quinta-feira, 6 de dezembro de 2012


DISCIPULADO, 
UM ESTILO DE VIDA 

Texto: Atos 9.36 

-= Em Jope havia uma discípula chamada Tabita, que em grego é Dorcas, que se dedicava a praticar boas obras e dar esmolas. 

 -= O livro de Atos reúne narrativas de diversos acontecimentos que marcaram as primeiras décadas de existência da Igreja de Jesus. A ordem de fazer discípulos (Mt 28.19), dada por Jesus antes de sua ascensão, era obedecia a risca. Assim, o texto de Atos 9.36-43, conta da morte e da ressurreição de Tabita (em hebraico, e Dorcas, em grego – cujo significado é Gazela). 

-= Dorcas era uma discípula. Todas as pessoas da Igreja de Jope também eram discípulos (v. 38). 

-= Assim, aprendemos no livro de Atos que o discipulado é um estilo de vida. 

Vamos identificar algumas das características da vida de um discípulo de Jesus. 

1º. O DISCIPULADO NOS LEVA A PRATICAR BOAS OBRAS, COMO JESUS. (v.36) 

-= O texto bíblico nos informa que Tabita “se dedicava a praticar boas obras”. Isto significa que a vida daquela discípula de Jesus era pautada por práticas muito semelhantes às que o próprio Jesus ensinou e praticou. Tabita não praticou algumas boas ações – as boas obras eram prática constante em sua vida. 

-= Um discípulo de Jesus vive para servir. Ele é alguém sempre pronto a agir em prol do engrandecimento do Nome de Jesus e também em benefício do seu próximo. 

-= Jesus declarou em João 14.12: Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores... Ser discípulo significa reproduzir o exemplo de Jesus. 

-= Tabita deve ter sido uma pessoa muito atuante. O texto cita as boas obras, as esmolas, vestidos e outras roupas feitas por ela, as viúvas da Igreja tendo um carinho todo especial por ela... Talvez a própria Tabita fosse uma viúva ou poderia ter um cuidado especial pelas viúvas da Igreja. De qualquer maneira, fica claro na narrativa que era o tipo de pessoa que faria muitíssima falta à Igreja. Todos choraram pela sua morte e sentiram muito sua falta. 

-= Em 1896, nos EUA, um homem chamado Charles Sheldon, publicou um livro chamado Em seus passos o que faria Jesus? – que impactou as gerações de cristãos. A tese do livro é esta, que todo discípulo deve preocupar-se em seguir os passos (o exemplo) de Jesus. 

2º. O DISCIPULADO NOS LEVA A CRER EM MILAGRES (v. 38) 

-= O texto bíblico conta que os irmãos tomaram os cuidados devido com o corpo de Tabita mas ao invés de sepultá-lo, sabendo que o apóstolo Pedro estava em Lida, cidade próxima, resolveram mandar busca-lo imediatamente. Somente os discípulos de Jesus seriam capazes de tamanha ousadia. Eles decidiram buscar em Deus o milagre da ressurreição da discípula Tabita! 

-= Quando Pedro chegou, o verso 39 conta que várias outras discípulas rodearam Pedro e, chorando, mostraram a ele como aquela mulher que morrera era útil na Obra do Senhor. Os discípulos de Jope criam que Deus é poderoso para ressuscitar mortos. Deus é Todo-Poderoso! 

 -= Pedro estava em Lida quando foi chamado a Jope. Naquela cidade foi usado por Deus para curar um homem paralítico, Enéias, que estava acamado havia oito anos (Atos 9.33). 

-= A Bíblia firma que Deus usou Pedro para curar Enéias em nome de Jesus Cristo. Era por este e tantos outros feitos em nome de Jesus que os discípulos criam em milagres. 

3º. O DISCIPULADO NOS COLOCA COMO INSTRUMENTOS DE DEUS (v. 40) 

-= Discípulo é alguém que se consagra a Deus e permite que Ele o use para abençoar e salvar vidas. 

-= Antes do milagre, Pedro ajoelhou-se (em sinal de rendição total a Deus) e orou. Certamente, o apóstolo estava consultando a Deus, buscando Sua vontade e somente levantou-se quando teve a convicção de que Deus queria ressuscitar a discípula. Tanto no caso de Enéias como de Tabita, o resultado foi que muitas outras pessoas se converteram a Jesus. 

-= A oração é uma marca do discípulo. Para sermos usados por Deus precisamos estar rendidos a Ele e a oração é o mecanismo que nos leva a isto. 

CONCLUSÃO: 

-= O discipulado é um estilo de vida em Jesus Cristo. Uma vida com propósitos, com serviço ao próximo e a Deus. 

-= O primeiro passo para tornar-se um discípulo é entregar sua vida a Jesus. Aproveite esta oportunidade e faça sua entrega. Na unção para ser pai de multidões, 


AUTOR: Bispo Paulo R. Petrizi



===============
==============
=============
============
===========
==========
=========
========
=======





RENOVADO PELO SENHOR 


Texto: Isaías 40 


 Calebe: Antigo, mas não velho!!! Perfume com fragrância de carro novo! O interno que perguntou se minha Igreja era renovada! 

 27 Por que dizes, ó Jacó, e falas, ó Israel: O meu caminho está escondido ao Senhor, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? 28 Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? E inescrutável o seu entendimento. 29 Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. 30 Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão, 31 mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão. 

 I. O DEUS QUE RENOVA O SEU POVO 

 a) o Deus cuja Palavra subsiste eternamente 

 Is 40:7 Seca-se a erva, e murcha a flor, soprando nelas o hálito do Senhor. Na verdade o povo é erva. 8 Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. 

 b) O Deus de todo o Conhecimento Is 40:13 Quem guiou o Espírito do Senhor, ou, como seu conselheiro o ensinou? 

14 Com quem tomou ele conselho, para que lhe desse entendimento, e quem lhe mostrou a vereda do juízo? quem lhe ensinou conhecimento, e lhe mostrou o caminho de entendimento? 

 c) O Deus de todo o Poder 

 Is 40:22 E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar. 23 E ele o que reduz a nada os príncipes, e torna em coisa vã os juízes da terra. 24 Na verdade, mal se tem plantado, mal se tem semeado e mal se tem arraigado na terra o seu tronco, quando ele sopra sobre eles, e secam-se, e a tempestade os leva como à pragana. 

 d) O Espírito Santo, nosso RENOVADOR 

 II - O POVO A QUEM DEUS RENOVA 

 Is 40: 11 Como pastor ele apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço; as que amamentam, ele as guiará mansamente. Is 41:31 “os que esperam no Senhor...” 

 * Deus renova os que o buscam: Sl 51:10 “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto” 

* Deus renova os inconformados: Rm 12:2 “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (da vossa mente “nous”), para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” 

 * Deus renova a nossa mente: Rm 12:2 “transformai-vos pela renovação da vossa mente” 

 III - PARA QUE DEUS RENOVA SEU POVO? 

 2 Co 4: 16 Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia. 17 Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; 18 não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas. 

 a) Deus nos renova para não desfalecermos 

 b) Deus age no nosso “homem interior” (para que seja sempre novo) Ef 3:16 (dobro meus joelhos perante o Pai) “para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais robustecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior” (diferente do homem exterior, que fica cada vez mais velho) 

 c) Deus nos renova para nos dar sua visão: 

 - para que as tribulações nos pareçam leves e momentâneas - para que reconheçamos seu imenso amor: 

 Ef 3:17 e 18 “que Cristo habite pela fé nos vossos corações, a fim de que, estando arraigados e fundados em amor, possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento e a altura e a profundaidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios até a inteira plenitude de Deus.” 

 - para que reconheçamos o peso e o caráter de glória da sua herança 



AUTOR:  Paulo Rogério Petrizi



===========
============
=============
==============
===============



DECÁLOGO DA 
CASA DE DEUS 

 “Escrevo-te estas coisas… para que… saibas como se deve proceder na CASA DE DEUS…” (1Tm. 3.14,15). 

 1. AO VIRES À CASA DE DEUS prepara o teu espírito, alma e corpo para a comunhão com Deus. Traja-te com sobriedade, discrição e decência, evitando os excessos da moda profana. Ao chegares junto ao Templo não fiqueis à entrada da porta, nas imediações ou salas em conversas que podem ser adiadas, pois isso é um mal exemplo; ao entrares limpa a soleira do calçado, não entres pisando com força e fazendo barulho que chame a atenção dos demais. (Ec 5.1) 

 2. QUANDO CHEGARES ATRASADO á reunião de culto, aguarda à porta se a Palavra de Deus estiver sendo lida ou se a congregação estiver em oração, e toma em teu coração a resolução de não te tornares um retardatário habitual. (Sl 119.19) 

 3. NUNCA TE ASSENTES nos últimos bancos, caso haja bancos vazios à frente; evita ficar mudando de um lugar para outro depois de te assentares e cuida para não ficares ao lado de alguém tagarela que te tentará a distração irreverente. (1 Co 14.40) 

 4. NUNCA ESPERES A REUNIÃO COMEÇAR para só então entrares no santuário; ao fazê-lo, ajoelha-te e adora o Senhor em oração e lê a sua Palavra, meditando humildemente, enquanto a reunião de culto não é iniciada (Ef. 6.17,18). 

 5. SE ÉS CASADO E TENS FILHOS PEQUENOS leva-os ao berçário da Igreja; se já andam e são barulhentos e inquietos, não os soltes para brincar pelo salão afora; senta-te o mais atrás possível para que, caso chorem, saias um pouco com eles lá fora, até se acalmarem e então volta ao teu lugar. (PV 22.6). 

 6. NÃO TE ASSENTES nas extremidades de um banco desocupado, de maneira a impedir a entrada de outras pessoas que ali queiram se assentar; evita olhar para trás quando alguém entrar. Seja participante da comunhão na casa de Deus. (Gn 19.26) 

7. PORTA-TE COM BONS MODOS E DECORO: Não apóies o braço sobre encostos do banco, não depedres com os pés o banco dianteiro, não te espreguices, não converses fora de hora, não leias durante a pregação ou quaisquer outras apresentações, não escrevas bilhetinhos, não cochiles, não mastigues chicletes, não fique entrando e saindo durante os “atos de culto”, não escores o pé na parede. Não estragues os utensílios da Casa de Deus. (Hab 2.20). 

 8. SEGUE A ORIENTAÇÃO DOS RECEPCIONISTAS da igreja, pois eles são “levitas” autorizados a cuidar da boa ordem na casa de Deus; mantenha-te em espírito de vigilância e oração em favor de todos, especialmente do mensageiro de Deus. (1 Ts 5.17; Lc 22.46). 

 9. PARTICIPA DE TODOS OS ATOS DE CULTO com interesse de aprender, receber e transmitir edificação espiritual aos teus irmãos; evita ter que sair antes do término da reunião de culto, especialmente durante a pregação, pois isso prejudica a ordem. (Mc 14.22-24) 

 10. EXERCITA-TE ESPIRITUALMENTE cultuando a Deus com teus dízimos e ofertas, cantando os hinos com entusiasmo e entendimento, louvando e adorando ao Senhor não só no Templo, mas aonde quer que estejas. Ao final da reunião, não te precipites a sair logo após a “benção apostólica”. Ora primeiro, cumprimenta teus irmãos e especialmente os visitantes, então retira-te calmamente. Deus te abençoe! “A minha casa será chamada CASA DE ORAÇÃO para todos os povos”. 


(Ap. Jota Moura Rocha)


++
+++
+++
++
++
++
++++++++++
++++++++++
++++++++++
++++++++++