sábado, 1 de junho de 2013

Ninguém disse que seria fácil ser cristão!

cristão

Ninguém disse
que seria fácil
ser cristão!
João 16.1-33
 
Introdução
- Muitas pessoas abandonam a fé em Jesus Cristo, deixam de frequentar a igreja, não creem mais em Deus porque alguém gerou nelas expectativas erradas quando se converteram, quando decidiram ser discípulos do Senhor Jesus.
- Há um “evangelho” cujo lema é “seus problemas acabaram” sendo vendido (literalmente) por aí. Não é o verdadeiro evangelho.
- Essa mensagem deturpada ensina que é fácil ser cristão. Ensinam que, uma vez com Cristo, os problemas fugirão da sua frente.
- Ninguém disse que seria fácil ser cristão, pelo menos na Bíblia. Jesus não disse que seria fácil ser um discípulo dele. Vamos ler João 16.1-33
- Jesus está preparando seus discípulos para a sua morte iminente, mas também os prepara para tempos de tristeza, perseguição, falta de fé e dúvida.
Isso acontece hoje também:
1. Não é fácil ser cristão por causa da rejeição que sofremos (v.2)
- Eu, particularmente, nunca vi tanta rejeição aos cristãos, tanta perseguição ideológica contra o cristianismo, tanta zombaria e ataques, até mesmo físicos, contra os cristãos como estou vendo hoje em dia.
- É claro que isso nem se comprara ao que aconteceu com os discípulos de Jesus.
- Todos eles foram martirizados, sem exceção. Também não chegamos ao ponto em que estão os cristãos nos países de maioria muçulmana. Mas a rejeição contra a fé cristã está aumentando. 
- Jesus alertou quanto a isso quando disse: “Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus”(v.2).
- Alguns acreditam e pregam que o fim da religião, principalmente da fé evangélica é um serviço à sociedade.
- O fato é que somos e seremos rejeitados e até perseguidos e não poderemos fazer muita coisa a respeito.
2. Não é fácil ser cristão por causa da incredulidade que há no mundo (v.3,9,31)
- Se Jesus fosse um palestrante motivacional, ele teria dito que os discípulos seriam invencíveis e que eles seriam bem-sucedidos em qualquer situação, que todos acreditariam neles.
- Mas Jesus diz: “Farão essas coisas (a perseguição) porque não conhecem nem ao Pai e nem a mim” (v.2); “...os homens não creem em mim”(v.9) e se admirou da falta de fé dos próprios discípulos quando exclamou “Agora vocês creem?”.
- Se houvesse mais fé no mundo, a vida dos cristãos seria muito fácil, mas a fé está se extinguindo!
3. Não é fácil ser cristão por causa do aparente silêncio de Deus (v.22,24)
- Quando Jesus falou essas coisas aos seus discípulos, ele os alertou que iria se ausentar por algum tempo.
- Haveria “silêncio” da parte de Deus por algum tempo. Aquele tempo seria de tristeza para eles.
- Talvez, para muitos cristãos, a pergunta seja: “Por que Deus não toma alguma providência imediata quanto ao que está acontecendo comigo, ou no mundo”.
- Assim como Jesus disse que se ausentaria por algum tempo (entre a sua morte e ressurreição) e voltaria para eles, assim será conosco.
- Deus não nos abandonou, Jesus não nos abandonou. Ao contrário, ele cumpriu a sua promessa e enviou o Espírito que é o nosso Conselheiro e Consolador enquanto não nos reunimos com Cristo novamente.
- Há um aparente silêncio de Deus, mas somos nós é que não estamos sabendo ouvir o Senhor nesses tempos de aflição.
4. Não é fácil ser cristão em um mundo cheio de aflições (v.33)
- Note que Jesus foi muito claro ao informar que nós não seríamos poupados das aflições, dos mesmos problemas que qualquer ser humano está sujeito nesse mundo.
- Não é fácil ser cristão num mundo cheio de aflições porque o mundo cobra isso de nós como cobravam do povo de Israel “Onde está o teu Deus?” (Sl 42.3).
- O que o mundo não compreende é que Cristo não veio para resolver nossos problemas materiais e físicos, ele veio para nos buscar e salvar porque estávamos perdidos (Lc 19.10).
- Ele pode e tem nos poupado, quando Ele assim decide, nos poupar de aflições, mas ninguém disse que nesse mundo estaríamos isentos dessas aflições.
- O que Ele disse é que não precisamos ficar desanimados com isso.
- Podemos ter “paz no vale” como diz a antiga canção: https://www.youtube.com/watch?v=sfsNnOuGdMs
5. Só é possível ser cristão porque Aquele que venceu o mundo por nós enviou o Consolador e nos garantiu a vitória!
- Em primeiro lugar Jesus garante que não nos deixaria sós.
- Ele diz: “Mas eu lhes afirmo que é para o bem de vocês que eu vou. Se eu não for, o Conselheiro não virá para vocês; mas se eu for, eu o enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (v.7-8).
- Então o que nos da forças para continuar apesar das dificuldades é a presença do Espírito Santo em nós.
- Em segundo lugar, Jesus nos garantiu a vitória sobre as lutas por causa da vitória que Ele obteve na cruz.
- Ele afirmou: "Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo"(v.33).
Conclusão
- Realmente não é fácil ser cristão! Não estamos imunes às doenças, acidentes, violência e perseguição. “Então de que compensa ser cristão?”, alguém poderia perguntar.
- Compensa porque apesar das aflições podemos ter paz com Deus.
- Recebemos dele o perdão de nossos pecados e nos reconciliamos com Ele para a nossa salvação através do seu Filho, Jesus Cristo.
- Com ele podemos atravessar os vales de sombra e morte, mas sem o pavor daqueles que não tem um Deus que os ama tão profundamente a ponto de ter sofrido, Ele mesmo em nosso lugar na cruz.
O que você fará com tudo isso a partir de agora?
 
 
AUTOR: Davi Liepkan, pastor na Igreja Batista Central de Nova Odessa / IBCNO © 2013

 

++++++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++++++

Um comentário:

  1. Aleluia! glórias a Deus! Realmente, não fácil ser cristão. Muitas vezez pensamos até em desistir, pois é um caminho arduo, mas é também um caminho de paz... e refrigério. Louvado seja o nome do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.