quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Por que eu 
creio na Bíblia? 


- Eu creio na Bíblia porque ela é totalmente fiel e confiável quanto à sua origem, conteúdo e propósito. 

- Ela vem de Deus, revela Deus e chama o homem de volta para Deus. O homem não é o centro da Bíblia; Deus é. A Bíblia é o livro dos livros. 

- Concebida no céu, nascida na terra; inspirada pelo Espírito de Deus, escrita por homens santos de Deus; proclamada pela igreja, crida pelos eleitos e perseguida pelo mundo. 

- A Bíblia é o livro mais lido no mundo, mais amado no mundo e o mais perseguido no mundo. 

Destaco três verdades axiais sobre a Bíblia: 

 Em primeiro lugar, quanto à sua origem, afirmamos categoricamente que a Bíblia procede de Deus. 

- A Bíblia não foi concebida no coração do homem, mas no coração de Deus. 

- Não procede da terra, mas do céu. 
- Não é produto da lucubração humana, mas da revelação divina. 

- Muito embora homens santos foram chamados para escrever a Bíblia, e nesse processo Deus não anulou a personalidade deles nem desprezou o conhecimento deles, o conteúdo da Escritura é inerrante. 

- O próprio Deus revelou seu conteúdo e assistiu os escritores para que registrassem com fidelidade seu conteúdo. 

- A Bíblia não é palavra de homens, mas a Palavra de Deus. É digna de inteira confiança, pois é inerrante quanto a seu conteúdo, infalível quanto às suas profecias e suficiente quanto a seu conteúdo. 

 Em segundo lugar, quanto ao seu conteúdo, afirmamos confiadamente que a Bíblia fala sobre Deus e sua oferta de salvação. 

- Só conhecemos a Deus porque ele se revelou. Revelou-se de forma geral na obra da criação e de forma especial em sua Palavra. 

- É verdade que os céus proclamam a glória de Deus e toda a terra está cheia de sua bondade. 

- É verdade que podemos encontrar as digitais do criador em todo o vasto universo. 

- Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos. Porém, conhecemos acerca de seu plano redentor através das Escrituras. 

- A salvação é um plano eterno de Deus. Mesmo nos refolhos da eternidade, o Pai, o Filho e o Espírito, o Deus Triúno, planejou nossa salvação. Nesse plano, o Pai escolhe para si um povo e envia o Filho ao mundo para redimi-lo. 

- Jesus faz-se carne. Veste pele humana, vive entre os homens, cumpre cabalmente a lei, satisfaz a justiça divina e como nosso representante e substituto leva sobre si nossos pecados sobre a cruz e morre vicariamente, pagando nossa dívida e adquirindo para nós eterna redenção. 

- Completando a obra da salvação, o Espírito Santo aplica, de forma eficaz, a obra de Cristo no coração dos eleitos, de tal forma que aqueles que Deus predestina, também os chama e aqueles a quem chama, também os justifica e aos que justifica, também os glorifica. 

- É impossível, portanto, que aqueles que foram eleitos por Deus Pai, remidos pelo Deus Filho e regenerados e selados pelo Espírito Santo pereçam eternamente. 

- O mesmo Deus que começou a boa obra em nós, completá-la-á até o dia de Cristo Jesus. 

 Em terceiro lugar, quanto ao seu propósito, afirmamos indubitavelmente que a Bíblia visa a glória de Deus e a redenção do pecador. 

- A Bíblia não é um livro antropocêntrico; é teocêntrico. 

- Seu eixo central não é o homem, mas Deus. 

- Seu propósito não é exaltar o homem, mas promover a glória de Deus. Não é mostrar quão grande o homem é, mas quão gracioso é Deus. 

- A história da redenção é a mais bela história do mundo. 

- Fala de como Deus nos amou, estando nós mortos em nossos delitos e pecados. 
- Fala de como Deus nos resgatou estando nós prisioneiros no cativeiro do pecado. 
- Fala de como Deus nos libertou estando nós no império das trevas, na casa do valente, dominados pelo príncipe da potestade do ar. 

Nossa redenção tem como propósito maior a manifestação da glória de Deus e o nosso prazer nele. 

Concluo, portanto, com a conhecida afirmação de John Pipper: “Deus é tanto mais glorificado em nós, quanto mais nós nos deleitamos nele”. 


AUTOR: Rev. Hernandis Dias Lopes


++++++++++++++
+++++++++++++++
++++++++++++++++
+++++++++++++++++





A missão da Igreja
 é Missões 


-  Quando pensamos porque a igreja existe, logo nos vem ao pensamento a palavra de Pedro: 
"a fim de proclamardes as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" (1 Pe. 2.9). 

- A primeira frase diz o propósito de Deus para nós. “Afim de” significa finalidade, objetivo, razão de existir. 

-  Alguém perguntaria “porque Deus nos salva e logo nos envia a testemunhar aos outros?” 

- A Bíblia diz que Ele nos salvou para sermos uma nação santa, povo de propriedade exclusiva Dele, ou seja, ministros, embaixadores (representantes) do Reino de Deus e nos envia para alcançar os outros. 

- Ele os ama e quer chamá-los também para o seu Reino. E nós — e não os anjos — temos o privilégio de sermos "mensageiros de Deus", representantes do Reino (nação) celestial. 

 EXPRESSÃO DO AMOR DE DEUS 

1) – Missões é expressão do amor de Deus. 

- A essência de Deus é amor. O maior ato de amor é dar a sua vida pelo outro. 

- O amor move os nossos corações pelos outros para ajudá-los, através de atos concretos e interesses genuínos, a compreender o amor de Deus. 

 AMOR 

2) - A fé opera pelo amor (Gal 5.6). 

- Essa afirmação das Escrituras explica o principio ativo (eficaz) de missões. 

- Quando amamos de verdade algo misterioso é comunicado ao coração do outro e aí então acontece a conversão, vontade de servir, de imitar a fé do outro, de viver para Cristo. 

- A fé meramente intelectual é fria, não gera vidas transformadas, apenas convence a mente. Não muda radicalmente o coração. A tendência é tornar-se morta. 

- Ser reformado é bom, mas ser transformado é melhor, ser calvinista é correto, mas amar o próximo agrada mais a Deus. 

 RELACIONAMENTO AMOROSO 

3) - Missões não é estratégia. 

- É relacionamento amoroso. 

- Muitos lêem livros sobre evangelismo, métodos e técnicas mas são pouco eficazes na evangelização. 

- Outros nunca leram um só livro sobre o assunto mas são frutíferos porque os seus corações estão cheios de amor fraternal e prontos a suprir certas necessidades. 

- O que está no coração transborda para o outro. Amor é o melhor método evangelístico. O amor é mais forte que o poder das trevas. 

 ESTILO DE VIDA 

4) - Missões não é programa. 

- E estilo de vida. 

- Não estamos falando de missões porque recentemente tivemos um mês (agosto) dedicado a isso. 

- Queremos viver missões. Para isso, precisamos pedir a Deus um coração e uma mente missionária para imitar o que Paulo viveu: 
“Porque sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos a fim de ganhar o maior número possível...fiz-me tudo para todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns. Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele". (1 Co. 9.19,22-23) 

- É isso que Jesus espera de nós, viver para Ele. 

GLÓRIA DE DEUS

 5) - Missões é para manifestar a Glória de Deus. 

- Não estamos buscando adeptos para a nossa religião. 

- Não estamos querendo ser a maior e a mais importante igreja da cidade, nem estamos a procura de poder ou prestígio. 

- Queremos obedecer a Palavra de Deus: 
"Portanto quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus, não vos torneis causa de tropeço nem para os judeus nem para os gentios, nem tampouco para a igreja de Deus” (1 Co. 10.31-32). 

- Missões é a razão de existirmos, de vivermos em Cristo. 

 CONCLUSÃO 

- Quando amamos uns aos outros, isso transborda para o mundo perdido. Se amarmos os perdidos, eles "sentirão" o amor de Deus e virão a Cristo. 

- Precisamos ter a doutrina correta e o coração sensível ao mundo perdido. 

- Quem não está se esforçando para ganhar outros, está desobedecendo ao Senhor. 

- Faça de seu trabalho, estudo, lazer, uma ponte evangelística. A alegria de Deus é receber um pecador que se arrepende. O inferno ferve. E o nome e a glória de Deus é manifestada. 

-  Para viver um estilo de vida missionária é preciso limpar o coração constantemente. 

- Arrependa-se de seu coração frio, sua falta de interesse e vá aos pés do Salvador como Raquel. 

- Vamos fazer missões, vamos amar o próximo, vamos frutificar. Quem não frutifica, não permanece na videira. 

"Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo que dá fruto, limpa, para que produza mais fruto ainda" (Jo. 15.2). 

- Limpe o seu coração através da confissão. Deixe o pecado. O Senhor o fará frutífero. Ele é bom e sua misericórdia dura para sempre. 



AUTOR:  Rev. José João de Moreira Mesquita, pastor da IP de Manaus (AM).




######################
#####################
####################
###################