quarta-feira, 21 de novembro de 2012



Os Filhos do Reino 
e a Administração 
das Riquezas 


 TEXTO: Mt 25: 1-30 



 INTRODUÇÃO: 

- É comum pensarmos que o dinheiro não é algo muito espiritual, mas a maneira como lidamos com ele influencia diretamente nossa vida com Deus. Por isso é sumamente importante estudarmos esse assunto. 

- A Bíblia fala muito a respeito de dinheiro, mais até do que de outros tópicos tidos como mais importantes ou espirituais, como fé e salvação. 

- Jesus não está interessado em dinheiro – e muito menos o nosso dinheiro! O que Ele quer é o nosso coração. Por isso que Ele disse onde estiver o seu tesouro ali também está o seu coração. 

A esse respeito, existem basicamente três posições no meio evangélico: 

 1 – COMPREENDENDO A TEOLOGIA DA POBREZA: 

- Aqueles que têm essa convicção desdenham das posses materiais. Eles não são materialistas e consideram as posses como um tipo de maldição. 

- Eles dizem que suas necessidades serão supridas se tiverem uma atitude de despreocupação, assim, não se preocupam em prosperar porque buscam o reino de Deus em primeiro lugar. 

-  Tais pessoas acreditam que a pobreza é a vontade de Deus para a igreja hoje, que o Reino é para os pobres e os que se tornam pobres se apoderam dele. 

 O Problema com a Teologia da Pobreza

 1.1 Presume que qualquer pessoa bem-sucedida financeiramente é desonesta; 

 1.2. Exagera na questão da obra sacrificial; 

 1.3. É extremamente ingênua; 

 1.4. Pode se tornar um estilo de vida manipulador; 

2 – COMPREENDENDO A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE: 

- O ponto de vista dos teólogos da prosperidade é que a prosperidade é uma recompensa para os justos. 

- Eles consideram as posses uma bênção de Deus, e sua escritura favorita é Lucas 6.38: “pedi, e dar-se-vos-á...”. 

- Basicamente, seguem o princípio da semeadura e colheita. Ensinando que, se temos uma necessidade, devemos semear e Deus nos suprirá em abundância. 

- Seu conceito de prosperidade é que eles são os donos daquilo que possuem. Para eles, a pobreza não é a vontade de Deus, antes, trata-se de uma maldição. 

- São preocupados com dinheiro e têm uma vida direcionada para consegui-lo. 

 O Problema com a Teologia da Prosperidade: 

 2.1 Vê a prosperidade como um sinal da aprovação de Deus; 

 2.2 É uma teologia que produz culpa; 

 2.3 Estimula motivações erradas; 

 2.4 Nega a soberania de Deus; 

 3 – COMPREENDENDO A TEOLOGIA DA MORDOMIA (Mt. 6.19-21): 

- Contudo a terceira via é a posição mais equilibrada e que toma o melhor dos dois, que chamamos a teologia da mordomia. 

- Essa teologia não pergunta a que renunciamos e nem o que receberemos, ela simplesmente pergunta o que temos feito com o que recebemos de Deus. 

- Aquele que é mordomo sabe que precisa administrar corretamente o que tem recebido e que o Senhor pode requerer dele 10% ou tudo. 

- Ele é generoso por obediência e não por desejar receber algo em troca da parte de Deus. 

- É um equilíbrio entre as duas visões, pegando o melhor de ambas. 

- A perspectiva da mordomia é que a prosperidade é um privilégio e é dada em variadas proporções. 

- Provavelmente, a parábola dos talentos é a melhor base para aqueles que crêem na mordomia, pois para eles o ponto central não é o que renunciamos nem o que receberemos, mas o que temos recebido.  

Princípios de Mordomia Deus é o dono de tudo (v. 14) 

 3.1 - Deus tem o direito de fazer o que quiser com o que Ele tem nos dado; 

 3.2 - Os recursos de Deus são para alcançar os propósitos dEle; 

 3.3 - Toda decisão financeira é uma decisão espiritual; 

 3.4 - Dinheiro e bens são uma ferramenta eficiente que Deus usa em nossa vida; 

 3.5 - Dinheiro e bens são bons testes; 

 3.6 - Dinheiro e bens são uma forma eficiente de testemunho; O rico não dá porque pensa que o valor é alto demais, e o pobre não dá porque pensa que vai lhe faltar. 

- Deus olha a fidelidade, não o valor. 
-  Mordomia requer ação 
-  Algumas pessoas costumam dizer que mordomia é mais que dinheiro, e que ofertam quando dão seu tempo e seus talentos.

 Contudo, há um conceito que devemos guardar bem: 

 - Mordomia é mais do que dinheiro, mas nunca menos; 

 - Servir a Deus implica mais do que dar dinheiro, mas nunca menos; 

 - Servir a Deus implica em muitas coisas, mas nunca menos do que ofertar; 

 - Quem diz que serve a Deus e não oferta está, na verdade, se enganando; 

 Guia do Compartilhamento 

 - Você crê que o Senhor nos chamou para sermos mordomos daquilo que Ele nos dá? 
 - Como você tem aplicado essa mordomia em sua vida? 



 Fonte: Por Pr Silvio Galli




+++++
++++++
+++++++
++++++++
+++++++++
++++++++++
+++++++++++
++++++++++++
+++++++++++++

++++++++++++++
++++++++++++++



Os benefícios de 
Fazer Parte da 
Família de Deus 


 TEXTO: Efésios 2:19 


 Introdução: 

- Deus quer uma família, e nos criou para ser parte dela. Esse é o segundo propósito de Deus para nossa vida, o qual planejou antes que nós nascêssemos. 

-  Quando colocamos nossa fé em Cristo, Deus se torna nosso Pai, nós nos tornamos seus filhos e os outros crentes se tornam nossos irmãos e irmãs; e a igreja se torna nossa família espiritual. 

- Cada ser humano foi criado por Deus, mas nem todos são filhos de Deus. A única forma de entrar na família de Deus é nascendo novamente dentro dela. 

- Nós nos tornamos parte de uma família humana em nosso primeiro nascimento, mas nos tornamos membro da família de Deus pelo segundo nascimento. 

- Deus nos deu o privilégio de nascermos de novo, de modo que agora somos membros da família do próprio Deus. 

 O convite para sermos parte da família de Deus é universal, mas há uma condição: a fé em Jesus. 

 1 - NA FAMÍLIA DE DEUS MANTEMOS O FORTALECIMENTO ESPIRITUAL: 

- No momento em que nascemos espiritualmente na família de Deus, recebemos alguns presentes espantosos: o nome da família, a aparência da família, os privilégios da família, o acesso à intimidade da família e a herança da família! 

- A Bíblia diz: Por ser filho, Deus também nos tornou herdeiros. 

- Podemos ter garantia que por mais que nós sejamos um adorador do Senhor jamais conseguiremos adorar tão profundamente sozinhos do que quando estivermos junto dos irmãos. 

-  Não é difícil imaginar o que acontece com uma brasa sozinha, fora do braseiro. 

- Nós podemos perceber que cada vez que nos reunimos estamos nos aquecendo mutuamente. 

- Só de encontrar um irmão e ganhar um abraço, o nosso espírito já é aquecido. 

 2 - NA FAMÍLIA DE DEUS RECEBEMOS BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS (Mt. 18:20): 

- A unção que se manifesta na comunhão é maior do que a unção individual. 

- Se nós juntamos a nossa unção um com o outro temos uma unção maior, então imaginemos o que acontece quando uma multidão resolve ministrar a Deus. A unção é poderosa ali. 

- Evidentemente Deus nos ouve em nosso quarto e podemos experimentar unção sozinho em oração, mas a unção na congregação é maior, por isso sua experiência pode ser mais intensa. 

-  No decorrer dos anos temos aprendido que existe uma graça que é liberada sobre nós individualmente, mas há outro nível de graça e desfrute que somente podemos receber quando estamos reunidos com os irmãos. É a graça coletiva. 

 3 - NA FAMÍLIA DE DEUS SOMOS PROTEGIDOS ESPIRITUALMENTE (Ec. 4:9-12): 

- A Igreja é que nos fornece uma cobertura para a nossa vida espiritual aonde os irmãos oram uns pelos outros, pessoas irão nos discipular e nos proteger nos momentos de fraquezas e dificuldades que passamos em meio a nossa caminhada cristã, por isso nunca podemos querer levar a vida cristã solitária. 

-  A comunhão da Igreja é segurança espiritual para você. Por meio dela, seu fogo é mantido e suas batalhas são vencidas. 

- Aprendemos em Eclesiastes que o cordão de três dobras não se rompe facilmente. 

 4 - NA FAMÍLIA DE DEUS DESFRUTAMOS DA COMUNHÃO COM OUTROS FILHOS (I Co. 12:27): 

- Um dos nomes dados pelo Senhor a igreja, é o Corpo de Cristo, constituindo-se Ele como "cabeça do mesmo", "como também Cristo é a cabeça da igreja" Efésios 5:23. 

- Deus está mostrando o valor de cada membro e sua importância, pois ao ser parte do corpo, ninguém sobra ou fica sem utilidade, pelo contrario, todos são necessários e ajudam-se mutuamente. 

- Para aprender a ter comunhão e formar laços de amizade é preciso vincular-se as atividades da igreja, pois somente ir aos cultos ou reuniões congregacionais não é suficiente. 

- Devemos buscar tempo para compartilhar, podemos sair juntos para comer, falar ao telefone, visitar-nos mutuamente e participar das diferentes atividades da igreja, como os encontros, a escola de ministério ou vinculando-nos a um ministério que nos permita explorar os talentos que Deus nos deu. 

5 - NA FAMÍLIA DE DEUS RECEBEMOS O ALIMENTO ESPIRITUAL(Ef. 4:12): 

- A igreja de sã doutrina tem como propósito edificar os crentes para a obra do ministério, cumprindo assim o estabelecido por Deus. Isto se faz com o ensino e capacitação adequada para crescer no conhecimento de Cristo, até estar em condições de capacitar a outros. 

- Outra forma como a igreja edifica é trazendo a presença de Deus e o ambiente propício para o mover do Espírito Santo. 

- Através da adoração, a oração e a ministrarão, Ele pode agir com liberdade. 

- Se há um lugar onde podemos crescer espiritualmente e ser edificados, é a igreja. Ali passamos de bebês espirituais, recém-nascidos, a cristãos maduros. 

- A Palavra pregada contribui para isso (2 Tm. 3:16). 

 Guia do Compartilhamento 

-  Como está a sua vida agora que você faz parte da Família de Deus? 

- Você tem participado das comunhões entre os irmãos e das atividades da igreja? Como tem sido? 

- Compartilhe suas experiências com Deus em momentos reunidos com os irmãos! 


 Fonte: http://ibavmaua.com/portal/acesso/edificacao/519-os-beneficios-de-fazer-parte-da-familia-de-deus.html



+++++++++++
++++++++++
+++++++++
++++++++
+++++++
++++++
+++++