quarta-feira, 19 de setembro de 2012

AS QUATRO BASES DE 
UM RELACIONAMENTO 
COM DEUS

 "E percorria Jesus toda a Galiléia, ENSINANDO nas suas sinagogas e PREGANDO o Evangelho do reino, e CURANDO todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E a sua fama correu por toda a Síria, e traziam-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos, e ele os curava. E seguia-o uma grande multidão da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia, e dalém do Jordão" (Mateus 4: 23-25). 


INTRODUÇÃO. 

 - É interessante o critério que Jesus aplicava em seu ministério: ENSINANDO, PREGANDO, CURANDO. 

- Ensinar envolve comunicação, e na sua época era impossível comunicar-se sem aproximação. Jesus sempre procurou estar próximo do povo, sentir a necessidade de cada um. 

Este era o seu objetivo: ENSINAR E PREGAR, os sinais e curas eram consequências. 

 - A sua fama correu por todo o mundo e uma grande multidão o seguia. 

- O local do SERMÃO DA MONTANHA era bem estratégico. Provavelmente perto de Cafarnaum. O local não foi escolhido por acaso, mas com muita propriedade: Jesus estava acima, o povo abaixo dele, a acústica era perfeita, então ele se prepara para o grande ensino. Jesus começa a ensinar, e falou por longas horas. 

Jesus com uma grande introdução, começa seu ensino falando sobre: 

 - As Bem-Aventuranças. Do Sal da Terra e a Luz do mundo. Jesus diz que não revogou a Lei, mas cumpriu-a. 

 * Depois de fazer a sua Introdução, ele começa a doutrinar, Jesus tratou do: 

 - Homicídio. 
- Do adultério. 
- Dos Juramentos. 
- Da Vingança. 
- Do amor ao próximo. 
- Da pratica da justiça. 
- Das obras. 

 Jesus ensinou a: 

 - Orar e a Jejuar. 
- Ele ensina o que é riqueza para Deus. 
- Fala da luz e das trevas. 
- Falou que não podemos servir dois senhores. 
- Nos despertou a deixar de lado a ansiedade. 
- Falou Do julgamento. 
- Desafiou o seu povo a orar sem cessar. 
- Falou dos perigos das decisões (As duas Estradas). 
- É claro, falou dos falsos profetas. 
 - E encerra o sermão falando DAS BASES DO RELACIONAMENTO COM DEUS. 

- Para falar dessas bases, atenta o povo para os pequenos cursos d´água que cortavam o vale em direção ao Mar da Galiléia. No verão esses cursos diminuíam até quase secavam, mas ao fim do inverno o gelo acumulado nas montanhas derretia e gerava um acumulo de água se tornarem correntes turbulentas que desciam com velocidade e grande poder de destruição a ponto de arrastar casas construídas sobre a planície junto a areia. 

 - Em contraste, Jesus apontou para as casas que foram construídas sobre as rochas mais altas longe das corredeiras. Ao mesmo tempo em que era seguro, tais casas eram construídas com muita dificuldade. Todo material para construção tinha que ser levado da planície até o ponto alto. Elas, entretanto, aguentavam anos e anos sob as condições mais adversas. 

 - Esta historia verdadeira nos ensina de como devemos proceder na nossa caminhada Cristã. 

- Aceitar a Cristo é viver de acordo com Seus princípios, é coloca-lo como o Fundamento de nosso caráter, simbolizado aqui nessa historia pelas casas fundamentadas na rocha. 

Isto chamamos de: 

1. SANTIFICAÇÃO. 

 - Muitos acham que pelo fato de aceitarem a Jesus, já os torna puramente Santos, sim a presença do Espírito Santo em nós nos da o direito de ser “SANTOS”, mas o processo de “SANTIFICAÇÃO” leva a vida toda. 

- A transformação de um caráter se começa pelas coisas básicas da vida cristã, mas, QUAIS SÃO AS COISAS “BÁSICAS” DA VIDA CRISTÃ? 

 - Para se aprender as coisas “básicas da vida cristã” primeiramente é necessário “desaprender” (Marcos 10: 15) algumas crenças, hábitos e práticas que às vezes são muito comuns em nosso cotidiano. Muito desses hábitos e crenças herdamos dos nossos pais. O texto diz: 
 "Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha: E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda. E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina; Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas" (Mateus 7: 24-29). 

 - Estes fundamentos retratam em uma escolha. Jesus nos dá o direito de escolher entre O CERTO E O ERRADO; ENTRE O BEM E O MAL. 

- A grande falha é: SE NÃO TEMOS A DISPOSIÇÃO DE APRENDER, NUNCA VAMOS CONSEGUIR IDENTIFICAR E NEM SEPARAR O CERTO DO ERRADO E NEM O BEM DO MAL. Se não aprendemos, então vivemos como se nada estivesse acontecendo. 

 2. TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS. 

 - A quem o Senhor Jesus está se referindo? Para entender esse assunto, devemos ler: 

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade" (Mateus 7: 21-23). 

 - O texto é muito claro, muitos pensam que estão servindo ao Senhor de maneira correta, mas não estão porque não quiseram ou não se dispõem a aprender, e até chegam até dizer que em teu nome fiz isso ou aquilo, mas Jesus diz que nunca os conheceu. Jesus esta dizendo: VOCÊS NUNCA QUISERAM APRENDER DE MIM (Mateus 11: 25-30). Jesus está dizendo que todos aqueles que edificam as suas vidas na religiosidade e na legalidade, estão construindo suas casas sobre a areia. 

 - Para não servirmos a Deus de maneira equivocada, devemos conhecer as QUATRO BASES DO RELACIONAMENTO COM DEUS. Os três primeiros fundamentos foram construídos sobre a areia, mas o quarto fundamento representa um relacionamento construído sobre a rocha. 

I – RELACIONAMENTO BASEADO NA IGNORÂNCIA. 

 - Depois de aproximadamente quatro séculos de escravidão, Israel consegue a libertação do Egito. Moisés foi o profeta usado por Deus para conduzir este povo à plena liberdade, mas por causa da desobediência e incredulidade, o povo vagueou pelo deserto durante 40 anos. 

 - Ao chegar ao pé do Monte Sinai, Deus resolveu falar com o povo. 

"Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim; Agora pois, SE DILIGENTEMENTE OUVIRDES A MINHA VOZ, e guardardes o meu concerto, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos: porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel" (Êxodo 19: 4-6). 

 Note como Deus quer nos abençoar, vejamos: 

 - A CONDIÇÃO: “Se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu concerto (aliança)”. 

- A PROMESSA: Então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos. 

 - O povo respondeu: "Então todo o povo respondeu a uma voz, e disseram: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos. E relatou Moisés ao Senhor as palavras do povo" (Êxodo 19: 8). 

 - Esse tipo de resposta representa o voto de um ignorante. O povo estava firmando um compromisso, porem não atentaram para as condições: SE DILIGENTEMENTE (zeloso e aplicado). 

 - ZELOSO. Administrar com o máximo cuidado e interesse. 

- APLICADO. Voltado para o ensino, para o trabalho, esforçado. Ou seja, a minha promessa esta condicionada a “OBEDIÊNCIA”. 

 - A Bíblia adverte: "Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos: o que votares, paga-o. Melhor é que não votes do que votes e não pagues" (Eclesiastes 5: 4-5)

 - Qual foi o voto que fizemos com Deus quando aceitamos a Jesus Cristo como Senhor e Salvador. 

- Muitos estão se relacionando com Deus baseadas na ignorância. 

- Tem muita gente achando que Deus permite tudo; concorda com tudo. Não! 

A resposta é clara: TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS. 

II – RELACIONAMENTO BASEADO NO MEDO. 

 - Não se pode relacionar-se com Deus baseado no MEDO. O medo de se relacionar com Deus implica em construir a casa sobre a areia. O medo produz insegurança, insatisfação, infelicidade e distanciamento. 

 MAS O QUE É SE RELACIONAR COM DEUS BASEADO NO MEDO? 

 - Quando Deus transmitiu os Dez Mandamentos, em meio a relâmpagos e trovões, o povo entrou em pânico, ficaram assustados (Êxodo 20: 18). 

A reação dos Israelitas foi de imediato: 

"E disseram a Moisés: Fala tu conosco, e ouviremos: e não fale Deus conosco, para que não morramos" (Êxodo 20: 19).

-  Com estas palavras, o povo preferiu ouvir a voz de Moisés a ouvir a voz de Deus. Tudo por causa do medo. 

 - Ainda hoje, a maioria prefere conceitos e pensamentos humanos a ouvir a PALAVRA DE DEUS. Muito se tem pregado um Deus carrasco, um Deus vingativo. Se não fizer assim, Deus vai fazer assim. 

 - Cristãos que agem e aceitam tais coisas vivem fundamentados no medo, e o medo faz com que as pessoas não conheçam a Pessoa e nem o caráter de Deus. Frequentam uma Igreja porque têm medo de serem castigados por Deus. Muitos fazem o bem porque têm medo de perder os favores de Deus. 

O MEDO GERA CANSAÇO E INDISPOSIÇÃO. 

 - Atrás deste medo encontramos pessoas arrasadas, frustradas e esperando a misericórdia de Deus, e Deus sempre esta pronto para recebê-los. 
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" (Mateus 11: 28-30). 

 - Para se libertar do jugo do Medo, a resposta é clara: TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS. 

III – RELACIONAMENTO BASEADO NAS APARÊNCIAS.  

- Muitos falam em Deus; usam símbolos referentes ao cristianismo; produzem frases de efeito sobre Jesus; até andam com a Bíblia debaixo do braço, porém não conseguem manter com Deus um relacionamento de amizade, respeito, reverência e sinceridade. Muitos vivem uma vida cristã de aparências. 

 - Para tais pessoas vir à igreja é apenas um momento de rever os amigos, ou de se apresentar, porque canta no louvor, ou é diácono, e porque também não pregar. Quem sabe uma oportunidade de paquerar. Nada além. Nada mais sério. Nada de compromisso. 

 - Muitos têm Jesus como um astro a Quem admiram, ou porque buscam vantagens financeiras, Jesus é um bom investimento. Tais pessoas estão na Igreja, mas continuam a frequentar ambientes impróprios; andam com amizades inadequadas e se envolvem em situações QUE DEIXAM O NOME DE JESUS JOGADO NA LAMA. 

Jesus falou a respeito dessas pessoas: 

 "Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim" (Mateus 15: 8). 

 - Certa ocasião, uma mulher aproximou-se de Jesus e, após ouvi-Lo falar, disse: "E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste. Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam" (Lucas 11: 27-28). Jesus viu nas palavras daquela mulher apenas uma empolgação. Era apenas uma admiradora; uma fã. 

 - Hoje, infelizmente, também existem pessoas que mantém um relacionamento de aparências com Deus. São apenas fãs de Jesus. 

 - O fã sabe tudo sobre o seu ídolo. Que dia ele nasceu; que carros ele tem; o que gosta de vestir. Mas nunca teve uma experiência pessoal com ele. Tanto é verdade que o ídolo também não o conhece. "E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci: apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade." (Mateus 7: 23). 

JESUS NÃO PRECISA DE FÃS; PRECISA DE DISCÍPULOS. 

 Para se libertar do jugo das aparências, a resposta é clara: TODO AQUELE QUE OUVE ESTAS MINHAS PALAVRAS. 

IV – RELACIONAMENTO BASEADO NO AMOR 

 - O amor é o único fundamento sólido para qualquer tipo de relacionamento. 

“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jeremias 29: 13). 

- Quando nos relacionamos no verdadeiro amor: FALA SE POUCO, MAS AGE SE MUITO. 

 - O que antes nos parecia bom, agora o temos como pecado e o que parecia ruim, agora consideramos bom. 

CONCLUSÃO. 

 - Todos que aceitam a salvação proposta por Cristo trocam o orgulho pela humildade; o ódio pelo amor; o egoísmo pela generosidade e a ansiedade pela paz. 

 - Para amar a Deus é preciso conhecê-Lo. Não se ama a quem não se conhece. Só depois de conhecê-Lo através do estudo de Sua palavra, poderemos colocar a Deus em primeiro lugar em nossas vidas. Assim, estaremos edificando a nossa vida sobre o firme fundamento, a Rocha que é Cristo. 



 Escrito por Pr Luis Antonio de Carvalho / Dom, 15 de Abril de 2012 14:17


+++++++++++
++++++++++++
+++++++++++++
++++++++++++++
+++++++++++++++
++++++++++++++++


QUAL O PREÇO 
DO SEU SONHO?

 “Vinde agora, matemo-lo e lancemo-lo numa destas covas; e diremos: Uma animal selvagem o devorou. Veremos, então, o que será dos seus sonhos” (Genesis 37: 20). 

 INTRODUÇÃO. 

 - Existe um dito popular que diz: Sonhar não custa nada, mas todo sonho que vem do Senhor custa alguma coisa, tem um preço. 

 - José, um jovem com 17 anos, o décimo primeiro filho de Jacó, vivia sem muita perspectiva de vida, pois teoricamente não teria direito sobre a herança patriarcal, visto não ser o primogênito da família. 

- Teoricamente, seria serviçal de seu irmão mais velho, Rúben. Todavia, teve dois sonhos que alterou o rumo das coisas: “Estávamos nós atando molhos no campo, e eis que o meu molho, levantando-se, ficou em pé; e os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho”. “Teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, dizendo: Tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam perante mim”. 

 - O Sonho de José suplantava os seus dez irmãos mais velhos. 

QUANTO MAIOR É O SONHO, MAIOR É O PREÇO! 

 - Os sonhos de José trouxeram ódio os seus irmãos. “Seus irmãos, pois, o invejavam; mas seu pai guardava o caso no seu coração” (Gênesis 37: 11). Para aquela família, inclusive o pai, era difícil de entender que aquele menino era um escolhido de Deus para um trabalho especial. Vamos acompanhar sua trajetória, até a realização de seu sonho. 

1. O INIMIGO TRAMA CONTRA O ESCOLHIDO DE DEUS. 

 - Aproveitando que um dia seu pai o mandou que ele levasse alimento e acompanhasse o trabalho de seus irmãos, traiçoeiramente tramaram contra o sonhador. A trama: Matar José e lançá-lo numa cova vazia, e anunciar ao velho pai, que uma besta fera o tinha comido. Ironicamente José foi salvo da morte pelo primogênito Rúben, na teoria o que seria o maior prejudicado pelos sonhos do menino.

 - Cova é símbolo de isolamento, de solidão. Naquela cova José teve tempo suficiente para refletir sobre seus sonhos e se valeria a pena viver por eles. 

 - Qual é a perspectiva que uma pessoa tem dentro da cova tem? 

 - Quem sabe você esteja numa cova, se sente só, esquecido. Estar na cova é viver diferente dos demais. 

Às vezes é necessário: 

 - Estar só para aprender a dar valor as pessoas que estão a sua volta. 

- Ser incompreendido para aprender a compreender melhor as pessoas. 

- Ser rejeitado para aprender a valorizar as pessoas que nos amam e que estão sempre a nossa volta. 

 - Se você está numa cova, não desista. Deus esta querendo te ensinar algo. 

O PREÇO REALMENTE É MUITO ALTO! 

2. O JOVEM FOI VENDIDO COMO ESCRAVO. 

 - Derrepente a escuridão da cova se torna luz. O jovem José é retirado da cova. Oba! Quem sabe a felicidade esta de volta. Mal sabia ele, que o problema iria continuar. 
“Ao passarem os negociantes midianitas, tiraram José, alçando-o da cova, e venderam-no por vinte siclos de prata aos ismaelitas, os quais o levaram para o Egito” (Gênesis 37: 28). 

 - De garoto queridinho e mimado pelo pai a escravo em questão de momentos. José foi vendido e os seus sonhos haviam se tornado pesadelos. Agora o jovem estava nas mãos de tiranos, sua história, sua tradição familiar havia se perdido. A essa altura podemos imaginar o que se passava na cabeça do jovem: Estes sonhos acabaram com a minha vida. 

 - Assim como José, existem muitos em nossos dias que já abandonaram os seus sonhos. Já não acreditam que os seus sonhos não são de Deus! 

 - José creu que os seus sonhos eram espirituais por isso permaneceu firme. Acredite isto não é um estado permanente. É simplesmente Deus agindo para cumprir seus sonhos. Deus pagou um preço altíssimo, por sonhar com a nossa redenção. Deu seu único filho para morrer na cruz por amor a nós (João 3: 16). 

 - Acredito que havia um questionamento no coração de José e também existe este questionamento no coração de muitos: ONDE VAI PARAR TUDO ISSO? 

 - No Egito, José foi vendido à Potifar, um oficial graduado de Faraó (Gênesis 39: 1). O interessante é que mesmo escravo em terra estranha, O SENHOR ERA COM ELE. 
“E viu o seu senhor que Deus era com ele, e que fazia prosperar em sua mão tudo quanto ele empreendia. Assim José achou graça aos olhos dele, e o servia; de modo que o fez mordomo da sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. Desde que o pôs por mordomo de sua casa, e de tudo o que ele tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José. A benção do Senhor estava sobre tudo o que tinha, tanto na casa como no campo” (Gênesis 39: 3-5). 

 - Deus tinha propósitos para José e também tem para todos os seus filhos. Estes propósitos são alcançados quando nos comportamos como SERVOS. OS CAMINHOS DE DEUS NÃO SÃO OS NOSSOS. 

3. OS HOMENS SÃO INJUSTOS, MAS DEUS É JUSTO! 

 - Quando tudo parecia estar bem, José já ocupando a chefia da casa de Potifar, a vida lhe prega um grande golpe: 
“E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os olhos em José, e lhe disse: Deita-te comigo” (Gênesis 39: 7). 

- Mas havia temor de Deus no coração de José, por isso não aceitou o assedio daquela prostituta. Então ela armou uma grande cilada para o servo de Deus (Gênesis 39: 11-19). 

 - Meu Deus! Quanta complicação! Será que a vida de José, o escolhido de Deus seria marcada por tragédias? 

 - Potifar não quis nem mesmo apurar os fatos, simplesmente jogou José na prisão. Que situação! E pensar que tudo começou com dois despretensiosos sonhos. SERA QUE VALE A PENA SONHAR? Naquele momento José já pensava: Ninguém gosta de mim! 

 - A pior coisa é ser caluniado sem chances de defender-se. Só mesmo com a ajuda divina para escapar disso. 

“Toda ferramenta preparada contra ti, não prosperará, e toda língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás” (Isaías 54: 17). 

4. SERIA A PRISÃO O FIM DOS PESADELOS? 

 - Na prisão, José pensou consigo mesmo: Devo estar debaixo de alguma maldição, não é possível que tudo isso possa estar acontecendo comigo. 

O QUE FIZ DE TÃO ERRADO ASSIM MEU DEUS? 

 - Mas era naquele lugar sem nenhuma perspectiva de vida é que Deus começou a agir. Quando José não tinha mais nenhum referencial é que o DEUS DO IMPOSSIVEL iria mudar a sua história. 

 COMEÇOU COM DOIS SONHOS, DERREPENTE OS SONHOS VIRAM PESADELOS, MAS AGORA DEUS VAI FAZER OS SONHOS SE TORNAREM REAIS! ESTE É O PREÇO. 

 - Na prisão, José conhece duas figuras que eram funcionários de extrema confiança de Faraó, mas que haviam cometido erros e foram também parar na cadeia: O copeiro e o padeiro oficial do palácio. 

 - Estes funcionários também eram sonhadores, e sonharam, mas os sonhos ficaram sem que houvesse explicação. Já dentro dos planos de Deus, José, interpreta os sonhos, dando um final feliz a um e um trágico ao outro. E tal como José interpretou, aconteceu. JOSÉ ENTENDIA DE SONHOS MESMO! 

 - O copeiro já restaurado e livre da prisão, já na porta da cadeia, ouviu a voz de José: Quando ele se volta, José faz-lhe um pedido: 
“Mas lembra-te de mim, quando te for bem; usa, peço-te, de compaixão para comigo e faze menção de mim a Faraó e tira-me desta casa; porque, na verdade, fui roubado da terra dos hebreus; e aqui também nada tenho feito para que me pusessem na masmorra” (Gênesis 40: 14-15). 

 - É interessante que o copeiro não se lembrou de José por dois longos anos “O copeiro-chefe, todavia não se lembrou de José, porem dele se esqueceu” (Gênesis 40: 23). QUE INJUSTIÇA! 

 - Talvez você possa estar decepcionado com alguma coisa. Muitos são os ingratos na sua vida. José neste momento da sua vida já não era mais tão jovem. 

5. O SONHO SE TORNA REALIDADE! 

 - Não é que o Faraó também era um sonhador (Gênesis 41: 1-8). 

- Quando os sonhos são de Deus, somente os filhos de Deus podem interpretá-los, e foi assim que aconteceu. José foi levado diante do Faraó, e José interpretou e Deus o levantou sobremaneira que JOSÉ SE O GOVERNADOR DO EGITO. 

 - Deus o exaltou diante dos seus acusadores, e agora vai exaltá-lo diante daqueles que antes o haviam colocado em uma cova e depois vendido como escravo: 
“Então se lembrou José dos sonhos que tivera a respeito deles, e lhes disse: Vós sois espias, e viestes para ver a nudez da Terra. Responderam: Não, senhor meu. Os teus servos vieram comprar mantimentos” (Gênesis 42: 9-10). 

CONCLUSÃO. 

 Que Bela História. Meu querido irmão. Aceite este fato, de que seus sonhos vão cumprir-se. Deus está movendo-se para fazê-los cumprir. Pague o preço por eles. 



 Escrito por Pr Luis Antonio de Carvalho - Dom, 06 de Maio de 2012 13:55



#################
##################
###################
####################
#####################
######################