domingo, 21 de outubro de 2012



UMA IGREJA SAUDÁVEL

 Texto: Efésios 1.3-4; 22-23 


 Introdução: 

-  A igreja é do Senhor Jesus, por isso a sua característica maior deve ser a profunda identificação com os valores do Reino. 

- Esta igreja não é identificada pela construção de prédios, ou por normas religiosas que seguem, e sim por ser edificada na palavra de Deus, vivendo em obediência àquilo que o Senhor nos ordena. 

-  Esta igreja do Senhor deve ser um modelo, um farol em meio às trevas que cercam a nossa sociedade, cada vez mais embrutecida: totalitária, violenta e amoral. 

- Homens e mulheres transformados pelo Espírito Santo que vivem em comunidade expressando a sua fé, por meio de relacionamentos saudáveis que glorificam o nome de Deus. 

-  Uma igreja saudável não se interessa por disputas ou interesses pessoais, não caminha pelo trilho da religiosidade institucional e não desassocia a sua vida espiritual da cotidiana. 

- Esta igreja produz crentes maduros que se envolvem com o Reino, tendo como meta abrir os olhos de muitos para o frescor da salvação em Cristo Jesus. 

- A saúde da igreja produz vidas comprometidas com a evangelização, os crentes saem de um estado de espera pela bênção, para um estado de ser a própria bênção do Senhor, e como brasas vivas espalham o poder de Deus por onde passam, deixando o rastro de bênção e cuidado que o Senhor nos oferece a cada dia. 

-  Quando nos aproximamos de Deus ocorre em nossas vidas uma metamorfose, uma mudança espiritual que me faz compreender que eu sou parte do corpo de Cristo, e a partir dessa visão eu me comprometo a proclamar o evangelho do Reino. 

- Evangelizar é divulgar as boas novas de que Jesus Cristo morreu pelos nossos pecados, por isso não podemos ocultar o preço do discipulado. 

- Jesus continua a requerer de todos os que desejam segui-lo que se neguem a si mesmos, tomem a sua cruz e se identifiquem com a sua nova comunidade. 

- Uma igreja saudável promove resultados do Evangelho, e os resultados do Evangelho incluem a obediência a Cristo, a inserção no seio da igreja e o serviço fidedigno ao mundo. 

- A igreja de Cristo não corre atrás das suas necessidades e nem reivindica os seus direitos, mas serve ao Senhor com alegria em todo o tempo. 

 I – COMUNIDADE DE BÊNÇÃO (v.3) 

-  Uma das características de uma igreja saudável é a sua consciência da bênção, que não está simplesmente relacionada às conquistas materiais que este mundo pode nos oferecer, não está restrita a uma confiança neste mundo transitório, mas na convicção de que em Jesus Cristo nós somos abençoados. 

-  A bênção que compreende esta igreja saudável se relaciona a um Deus de amor, que entrega o seu único filho por amor aos pecadores como eu e você, dando o maior presente de todos os tempos que é a Salvação. 

- Por isso devemos entender que somos abençoados não pelas coisas que possuímos, ou pela saúde que gozamos, mas sim pela salvação em Cristo Jesus. 

- Por isso entendemos que a verdadeira igreja não precisa correr para receber a bênção, pois já a recebeu na cruz do calvário por um ato de amor como descreve a palavra:
 “...Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela.” (Ef 5.25b). 

- Somos uma comunidade de bênção, pois a condenação do pecado não tem domínio sobre nós, o diabo e o seu exército não pode nos alcançar, pois somos a igreja do Senhor:
 “E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades (inferno) não poderão vencê-la.” (Mt 16.18). 

-  Somos abençoados porque em Jesus Cristo somos conduzidos aos mais altos lugares, uma bênção duradoura e eterna, como afirma o autor bíblico: “...nas regiões celestiais em Cristo.”, trazendo a afirmação que as bênçãos destinada à igreja excede a qualquer bem material que esta terra possa oferecer. 

- Uma igreja saudável tem uma plena consciência do que é ser abençoado, e é a partir dessa visão que conseguimos entender qual é o nosso papel aqui nesta terra, pois enquanto muitos correm de lugar a lugar para encontrarem a bênção, a igreja saudável propaga a bênção entendendo que já recebeu-a no calvário. 

 II – COMUNIDADE SANTA (V.4) 

-  Não somos simplesmente uma igreja porque nos reunimos em um prédio, ou por nos vestirmos de uma forma especifica, ou por falarmos algumas palavras que nos caracterizam “crentes evangélicos”. 

- Uma igreja saudável é identificada por vidas transformadas que não permitem que o pecado as domine. 

- Esta visão de santidade ocorre desde o Antigo Testamento, ensinando que a vida com Deus deve ser uma atitude de purificação diária, não podemos ser uma igreja saudável nos relacionando com o pecado, não podemos admitir que a igreja do Senhor pactue com a sociedade em seus padrões deturpados e corrompidos. 

- O autor bíblico diz que Deus nos escolheu antes da fundação do mundo, não para sermos simplesmente um povo de se chama “evangélico”, mas nos chamou para sermos uma comunidade separada para glória de Deus, era isso também que o Senhor ensinou ao seu povo no Antigo Testamento: 
“Sereis santos para mim, porque eu, o Senhor, sou santo, e vos separei dos povos para serdes meus.” (Lv 20.26). 

- Uma igreja saudável não tem prazer nas coisas deste mundo, pelo contrário, o seu prazer está no Senhor que promove em nossas vidas uma ação completa do seu Espírito, nos conduzindo à santidade. 

- Uma comunidade Santa ataca o inferno com uma atitude irrepreensível, isso é, anda no caminho do Senhor em obediência. 

-  Esta comunidade Santa não abre brechas para o pecado, não permite que as conversas tolas se multipliquem, que a inveja, o orgulho, a ganância, a luxúria, a glutonaria, a mentira, o egoísmo tomem conta dela, pois ela tem o ideal de ser imitadora de Cristo (Ef 5.1). 

- Quando uma pessoa aceita a Jesus como Senhor e Salvador, a sua vida se transforma, agora a santidade cristã opõe-se aos costumes da sociedade vigente, essa é a palavra de Paulo aos crentes de Éfeso: 
“Portanto, digo e dou testemunho no Senhor que não andeis mais como andam os gentios, em pensamentos fúteis.” (Ef 5.17); comportamento promovido pelo pecado. 

- Se olharmos os capítulos quatro e cinco de Efésios conseguiremos entender a dimensão de sermos uma igreja santa, e uma igreja santa não permite que o Diabo tenha vitória, pois já venceu em Cristo Jesus. 

-  É esta santidade que nos caracteriza como igreja do senhor: imitadores de Deus como filhos amados, fugindo das armadilhas do pecado: 
“Mas a prostituição e todo o tipo de impureza ou cobiça nem sequer sejam mencionados entre vós, como convém a santos.” (Ef.5.3). 

-  Foi Deus que nos escolheu como o seu povo antes da fundação do mundo, para uma vida de santidade e identificação com a tua palavra, e se queremos ser uma igreja saudável devemos abandonar todo o pecado que nos acedia. 

 III – COMUNIDADE EDIFICADA EM CRISTO (vs. 22-23) 

- A igreja pertence a Cristo, isso quer dizer que é ele que dá as ordens para o seu povo. 

- Não podemos ser igrejas conduzidas por vontades humanas, por gostos pessoais, ou por modelos legalistas que sugerem mas não demonstram uma verdadeira espiritualidade. 

- O ministério da igreja de Cristo se relaciona com o poder de Deus em sua vida revelada em Jesus:
 “Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou como cabeça de todas as coisas para a igreja” (Efésios 1.22).

- Jesus é o dono, o verdadeiro proprietário da igreja. O próprio Jesus Cristo edifica a igreja chamando o seu povo a si mesmo. Ele prometeu: “Edificarei a minha igreja.” (Mt 16.18). 

- Isso nos ensina que tudo depende de Deus, nós devemos seguir as suas ordens em obediência, Deus não quer que façamos nada novo, simplesmente quer que o sigamos onde ele já está realizando a sua obra.  

- A igreja não se desenvolve por influência humana, a glória não pode ser dada a homens, isso é referido pelo evangelista Lucas quando informa que o crescimento da igreja não se deu apenas pelo esforço humano, mas “acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos” (At 2.47). 

- É ouvindo a palavra de Deus que esta comunidade é edificada, é permitindo que o Espírito Santo aja livremente em nossa vida que somos conduzidos a uma vida saudável e produtiva. Somente quando isso acontece é que somos preenchidos do vazio existencial que tenta nos dominar. 

- Quando deixamos Cristo ser a cabeça, o líder da igreja seremos bem sucedidos para sempre. Esta comunidade edificada em Cristo deve parar para ouvir a voz de Deus na correria deste século, pois somente quando paramos para ouvir Deus falar no barulho à nossa volta é que aprendemos a seguir os seus conselhos. 

- Essa foi a orientação no passado pelo patriarca Moisés: 
“No dia em que estiverdes diante do Senhor, vosso Deus, no Horebe, o Senhor me disse: Reúne este povo diante de mim, e eu farei ouvir as minhas palavras, e eles as aprenderão, para que me temam todos os dias que viverem na terra e as ensinem a seus filhos.” (Dt 4.10). 

- Uma comunidade edificada em Cristo tem o prazer em ouvir a voz de Deus no desejo de aprender as suas verdades e praticá-las no intuito de viver no temor do Senhor, que nos livra de todo o mal e alcança as nossas gerações com a sua bênção. 

 Conclusão: 

-  Uma igreja saudável tem as marcas do Reino na sua vida, ela é identificada por sua profunda aparência com Cristo, vivendo na proposta de ser uma bênção, deixando de lado a postura imatura de correr atrás da bênção, atrás dos benefícios, mas buscando com toda a intensidade a santidade no Senhor, fugindo de toda a forma de pecado. 

 Esta igreja não permite que homens e nem os seus pensamentos a dominem, pois quem edifica esta igreja é o Senhor, ele é o verdadeiro dono e o único capaz de preencher o vazio existencial da humanidade.



Escrito por Pr. Jozadaque - Qua, 27 de Junho de 2012 13:03 




++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++
+++++++++++++++++
++++++++++++++++
+++++++++++++++





SOU CRISTÃO: 
O QUE EU DEVO FAZER?


Texto: Mateus 28.18-20 

 Introdução: 

- Talvez uma grande pergunta que muitos crentes fazem é: O que eu devo fazer agora? 

- Creio que a primeira coisa que um crente deve fazer é buscar a sabedoria de Deus, examinando a palavra, e por meio da oração se aproximar do Senhor para ser totalmente esclarecido, que Deus deseja discípulos que se comprometam com a tarefa da evangelização. 

- Sou cristão porque me identifico com a mensagem do Cristo, que me conduz a obedecer a Deus sobre todas as coisas, isso é, que me ensina que tenho uma grande responsabilidade com o mundo onde vivo, devo divulgar com autoridade a palavra de Deus, não posso deixar de anunciar que Jesus é o meu Senhor. 

-  Somos a igreja de Cristo, por isso devemos reorganizar a nossa agenda, não podemos andar segundo a orientação deste mundo, mas sim pela orientação de Deus que me leva a andar pela fé crendo que não existe outro caminho para a salvação.  

- Quando Jesus instrui os seus discípulos a fazerem outros discípulos ele não estava falando de um modelo de evangelização, ele queria que os seus discípulos mostrassem com intensidade e verdade aquilo que realmente eles eram para o mundo, que as pessoas pudessem ver neles as marcas de Cristo para desejarem segui-lo. 

-  Quando falamos de cumprir a grande comissão muitos pensam em técnicas e forma para evangelizar, mas o que Deus quer da sua igreja é uma vida parecida com a dele, somente quando os nossos vizinhos identificarem Jesus em nossas atitudes serão atraídos para a salvação, somente quando abrirmos os nossos lares para ensinar a palavra é que as pessoas se entregarão a Cristo, somente quando os nossos relacionamentos forem verdadeiros e saudáveis é que o mundo nos conhecerá como o povo de Deus. 

-  Temos que permitir que Deus nos mude pelo teu Espírito Santo, pois é impossível colocar vinho novo em odres velhos como diz o evangelista: 
“E ninguém põe vinho novo em vasilha de couro velha; se o fizer, o vinho novo rebentará a vasilha, se derramará, e a vasilha se estragará. Ao contrário, vinho novo deve ser posto em vasilha de couro nova” (Lucas 5.37-38). 

-  Jesus está dizendo neste texto que o mais importante não é a forma e sim o conteúdo, não podemos usar formas obsoletas em detrimento do conteúdo, precisamos perguntar a Deus o que ele quer, e ele nos mostrará que o vinho é o mesmo, mas devemos trocar a vasilha para desempenharmos a sua tarefa. 

 I – FAZER DISCÍPULOS (v.19) 

-  Jesus não disse para os seus discípulos irem ao templo para serem abençoados, ele diz para eles irem “Vão e façam discípulos”. 

- Esta é a tarefa da igreja: 
“ir” ao mundo para testemunhar do poder de Deus em Jesus Cristo, e fazer destes, discípulos. 

-  No hebraico discípulo é um “talmidim”, isso é, aprendiz. 

- Discípulo não é alguém que já aprendeu, mas que está aprendendo sempre, e é assim que entendemos que os “dias de escola” do cristão nunca se acabam. 

- Precisamos entender que falar de Jesus em praças, televisões, rádios, folhetos ou por qualquer outro meio não resume a minha tarefa de discipular, pois o que Deus deseja é discípulos, e para que isso aconteça precisamos de cristãos obedientes para cumprir esta tarefa. 

-  É isso que Paulo fala a Timóteo, dizendo que era fundamental que ele multiplicasse tudo aquilo que ele tinha recebido para o seu crescimento espiritual: 
“E as palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie-as a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros” (II Tm 2.2). 

-  Parece que a igreja do século XXI se distanciou dessa verdade, pois os crentes vão buscar as bênçãos e nunca desejam ser a própria bênção nas mãos de Deus, uma multidão de consumidores da religião que desejam sempre algo novo, um espetáculo a cada dia, e que não compreende a sua tarefa de produzir discípulos. 

-  Jesus disse para igreja ir e fazer discípulos, essa é a nossa tarefa. 

- Fazer discípulo demanda tempo e investimento na vida do outro, devemos ser responsáveis por aqueles que adentram em nossa comunidade levando-os à confissão dos seus pecados e depois o batismo. 

Como eu posso fazer discípulos? 
+ Testemunhando a minha fé (palavras, ações e atitudes); 
+ Orando por vidas; 
+ Ensinando; 
+ Relacionando com não-crentes; 
+ Abrindo a porta do meu lar; 
+ Investindo tempo com outros; 
+ Batizando. 

 II – ENSINAR A OUTROS (v.20) 

- Vivemos em uma sociedade humanista, hedonista e individualista; com isso perdemos o princípio divino de: “Amar o próximo como a si mesmo”. 

- Por não entendermos a nossa função no mundo, nos preocupamos apenas com o nosso bem-estar, deixando de lado o próximo que está ao meu lado. 

- A parábola do bom samaritano contada por Jesus nos ensina essa verdade, mostrando dois personagens que deveriam ajudar o seu próximo que estava quase morto, diz a palavra. Passando por lá um sacerdote e um levita passaram para o outro lado, pois estavam com as suas agendas religiosas cheias. Mas quando um samaritano passou por aquele caminho se compadeceu daquele homem, cuidou das suas feridas, levou-o para uma estalagem, cuidou dele até que melhorasse (Lucas 10.25-37). 

- Isso é o que Cristo espera da sua igreja, pessoas sensíveis ao mover do Espírito Santo desejosas em investir o seu tempo, de mudar a sua agenda em favor da vontade de Deus. 

- O Senhor tem chamado a sua igreja para orar e para se importar por aqueles que estão caídos, quase mortos pela beira do caminho. 

- Se não falarmos de Jesus para eles quem falará? 

- Outro texto muito interessante que podemos destacar em Lucas é o momento da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém: uma multidão glorificava o nome de Deus na pessoa de Jesus, e então os religiosos (fariseus) pedem para que Jesus mande os seus discípulos pararem de fazer aquilo em nome do tradicionalismo religioso. Então ele responde: “se eles calarem, as pedras clamarão” (Lc 19.40). 

- Não podemos nos calar e nem nos conformar com uma vida religiosa desprovida do Espírito Santo; temos que permitir que a vontade de Deus flua em nossa vida, e o seu desejo é que “Ensinemos outras pessoas a serem discípulos de Jesus”. 

- Talvez depois de tudo isso que Deus falou ao seu coração você ainda esteja com medo de realizar essa tarefa, então eu quero reafirmar aquilo que o próprio Cristo disse: 
“E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. 

- Essa é a garantia que não estamos sozinhos, e que podemos realizar essa tarefa, pois o poder flui de Deus, e ele sabe que conseguiremos realizar a sua vontade, pois foi ele que preparou os recursos necessários. 

 Ilustração: O filme – Desafiando Gigantes 

-  Deus está nos convidando, neste momento, a nos juntarmos com ele naquilo que ele está fazendo. 

- Ele deseja uma igreja unida, envolvida com o crescimento espiritual, celebrando, aprendendo a palavra, orando, discipulando e vivendo em comunhão. 

- Não diga que você não pode, pois Deus lhe deu todo poder. 

-  Tenha uma meta e confie que Deus lhe dará todos os recursos para vencer as críticas e os momentos mais difíceis da sua vida; não desista dos planos de Deus, persevere, mantendo o foco em Jesus que o fortalece para superar todos os obstáculos. 

Conclusão: 

-  A igreja tem a oportunidade neste tempo, em permitir que somente Deus nos conduza, mas para que isso aconteça devemos entender que ele nos chamou para sermos vencedores, pois a sua morte na cruz marcou esta verdade na história, por isso, meu querido irmão, não diga que não pode, que não dá, pois o poder é de Deus e ele conta com a nossa obediência nesta grande obra.



 Escrito por Pr. Jozadaque
 Seg, 27 de Agosto de 2012 13:38



+++++++++++++++++
++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++