quinta-feira, 4 de outubro de 2012




SHOFAR

Quero mostrar a você leitor a importância do shofar em minha vida, mas em primeiro lugar é necessário ensinar a você o que é e por que o shofar existe:
            Este estudo foi retirado de um livro chamado “Símbolos e festas”de Doroty Cundari Marques.
Significado: Poder Unção de Adonai manifesta através do som do Shofar.
            Shofar que em hebraico é o mesmo que “trompa”, chifre, também chamado de trombeta e em algumas passagens, buzina.
            A origem do nome Shofar está na raiz hebraica que significa “beleza”.
            “Semelhantemente, no dia da vossa alegria, nas vossas festas fixas, e nos princípios dos vossos meses, tocareis as trombetas...”(Números 10:10).
            Em Números 10:2, o Eterno ordena que se faça duas trombetas de prata, para convocar a congregação, e para ordenar a pratica do arraial. Todos deveriam congregar-se juntos a porta da Tenda da Revelação.
            Os toques do Shofar, davam comando. Um toque: Apenas os príncipes e cabeças dos milhares deveriam congregar-se juntos a Tenda da Revelação. Toque retinindo, primeira vez: Todos acampamentos da banda do oriente deveriam congregar-se para partir. Toque retinindo pela segunda vez; Os acampados da banda do sul. Toque longo sem retinir: Congregar todos.
            Há comando para se tocar o Shofar fortemente, prolongadamente, com toques curtos, enfim, cada toque é um comando de Deus para um acontecimento na terra, para Glória apenas Dele que É, Era e Sempre Há de Ser.
            Quem deveria tocar o Shofar?
            Os sacerdotes.
            O Shofar era tocado nos eventos proféticos, como entrega das Tábuas da Lei “os dez mandamentos” nos momentos de guerra e conquista como na destruição dos muros da cidade de Jericó; na  convocação das festas e solenidades, nos dias das alegrias.
            “Fala aos filhos de Israel dizendo: No mês sétimo tereis descanso solene, memorial ao som de trombetas, e uma santa convocação”. (Leviticos 23:24).
            Shofar era e ainda é feito de chifre de carneiro, podendo também ser feito de chifre de antílope; Jamais de boi, pois recorda o bezerro de ouro. Há normas rigorosas para escolher os chifres, limpar e consagrar para uso santo.
            No primeiro livro do V.T. Gênesis 22:13, lemos sobre o crifre, quando Adonai provê o carneiro para ser sacrificado em lugar de Isaque. O carneiro apareceu preso pelos dois chifres... Esse cordeiro apontava para Messias; Especialmente para os dois grandes momentos: A primeira vinda do Messias, como homem, para morre em nosso lugar, e a segunda vinda, como Rei dos reis, Senhor dos senhores, quando Ele voltar em Glória para buscar a todos que Nele crêem. Dois chifres, dois momentos proféticos, históricos, messiânicos e bíblicos.
            O Shofar será tocado quando o Noivo Jesus vier buscar Sua noiva, Seu povo, a Igreja, composta de judeus e gentios, para levar consigo junto ao Pai.
            “ E enviará Seus anjos com grande voz de trombeta (Shofar), e juntarão os Seus escolhidos, dos quatro cantos, desde um extremo do céu até o outro” (Mateus 24:31)
            O profeta Joel 2:15-17 nos exorta a tocar a trombeta, proclamando jejum convocando assembléia, pedindo perdão ao Eterno pelos pecados “Dia do Perdão”.
            E ainda, as Escrituras nos falam do toque do último Shofar que trará o Messias.
            “Porque um momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta (Shofar), porque a trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados” (1Corintios 15:52).
            Antes de tocar o Shofar, o sacerdote deve orar, agradecendo e engrandecendo o Nome do Senhor.
            “Bendito és Tu, Senhor Rei do Universo, que nos mandastes tocar o Shofar”.
            Tenho percebido que há um grande modismo em nossas igrejas no tocar do Shofar. Como no estudo que tivemos, este instrumento não tem por finalidade massagear o ego de ninguém, pelo contrario, este instrumento é fundamental para santa convocação e por isto não deve estar na mão de pessoas que não tem nenhum relacionamento com Deus, mesmo porque não se toca o Shofar por vontade humana.       
            Em minha verdadeira conversão, eu fiz um grande desafio com o Senhor. Em um grande congresso chamado (CATH THE FIRE), fui levado por minha esposa a participar.
 Ali minha esposa me desafiou a pedir ao Senhor o que seria impossível para mim, e caso o Senhor não me respondesse, ela nunca mais insistiria para que eu fosse a igreja com ela. Percebi que era uma boa oportunidade para me livrar da igreja, então eu aceitei a proposta.
 O desafio seria se Deus realmente existisse que Ele colocasse em minhas mãos a carne esponjosa que estava em meu nariz, já que alguns anos eu estava com este problema e só com cirurgia poderia extraí-la. Caso isto me acontecesse daria a minha vida para servir-lo em sua obra.
Durante toda ministração pude ver pessoas sendo curada de vários males , foi quando meu irmão Jonas desceu do altar e me abraçou, enquanto eu era abraçado pelo meu irmão um outro irmão que estava com umShofar veio e colocou a boca do Shofar em minha barriga e juntos sopraram, meu irmão Jonas soprava minha nuca enquanto o irmão Marcelo tocava o Shofar em minha barriga, foi quando tomado pelo gozo do Espírito a carne esponjosa saiu de meu nariz e foi parar em minha mão. O Senhor se revelou e me mostrou o Seu grande poder.
Esta foi a minha primeira experiência com Deus, a manifestação do poder Dele através do amor de meu irmão Jonas e do toque do Shofar pelo Marcelo.   
 Eu sou uma testemunha viva do poder que é liberado quando o Senhor manda tocar o Shofar. Não só quando fui ministrado, quando ministrei.
Um dia ministrando para uma igreja de mais de duas mil pessoas de um pastor amigo meu, Deus revelava ao pastor que deveríamos fazer sete toques para a libertação de pessoas que estavam em sua igreja, e quando começamos a tocar, e a cada toque, dezenas de pessoas caiam endemonhiadas até que ao tocar o sétimo toque pouquíssimas pessoas não tinham caído, confesso que fiquei perplexo porque nunca tinha visto tantas pessoas possessas. Já pude ver pessoas sendo curadas, renovadas, atos proféticos que realizei, mas uma das coisas mais bonitas que tive o prazer de presenciar foi em uma ministração com um pastor amigo que se chama Geraldo Denardi do ministério Intimo do Pai.
Estávamos ministrando para mais ou menos setecentos jovens e quando ele pediu para que eles levantassem as mãos que o Espírito Santo se manifestaria para eles, ele me pedir para que tocasse um toque chamado Tekia que anuncia a presença de Deus, quando toquei, os setecentos jovens caíram de uma só vez no chão falando em línguas, foi uma grande experiência.
            Poucas igrejas trabalham este ministério, que pena, pois não sabem o quanto é importante treinar o povo de Deus para identificar o som da trombeta do Senhor.
            Se você meu amado leitor nunca foi ministrado ou nunca ouviu espero que você possa viver esta experiência o mais rápido possível, estamos acostumados a falar em nossas igrejas, mas percebo que Deus quer nos fazer ouvir um pouco mais.
             Existem muitas coisas que Deus quer nos mostrar quando paramos para ouvir, o Shofar é uma delas, mas garanto que é uma das pequenas coisas que Deus quer que aprendamos a ouvir, imagine as grandes!
            Que o Senhor nosso Deus continue a abençoar todos nós. “Amém”

Pr. Marlon C. D. Góes Cunha -
Igreja do Evangelho Quadrangular Jardim Palmira.



Veja o vídeo antes de ler o texto.
http://www.youtube.com/watch?v=rfu1iRBa6VE



TOCAR SHOFAR 
NA IGREJA, 

O QUE É ISSO? 

 Pr. Luiz Fernando de Souza 


 - O que está acontecendo com a igreja é algo estarrecedor. Existe uma prática consciente de abandonar o Novo Testamento como norma para o cristão e um abraçar exacerbado em adotar práticas vétero-testamentárias como normas para os dias atuais. 

- Os batistas têm como princípio distintivo doutrinário que o livro de norma prática para o cristão é o Novo Testamento. 

- Somente o Novo Testamento é a lei para o cristão. Isso não nega a inspiração ou proveito do Antigo Testamento, nem que o Novo Testamento é um desenvolvimento do Antigo. Afirma, sem dúvida, que o Antigo Testamento, como um sistema típico, educativo e transitório, foi cumprido por Cristo, e como norma legal e caminho de vida foi cravado na cruz de Cristo e assim tirado do meio. O princípio ensina que não devemos recorrer ao Antigo Testamento para encontrar lei cristã ou instituições cristãs. Não é ali que encontramos a verdadeira idéia de igreja cristã, nem de seus oficiais, nem de suas ordenanças ou sacramentos, nem de seu culto, nem de sua missão, nem de seus rituais e nem de seu sacerdócio. 

 - Um exemplo clássico disso é que em muitas igrejas na consagração ao ministério pastoral pratica-se a unção com óleo. Isso deve ser para fazer referência ao ato de ungir com óleo o sacerdote no Antigo Testamento. No Novo Testamento a consagração ao ministério pastoral não é praticada com unção com óleo como símbolo do Espírito Santo. Mas em algumas denominações o erro continua. 

 - Aplicando-se o princípio distintivo dos batistas ao vídeo acima podemos perguntar: 
Por que tocar shofar na igreja e em seus cultos? 
Qual a lógica de se criar uma escola para ensino dessa prática? Somente há uma resposta, são práticas estranhas ao Novo Testamento. 

 - Os irmãos que aparecem no vídeo afirmaram algumas coisas e creio que não houve dolo da parte deles e até creio na sinceridade de suas intenções, mas um total desconhecimento de teologia e Bíblia. 

Gostaria de ponderar algumas afirmações feitas: 

 1a - Ao participar de um ato profético e ouvir o toque do shofar sentiu que era chamado por Deus. 

 - Em primeiro lugar ato profético não é encontrado no Novo Testamento. Até hoje ninguém definiu teologicamente ato profético. Creio ser uma interpretação ou modismo ou introdução de uma linguagem chula no meio cristão. 

- Se ato profético é fazer algo aqui na terra que será realizado no céu é no mínimo uma coisa infantil, para não dizer desprovida de intelectualidade. Pois bem, alguém ouvir outro tocar shofar e se sentir chamado é algo puramente subjetivo, emocional e não pode ser base para nada. 

- Antes de qualquer coisa não existe chamado para se tocar shofar no Novo Testamento. Se o Novo Testamento é o princípio regulador para o cristão então este chamado é igual a nada. 

- O senso que Deus falou conosco deve ser provado no crisol da Palavra, mas como isso levaria a uma grande frustração por parte daqueles que se sentem chamados, então se despreza a Palavra e firma-se nos sentimentos. Esse comportamento é puramente uma manifestação de carnalidade e expressão da pós-modernidade. 

 2a - O jovem disse que depois de aprender a tocar o shofar ele passou ter mais comunhão com Deus e as pessoas são tocadas pelo som do mesmo. 

-  Isso é atribuir poderes miraculosos a um chifre de carneiro. Cheira a animismo. O desejo por maior comunhão com Deus não se dá através de sons de instrumentos, mas pelo simples fato que amamos a Deus e querermos Sua companhia. 

- Se o motivador é tocar shofar então podemos dizer que outros sons também motivam. 

- Um chifre de carneiro tem tal poder assim? 
- Só porque alguém consagrou tal shofar ele agora passou a ser especial e ungido a tal ponto de mudar comportamentos e influenciar pessoas? Isso é muita infantilidade. Isso é desprovido de racionalidade e base bíblica. 

- Mas essa onda judaizante que entrou na igreja está causando estragos irreparáveis. Pessoas serem tocadas pelo som do shofar é atrair atenção para si. É querer ser especial demais dentre muitos. 

- Pelo que venho estudando a mais de 25 anos em teologia, Bíblia e história da igreja nada igual foi vivido pelos cristãos antes. 

 3a - O pastor afirmou que nós sabemos, através de textos bíblicos, que a igreja primitiva usava o shofar em batalha espiritual. 

-  De qual Novo Testamento o pastor tirou tal afirmação? É uma afirmação no mínimo desleixada ou feita a esmo que induz ao erro. 

- Nunca li isso no Novo Testamento. Possuo várias versões da Bíblia e nunca vi nada igual. 

- Arma de Batalha espiritual? Isso é acrescentar ao texto sagrado o que ele não contém. 

- As únicas armas que Paulo menciona no Novo Testamento estão em Ef. 6:13-20 que transcrevo abaixo:

 "Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. 14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; 15 E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; 16 Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. 17 Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; 18 Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, 19 E por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, 20 Pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar". 

- Não encontrei o shofar como arma de batalha espiritual, você encontrou? 

 4a - O pastor afirmou que o toque do shofar aponta para o Messias, que lembra a igreja que Ele está voltando e o toque do shofar anima a igreja. 

 - Todo tipo no Antigo Testamento apontava para o antítipo que era Cristo. Mas como diz o autor de Hebreus esses tipos eram sombras do que havia de vir e quando Cristo veio os tipos perderam os significados, pois, já temos o verdadeiro e as sombras passaram. Então o pastor cometeu um erro elementar de não saber Bíblia. Mas como um pastor pode deixar de conhecer a Bíblia, sendo ela seu principal instrumento de trabalho? Acredito que deva ser mais um daqueles pastores consagrados que nunca se assentaram em um banco de faculdade ou seminário livre de boa procedência para estudar teologia. 

- Se esse for o caso fico a me perguntar: 

De quem é a culpa? 
Da igreja que irresponsavelmente consagrou tal pessoa ou da pessoa que ambicionando status aceita tal irresponsabilidade? No fundo os dois são os culpados. Ambos negligenciaram os princípios da Palavra. 

 - Afirmar que o toque do shofar lembra à igreja que Cristo está voltando é no mínimo brincadeira de mau gosto. Onde está isso na Bíblia? E agora falo da Bíblia toda e não somente do Novo Testamento. 

- Afirmar que isso anima a igreja soa a criancice. O que deveria animar a igreja é a pregação vigorosa da Palavra de Deus. Deveria ser uma exposição do texto bíblico com preparo em pesquisas, oração e unção do Espírito Santo e nunca o som de chifre de carneiro. Tal afirmação enjoa e enoja qualquer pessoa de intelectualidade mediana. 

 5a - A repórter afirma que através de uma revelação de Deus nasceu a escola de shofar Brit. 

 - Alguém disse que Deus falou e isso vira verdade. A questão que fica sem resposta é que o pastor disse que Deus não havia falado com ele, mas sua esposa volta de uma viagem a Israel e lhe traz uma revelação. 

- Pergunto: "Quem é o cabeça nessa relação?" É a mulher que ensina o homem ou deveria ser o contrário, segundo Paulo? Mesmo que minha mulher trouxesse uma nova revelação para mim eu deveria provar isso à luz da Bíblia. Mas parece que o pastor aceitou tal revelação acriticamente. Isso é jogar no lixo toda forma de racionalidade em nome de uma espiritualidade doentia e mesmo evidencia a fraqueza e inadimplência de tal pastor diante da vida. Desde quando a mulher de pastor tem palavra autoritativa final na vida de pastor ou quem quer que seja? Ridículo! 

 - Daí nascer uma escola para ensinar tocar shofar só mesmo acreditando em Papai Noel. 

 6a - O pastor afirma que conhecendo o shofar o chamado se evidencia. 

 - Sempre entendi que quando existe um chamado de Deus ele parte de Deus e nunca de coisas materiais. Mas como os tempos mudaram e Deus deve ter mudado também seu modo de agir. 

 "Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus" 

 - Cabe a cada um de nós nos posicionarmos contra tais comportamentos e afirmações, mesmo que sejamos taxados de bitolados e retrógrados. 

- Nosso eterno compromisso é com a Palavra e somente com Ela. 

- Nada disso que está neste vídeo deve nos motivar, mas nos levar a rejeitar tais ensinos como erráticos e heréticos. 

- Os resultados desses ensinos são: Cristãos alienados, sentimentais e pouco racionais, igreja sempre menina e nunca madura, espiritualidade doentia e adoecedora e ridicularização por parte do mundo. 


 *** Fonte: Blog do autor Luiz Fernando R. de Souza é pastor batista. 

- Os títulos e o humor nas imagens são do Genizah Dando meu pitaco no excelente texto do Pastor Luiz, lembro que a cultura judaica vê o shabat (sábado) como o dia em que virá o Messias (virá num shabat) e o toque do shofar e outras cositas são manifestações desta esperança. Contudo, vamos combinar, o Messias já veio e, como o autor nos lembra aqui não há nenhuma base bíblica para tocar o berrante para o Seu retorno triunfante! Os anjos o farão! 


 Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/