sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Cinco Propósitos Essenciais 
para a Vida

 "Do solo fez o Senhor Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal" (Gênesis 2: 9). 



 INTRODUÇÃO. 

 -= Creio que onde vivemos é um lugar de crescimento. Afirmar que Deus nos enviou a este mundo simplesmente para sofrermos, é o mesmo que afirmar que Deus é sádico. Definitivamente isso ele não é! 

 -= Ele não nos enviou para sofrer, embora o sofrimento seja eventualmente inevitável. Ele não nos enviou para sermos testados, pois já conhece nosso coração melhor do que ninguém. 

 -= Quando avaliamos melhor a palavra entendemos que a Igreja foi plantada no mundo para ser o modelo. Um protótipo de uma nova humanidade. Assim como o Éden original era a sede da criação, a Igreja de Cristo é a sede da nova criação. Somos o Novo Éden, o Jardim de Deus. As Escrituras afirmam que havia duas árvores no centro do Jardim. 

-= Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Tipifica a humanidade caída e distante de Deus, que através de Adão desenvolveu todo potencial para o mal. Árvore da Vida. Tipifica a Nova Humanidade, recriada em Cristo, o homem restaurado como filho do Deus Altíssimo. 

-= Cristo é a Árvore da Vida, e nós a sua Igreja. Fomos enxertados n’Ele, para que participássemos da seiva da vida divina, e assim, déssemos frutos para Deus. 

 -= A árvore com sua raiz, seu tronco, suas folhas, suas flores e seus frutos é uma representação dos cinco propósitos estabelecidos por Deus para sua igreja. 

 -= O homem só consegue corresponder às expectativas do Criador por intermédio de Jesus. Fora de Cristo, o homem não passa de um tronco apodrecido da velha árvore. Ao sermos enxertados na Videira Verdadeira, a Árvore da Vida, encontramos os cinco propósitos essenciais para a vida. 

Vejamos: 

 1. O PROPÓSITO DA COMUNHÃO (RAIZ). 

 -= O proposito da comunhão é a plena dependência Deus, mas também uns dos outros. Para que possamos ter comunhão com Deus e com os outros, O SENHOR nos concedeu a habilidade de nos comunicar. 

-= Temos a necessidade de dar e receber, de falar e ouvir, de amar e ser amado. O propósito da comunhão é representado pela raiz da árvore. É através da raiz que árvore recebe todos os nutrientes de que necessita pra sobreviver e crescer. Assim também, o cristão precisa estar bem plantado em solo fértil, que é a igreja, a fim de que, pela comunhão com Deus e com os irmãos, possa se alimentar, e crescer espiritual e emocionalmente. 

 "O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano. Plantados na Casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus" (Salmos 92: 12-13). 

 -= Ao fixar suas raízes em uma igreja, o cristão se torna “como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem. Tudo o que fizer prosperará” (Salmos 1: 3). 

-= Os ribeiros de águas tipifica o Espírito Santo, que é quem possibilita nossa comunhão com Deus e com os irmãos. 

 2. O PROPÓSITO DO DISCIPULADO (TRONCO). 

 -= É através do tronco que a árvore distribui para seus ramos todos os nutrientes que recebeu do solo através da raiz. O tronco tem que ser robusto e forte para poder sustentar e suportar todo o peso da árvore, com sua copa, seus ramos, folhas e frutos. 

 -= É através do discipulado que os nutrientes absorvidos na comunhão são traduzidos em princípios que passam a reger a vida do cristão. 

-= Quando nos dispomos a aprender de Deus através da sua Palavra, o nosso caráter é transformado e assim não transgredimos os princípios eternos da Palavra de Deus. 

-= Se o tronco estiver comprometido, com cupim ou qualquer outra praga, os ramos não produzirão frutos. A saúde da árvore passa pelo tronco. 

 3. O PROPÓSITO DO MINISTÉRIO (FOLHA). 

 "No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos" (Apocalipse 22: 2). 

 -= De acordo com o versículo, as folhas servem para a cura das nações. Ministério significa serviço. 

-= A igreja foi plantada no mundo para servir. A maioria se converte e nada produz, só é servido através do discipulado, mas nada faz pra o crescimento do reino de Deus. 

-= O nosso ministério não deve se limitar em adorar a Deus somente dentro da Igreja ou no Lar. 

-= Devemos ministrar ao mundo. Nossas folhas visam restaurar as nações. Nós temos o remédio de que o mundo tanto necessita para ser sarado. 

-= Uma vez que as folhas da árvore servem para a cura das nações, o testemunho e o ministério da Igreja de Cristo têm como propósito a restauração da sociedade. 

 4. O PROPÓSITO DO EVANGELISMO (FLOR). 

 -= Engana-se quem pensa que a flor é apenas um elemento estético e que traz aroma da árvore. Muito mais do que beleza e perfume, a flor é a estrutura responsável pela reprodução da árvore. É através do Evangelismo que os crentes espalham a fragrância de Cristo pelo mundo, e atrai a atenção dos incrédulos pela beleza do caráter de Cristo manifesto pelo seu testemunho. A flor antecede o fruto. 

 -= Sem Evangelismo, não haverá produção de almas. Uma árvore sem flor, é uma árvore sem fruto. Assim como o néctar da flor atrai as abelhas e beija-flores, a doce unção de Cristo no crente atrai as almas aos pés do Senhor. 

 5. O PROPÓSITO DA ADORAÇÃO (FRUTO). 

 -= O que é que Jesus buscou na figueira e não encontrou? Frutos! 

-= E o que é que Deus busca no mundo? 

 -= Os verdadeiros adoradores! Os que O adorem em espírito e em verdade! A adoração é o objetivo principal. Todas as demais coisas são apenas meios pra se chegar a ela. As curas, os milagres, a libertação, e até a salvação de almas nada mais são do que meios pelos quais a igreja recruta novos adoradores para o Pai. O Pai não procura frequentadores, mas adoradores. O amor é uma via de mão dupla entre Deus e os homens. 

 -= O amor de Deus para com os homens se chama compaixão. 

-= O amor dos homens para como Deus se chama adoração. 

 -= Ela é a resposta do homem ao amor do Pai. 

“Portanto” conclui o escritor sagrado, “ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hebreus 13: 15). 

 CONCLUSÃO. 

 A semente um dia foi lançada no terreno da sua vida. 

Que tipo de árvore nasceu? 

Pense nisso! 



 Escrito por Pr Luis Antonio de Carvalho / Qua, 07 de Dezembro de 2011 15:00





+++++++++++++++++
++++++++++++++++
+++++++++++++++
++++++++++++++
+++++++++++++
++++++++++++
+++++++++++


ENQUANTO JESUS 
NÃO VEM!


Texto: Lucas 19: 11-27. 


 INTRODUÇÃO: 

-  Há vários tipos de pessoas que estão à procura de Jesus. 

Vejamos: 

1. Zaqueu. 

- Existem aqueles que são como Zaqueu, pecador, cheio de erros e defeitos, mas sentem a necessidade de mudança e transformação de vida, e fazem de tudo para encontrar-se com Jesus, e quando encontram descobrem que Jesus esta a sua procura por muito tempo. 

“Então Jesus lhe disse: Hoje houve salvação nesta casa, pois também este é filho de Abraão” (Lucas 19: 9). 

2. Multidão. 

- Muitos estão à procura de Jesus apenas por curiosidade ou para seu próprio beneficio. 

- Buscam a benção e não o abençoador. Jesus pela sua infinita misericórdia atende a todos, mas o seu objetivo é a salvação. 

- Estes vivem assim: Sempre buscando algo para saciar o seu vazio. 

3. Murmuradores. 

- Este grupo é o que chamamos de intelectuais da fé, se dizem entendidos, mas na verdade nada conhecem do Senhor, e a prova é que não reconheceram que Jesus era o messias. 

- Eles estão diante do Senhor, mas para afrontá-lo e julgá-lo. 

“Todos os que viram isto murmuravam, dizendo que ele se hospedara com homem pecador” (Lucas 19: 7). 

- Não querem compreender qual é a missão do Senhor. 

“Porque o filho do homem veio buscar e salvar o perdido” (Lucas 9: 10). 

 - Logo depois de Zaqueu ser alcançado, houve um grande questionamento por parte daqueles que seguiam a Jesus: E, ouvindo eles estas coisas. A multidão e os murmuradores questionaram a Jesus com relação ao reino de Deus, e Jesus começa a ensiná-los e também nos dá uma grande lição. 

Mas a pergunta é: 

ENQUANTO JESUS NÃO VOLTA O QUE DEVO FAZER?  

- Muitos já leram esta parábola, mas não atentaram para o grande ensinamento de Jesus para aqueles que se dizem “servos”. Esta parábola tem como finalidade nos despertar para o tempo da sua volta. Para compreendermos melhor, é necessário compreender os personagens e objetos desta parábola, vejamos: 

4. Mina: 

- Medida de peso que equivale a 355 gramas de ouro ou igual a 100 denários. 

5. Homem nobre: 

- Jesus fala de si mesmo, e que vai para uma terra distante estabelecer seu reino celestial, porém há de voltar. 

6. 10 servos: Todos os tipos de servos. 

7. Concidadãos: 

- O mundo e o seu povo dominado por satanás. 

 A verdadeira lição contida nesta parábola é que é tempo de muito trabalho. 

 1. É TEMPO DE TRABALHO: 

“E, chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai até que eu venha” (Versículo 13). 

-  O Senhor Jesus diz: Negociai até que eu venha. O Senhor nos delegou autoridade. 

- Temos a obrigação de TRABALHAR para o Senhor. É PRA TODOS: Em João 15: 16 diz: 

“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda”. 

- O chamado de Jesus é sem reservas, não há acepção, todos são iguais diante de Deus. A oportunidade de trabalho é pra quem se dispuser. 

- O Espírito Santo é quem vai capacitar a cada um. É PRA AGORA: A palavra “Negociai” expressa a necessidade de trabalhar, se ocupar com as coisas do Senhor enquanto é dia. 

“Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9: 4). 

 2. O MUNDO PROMOVE O DESANIMO: 

“Mas os seus concidadãos odiavam-no, e mandaram após ele embaixadores, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós” (Versículo 14). 

 -= São muitos os que não aceitam o Senhorio de Jesus Cristo sobre suas vidas. 

-= Acreditar em Jesus muitos até acreditam, até o próprio Satanás acredita na soberania de Jesus, mas aceitar as suas regras e fazer a sua vontade são poucos os que aceitam. 

-= O mundo traz o disfarce de um camaleão, e muitos aceitam tomar a forma do mundo. Até dentro das Igrejas existem os infiltrados do diabo para lançar o desanimo, e fazer com que venhamos desistir do trabalho na obra de Deus. 

É fácil identificar os tais infiltrados: 

 -= Aqueles que conversam no momento do culto. 
-= Aqueles que não assumem um compromisso com a Igreja. 
-= Aqueles que gostam de falar mal da vida do outro; etc. 
 -= Nem todos os que estão dentro das Igrejas tem compromisso com o Senhor e a sua obra. 

 3. SOMOS MORDOMOS E VAMOS PRESTAR CONTAS: 

“E aconteceu que, voltando ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganhado, negociando” (Versículo 15). 

 -= Temos o costume de achar que as coisas deste mundo nos pertence. Nada trouxemos e nada levamos. 

-= Deus criou o universo e nos colocou como seu mordomo. MORDOMO NÃO É DONO. 

-= Muitos caminham neste mundo achando que nunca vão ter que prestar conta com seu criador. Vivem de maneira como se fossem os donos de suas próprias vidas. 

“Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?” (Lucas 12: 20). 

 4. O JULGAMENTO DO SENHOR É JUSTO: 

“E veio o primeiro, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade. E veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. E a este disse também: Sê tu também sobre cinco cidades. E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço; Porque tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tomas o que não puseste, e segas o que não semeaste. Porém, ele lhe disse: Mau servo, pela tua boca te julgarei. Sabias que eu sou homem rigoroso, que tomo o que não pus, e sego o que não semeei; Por que não puseste, pois, o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o exigisse com os juros?” (Versículos 20 ao 23). 

 -= Muitos deixam de enxergar as advertências do Senhor e preferem viver de forma contraria a Palavra de Deus, muitos dizem: 

 -= Não fumo, não bebo, não adultero, não mato. Sou um bom homem. 

-= Freqüento a igreja todos os domingos. 

-= Não falo mal de ninguém, como muitos. 

-= Devolvo o dízimo e ainda oferto. 

 -= MAS EXISTE UMA PERGUNTA A FAZER! 

 -= NEGOCIOU? 

-= TROUXE ALMAS PARA CRISTO? 

-= AMOU O PROXIMO COMO A TI MESMO? 

-= ENTREGOU O SEU TALENTO PARA O TRABALHO DO SENHOR? 

 -= Algum dia perguntou a Deus em suas orações, SE É QUE ORA! Qual deve ser á vontade Dele na sua vida. 

-= Muitos estão paralisados, sem nada a fazer em prol do trabalho da obra de Deus, e quando são cobrados, preferem mudar de Igreja a assumir o seu erro, pedir perdão e começar a trabalhar. 

APLICAÇÃO: 

 PRIMEIRA: “E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem dez minas. E disseram-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas. Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado” (Versículos 24 ao 26). O infiel perde tudo o que havia recebido. 

SEGUNDA: “E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim” (Versículo 27). 

Ser executado na presença de Deus é ser lançado longe do Senhor para eternidade. 

 CONCLUSÃO. 


 Hoje ainda temos a oportunidade de se achegarmos diante de Deus, pedir perdão, e voltar a produzir segundo a proporção do nosso conhecimento. 


 Escrito por Pr Luis Antonio de Carvalho
 Dom, 15 de Abril de 2012 14:27




=
==
===
====
=====
======
=======
========
========
===
===
===
===
===
===
===