segunda-feira, 8 de outubro de 2012

PRECISAMOS DE 
REAVIVAMENTO 
QUE RESTAURE 
A IGREJA


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: 
Salmo 85:1-13 



1. A razão pela qual, muitas vezes, a igreja deixa de desfrutar os benefícios das bênçãos de Deus como paz, alegria, esperança, segurança e certeza quanto ao futuro é porque se acomodou em sua vida de indiferença e na falta de compromisso sério com Deus, o qual se ira e se indigna por causa do pecado. 

2. A razão pela qual a igreja passa por situações indesejadas é devido a um generalizado desinteresse pelo genuíno estudo da palavra de Deus, o desenvolvimento de uma religião ritualística ou de entretenimento, e, a caminhada nos perigosos pântanos do pecado. 

3. A razão pela qual Deus permite a aflição na vida dos membros de Sua igreja é para que eles se arrependam e peçam misericórdia, depois de sofrer por seus pecados; e, mantenham sua comunhão restaurada por Deus. Precisamos de reavivamentos que restauram a igreja! 

 I. O PRESENTE ÁRIDO E INFRUTÍFERO NÃO DEVE ANULAR A LEMBRANÇA DOS REAVIVAMENTOS DO PASSADO – Salmo 85:1-3 

1. No passado o avivamento acarretara benefício materiais ao povo de Deus: Deus abençoou a terra fazendo o povo regressar do cativeiro. 

2. No passado o avivamento trouxera benefícios morais ao povo de Deus: Deus havia perdoado a iniquidade e todos os pecados do Seu povo. 

3. No passado o avivamento resultara em benefícios espirituais: Através do perdão o povo de Deus havia experimentado a restauração da comunhão no relacionamento com Deus. 

Aplicação teológica: 

A igreja de Deus pode esperar terríveis aflições quando se afasta de Deus, porém, quando se arrepende e se volta para Ele com humildade e sinceridade, Deus regozija-se com ela novamente. 

 II. O PRESENTE CARACTERIZADO PELA INDIFERENÇA NÃO DEVE LEVAR O POVO DE DEUS À INDIFERENÇA NA BUSCA DO REAVIVAMENTO – Salmo 85:5-7 

1. O povo de Deus precisa reconhecer que causou a ira de Deus ao pecar contra Ele: Quando o povo de Deus se afasta de Deus precisa clamar por salvação novamente, pois o pecado causa ira e indignação ao coração de Deus. 

2. O povo de Deus deve reconhecer que Deus tem o direito de irar-se contra a apostasia: Indiferença e rebeldia em relação à Bíblia conduz a apostasia, afastamento de Deus. As perguntas dos versos 5 e 6 são retóricas, visto que Deus se prontificou a retribuir à confissão de pecados desviando Sua ira e renovando Suas bênçãos (Levíticos 26:40-45). O revivamento trará fome pelas promessas de Deus em Sua Palavra. 

3. O povo de Deus deve reconhecer a necessidade da comunhão com Deus através da oração: Quando o povo reconhece sua injustiça não ora pela manifestação da justiça de Deus, mas suplica pela manifestação do amor, da graça, do perdão e da salvação de Deus. 

Aplicação teológica: 

A igreja de Deus deve se dirigir a Deus com um pedido claro (verso 4) que condiz com sua mais pura intensão tendo a certeza de ser atendida pela bondade e misericórdia divina (verso 7). E, se cada membro permitir que Deus o cure de suas apostasias, Ele prontamente lhes mostrará Sua graça e amor. 

 III. O PRESENTE ATUAL DA IGREJA DE DEUS NÃO DEVE IMPEDIR NINGUÉM DE ESPERAR POR REAVIVAMENTO NO FUTURO – Salmo 85:8-13 

1. A esperança é uma característica dos fieis que aguardam o reavivamento espiritual: O final do salmo é um chamado à vigilância. De maneira profética o salmista faz uma pausa para ouvir as palavras de Deus em resposta à súplica na oração. 

2. A certeza é uma característica dos humildes que buscam o reavivamento espiritual: O salmista expressa certeza de que Deus atenderá generosamente ao pedido de salvação e restauração do povo. Sabemos que a salvação é certa para aqueles que a buscam porque em Cristo o amor e a verdade se encontraram, a retidão e a paz se beijaram. 

3. A paz e a justiça caracterizam aqueles que foram agraciados com o reavivamento: Ao abandonar a loucura e insensatez da vida pecaminosa que conduz à morte, o arrependido é coberto com a graça e a justiça de Cristo, que conduz à restauração física, moral e espiritual visível na retidão de cada um de seus passos. 

Aplicação teológica: 

Pela Sua graça, Deus oferece perdão, restauração e salvação ao pecador e implanta a esperança, a certeza e a justiça no coração que resultará em paz, alegria, entusiasmo, justiça, retidão – ou seja, resultará em reavivamento e reforma! 

 CONCLUSÃO: 

1. No reavivamento espiritual, Deus revigora a saúde espiritual dos cristãos e nova vida àqueles que morreram em seus delitos e pecados. 

2. No reavivamento há um reconhecimento da desobediência e um despertamento da preguiça espiritual. 

3. No reavivamento espiritual a igreja é conduzida pelo Espírito Santo a afastar-se do pecado, o desejo de santificar a vida e um anseio pela manifestação de Deus. 

 APELO: 

1. Se você é cristão, reconheça que você é membro da igreja de Deus e não mais pertence ao mundo. 

2. Se você já aceitou Jesus, deixe Deus colocar tua vida em harmonia com Sua santa vontade a fim de que experimentes um reavivamento espiritual. 

3. Se você ainda não é cristão, aceite a Jesus e abandone a insensata confiança e si mesmo e experimente uma vida totalmente nova. 



AUTOR E FONTE: Pr. Heber Toth Armí / http://portal-biblico.blogspot.com.br/search/label/SERM%C3%83O%20EXPOSITIVO




###########
############
#############
##############
###############
################
#################
#################
#################
#################


MENSAGEM DE DEUS 
A JUÍZES E OFICIAIS 
DE JUSTIÇA 



INTRODUÇÃO: 

Texto bíblico: Deuteronômio 16:18-20 
Inspirado por Deus, Moisés escreve para juízes e oficiais de justiça: 

1. A teologia de liderança judicial possui valor prático de longo alcance para uma nação e/ou município. 

2. A teologia destes versos, caso sejam aplicados a juízes das cidades e oficiais de justiça, fariam uma diferença que impressionaria o mundo todo. 

3. A mensagem teológica para um Juiz e um oficial de justiça revela o plano de Deus para essas funções. 

Veja: 

 I. A TAREFA DE UM JUIZ E OFICIAL DE JUSTIÇA FOI ESTABELECIDA PELO SUPREMO JUIZ DO UNIVERSO 

– Deuteronômio 16:18 

1. A principal tarefa de um juiz ou oficial de justiça é julgar com justiça. 

2. A função estabelecida por Deus àqueles que administram a justiça é fazer a verdadeira justiça prevalecer. 

3. A justiça deve ser defendida, promovida e realizada por aqueles que são nomeados para oficiar a justiça imparcialmente. 

 II. O LIMITE DE ATUAÇÃO DO JUIZ E OFICIAL DE JUSTIÇA É DETERMINADO POR DEUS, O JUIZ DOS JUÍZES - Deuteronômio 16:19 

1. Não manipule a justiça: Diz Publius Syrus, “Você fere os bons quando poupa os maus”. As leis não devem ser deturpadas. A justiça verdadeira é única, e qualquer justiça alheia à justiça que vem de Deus é falha! 

2. Não faça acepção de pessoas ao julgar: Justiça com equidade são princípios fundamentais na administração da sociedade. Para julgar coerentemente é necessários buscar a verdadeira justiça e fazer uso dela independente da situação. 

3. Não aceite suborno: O suborno é peculiar àqueles que não têm noção de seu valor e esquecem-se de que há um Deus que é justo e julgará a todos com justiça. 

a) O suborno cega os mais sábios: Tudo o que te afaste de tuas decisões pelo certo é um tipo de suborno que "fura" os olhos dos sábios. 

b) O suborno corrompe as palavras dos sábios: Como o suborno tem a ver com egoísmo e não com cristianismo, corrói a alma com o pecado até dos mais sábios. 

c) O suborno corrói a justiça e aquele que julga: A justiça relativa torna-se corrupta. A justiça não deve mudar de acordo com a circunstância, pois assim não seria justiça! 

 III. A RECOMPENSA OFERECIDA POR DEUS ÀQUELES QUE ADMINISTRAM IMPARCIALMENTE A JUSTIÇA É VIDA ETERNA - Deuteronômio 16:20 

1. Siga a justiça verdadeira para que tenhas recompensa: Não há vida plena na corrupção, na injustiça. A Bíblia A Mensagem diz: “O direito! O direito! Desejem apenas o que é direito! É a única maneira de viver de verdade!”. 

2. Procure só a justiça a fim de que vivas: O Deus que é justo Juiz é o dono de tudo, a vida procede dEle. Quem vive com justiça vive a vida! 

3. Possua e pratique a justiça para que entres no Céu: O Céu é o lugar onde Deus habita e deseja levar pessoas para habitar com Ele. E, neste texto a promessa é para os Juízes e Oficiais de justiça justos e honestos. Quem vive a justiça viverá no Céu! 

CONCLUSÃO: 

1. A teologia e a vida pública são indissociáveis na visão de Moisés, o primeiro grande estadista da nação judaica. 

2. A teologia revela que os verdadeiros filhos de Deus estarão sempre do lado da justiça; ainda que sejam prejudicados aqui serão recompensados no Céu! 

3. A teologia da justiça declara que todas as considerações pessoais devem ser deixadas de lado para fazer o bem a todos, e, não fazer mal a ninguém.  

APELO: 

1. A você que exerce o direito de julgar, jamais se esqueça da justiça, muito menos dê espaço à corrupção. 

2. A você que preserva a justiça, nunca se esqueça de que tem alguém acima de você que julga com perfeita justiça. 

3. A você que deseja entrar no Céu, lembre-se que Deus te julgará antes. 


AUTOR E FONTE: Pr. Heber Toth Armí http://portal-biblico.blogspot.com.br/search/label/SERM%C3%83O%20EXPOSITIVO


===============
==============
=============
============
===========
==========