO
ACIMA
DA MEDIA
- Is.40.27-31

 

- Tem muita gente que vive reclamando do tipo de vida que está vivendo.

- Outros estão satisfeitos com a situação em que vivem.

- Ainda há outros que gostam de ser “normais”, gostam de viver na “média” em que todo mundo vive.

-- Mas pare e pense: um aluno que tira a média na prova é um aluno bom ou ruim?

- Você, como pai, iria querer que seu filho tirasse a média da classe, ou seja, fosse igual aos outros, ou gostaria que ele tirasse um nota superior?

- Viver na média é ter uma vida comum, e o tipo de vida que o Pai nos trouxe através de Jesus, não é uma vida comum, uma vida na mediocridade, mas uma vida acima da média.

I. Sinais de uma pessoa comum, que vive na média:

a) Vive como a maioria vive. Diz que “errar é humano”, porém errar não é humano. Deus não criou o homem para errar, mas para acertar! (Gn 1:27)

b) Faz as coisas porque tem que fazer, mas não faz com excelência!

c) Sempre tenta denegrir a conquista do outro

d) Começa uma coisa e nunca termina

e) Fala mal dos outros

f) Não gosta de mudanças

g) Sempre diminui seu próprio valor

h) Vive cansado, cabisbaixo, se lamentando.

II. Exemplos de pessoas que viviam na média:

a) O rei Saul começou bem, mas se tornou um homem comum (I Sm 13: 13,14)

b) Gideão (Jz 6:13 a 18)

c) O jovem rico, sendo uma pessoa comum, foi convidado a ter a maior experiência com Deus que um homem poderia ter, mas não quis.(Mc. 13:17 a 22)

III. Qual é a vontade de Deus para seus filhos?

a) Deus nos chamou para sermos águias e não galinhas

b) Ex. de “pessoas-águia”: Davi (I Sm 17:45 a 47) / Calebe (Nm 13:30)

c) Os que querem viver acima da média, os “crentes-águia”, sabem esperar no Senhor e sempre serão renovados.

CONCLUSÃO

-Você foi criado à imagem e semelhança de Deus, por isso você pode viver acima da média.

-Não viva como as pessoas comuns, você não é mais comum. Você é um Filho de Deus e, como filho, você é mais que vencedor em Cristo Jesus.

-Não precisa mais andar cabisbaixo, conheça as suas alturas e voe como águia! Deus te abençoe!

Postado por Pr. Israel H. Daciolo

 

Robernane Ferreira Lima

RECOMENDA:

https://www.facebook.com/groups/170443579820049/

 

GRUPO DE ESBOÇOS DE SERMÕES NO FACEBOOK

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

PAGA A TUA DÍVIDA

 

PAGA A

TUA DÍVIDA

II Rs. 4: 1-7


 

Introdução:

- Uma das coisas que mais tem perturbado as pessoas desde que o ser humano existe sobre a face da terra, são as dívidas.

- Pagar as dívidas possivelmente seja o grande sonho da maioria das pessoas.

- É interessante a expressão que se usa quando se fala em pagar dívidas: “Não vejo a hora de me libertar das dívidas”. Ou seja, dívida é sinônimo de prisão, cadeia.

- Quem deve é como quem está preso. Aliás, aqueles que transgrediram a lei, passam a ser devedores da sociedade e por isso são presos.

1. Dívidas produzem conseqüências (vs. 1).

- Dívida é uma coisa que pode existir na vida de crentes e descrentes. Basta não se planejar adequadamente que elas surgem. Depois não adianta orar para Deus pagar, que Ele não vai fazê-lo. Ele nos ensina métodos de planejamento para aplicarmos à vida e nos livrar delas.

- A viúva lembra ao profeta Eliseu da vida dedicada a Deus do marido dela, no entanto ele deixou tantas dívidas que seus filhos estavam correndo o risco de serem levados como escravos para pagarem as dívidas que o pai deixara.

- Qualquer dívida traz conseqüências.

- O pecado produz sérios transtornos para a vida. O amor também gera um grande débito (Rm. 13: 8).

2. “Em que posso te ajudar? O que você tem” (vs. 2a)?

- O profeta parece ficar um tanto embaraçado com a abordagem da mulher. Eliseu exclama: “O que eu posso fazer?” Tem vez que é difícil até ajudar alguém, mesmo quando temos toda a boa vontade.

- No entanto, devemos procurar ajudar a todos e, quando não soubermos o que fazer, devemos perguntar à própria pessoa o que ela tem, ou pode começar a fazer para se ajudar.

3. “Só tenho um vaso de azeite” (vs. 2b).

- Sempre temos alguma coisa. Ninguém é totalmente destituído de recursos.

- Deus age a partir de ferramentas que Ele já pôs à nossa disposição, e que parece que nunca a vemos, como aconteceu com Moisés, com o rapaz que possuía cinco pães e dois peixes, com Davi e sua funda. Quando isso é entregue em Suas mãos o milagre acontece.

- O conselho de Eliseu vai tomar por base o que a mulher tem, não o que ela não tem. É dentro da sua realidade que ela vai obter o que precisa.

4. “Faça um investimento” (vs. 3).

- Existe muita diferença em se fazer um empréstimo e um investimento.

- O empréstimo é feito com o fim de suprir uma necessidade, que é normalmente contraída por falta de planejamento.

- O empréstimo é como encher-se uma caixa de água em dia de falta do produto e esvaziá-la em seguida para suprir a sua falta.

- O investimento parte do planejamento para se acumular recursos aos que já se tem e fazê-los produzir para o futuro.

- Eliseu aconselhou a viúva do profeta a investir na fé. Você é capaz de investir pela fé?

5. “Entra, fecha a porta e, junto com a família, derrama o azeite até encher o vaso” (vs. 4).

- Eliseu manda a viúva tomar uma providência interessante: entre na sua casa, junto com sua família e feche a porta. Isso significa que uma família só pode obter sucesso se for unida, se puder conversar, acertar as diferença e cultivar a paz.

- Depois, o azeite, que simboliza o Espírito Santo, “encherá os vasos até transbordarem”.

- A fórmula do sucesso para uma família crente é esta: união, oração, perdão, planejamento e confiança em Deus.

6. Trabalhando em conjunto e no mesmo propósito (vs. 5).

- Cada um fazendo a sua parte, sem briga, sem contendas e sem reclamações: os filhos traziam os vasos e a mãe os enchia. Todos trabalharam para o bem comum.

7. Sucesso do trabalho realizado em união e no temor de Deus (vs. 6).

- A família unida pode preparar todos os vasos para serem cheios pelo Senhor.

- O trabalho realizado em união e no temor do Senhor é um grande sucesso.

Conclusão:

- O investimento realizado sob a autoridade de Deus, partindo de uma necessidade real (não apenas da ganância), também é usufruído de acordo com a vontade de Deus.

- Da mesma forma que a mulher dirigiu-se ao profeta pedindo orientação e ajuda diante da sua necessidade, obtido o recurso ela volta a procurar o profeta o qual lhe orienta sobre o que fazer com os recursos obtidos de Deus.

- Que a nossa vida possa ser orientada em tudo por Deus, tanto para obter recursos, como para aplicá-los de acordo com a Sua soberana e santa vontade. Só assim pagaremos nossa dívida!

FONTE: IBB Valparaíso, 05 de junho de 2011.
Pr. Paulo Guedes Soares.
www.ibbv.org.br

 

++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++++

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

TRAZEI TODOS OS DÍZIMOS À CASA DO TESOURO

 

TRAZEI TODOS

OS DÍZIMOS À CASA

DO TESOURO

 

TEXTO: Ml 3.10-11

OBJETIVO

Mostrar que o dízimo além de mandamento bíblico é um ato de fé, não é troca ou barganha, é fidelidade em adorar ao Senhor com as nossas posses.

INTRODUÇÃO

Toda organização precisa de recursos para desenvolver os seus projetos e cumprir a sua missão. Com a igreja não é diferente, os dízimos e ofertas fazem parte da vida da igreja para custear a sua manutenção, melhorar as suas instalações, socorrer os domésticos da fé, e ampliar o Reino de Deus aqui na terra.

PONTOS A DISCORRER

1. TRAZEI “TODOS” OS DÍZIMOS À “CASA” DO TESOURO

a) Não é parte nem só de alguns, o mandamento alcança a todos.

b) Quando você traz é mais importante do que mandar ou depositar, pois a sua vinda tem uma significação além do cumprimento da ordenança, a sua comunhão com a casa e com o Dono da casa do tesouro.

2. O DÍZIMO É A MAIOR DOUTRINA DA PROSPERIDADE

a) Nunca vi um “justo” desamparado nem a sua descendência a mendigar o pão (Sl 37.25).

b) Abrirei as janelas do céu, e derramarei sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança (Ml 3.10b).

c) A promessa aos dizimistas é de celeiros cheios.

3. O DÍZIMO É PROPORCIONAL

a) Um percentual de dez por cento de toda renda.

b) O pobre não entrega menos nem o rico entrega mais, é proporcional aos rendimentos.

c) Não é levado em conta o valor nominal, mas sim o percentual.

d) O sustento da casa do tesouro não depende de poucos que dão muito, mas de muitos que são fiéis no pouco.

4. MUITOS PENSAM QUE A IGREJA ABRE AS PORTAS E NÃO PAGA NADA

a) Só para manter as portas abertas a igreja tem um custo fixo.

b) Alguns pensam que todas as contas devem ser pagas pelo irmão que senta do lado.

5. QUANDO OS ADMINISTRADORES NÃO DÃO DESTINAÇÃO JUSTA PARA OS RECURSOS

a) O problema não é seu, é deles com Deus.

b) Os líderes eclesiásticos deverão prestar contas ao Senhor dono da igreja.

6. O ORÇAMENTO É SEU

a) Se você gasta mais do que ganha o problema não é de Deus, é seu.

b) Cuidado com as compras de supérfluos.

c) Cuidado com os desperdícios.

7. O DÍZIMO DEVE SER AS PRIMÍCIAS

a) Os primeiros e melhores frutos.

b) Não é se sobrar eu entregarei.

8. JESUS CONFIRMOU O DÍZIMO

a) Não negligencie o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé, mas não omita o dízimo (Mt 23.23).

b) Não é a oferta em si que vale para o Senhor, mas a intenção do coração e o espírito do ofertante (Gn 4.3-7).

9. QUEM NÃO ENTREGA O DÍZIMO

a) Quem retém além do normal é tachado como avarento, o amor está no dinheiro (1Tm 6.8-10).

b) Quem não é fiel nos dízimos acaba pagando uma conta maior, na farmácia, no hospital, nos juros extorsivos e na falta de emprego.

CONCLUSÃO

Muitos crentes estão procurando resolver primeiro as suas crises financeiras para depois começarem a ser dizimistas e ajudar a sua igreja. Faça um teste começando ainda hoje, mesmo em crise e você verá o que Deus pode fazer.

REFLEXÃO

Algumas ordenanças tais como: O batismo, a ceia e o dízimo, não são figuras ilustrativas, mas de conteúdo sólido na vida espiritual do cristão.

 

Fonte: http://pastorvaldiralves.com.br/textos.php?op=295

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

AS QUATRO MAIORES VERDADES DO MUNDO

 

As quatro maiores

verdades do mundo

 

Primeira verdade: DEUS AMA VOCÊ!

- Você é objeto especial do amor de Deus! Coisa alguma que você faça poderá fazer com que Deus deixe de te amar.

- Talvez, sua vida esteja cheia de dificuldades ou tribulações que te levem a pensar:

“- Não, definitivamente, Deus não se importa comigo. Não é possível que Ele me ame.”

- Mas o Senhor afirma este amor por nós, em toda a Bíblia, que é a sua Palavra. “Com amor eterno te amei; com amável benignidade te atraí”. Jr 31:3.

Segunda verdade: VOCÊ É PECADOR.

- Todos são!  A Bíblia diz em Rm 3:23: “Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus”.

- O pecado separa o homem de Deus. Já nascemos pecadores e separados de Deus; não depende da nossa escolha.

- Entretanto, podemos escolher mudar esta situação e nos ligarmos, definitivamente, a Deus através da terceira verdade.

Terceira verdade: JESUS CRISTO MORREU POR VOCÊ. 

- Por causa do grande amor de Deus, Jesus Cristo, seu Filho, veio a este mundo como um homem, igual a você, tomou sobre si o pecado que era meu e seu e pagou por ele na cruz. Jesus foi castigado em seu lugar para conduzí-lo a Deus.

- Assim, você pode ser livre para viver com Deus, agora e depois da sua morte.

- “Deus prova o seu amor para conosco pelo fato de cristo ter morrido por nós,  quando ainda éramos pecadores”. Rm 5:8.

Quarta verdade: VOCÊ PRECISA ENTREGAR SUA VIDA A CRISTO!

- Jesus Cristo morreu para perdoar a todos quantos quiserem ser perdoados. Nem todos se preocupam com este fato.

- Se você se preocupa e entendeu estas quatro grandes verdades, diga isto a Deus: ENTREGUE A ELE A SUA VIDA E RECEBA JESUS COMO SEU SALVADOR PESSOAL.

- A Bíblia diz: “Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. Rm 8:1.

ORE ASSIM: Deus eu sei que sou pecador e isto me separa de ti. Eu creio na morte de Jesus em meu lugar e agora eu O recebo como meu Salvador. Eu me desligo, voluntariamente, de qualquer outro ser que tenha dominado a minha vida até hoje e me ligo somente a ti, para te amar, seguir e obedecer até o fim. Amém.

Fonte: Por Pra. Marlene Moraes

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

03 ATITUDES DE UM VITORIOSO

 

03 ATITUDES

DE UM VITORIOSO

Sl 89.17 Tu, ó Deus, és o nosso poder glorioso; por tua bondade, nos fazes vencer”.

- O que nos faz vencer e triunfar, não são nossos méritos próprios, mas a bondade e a misericórdia do Senhor.

- Mas eu percebo algumas características (ATITUDES) sempre presentes na vida dos vitoriosos. Pessoas que aprenderam a desfrutar das experiências dadas por Deus.

- Pessoas que alcançaram grandes vitórias e que são dependentes da bondade de Deus, mas que possuem dentro de si uma determinação de sempre prosseguir.

- Deus nos permite interagir na nossa vitória quando tomamos atitudes características de um vitorioso.

Quais são essas atitudes? São três:    

1. O Vitorioso não se intimida diante dos obstáculos

- Grave isso que eu vou dizer agora: Um grande sonho, em combinação com determinação, confiança, persistência e fé consistente pode fazer com que a vida se transforme na mais maravilhosa aventura a ser vivida.

- Uma vez que você estabeleceu seus alvos e começou sua jornada rumo à sua realização, pode estar certo de que enfrentará dificuldades. Haverá sem dúvida alguns, ou inúmeros obstáculos, mas você não deverá se permitir intimidar por nenhum deles.

- Você se lembra de que quando Moisés libertou o povo do Egito ele pediu que doze espias fossem olhar a nova terra. Dez deles voltaram afirmando que nela havia muito mel e leite, mas também muitos gigantes (obstáculos).

- Os dez espias estavam prontos para desistir, porque se viam - conforme sua própria descrição - como gafanhotos, comparados com os gigantes. Do grupo dos doze, apenas dois depositaram sua fé em Deus. Eles não se deixaram intimidar, porque sua fé era maior que os obstáculos - os gigantes.

- Não se permita intimidar pelos gigantes desta vida. Quando Deus é por você, ele é maior que o mundo todo contra você!

2. O Vitorioso procura viver feliz

- O mundo em que vivemos simplesmente não entende o conceito da genuína felicidade e muito menos pode lhe fazer feliz. Felicidade, porém é algo bem mais simples do que você possa imaginar.

- Você pode ser feliz simplesmente por decidir ser feliz. Apesar dessa declaração - à primeira vista - soar tão superficial e simplista, o fato é que existe um princípio fundamental imutável por detrás da mesma.

- É possível ser feliz quando as finanças estão em estado calamitoso ou quando uma inesperada tragédia lhe dilacera a alma? Sim. O fato é que não são os eventos e circunstâncias que lhe definem. O que lhe definem são as suas respostas a esses eventos e circunstâncias. É a confiança que você tem no seu Deus, o exercício da sua fé que irá determinar a sua felicidade em meio às tribulações. Nada, absolutamente nada nesta vida lhe ocorre sem que antes já tenha passado pelo filtro do amor de Deus. Esse é um princípio que o Senhor jamais negocia, é uma questão absolutamente fechada.

- Quando esse mesmo princípio é encarnado na nossa disciplina diária, então ganhamos uma nova perspectiva para viver em um novo estilo de vida.

- Um certo pensador disse o seguinte: Nunca tome uma decisão definitiva com base numa tempestade passageira. Não importa quão negras sejam as nuvens ao seu redor. Lembre-se a si mesmo dizendo: “Essa também irá passar”.

- Obviamente que tristezas, desapontamentos, lágrimas podem estar sempre ao seu redor, mas absolutamente isso não anula a sua possibilidade de ser feliz.

- Por que? Porque felicidade é muito mais do que uma circunstância ou um evento que possa lhe trazer muita alegria. Mas genuína felicidade é ter a serena consciência de que Deus está soberanamente no controle da história da minha vida.

- O Senhor não quer que sejamos simplesmente alegres, mas que vivamos em paz, com felicidade em nosso coração.

- João 14.27 “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”.

3. O Vitorioso deixa brilhar a sua luz

- A decisão de irradiar alegria e positivismismo é apenas sua. Pode parecer ingênuo, irrealístico, insensível, mas não é.  Seu estado deplorável não ajuda ninguém.

- Seu desespero e a sua angústia não realizam absolutamente nada.

- Seu cinismo não traz benefício algum, nem a você nem a ninguém. Por que então aceitar se engajar em tais atitudes?

- O negativismo é um buraco profundo e cheio do nada. Quem precisa dele? Nem você, nem ninguém. Você não se beneficia do seu negativismo; tampouco ninguém. Ele é não apenas doloroso, como inclusive inútil. Portanto, quando você sentir que ele está vindo, imediatamente peça a força de Deus para ajudá-lo a opor forte resistência a tal sentimento.

- Você tem coisa muito mais importante para fazer do que desperdiçar preciosa energia com algo que não irá lhe trazer nenhum benefício - nem a você, nem a seja quem for, perto ou longe de você.

DEIXE BRILHAR A SUA LUZ

- Não se entregue às trevas do negativismo. Deixe que brilhe a sua luz. Concentre-se naquilo que é positivo, bom e verdadeiro, e assim você estará construindo um mundo muito melhor onde viver.             

Mt 5.16 “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”.

 

Fonte: http://www.cruzadavitoriaemcristo.com.br/estudos_vis.php?lang=pt&id=000000000000146&idc=00002

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

sábado, 4 de janeiro de 2014

Restaurando o Altar para que haja Fogo

 

 

Restaurando
o Altar para
que haja Fogo

I Reis 18.30-39

 

Introdução:

O altar da Igreja não é um palco de apresentações, mas é um lugar santo e consagrado para ministração da Palavra, salvação, cura e libertação. Contudo, muito mais que o altar, as nossas vidas devem ser um altar para o Senhor.

No tempo do profeta Elias, existiam vários altares de adoração ao Senhor. Entretanto, o povo estava adorando ídolos e muitas vezes usando o altar para Baal. Por isso, o profeta Elias convocou o povo para tomar uma decisão radical “disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu” (I Reis 18.21).

Então Elias marcou um desafio com os seguidores de Baal para saber quem é Deus. Fariam um sacrifício sem colocar fogo e o Deus que respondesse com fogo seria o verdadeiro Deus. Foram ao altar no monte Carmelo, prepararam dois cordeiros e os seguidores de Baal escolheram o primeiro cordeiro e começaram a clamar, mas Baal não respondia. Chegaram ao ponto de se cortar e gritar desesperados para que Baal mandasse fogo, mas nada aconteceu.

Chegada a vez de Elias, primeiramente “restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas” (v.30). Ele sabia que não teria resultado se não fizesse isso antes. Deus não manda fogo em altar quebrado ou profanado. Em obediência à palavra do Senhor, “tomou doze pedras ... e ... edificou o altar em nome do SENHOR” (v.31,32).

Para provar que seria algo sobrenatural, também fez um rego ao redor do altar e derramou muita água para que ficasse completamente encharcado. Somente pelo poder de Deus aquela lenha umedecida, o cordeiro molhado, bem como as pedras do altar pegaria fogo. E foi isso que aconteceu quando Elias orou (v.37) ao Senhor “caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego” (v.38). E o povo glorificou reconhecendo o poder de Deus “O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!”(v.39).

O altar da Igreja precisa ser restaurado, espiritualmente falando, para que o fogo de Deus se manifeste no meio do povo de Deus. É preciso fazer concertos antes, então a manifestação do Senhor é livre abundante no culto.

Se quiser que Deus se manifeste com seu poder em sua vida, primeiro é preciso restaurar o Altar do seu coração. Você gostaria de receber o fogo do Senhor em sua vida? Peça ao Espírito Santo que restaure seu coração.

Como posso restaurar o Altar da minha vida?

Comparando às doze pedras utilizadas por Elias, vamos refletir sobre doze características que precisamos para restaurar o altar da Igreja e o Altar de nossos corações:

1 - ORAÇÃO:

“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” Tiago 5.16

A ORAÇÃO é a primeira pedra que colocamos na restauração do Altar. O texto acima fala da oração que confessa os pecados, intercede uns pelos outros, ministra cura e que é eficaz em tudo.

Uma Igreja cujo altar é cheio de fogo do Espírito Santo, é uma Igreja que ora incessantemente. Um cristão que tem o altar do coração restaurado e aquecido pelo poder de Deus, vive uma vida de intimidade e oração todos os dias.

Você tem uma disciplina de oração?

Restaure a pedra da oração no teu Altar!

2 - BÍBLIA:

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” II Timóteo 3.16

A BÍBLIA é a segunda pedra par a restauração do Altar. Jesus mandou“examinar as escrituras” (João 5.39), precisamos ouvir a Palavra de Deus para ter fé (Romanos 10.17), somos libertos de todo mal pela verdade da Palavra de Deus (João 8.32) e devemos usar a Bíblia como uma Espada do Espírito (Efésios 6.17b).

O altar da Igreja é o lugar de pregação das Escrituras e uma igreja é fortalecida quando busca conhecimento da Palavra como alimento principal. O pastor deve defender a doutrina da Igreja fundamentado na Bíblia e combater heresias. Para restaurar o Altar da Igreja é preciso ter a pregação como prioridade.

Um crente que tem o altar de seu coração cheio de fogo, ama a Bíblia, e “nela medita de dia e de noite” (Salmos 1.2). Para restaurar o altar do coração a pessoa deve se empenhar pela leitura da Bíblia.

Você e sua Igreja têm estudado a Bíblia?

Restaure a pedra da Bíblia no teu Altar!

3 - :

“porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” I João 5.4

A terceira pedra que firma este altar é a Fé. Com a leitura da Bíblia e oração, a fé é fortalecida. Jesus é o “Autor e consumador da fé”(Hebreus 12.2), que nos serve como escudo (Efésios 6.16).

A Igreja precisa ser fervorosa, cheia de fé. As palavras, pregação e orações ministradas no altar, bem como tudo o mais, deve ser feito pela fé. Também na vida do crente, tudo deve ser motivado pela fé. Quando a Igreja vive pela fé, o fogo do Espírito Santo é derramado poderosamente.

Sua Igreja e você vivem pela fé?

Restaure a pedra da Fé em seu Altar!

4 - ESPERANÇA:

“E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” Romanos 15.13

A quarta pedra do altar é a ESPERANÇA. O que é Esperança? É esperar com fé. A continuação da fé. Quem crê e persevera tem esperança em Deus. A Esperança é a fé que persevera.

O pessimismo destrói os sonhos. Quando a pessoa é pessimista não consegue olhar para o futuro e ser feliz. Por isso quando encontramos a verdade em Jesus Cristo, somos cheios de esperança e capazes de viver melhor.

Uma Igreja verdadeira precisa ser esperançosa. Olhar para as vidas com esperança de ver uma mudança em seu viver. O ambiente do culto deve inspirar as pessoas a ter esperança de que tudo vai melhorar. O crente tem que ter esperança de que tudo pode melhorar com ajuda de Deus.

Você tem esperança no futuro? Sua Igreja é esperançosa?

Restaure a Pedra da Esperança em seu Altar!

5 - AMOR:

“Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” I Pedro 4.8

A quinta pedra que firma o altar é o Amor. Ele fica quase no meio das outras pedras como um “que é o vínculo da perfeição” (Colossenes 3.14). O amor nos ajuda a perdoar as pessoas esquecendo o que fizeram contra nós, por isso o amor cobre multidão de pecados. O amor do mundo é passageiro e decepcionante, mas o Amor Ágape de Deus é gratuito e sacrificial.

A Igreja precisa amar porque “se não tiver amor, nada disso me aproveitará” (I Coríntios 13.3). Muitas vezes é preciso mexer nas estruturas eclesiásticas para que não haja conflitos na Igreja. Um verdadeiro crente é “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5.9). A pedra do amor deve ser restaurada em nosso altar. Precisamos lutar para continuar amando a cada dia mais. Tudo na Igreja e na vida do cristão deve ser voltado para manifestar o amor de Deus.

O que você e sua Igreja têm feito para mostrar o amor?

Restaure a pedra do Amor em seu Altar!

6 - ALEGRIA:

“Celebrai com júbilo ao Senhor, todas as terras. Servi ao Senhor com alegria” Salmos 100.1,2

A sexta pedra que firma este altar é a Alegria. Sem alegria tudo se torna difícil, mas quando estamos alegres nem vemos as horas passarem. Para servir a Deus é preciso alegria, por que viver para Deus é algo muito bom e Ele realiza maravilhas para nós. Quando estamos tristes não temos forças para fazer nada, “portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do SENHOR é a vossa força” (Neemias 8.10c).

O clima da Igreja deve ser alegre e cheio de júbilo para que todos que entrarem tristes saiam confortados pelo Espírito Santo e fortalecidos pela alegria do Senhor. Não basta apenas dizer que o crente tem que ser alegre, mas a alegria do cristão deve ser nas coisas de Deus. Sendo assim, estará sempre contente. Não adianta ficar com muito moralismo e exigências. Isso faz com que as pessoas sejam sisudas e o ambiente esteja pesado.

Sua Igreja é alegre? Você tem alegria em servir a Deus?

Restaure a pedra da Alegria em seu Altar!

7 - PAZ:

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” Filipenses 4.7

A sétima pedra que firma este altar é a PAZ. Quando saudamos os irmãos dizemos ‘a paz do Senhor’ para declarar que estamos em paz uns com os outros e começar nossos diálogos de maneira pacífica. Esta paz que temos não é a paz do mundo que é passageira e sim a paz doada por Jesus que é eterna (João 16.33).

A Igreja deve ser promotora da paz e do bem estar para seus membros e toda a comunidade ao redor prestando serviços missionários que apontem para o Reino de Deus. Do mesmo modo todo crente deve“se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”(Romanos 12.18).

Você tem paz em seu coração? Sua Igreja está em paz?

Restaure a pedra da PAZ em eu Altar!

8 - PACIÊNCIA:

“Irmãos, tomai por modelo no sofrimento e na paciência os profetas, os quais falaram em nome do Senhor” Tiago 5.10

A oitava pedra que firma este altar é a Paciência. Precisamos ter paciência para enfrentar as provações (Romanos 12.12) e para suportar os irmãos com amor (Colosseneses 3.13). Deus é paciente para conosco e assim devemos ser também para com o nosso próximo. A longanimidade, ou ânimo longo, sinônimo de paciência é um fruto do Espírito Santo na vida do cristão (Gálatas 5.22).

O Altar da Igreja precisa da pedra da paciência porque nem tudo acontece na hora que queremos, mas no tempo de Deus. Então a obra acontece de acordo com a vontade do Senhor e não podemos forçar as coisas exigindo que se realize do nosso jeito.

Sua Igreja e você tem tido paciência?

Restaure a pedra da Paciência em seu Altar!

9 - BONDADE:

“nada, porém, quis fazer sem o teu consentimento, para que a tua bondade não venha a ser como que por obrigação, mas de livre vontade” Filemom 1.14

A nona pedra do Altar restaurado é a Bondade. Tudo na Igreja e na vida de um cristão deve ter esta virtude “porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade” (Salmos 100.5).

Deus é bom para conosco não por merecermos, pois não somos merecedores, mas por misericórdia. Do mesmo modo devemos ser bons para as pessoas sem julgar se merecem ou não, agindo sempre com amor Ágape que não busca seus interesses.

Você tem exercido a Bondade pela misericórdia ou julga o merecimento das pessoas?

Restaure a pedra da Bondade em seu Altar!

10 - FIDELIDADE:

“Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito” Lucas 16.10

A Fidelidade é a décima pedra deste Altar. Deus é sempre fiel, “se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” (II Timóteo 2.13). A fidelidade deve ser irrestrita e incondicional como um exercício da Fé.

Quando a igreja é fiel ao Senhor, Deus opera grandiosamente no meio do seu povo. Se o cristão é fiel a Deus em tudo, sua vida é mais que abundante de vitórias. Isso também se aplica aos Dízimos e Ofertas. O Senhor multiplica infinitamente para aqueles que creem e praticam a fidelidade.

Ser fiel também é ser obediente, ser submisso, manter seus compromissos pessoais, com a Igreja e seus votos ao Senhor.

Sua Igreja é Fiel ao Senhor? E voe tem sido fiel no pouco?

Restaure a pedra da Fidelidade em seu Altar!

11 - MANSIDÃO:

“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” Mateus 5.5

A décima primeira pedra para restauração do Altar é a Mansidão. Precisamos aprender com Jesus que é “manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma” (Mateus 11.29). Jesus prometeu que os mansos têm uma herança na terra, ou seja, vão conseguir tudo o que querem nesta terra com mansidão. Realmente com braveza e pressa ninguém consegue nada, mas com calma e mansidão se vai ao longe.

Na Igreja é preciso mansidão para tratar aos irmãos. Isso não é fácil, mas é indispensável para um bom relacionamento na comunidade.

Você tem sido manso com as pessoas?

Restaure a pedra da Mansidão em seu Altar!

12 - DOMÍNIO PRÓPRIO:

“Como cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não tem domínio próprio” Provérbios 25.28

A última pedra deste Altar restaurado é o Domínio Próprio. O texto acima compara a pessoa sem domínio próprio com uma cidade destruída e sem proteção onde todo tipo de coisas ruins podem acontecer.

Esta pedra nos mostra uma característica que precisamos para manter todas as outras, pois não posso orar, ler a Bíblia, amar, ter fé, esperança e as outras virtudes apenas quando tenho vontade. È preciso determinação. Sendo assim você consegue perseverar nos outros aspectos.

Domínio Próprio também tem a ver com o controle das emoções que às vezes estão efervescendo e precisam ser contidas. A língua é outro lado que precisamos dominar muito em nossas vidas para não pecar contra Deus e contra os irmãos. As vontades da carne precisam ser negadas até o ponto de crucificar o velho homem “levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo” (II Coríntios 10.5).

Você tem conseguido se dominar?

Restaure a pedra do Domínio Próprio em seu Altar!

Restaure o Altar de seu coração!

CONCLUSÃO:

As pedras para restaurar o Altar foram compradas com virtudes indispensáveis. Falamos sobre a restauração do Altar através da Oração e da Palavra de Deus como bases iniciais para estruturar a vida espiritual de uma Igreja ou de qualquer cristão. Depois passamos para as três coisas mais importantes que são a fé, a esperança e o amor (I Coríntios 13.13). Então passamos para os frutos do Espírito, tendo já falado do primeiro que é o amor, partindo para alegria, paz, longanimidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gálatas 5.22,23).

O Altar da Igreja precisa ser santo e restaurado para que o fogo do Espírito Santo se manifeste sobre o povo de Deus. Mas o altar também é a vida de cada crente. Não fique olhando para os outros na Igreja. Por isso oramos de olhos fechados, para olhar somente Jesus. Examine-se e deixe o Senhor restaurar o Altar de sua vida. Deste modo o fogo do Espírito Santo virá sobre você.

Você já passou pela restauração do Altar?

Restaure o Altar de sua vida e sinta o fogo do Espírito descer sobre você!

 

Momento da Restauração do Altar da Igreja Metodista Canaã em Além Paraíba/MG, dia 25/02/2012 quando o Pr. Welfany Nolasco ministrou esta palavra à Igreja agradecendo pela reforma do Altar da Igreja e dedicando-o ao Senhor. Doze varões levantaram cerâmicas com os nomes dos símbolos das 12 pedras usadas por Elias para restaurar o altar do Senhor.

 

© AUTOR: Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Assumindo o Governo

 

ASSUMINDO

O GOVERNO

- Cremos que a cada ano recebemos uma nova oportunidade.

- Em uma parábola, Jesus apresenta uma figueira que não produzia frutos há pelo menos três anos e o dono mandou arrancá-la, pois estava ocupando a terra inutilmente.

- O agricultor pediu mais um ano para que pudesse cuidar melhor da figueira. Assim Deus faz conosco!

- O ano de 2014 é mais uma chance, uma nova oportunidade.

- O ano de 2014 é o do GOVERNO E DO DISCIPULADO. Na Bíblia, o número 12 representa governo. São doze horas no dia, doze tribos de Israel, doze discípulos, 12 vezes 12.000, o número dos salvos em Apocalipse. Claro que não vamos ficar tratando o número, como se fosse um amuleto ou como um ídolo para nós. Porém, cremos que este número tem algum significado para nossas vidas.

- Cremos que vamos conseguir novas posições e exercer o governo espiritual, influenciando muitas pessoas em 2012.

- Antes de pensar em assumir as posições preparadas por Deus para nós, precisamos de uma reflexão quanto às nossas atitudes e se temos as condições para exercer autoridade em nome de Deus.

- Creio que é preciso antes de tudo, assumirmos o governo de nossa própria vida. Deus prometeu nos dar o governo, mas não nos dará antes que estejamos prontos para exercê-lo com excelência. Precisamos, primeiro, controlar nossa própria vontade, assumindo o governo da nossa vida. Pessoas que dizem que governam, mas ainda são dominadas por suas fraquezas não conseguirão alcançar plenamente o propósito de Deus.

- Saber que não deve pecar ou manter aquele relacionamento errado, mas continuar. Necessitar mudar de emprego, mas não conseguir melhorar o conhecimento ou fazer um currículo para entregar aos amigos. Desejar emagrecer, passar em um concurso, fazer a obra de

- Deus, crescer no conhecimento. Esta tem sido a vida de muitos servos de Deus.

- Todas as conquistas em 2014 estão relacionadas às suas atitudes!

- No capitulo 09 (nove), versículo 01 (um) de 2ª (segunda) Reis, vemos o relato que o Rei Salomão conseguiu fazer tudo o que teve vontade, ou seja, venceu o ânimo dobre e cumpriu seus objetivos, relacionados com a construção do TEMPLO. O apóstolo Tiago nos conclama a vencermos o ânimo dobre. (Tiago 4:8).

Vejamos o que fazer para vencer o ânimo dobre, assumindo o governo de nossas vidas.

1) Trace metas objetivamente.

- Defina onde deseja chegar em cada área de sua vida e como fará para alcançar.

- Escreva o passo a passo para estas áreas.
Planejamento é importante para definirmos onde vamos chegar e como faremos para cumprir os objetivos.

- Jesus falou sobre planejamento em Lucas 14:28;

2) Exclua o não para estas áreas.

- As vitórias dependem de pararmos de aceitar os pensamentos negativos e rompermos com a lei das impossibilidades, que está ligada à vida sem Deus. Segundo o Senhor: “Tudo é possível ao que crê” Marcos 9:23;

3) Saia da zona de conforto/prazer.

- Precisa inconformar-se com o que alcançou até 2013 e se mover para mudar os quadros. Parado, nada irá acontecer. Efésios 5:14;

4) Lute contra sua natureza.

- Costumamos dizer que os fracos nunca conquistam. Às vezes, somente damos valor e cultivamos as coisas boas em nós, mas nossas fraquezas podem colocar tudo a perder.

- Vença onde é fraco: “Diga o fraco, sou forte” Joel 3:10;

5) Comece e conclua os processos.

- Enquanto não começar não, terá chances de concluir um projeto.

- Se precisa perder peso, comece fechando a boca, depois vai ser mais fácil fazer uma caminhada, etc.

6) Suba nas costa de um gigante.

- Todos os conquistadores precisaram de uma mentoria, de alguém que os discipule, mostrando o caminho.

- Deus orientou Salomão a seguir os passos de seu pai, Davi. Enquanto Salomão seguiu tal direção, permaneceu na bênção.

Diga não a independência – SEJA O MELHOR DISCÍPULO EM 2014!

 

Fonte: http://www.batistarestauracao.com.br/?p=66

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

 

Porque fazer discípulos?

 

Porque fazer

discípulos?

 

“Você gastaria o mesmo tempo para se preparar a fim de satisfazer as necessidades de uma pessoa, que também usaria para se preparar a fim de pregar um sermão para cinco mil pessoas? Quanto você crê no potencial de uma pessoa” K. Bruce Muller

Fazer discípulo é um método exeqüível.

Ao recapitular a minha motivação para discipular os outros, lembro-me de como alguém cuidou de mim, e como esse cuidado amoroso foi  muito importante para a minha vida, que foi mudada por causa dele.

Fazer discípulos não tem grau de prestígio, nem categoria denominacional; mas os resultados são sempre melhores do que qualquer coisa que experimentei em trinta anos de trabalho com o povo.

Há várias razões para isso:

Discipular é uma das maneiras mais estratégica para ter um ministério pessoal ilimitado. Isso pode ser feito em qualquer tempo, por qualquer pessoa, em qualquer lugar e entre qualquer grupo etário;

 

I. Discipular é o mais flexível dos ministérios.                                                 

Visto que não precisa ser executado dentro de qualquer esquema cronológico ou estrutura organizacional, o fazedor de discípulos pode ser extremamente flexível;

II. Discipular é a maneira mais rápida e segura de mobilizar todo o corpo de Cristo para evangelizar.                                             

=> O alvo de discipular não é apenas conseguir mais discípulos,  porque um clube composto de almas salvas logo morrerá sem uma eficiente penetração no mundo perdido.                                        

=> Uma das formas mais rápidas de aumentar o número de batismos e aprofundar a qualidade de vida dos que são alcançados para Cristo é o discipulado.                                            

=> Fazer discípulos de todas as nações torna-se tanto um resultado da evangelização quanto uma forma de realizar a evangelização do mudo;

III. Discipular tem um potencial de mais longo alcance para produzir frutos do que qualquer outro ministério.                 

=> O Senhor deseja que sejamos arraigados e edificados nele, e estabelecidos na fé (Col 2:7). Isto exige tempo e interesse. Interesse pelo povo é componente essencial. O seguimento (o seguir) é feito por alguém, e não por algo;

IV. Discipular propicia à igreja local maduro líderes leigos centralizados em Cristo e orientados para a Palavra.                      

=> Os “esquentadores de bancos” são muitos; os trabalhadores são poucos. Os trabalhadores são produto de discipulado feito na igreja e orientado pelo Espírito.                                            

=> A edificação na vida de outros é o plano de Deus para o levantamento de novos diáconos, professores e outros líderes na igreja.                                       

=> O apelo do comitê designador por obreiros (grupo que busca identificar novos obreiros) se tornará um brado de louvor a Deus, quando os membros da igreja forem discípulos multiplicadores semelhante a Cristo.

 

Texto extraído do Livro Multiplicadores de Discípulos, Moore Waylon B.

 

Blog de:

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima

Robernane Ferreira Lima