sexta-feira, 30 de novembro de 2012



O SEGREDO PARA 
SER BEM SUCEDIDO 
NA OBRA DO SENHOR 

 Texto: I Co 15:58 

 -= Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.  

-= Este versículo contém uma promessa: “sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”. Que privilégio poder trabalhar para o Senhor em Sua Obra! Ser um ceifeiro na Sua seara, ainda mais sabendo que a “seara é grande e poucos são os ceifeiros” (Mt 9:37). 

 -= Como toda em promessa, há condições. Ou seja, se as condições não forem satisfeitas, o resultado esperado não se obterá. Há muitos que reinvidicam as bênçãos sem se prestarem a cumprir as condições. Terminam frustrados. 

 Vejamos as condições para que se tenha a bênção de ser bem sucedido na obra do Senhor: 

 1ª. Condição: SANTIDADE! 

 -= A santidade é conseqüência da graça de Deus em nós. É obra do Espírito Santo e, para tanto, basta que queiramos e deixemos Ele nos santificar. 

-= Nossa vontade é a porta através da qual o Espírito age para nos santificar: Efésios 4:30 afirma: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” E no capítulo seguinte, o apóstolo recomenda: “enchei-vos do Espírito” (Ef 5:18). 

 -= Quando falta a santidade todo esforço se torna vão! É isto que aprendemos em Isaías 1: 

 (11) “de que me serve a mim a multidão dos vossos sacrifícios?” 
 (12) “quem requereu de vós isto, que viésseis pisar os meus átrios?” 
(13) “não continueis a trazer ofertas vãs...” 
(15) “quando estenderdes as vossas mãos, esconderei de vós o meu rosto...” 
(16) (o apelo pela santidade) “lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal”. 

-= A história de Josué bem realça esta condição: 

 Js 3:5 “Disse Josué também ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós” 

 Js 6:18 (qdo Jericó é tomada) “guardai-vos do anátema, para que, depois de o terdes feito tal, não tomeis dele coisa alguma, e não façais anátema o arraial de Israel, e o perturbeis”. 

 Js 7:21 (Acã trouxe pecado para Israel e derrota frente à cidade de Ai) “uma capa babilônica, duzentos siclos de prata (3kg) e uma cunha de ouro do peso de cinqüenta siclos (750g)”. 

2ª. Condição: PERSEVERANÇA! 

 “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes...” 

 -= Este versículo completa toda uma argumentação exposta ao longo do capítulo 15 da Epístola. Podemos dizer que o versículo 58 é a conclusão: “à luz disto tudo...”. E qual é o assunto enfocado pelo apóstolo? A ressurreição de Jesus Cristo, sua vitória sobre a morte e os efeitos dela em nossas vidas. 

 -= Nos versos 17 e 19, Paulo afirma: “E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados. (...) Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima.”. 

 -= Cristo ressuscitou! Isto é testificado pelas inúmeras testemunhas referidas pelo apóstolo na parte inicial do capítulo. Assim, não esperamos em Cristo somente nesta vida. Nosso futuro, em Cristo, é glorioso, como bem o apóstolo explica nos versos 51 e 52 e de 55 a 57. 

 -= É à luz disto que o apóstolo Paulo recomenda a perseverança: “sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor”. Depois da santidade, a perseverança é outra condição fundamental para sermos bem sucedidos na obra do Senhor. Vale realçar que ser bem sucedido é produzir frutos abundantes, permanentes, que não se perdem por serem gloriosos para Deus. 

 -= No capítulo 15 do Evangelho de João o verbo permanecer é conjugado algumas vezes por Jesus. Ele é a Videira Verdadeira, o Pai é o agricultor e nós, os ramos. O ideal é que, nEle, produzamos frutos (“fruto” é mencionado 6 vezes nos versos de 1 a 8). Nos versos de 1 a 11 o verbo permanecer é conjugado onze vezes! Permanecer ou perseverar nEle é condição fundamental para que os frutos ocorram. 

 -= Em Jo 15:6, Jesus declara que quem não persevera nEle é como um ramo seco da videira, que nenhum fruto consegue produzir. É preciso perseverança para que o trabalho não seja vão! 

 -= A perseverança é a qualidade de quem é firme e constante, determinado, de quem sabe o que quer. No capítulo 16 de I Coríntios encontramos um indicativo do porque desta qualidade ser tão necessária. No verso 9 o apóstolo conta: “porque uma porta grande e eficaz se me abriu, e há muitos adversários”. Este é o cotidiano dos servos de Deus, entrar por portas desafiadoras, enfrentando dificuldades tremendas – principalmente a oposição do reino das trevas. 

 -= Sem perseverança não há como alcançar as vitórias que Deus tem para nós. Daí o apóstolo incluir nas recomendações finais da Epístola aos Coríntios: (16:13) “Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente, sede fortes”. 

 3ª. Condição: AMOR. 

 -= Tão crucial quanto a santidade e a perseverança é o amor para que você seja bem sucedido na obra do Senhor. Tão fundamental que o apóstolo Paulo recomendou: “Todas as vossas obras sejam feitas em amor” (16:14). E o que dizer, então, do capítulo 13? 
 Há alguma chance de se obter frutos abundantes em algum ministério sem este ingrediente? 

 -= Se faltar amor, todo o trabalho é desperdiçado: pode-se falar todas as línguas, dos anjos e dos homens, pode-se exercer o dom da profecia, possuir o conhecimento de todos os mistérios e da ciência, ter uma fé possível de transportar montes, distribuir todos os bens para o sustento dos pobres, ou mesmo ser martirizado numa fogueira... “se não tivesse amor, nada disso me aproveitaria” (v. 3). 

 -= Há quatro textos principais no Novo Testamento que nos ensinam acerca dos dons espirituais. O primeiro é Romanos 12:4-8, onde temos uma relação de dons do Espírito. O segundo é I Coríntios 12, onde há um extenso ensino acerca dos dons. O terceiro é Efésios 4:1-16, onde temos outra lista de dons e o quarto, I Pedro 4:8-11, onde o apóstolo reforça o ensino de que cada crente deve exercer o dom que recebeu. Em cada um destes textos bíblicos encontramos a necessidade de ter o amor. 

 -= Em Romanos 12:9 e 10: “O amor seja não fingido... Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal...”. Em I Coríntios, após o capítulo 12, sobre o uso dos dons, vem o capítulo 13, acerca do amor, o dom mais excelente. Em Efésios 4, no mesmo contexto do ensino dos dons, o apóstolo escreveu: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (v. 15). Pedro, em I Pe 4, referindo-se ao trabalho que devemos prestar aos irmãos, escreveu: “tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados” (v. 8). 

 CONCLUSÃO: 

 -= Eis as três condições para que os frutos abundantes ocorram no ministério que você desempenha na Obra do Senhor. Sem estas, todo o trabalho que você insistir em fazer será vão. A santidade, a perseverança e o amor são imprescindíveis. Talvez agora você entenda o porque da frustração e do insucesso no trabalho que você ou sua Igreja faz. 

 -= Se no seu caso os frutos não têm aparecido, saiba que é tempo de mudar. Deixe o Espírito Santo santificar sua vida, consagre-se e permaneça fiel naquilo que Deus pedir ou colocar em suas mãos para fazer. E, por fim, peça ao Espírito Santo uma unção de amor em favor daqueles a quem você ministra. Assim, certamente, os resultados serão maravilhosos. 



AUTOR:  Paulo Rogério Petrizi


+
++
+++
++++
+++++
++++++
+++++++
++++++++



FIQUE ATENTO! 
SATANÁS IRÁ CIRANDÁ-LO 

 Texto: Lucas 22:31-34 

 -= Jesus inicia suas graves palavras a Simão Pedro com a repetição do nome: “Simão, Simão...” (v. 31).  

-= Isto realça a preocupação de Jesus com Pedro. A causa desta preocupação: o ataque que Satanás estava para desfechar contra Pedro e seus companheiros. 

 -= “Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo” (v. 31). Pediu a quem? A Deus, claro. E Deus permitiu! Calma, não fique chocado, ainda. Ainda que o Maligno possa “cirandar” servos do Senhor, observe que ele não o faz sem a permissão de Deus. Louvado seja o Deus Eterno, que tem o Diabo sob controle: o poder de Satanás é limitado, tanto em relação ao tempo quanto ao seu alcance. Tanto é que a derrota de Satanás já está decretada e seu final descrito no Apocalipse (Ap 20:10). 

 -= Na experiência de João, o Diabo pleiteou autorização para, inicialmente, tocar nos bens de João. Depois na saúde. O Maligno agiu dentro do limite estabelecido por Deus. 

 -= O verbo usado por Jesus, “cirandar”, significa “peneirar” e descreve o processo de provas pelo qual o genuíno é separado do falso, o bom do mau. Jesus alertou a Pedro de que problemas viriam e que Satanás estaria atacando os apóstolos. 

 -= Observe que, antes de qualquer reação de Pedro, Jesus acrescentou: “mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça” (v. 32). Vemos aqui o cumprimento do que João escreveu em I Jo 2:1: Jesus é nosso advogado. Jesus orou por Pedro para que este se recobrasse após as turbulências que viriam. O Senhor sabia das três negativas que Simão cometeria e que isto seria superado: “e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos” (v. 32). Pedro foi o primeiro dos doze a se encontrar com Jesus ressurreto e a entender o fato da ressurreição (Lucas 24:34). 

 -= Ainda hoje, somos alvos do mesmo tipo de ação do Maligno. Sabendo quem somos em Cristo e da grande responsabilidade que temos junto à Igreja do nosso Senhor, o Inimigo do Povo de Deus se lança na mesma obra de “cirandar” os crentes. 

 Eis o que podemos fazer para não cairmos nas artimanhas do Maligno: 

 1º.) O Inimigo terá facilidade em cirandá-lo se você sentir-se PRONTO (v. 33) 

 -= Observe no verso 33 a resposta de Pedro ao alerta de Jesus: “Senhor, estou PRONTO a ir contigo tanto para a prisão como para a morte”. Simão estava completamente equivocado quanto à sua condição; ele estava superestimando-se. O Senhor Jesus discordou de Pedro e o alertou de que naquele mesmo dia, antes que o galo cantasse, três vezes Pedro o negaria. 

 -= Você oferecerá muitas facilidades ao Inimigo toda vez que sentir-se suficiente, superior, infalível, grande, indestrutível, perfeito... Lembre-se de quantas vezes a Palavra de Deus nos alerta para o perigo da soberba! A soberba, sempre, precede a ruína! (Pv 16:18). 

 -= Pedro se dizia PRONTO. Ele nem fazia idéia do quanto teria ainda que percorrer... do quanto faltava Deus fazer em sua vida. 

 -= Tamanha era a segurança de Pedro que, conforme Mateus 26:33-35, ele declarou: “ainda que todos se escandalizem de ti, EU NUNCA me escandalizarei”. Conforme Mateus, após Jesus revelar as três negativas que ocorreriam dentro de algumas horas, Pedro rebateu: : “DE MODO ALGUM te negarei!”. 

-= O Evangelho de Marcos registra que Pedro “repetia com veemência...” tais palavras (Mc 14:31). Ou seja, Pedro teimava com Jesus de que sua lealdade resistiria a qualquer prova. 

 2º.) O Inimigo terá facilidade em cirandá-lo se você tiver uma VISÃO MÍOPE do Reino de Deus 

 -= O problema de Pedro, basicamente, era de não comungar da visão de Jesus. Quando Jesus descrevia o Reino, Pedro imaginava outra coisa: poder e grandeza terrenos! Ele estava disposto a morrer por este “poder”! Jesus sabia que logo Pedro descobriria a verdade, por isso disse: “quanto te converteres, fortalece teus irmãos” (v. 32). 

 -= A miopia espiritual de Pedro fica realçada no episódio das duas espadas, conforme Lucas 22:35-38. Simão era o detentor de pelo menos uma das duas espadas apresentadas ao Senhor. Apesar da reprimenda de Jesus, Pedro a utilizou, conforme João 18:10: “Então Simão Pedro, que tinha uma espada, puxou dela e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malco.”

 -= Quantas pessoas, hoje, oferecem facilidades ao Inimigo porque ignoram a natureza do Reino de Deus e os verdadeiros propósitos da Igreja. Não é raro que pessoas confundam a Igreja com algo parecido com uma empresa, um shopping, um circo, um negócio, um ringue... 

 -= O Inimigo procurará de diversas formas ciranda-lo. 

-=  Louvado seja Deus pela Sua Palavra e pela experiência de Simão Pedro, que nos alerta. 

 Se você depositar sua confiança no Senhor e depender dEle, o inimigo não encontrará lugar em sua vida. 



AUTOR: Paulo Rogério Petrizi



+++++++++
++++++++
+++++++
++++++
+++++
++++