quarta-feira, 3 de julho de 2013

Meu Compromisso

 

Meu

Compromisso

 

Texto:

“Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o Reino de Deus” (Lc 9.62).

“Dai voltas às ruas de Jerusalém; vede agora, procurai saber, buscai pelas suas praças a ver se achais alguém, se há um homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela” (Jr 5.1).

Introdução:

- Tem-se dito que somos uma sociedade que não quer compromissos, não queremos assumir.

- Nosso Deus é um Deus de compromissos. Jesus comprometeu-se tanto que se fez carne, habitou entre nós, tomou nossos pecados e na cruz deu a sua vida por nós. Isto é compromisso.

Em que devemos nos compromissar?

Veja abaixo:

1. Compromisso com a oração.

- À semelhança de Jesus (Mc 1.35; Lc 6.12; Lc 22.44).
- Persistência (Lc 18.1).
- Eficácia da oração (Tg 5.16).
- Orar é tocar o trono, orar é abrir as janelas do céu, orar é ver o braço de Deus em movimento, orar é vida de intimidade com Deus, orar é crer contra a esperança, orar é ver Deus trazendo à existência as coisas que não existem, orar é saber que Deus é poderoso para fazer infinitamente mais, orar é ter a chave que abre portas.

2. Compromisso com a Palavra.

- De estuda-la (Jo 5.39).
- De meditar nela (Sl 19.14; Sl 1.2).
- De guarda-la no coração (Sl 119.11).
- De ama-la (Sl 119.97).
- De pratica-la (Mt 7.24, 25).
- De semeá-la (Sl 126.6).

3. Compromisso com o Reino de Deus.

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33).

- Significa meu caráter, meu estilo de vida, meu testemunho. “O Reino de Deus está dentro de vós”.

- Quando o Reino de Deus está dentro, ele reflete por fora. Aí é o sal fora do saleiro, é a luz no velador, é o fermento na massa.

- Mais do que distribuir a Bíblia, nós somos a Bíblia ambulante (2 Co 3.2), mais do que pregar com palavras, nós somos o bom perfume de Cristo (2 Co 2.15).

- Paixão pelo Reino, amor pelo Reino, compromisso com o Reino, é engravidar-se do Reino, é viver o Reino, é ser mártir do Reino, é ter o Reino como prioridade.

- Veja o testemunho do apóstolo Paulo (At 20.24).

4. Meu compromisso com a família.

- Como sacerdote da família (Jó 1.5).
- Como abençoador da família (Gn 49).
- Como líder da família (1 Tm 3.4, 5).
- Sua família é prioridade?
- Como vai a sua família? (2 Rs 4.26).

Conclusão:

Deus está à procura de pessoas que se disponham a uma vida de sério compromisso com a oração, com a Palavra, com o Reino e com a família.

Você está disposto, com a ajuda da graça de Deus, selar hoje o seu compromisso?

 

 

AUTOR: Messias Anacleto Rosa

 

 

===========================

===========================

===========================

===========================

Vivendo as Promessas de Deus

 

Vivendo

as Promessas

de Deus

 

Texto: “ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mt 28.20).

Introdução:

- Deus prometeu nunca deixar os seus filhos: “Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca, jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?” (Hb 13.5, 6).

Veja onde e quando o Senhor estará sempre conosco:

1. No deserto.

- Deus nos sustenta em seus braços: “O amado do Senhor habitará seguro com ele; todo o dia o Senhor o protegerá, e ele descansará nos seus braços” (Dt 33.12).

“O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos; ele expulsou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o” (Dt 33.27).

2. Nas situações mais impossíveis.

- Deus é suficiente: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti” (Is 43.2).

“Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes: Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita” (Ap 2.12, 13).

3. Nas fornalhas da vida.

- Deus está presente e intervindo a favor dos seus filhos: “Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses” (Dn 3.25).

- “O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca aos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; também contra ti, ó rei, não cometi delito algum. Então, o rei se alegrou sobremaneira e mandou tirar a Daniel da cova; assim, foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus” (Dn 6.22, 23).

4. Nas tempestades e nos vendavais.

- Deus nos salva: “Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento” (Mt 14.28-32).

5. No calor do sol e nas catástrofes.

- Deus é a sombra: “Eis aí está que reinará um rei com justiça, e em retidão governarão príncipes. Cada um servirá de esconderijo contra o vento, de refúgio contra a tempestade, de torrentes de águas em lugares secos e de sombra de grande rocha em terra sedenta” (Is 32.1, 2).

- Todo o Salmo 91 demonstra o cuidado de Deus para conosco:“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio” (Sl 91.1, 2).

6. No vale da sombra da morte.

- Deus está conosco e propicia o livramento: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (Sl 23.4).

7. Nas angústias da vida.

- Ele está presente e provê a salvação: “Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação” (Sl 91.15, 16).

“O Senhor é bom, é fortaleza no dia da angústia e conhece os que nele se refugiam” (Na 1.7).

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” (Sl 46.1).

Conclusão:

- O nosso Deus, que é o nosso Pai, sempre está presente em todas as situações da vida.
Veja a Palavra Aba - Salmo 89.26, Rm 8.15.

- Ainda hoje no hebraico quando uma criança quer chamar o seu pai, esta é a palavra usada. Como é bom saber que podemos chamar com intimidade o nosso Pai a qualquer momento sabendo que mesmo quando adultos Ele nos carrega no colo e cuida de nós. (Isaías 46.4, Salmo 4O.17, 103.13).

 

FONTE: Roberto e Lourdes
www.amainacoes.com.br

 

++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++

Características da Vida no Deserto

 

Características

da Vida

no Deserto

 

Texto: “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o Senhor, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos”(Dt 8.2).

Introdução:

- Será que você tem vivido no deserto e ainda não compreendeu?

Abaixo algumas características inerentes à vida neste local tão inóspito.

1. Motivação errada no coração

- Algumas pessoas pensam que estão realizando a obra de Deus, mas estão edificando um monumento para si mesmas.

- O deserto instiga a manifestação de motivações erradas no nosso coração.

- O deserto é lugar de sol, assim nos vemos à luz de Deus. É também local de sequidão, todo o que vive na carne é seco, árido, não tem nada para ministrar ao outro. Reconhecendo as motivações erradas poderemos avançar para a Terra Prometida. (Ex.13.3,5).

2. Ausência de Celebração

- Só podemos celebrar a redenção com revelação vivenciando a plenitude da vida ressurreta.

- A Páscoa era para ser contada aos filhos. Era a única maneira das crianças compreenderem o propósito de Deus.

- Muitos pais hoje em dia, não vivem a vida abundante de Deus, vivem no deserto. Talvez seja esse o motivo porque muitos filhos de crentes não se convertem.

- O Senhor ordenou a celebração de três festas (Ex 23.14-16) todas ligadas ao plantio e a colheita.

- O deserto não é lugar de festa, mas de tédio. Muitos crentes não conseguem celebrar, certamente por que estão no deserto.

3. Indisciplina e falta de compromisso com Deus – Dt 12.7-8

- No deserto, não se semeia nem se colhe nada; logo, podemos afirmar que o crente carnal, que vive no deserto, também não possui fruto nenhum para apresentar a Deus. Isso por que só faz o que lhe parece bom aos próprio olhos.

- Suas ações poderiam até ser sinceras, mas sem a direção do Espírito Santo (1Co 10.5).

4. Não entram no descanso – Dt 12.9; Hb 4.9,10

- Enquanto vivermos apenas para fazer aquilo que agrada ao nosso coração, jamais desfrutaremos o descanso do Senhor, razão pela qual somos atribulados por preocupações e ansiedades.

- Se ainda não temos o descanso do Senhor com certeza é por que ainda vivemos no deserto.

5. Não se apropriam da herança

- A incredulidade impediu o povo de Israel de conquistar a terra de Canaã (Nm 13.33).

- A incredulidade é o único motivo que nos impede de desfrutar tudo aquilo que Deus tem para nós em Cristo.

Compartilhar:

- Quais as evidências de uma pessoa que está vivendo no deserto?

- É possível viver vagando pelo deserto e não estar ciente disso?

6. Mente mundana – Nm 11.4-8

- O Maná era bom, ao servir o propósito para o qual foi enviado, mas originalmente, sua finalidade não era se tornar a dieta básica dos filhos de Israel durante 40 anos.

- Deus havia preparado para eles a terra de Canaã, porém, eles preferiram ficar no deserto, sonhando com o Egito.

- Aqueles que, apesar de redimidos, ainda vivem no deserto, têm o apetite espiritual despertado para as coisas mundanas. O cristão do deserto, invariavelmente, é um homem mundano.

Compartilhar:

- Você tem experimentado uma variedade de pratos (unção, sinais, prodígios, milagres, maravilhas, dons etc.) ou apenas tradicional “feijão com arroz”?

- O que lhe impede de usufruir do leite, do mel e das delícias de Canaã?

Conclusão:

- Poderíamos citar muitas outras características.

- No entanto, nos basta a exortação de Paulo em 1Co 10.1-13.

- Ele nos orienta a não viver conforme o exemplo de Israel.

 

Quão triste e quão amarga é a vida no deserto!

 

FONTE: Lagoinha.com

 

+++++++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++++++