quarta-feira, 15 de agosto de 2012


PREGA A PALAVRA: 

O ESPÍRITO SANTO 

APELA AOS CRENTES





INTRODUÇÃO: 

Texto bíblico principal: II Timóteo 4:1-4

1. É melhor ser dividido pela pregação da verdade do que unido no ecumenismo pela operação da mentira.

2. É melhor pregar a verdade que machuca e depois cura, do que palavras agradáveis que confortam, mas depois matam.

3. É melhor anunciar a verdade bíblica de forma nua e crua do que agradáveis filosofias (fábulas) que desviam da verdade (Tito 1:13-14).

I. A VERDADE INCOMODA ÀQUELES QUE VIVEM O CONFORTO DAS DOUTRINAS ERRADAS – II Timóteo 4:2-3

1. Ainda que muitos sejam incomodados pela pregação da pura Palavra da Verdade, o cristão deve instar a todos a tempo e fora de tempo.

2. Embora os incomodados possam odiar o proclamador da verdade, é melhor ser odiado por anunciar a verdade do que apreciado por apregoar doutrinas adulteradas.

3. Mesmo que muitos já não suportam a sã doutrina, a ordem de Deus é“admoesta, repreende e exorta, com toda a longanimidade e ensino”.

II. A VERDADE É RECUSADA POR AQUELES QUE DESEJAM SEGUIR SUAS PRÓPRIAS COBIÇAS – II Timóteo 4:1, 3-4

1. Ainda que muitos recusem a dar ouvidos à verdade, ela deve ser proclamada a alto e bom som por todos os verdadeiros cristãos.

2. Embora os que recusam dar ouvidos à verdade por desejarem ouvir palavras que afagam o orgulhoso, egoísta e corruto coração o Espírito Santo estimula: “Conjuro-te, pois, diante de Deus e de Cristo... prega a Palavra”.

3. Mesmo que muitos que te ouvem recusem à verdade e voltem às fábulas, é melhor ficar sozinho por causa da verdade do que acolhido na multidão por causa da mentira.

III. A VERDADE PRECISA SER ANUNCIADA MESMO EM FACE À OPOSIÇÃO – II Timóteo 4:5

1. Ainda que ao pregar a pura verdade bíblica sofras aflições da parte da oposição, jamais deves te calar.

2. Embora o verdadeiro evangelho seja odiado e o falso apreciado, você deve fazer a obra de evangelista.

3. Mesmo que tenhas grandes desafios para proferir a verdade àqueles que preferem a mentira, Deus te ordena a cumprir bem o teu ministério.

CONCLUSÃO:

1. Chegou o tempo em que as pessoas preferem os mestres que falam o que as pessoas querem ouvir e não o que devem ouvir:Ainda que as pessoas queiram ouvir aquilo que dá coceira nos ouvidos (prazer), a verdade que fere o orgulho, a arrogância e as crendices populares deve ser proclamada.

2. Chegou o tempo em que a sã doutrina é rejeitada para dar lugar à ambição, egoísmo e materialismo: Embora as pessoas deixem o conforto de seu lar para ir à igreja em busca de palavras que as lisonjeiam, a Palavra que admoesta, exorta e repreende deve ser exaltada e anunciada.

3. Chegou o tempo em que a mentira e a falsidade estão em alta:Mesmo que não sejas popular, apreciado e aclamado pelos teus sermões baseados na Palavra, não os abandone por mensagens de autoajuda, recortes de jornal, artigos de revistas, etc., ainda que estas sejam mais atraentes, eletrizantes e emocionantes.

APELO:

1. Deus chama todos os cristãos à responsabilidade: “Prega a Palavra”.

2. Deus insiste com todos os seus servos: “insta a tempo e fora de tempo”.

3. Deus suplica a todos os Seus mensageiros: “admoesta, repreende e exorta, com toda longanimidade e ensino”.









A DIFERENÇA QUE FAZ TER 

UM GRANDE SUMO SACERDOTE



INTRODUÇÃO: 

Texto bíblico do sermão: Hebreus 4:14-16

1. Não houve tentação das mais intensas que Jesus não tenha enfrentado; por isso, não existem circunstâncias por pior que sejam que Ele não possa nos socorrer.

2. Não houve tentação por mais intensa que fez com que Jesus cedesse; por isso, Ele pode livrar-te de qualquer tentação por mais que pareça mais forte que você.

3. Não houve tentação fraca para Jesus, Ele passou por tudo o que passamos e mais um pouco; assim, com Ele você também pode vencer, tornando-se um vitorioso.

I. JESUS ADENTROU NOS CÉUS A PARTIR DE NOSSO MUNDO DE PECADO – Hebreus 4:14

1. Jesus atravessou o céu atmosférico (o que vemos daqui), ultrapassou o céu sideral (lugar onde estão os planetas, as galáxias, etc.) e, entrou no Céu, onde Deus habita.

2. Jesus não se deparou com nenhum empecilho ao entrar nos Céus porque Ele foi tentado em tudo, mas permaneceu sem pecado.

3. Jesus venceu a tentação, o pecado, Satanás e a morte aqui na terra para tornar-se Sumo Sacerdote no Céu com autoridade para interceder e lutar por nós.

II. JESUS, O FILHO DE DEUS, PROVOU E VENCEU AS DURAS PROVAS QUE OS CRISTÃOS ENFRENTAM – Hebreus 4:15

1. Somos tentados em algumas coisas e caímos em muitos pecados; por outro lado, Jesus foi tentado em todas as coisas, mas não vacilou em nada.

2. Somos informados que em Jesus a Divindade se aproximou tanto da humanidade a ponto de provar os mesmos desafios que enfrentamos neste mundo de injustiças e maldades, mas não cedeu ao pecado.

3. Somos confortados em saber que temos um Sumo Sacerdote que compreende a fundo nossa fraqueza e nossa dor, e, venceu para nos dar a vitória.

III. JESUS CRISTO TORNOU-SE O GRANDE SUMO SACERDOTE DOS CRISTÃOS – Hebreus 4:15-16

1. Nosso Sumo Sacerdote é grande em compaixão por nós que somos fracos e sofredores; e, nos socorre em tempo oportuno.

2. Nosso Sumo Sacerdote é grande em Sua obra na Terra e no Céu: na Terra, por Seu extraordinário sacrifício por nós; no Céu, por Sua magnífica intercessão por nós.

3. Nosso Sumo Sacerdote é grande por abrir o caminho para que pudéssemos ter livre acesso ao sagrado e santo trono de graça e misericórdia, onde está Deus.

CONCLUSÃO:

1. Quem tem Jesus Cristo como seu grande Sumo Sacerdote tem a máxima liberdade de acesso ao trono de Deus, no qual está a fonte da misericórdia e da graça em que o cristão pode abastecer-se diariamente.

2. Quem tem Jesus Cristo como seu grande Sumo Sacerdote encontra recursos diários para enfrentar as vicissitudes da vida neste mundo de provações.

3. Quem tem Jesus Cristo como seu grande Sumo sacerdote encontra, junto ao trono de Deus, suficiente graça e misericórdia para agir com confiança rumo à vitória sobre o pecado.

APELO: 
O apelo deste sermão é extraído do próprio texto bíblico:

1. Por Jesus ser nosso Sumo Sacerdote conserve com firmeza a tua convicção confessando publicamente a fé mesmo em face das mais duras tentações.

2. Por Jesus ser nosso Sumo Sacerdote achegue-se com confiança ao trono da graça para que recebas graça, misericórdia e socorro em tempo oportuno.







JESUS CRISTO 

SE TORNOU MALDIÇÃO 

NO MUNDO



INTRODUÇÃO: 

Texto bíblico principal: Gálatas 3:10-14

1. O que é maldição e como alguém pode se tornar maldito?

2. Em que consiste a maldição da lei?

3. Por que Jesus se fez maldição por nós? Por acaso somos malditos?

I.  MALDITO TODO AQUELE QUE NÃO PERMANECER EM TODAS AS COISAS ESCRITAS NA BÍBLIA – Gálatas 3:10-12

-Ninguém nasce fazendo tudo certo. Ninguém nasce fazendo o bem. Ninguém nasce santo. Exceto Jesus que nasceu santo, todos nascem pecadores; e, como o pecado é maldito, torna o ser humano maldito.

1. Compreendendo a teologia da maldição:

§ Salmo 116:21 – Maldito o arrogante e o desobediente dos mandamentos de Deus. Quem nunca desobedeceu a Deus?

§ Jeremias 17:5 – Maldito o homem que confia em si mesmo. Quem nunca se apoiou em suas próprias opiniões, habilidades e experiências?

§ Jeremias 48:10 – Maldito todo aquele que serve a Deus relaxadamente. Quem nunca fracassou em servir a Deus?

§ Mateus 25:41-46 – Maldito aquele que pensa mais em si mesmo do que nos outros. Quem nunca lutou por seu próprio bem mesmo fazendo os outros sofrerem?

2. Compreendendo a real situação do pecador:

a) Por estar sob a maldição do pecado o ser humano não possui habilidade nenhuma para fazer o que é certo; sua mais elevada justiça não passa de trapos de imundícia (Isaías 64:6).

b) Por causa do veneno mortal do pecado o ser humano não tem capacidade nenhum a de permanecer em todas as coisas escritas na Bíblia, para fazê-las (praticá-las).

c) Por causa de sua conduta moldada pelo maldito pecado, o ser humano está amaldiçoado, condenado à morte pela lei.

3. Compreendendo o papel da fé:

a) É preciso ter fé para aceitar o verdadeiro perfil da situação em que nos encontramos.

b) É necessário ter fé para recorrer a Deus em busca de auxílio – esperança de libertação.

c) É fundamental exercitar a fé para confiar que Deus providenciou uma solução para tirar o pecador da maldição do pecado e da condenação da lei.

II. MALDITO TODO AQUELE QUE FOR PENDURADO NO MADEIRO – Gálatas 3:13

Por que Jesus se faria maldição se não fôssemos malditos? Jesus se fez maldição por nós porque o pecado nos tornou imundo, amaldiçoados e condenados à morte.

1. Jesus nos resgatou da maldição da lei: A lei é perfeita, reflete o santo caráter de Deus; não há problema com ela. O problema está com o pecador, que infringe a lei e, a lei revela seu crime, sua transgressão. A lei condena à morte o infrator, essa é a maldição da lei. Por que Jesus pode nos resgatar da maldição da lei?

a) Jesus se tornou infrator sem infringir nenhuma lei.

b) Jesus se tornou criminoso sem ter cometido nenhum crime.

c) Jesus se tornou condenado à morte sem ter nenhum motivo para morrer.

2. Jesus se fez maldição por nós: Jesus não precisava ter feito o que fez, mas por amor a nós Ele desceu ao mais humilhante grau da consequência do pecado para nos alcançar onde estávamos:

a) Jesus se fez maldição por nós ao tomar sobre si a nossa culpa, nossas transgressões e nossos pecados.

b) Jesus se fez maldição por nós ao tomar nosso lugar de amaldiçoados e condenados pela lei.

c) Jesus se fez maldição por nós ao morrer por nós pendurado num madeiro, símbolo da mais alta infração: Amaldiçoado por Deus (Deuteronômio 21:22-23).

3. Jesus ocupou definitiva e completamente o nosso lugar:

a) Jesus não fez de conta que se fez maldição por nós. Ele tornou-se, de fato!

b) Jesus não fez uma encenação diante do universo ao assumir nosso lugar. Ele assumiu, de fato!

c) Jesus não aparentou morrer, Ele realmente morreu fazendo-se maldição por nós.

III. O BENDITO CRISTO SE FEZ MALDIÇÃO PARA ABENÇOAR OS MALDITOS – Gálatas 3:14

1. Cristo tomou sobre Si as nossas impurezas e imundícias para que recebêssemos sobre nós a Sua perfeita justiça por meio do Espírito Santo.

2. Cristo se fez maldição para que nEle, o pecador amaldiçoado alcançasse a bênção prometida a Abraão: A salvação. A qual está vinculada com o Espírito Santo.

3. Cristo padeceu a maldita morte na cruz por causa do maldito pecado, não dEle, mas nosso; a fim de que fôssemos abençoados com a Sua vida eterna.

CONCLUSÃO:

1. Jesus se tornou maldito para tornar-nos benditos. Jesus não morreu para anular a lei, mas a condenação da lei que é a sua maldição.

2. Jesus morreu como transgressor da lei para resgatar-nos não da lei, mas da condenação da lei.

3. Jesus se fez maldição para nos resgatar da nossa maldição e oferecer-nos a Sua bênção.

APELO:

1. Tenha fé na descrição bíblica de sua real situação como amaldiçoado pecador incapaz de se livrar da condenação da lei.

2. Tenha fé para aceitar o fato de Jesus ter assumido o teu lugar na maldita cruz a fim de que sejas abençoado.

3. Tenha fé para receber a promessa da salvação e o poder do Espírito Santo para viver uma vida abençoada.