terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A VIDA CRISTà

 Mt 5.20 



 INTRODUÇÃO 

- Falar de vida cristã é falar de nossa experiência diária com Cristo. Isso é muito mais do que praticar uma religião, é encarnar a mensagem do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo em nosso viver diário. 

- Quando Cristo nasceu havia muitas religiões, mas nenhuma ensinava as pessoas a viver de maneira que pudesse satisfazer a Deus, por isso o cristianismo veio com uma força excepcional, transtornando a vida de todos os cidadãos daquela época e também dos que são confrontados com o evangelho em nossos dias. 

- Assim podemos entender o que Jesus queria dizer com a expressão: “Vocês pensam que eu vim trazer paz? Não! Antes vim trazer espada”. 

- Com isso estava dizendo que em qualquer lugar onde chegasse o evangelho haveria dissensão; os pais ficarão contra os filhos, filhos contra os pais, marido contra mulher, e mulher contra o marido, etc. 

- Esta é a mensagem que tem transtornado a vida das pessoas ainda em nossos dias. A vida cristã vai além dos sentimentos religiosos. 

“Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo algum entrareis no reino dos céus”. 

 I - O QUE NÃO VIDA CRISTà

1. Não é formalismo. 

- Aliás, Jesus sempre condenou qualquer tipo de formalismo. 

- Os escribas e fariseus eram zelosos em todos os ritos e cerimônias formais; no entanto, suas vidas estavam em contraposição à religião cristã. Os escribas, como mestres religiosos, e os fariseus como devotos fanáticos desse tempo, eram considerados, pelos seus patrícios, modelos de obediência e santidade. Até eram considerados acima do nível da maioria das pessoas, que o povo em geral não podia sequer imitá-los, e nem isso lhe era exigido. Porque o padrão era acima do normal encontrado naqueles dias. 

- Por isso a declaração de Jesus deve ter assustado aquelas pessoas; pois disse:
 “Se a vossa justiça, não exceder a dos escribas e fariseus de modo algum entrareis no reino dos céus”. 

- Mas de que depende, então, a salvação do homem? 
- Não diz a Bíblia que a salvação é pela Graça de Deus mediante a fé no sacrifício de Jesus Cristo? Por quê Jesus disse isso? 

- No desenrolar de nossa meditação tomaremos conhecimento do que Jesus deseja que entendamos do texto em foco e também conheceremos mais sobre os escribas e fariseus, e suas doutrinas. 

- Veremos que não é do grau de justiça que Jesus fala aqui, mas da qualidade dela. 

- No capitulo 23 de Mateus, Jesus discorre largamente sobre estas seitas, e faz uma comparação entre suas doutrinas e seu procedimento, entre o que ensinam e que fazem. Daí, porque Jesus os reprova, – porque quanto a qualidade, era exterior e formal, e quanto ao motivo – interesseiro. Ora, o que Cristo quer de seus discípulos é uma obediência que seja do coração, e cuja manifestação, seja o fruto do amor e da fé que nele existem. 

- Convém notar que estes escribas e fariseus praticavam muitos atos que na aparência eram bons, mas que diante de Deus não tinham valor algum, porque não eram acompanhados e nem motivados por sentimentos próprios. 

- Eles louvavam a lei e ensinavam uma observância restrita dela, mas eles mesmos pouco se importavam em segui-la. 
“Porque dizem, mas não fazem”. 

- Davam muitas esmolas, mas só para serem vistos dos homens. 

- Jejuavam frequentemente, mas só com o fim de granjearem a fama de muito piedosos entre os seus semelhantes, de terem nas sinagogas as primeiras cadeiras e serem chamados de mestres. 

- Ofereciam o dizimo de tudo, até das ervas de suas hortas, mas deixavam as coisas mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fé. 

- Além de tudo, eram hipócritas – que ostentavam grande zelo pela causa de Deus e Seu culto, mas por dentro estavam cheios de rapina e de imundícia e o Senhor os comparou a sepulcros caiados. 

- Muitos há no mundo que a semelhança desses fariseus, honram à lei de Deus, tem a fama de fazer caridade, jejuam muito, fazem longas orações, são escrupulosos na observância das menores formalidades da sua religião, e que são capazes de usar as palavras daquele fariseu de que se fala em Lucas “Graças te dou meu Deus, que não sou como os demais homens que são uns ladrões, uns injustos, uns adúlteros: como também é este publicano” etc. 

- Não entram estes no céu porque zombam de Deus, oferecendo-lhe só a casca oca da religião e da santidade, e lhe prestam um culto que é só exterior, das mãos e dos lábios, enquanto os seus corações estão longe dEle” Mat. 15:7,8. 

2 - Não é ser membro de Igreja. 

- Nem mesmo ser um assíduo freqüentador, um fervoroso cantor, um bom contribuinte, etc. 

- Se tudo isso não corresponder à santidade de vida, nada vale. 

- Os que levam essa vida de piedade, negando, porém, a eficácia dela não poderão ser classificados como cristãos. 

- Assim Deus, através de Samuel, exortou a Saul: “Tem, porventura, o Senhor, tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, quanto tem em que se obedeça a sua voz? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender do que a gordura de carneiros”. 

II. O QUE É A VIDA CRISTÃ

 1 - É viver cristãmente. 

- Em oração, em fé, em ação. Sim, não é suficiente a profissão, o dizer. 

- É preciso viver a vida que professamos. Viver cristãmente é viver segundo os preceitos de Cristo. 

- É ter a vitória sobre o “EU”, vitória sobre o sofrimento e vitória sobre a tentação. 
“Brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que esta no céu”. 

2 - É anunciar as virtudes de Cristo. 

“Vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo todo seu, para que proclameis as grandezas dAquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” I Ped. 3:9. 

- E Jesus disse: “Vós sois a luz do mundo…. vós sois o sal da terra….”. Facilmente se distingue a que raça e a que nação pertence os indivíduos, cor, língua, estatura, etc. 

- Pois bem, o verdadeiro crente não pode se confundir com o mundo: 
“Feliz é o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores e nem se assenta na roda dos escarnecedores. Mas antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como árvore plantada junto a ribeiros de água; que dá o seu fruto no tempo próprio, as suas folhas não caem; e tudo quanto fizer prosperará” Sal. 1:1-3. 

3 - É ter Cristo. 

“Estou crucificado com Cristo, logo, já não sou eu o que vivo, mas é Cristo quem vive em mim.A vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de deus, que me amou e se entregou por mim” Col 2:20. 

- Com Cristo em nós o formalismo nada vale. Com Cristo em nós temos alvos para serem alcançados: 

“Prossigo para o alvo pelo premio da soberana vocação Celestial em Cristo Jesus, nosso Senhor” Fil. 3:14. 

- Ser cristão é produzir frutos. 

- É ter o fruto do Espírito: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, temperança… Gal. 5:22, 23. 

III. POR QUE VIVER A VIDA CRISTÃ

 1 - Para vermos a Deus. 

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, vigiando com cuidado para que a ninguém falte a graça de Deus; para que não haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe…” Heb. 12:14, 15. 

2 - Para entrarmos no céu. 

“Quem, Senhor, habitará na tua tenda? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda irrepreensivelmente e pratica a justiça, e do coração fala a verdade; que não difama com a língua, nem faz mal a seu próximo, nem contra ele aceita nenhuma afronta….” Sal. 15: 1-3. 

3 - Porque os ímpios lá não entrarão. 

“E os reis da terra, e os grandes, e os chefes militares, e os ricos, e os poderosos, e todo escravo, e todo livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; e diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos da face daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do cordeiro; porque é vindo o grande dia da ira deles; e quem poderá subsistir?” Apoc. 6:15-17. 

- Estes não se santificaram, por isso se escondem da presença de Deus.

CONCLUSÃO 

-  O melhor antídoto e o melhor preventivo contra os escândalos, é viver segundo os preceitos de Cristo. 

Preste atenção no ensino da Palavra de Deus: 

1 - Abstende-vos de toda forma do mal. 

“Abstende-vos de toda espécie de mal” I Tess. 5:22. 

2 - Santificai-vos. 

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo, e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados completos, irrepreensíveis, para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” I Tessal. 5:23. 

- Porque, assim como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos vós também santos em todo vosso procedimento…sabendo que fostes resgatados das vossas práticas vãs, não por coisas corruptíveis como o ouro ou a prata, mas pelo sangue precioso de Cristo, como de um cordeiro imaculado e sem defeito” I Ped. 1:15, 18 e 19. 

3 - Deus estabelece uma aliança conosco, mediante a nossa santidade de vida. 

“Tendo, portanto, estas promessas, purifiquemo-nos a nós mesmos de toda imundícia da carne, e aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” II Cor. 7:1. 

4 - Encarnar o evangelho. 

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é venerável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, seja isso o que ocupe os vossos pensamentos” Fil. 4:8. 

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional; e não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” Rom. 12:1 e 2. 



AUTOR: Pr. Cirino Refosco / cirinorefosco@pibja.org




+
++
+++
++++
+++++
======
======
======
+++++
++++
+++
++
+