terça-feira, 3 de julho de 2012

A Verdade sobre
o Inferno



Texto: Daniel 12.2


Introdução

- A idéia do inferno deixa as pessoas desconfortáveis. Como um Deus amoroso torturaria pessoas no inferno? O inferno é punição, mas não é tortura.

- C. S. Lewis disse certa vez que a doutrina do inferno é “uma das principais razões pelas quais o cristianismo é atacado como algo bárbaro e a bondade de Deus é impugnada”.

- O assunto do inferno é deveras muito difícil e aterrorizador. Todavia, ele é um claro ensino da Bíblia e necessita ser entendido; não podemos ignorar os fatos sobre algo que Deus revelou simplesmente porque ele é desconfortável (Matt Perman).

- É irônico que muitos ateus abracem Jesus como um grande mestre e não reconheçam o que ele disse a respeito do inferno e de tantos outros assuntos. Foi Jesus quem mais teve o que dizer a respeito do inferno.

Transição (AT)

O inferno é uma realidade justa, terrível e eterna. (ST) A Bíblia nos ensina algumas verdades sobre o inferno.

I.) O inferno é o lugar para onde irão as pessoas que passarão a eternidade longe de Deus – Mt 25.41,46

- Por que as pessoas são punidas por toda a eternidade? O grau da justa punição de alguém não é proporcional ao tempo que levou para cometer a ação; antes, é proporcional à própria gravidade do ato.

- Qual é o crime supremo? Nos EUA o assassinato é punido com o castigo mais rigoroso: prisão perpétua ou pena de morte.

- Qual é o pecado supremo? Blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 12.31,32). Para alguns esse pecado é justamente rejeitar a oferta de Salvação em Cristo; rejeitar a revelação de Deus.

- Há lógica em dizer que a violação deliberada da lei suprema de Deus deve acarretar o castigo supremo que é ficar separado de Deus por toda a eternidade.

- Por que Deus não destrói as pessoas? Ele se recusa a destruir uma criatura que foi feita à Sua imagem!

II.) O inferno é o lugar preparado para aqueles que escolheram viver para si mesmos – Mt 10.39; Mc 8.35

- O inferno é o lugar para pessoas que escolhem por não se preocupar com os valores que estarão presentes no céu todos os dias.

- O inferno é o fim de um caminho que é escolhido, até certo ponto, nesta vida, aqui e agora, dia a dia. Cada escolha nossa demonstra onde realmente queremos estar por toda a eternidade!

- Não haverá ninguém no inferno que, se tivesse um pouco mais de tempo nesta terra, teria escolhido ir para o céu. Ninguém irá para o inferno simplesmente porque tudo o que necessitava era um pouco mais de tempo, e morreu prematuramente. Se tudo que uma pessoa precisasse fosse um pouco mais de tempo para ir a Cristo, então Deus estenderia o seu tempo de vida na terra para dar-lhe essa oportunidade. Deus é justo. Ele não está tentando tornar as coisas difíceis para as pessoas.

- Por que Deus não obriga todas as pessoas a irem para o céu? Por que Deus simplesmente não destrói as pessoas? O inferno será para sempre um monumento à dignidade humana e ao valor da escolha humana.

- É um isolamento em que Deus diz duas coisas importantes: “Meu respeito à liberdade de escolha é tal que não vou coagir as pessoas, e eu valorizo tanto os que têm a minha imagem que não vou destruí-los”.

III.) O inferno é o lugar de manifestação do justo juízo de Deus – Mc 9.43-48

- O inferno é um lugar onde a justiça de Deus se manifestará de forma proporcional a cada existência. Nem todos experimentarão o inferno da mesma maneira. A Bíblia ensina que existem diferentes graus de sofrimento e punição (Mt 11.20-24).

- O inferno não é uma eterna tortura consciente; é um eterno sofrimento consciente por estar condenado a ficar longe de Deus.

IV.) O inferno é a pior situação possível que jamais poderia ocorrer a uma pessoa – Mt 13.42,50

- Ainda que no inferno a justiça de Deus se manifestará de forma proporcional, ainda que as chamas sejam figuradas e ainda que não será um lugar de tortura, ainda assim o inferno é a pior situação possível que jamais poderia ocorrer a uma pessoa!

- Significado de ranger de dentes: essa expressão visa descrever um estado de percepção de uma grande perda; é uma expressão de inconformidade pela consciência de que se cometeu um enorme erro.

- Ap 20.10-15.

AUTOR: Pr. Ronaldo Guedes Beserra com várias informações obtidas no livro “Em Defesa da Fé” de Lee Strobel.



=
==
===
====
=====
======
=======

==========
==========
==========
As Tristes Conseqüências
do Pecado e do
Afastamento de Deus



Texto: Juízes 6.1-10

Introdução

- Gideão se achava incapaz, tinha poucos soldados, mas venceu um numeroso exército.

- Explicar o ciclo do livro de Juízes – ver Jz 2.10-23

Transição

- Para termos grandes vitórias e a benção de Deus, precisamos primeiro tratar com o pecado.

- O texto nos mostra algumas tristes conseqüências que o afastamento de Deus e o pecado causam nas vidas daqueles que lhes dão lugar.

I.) O Pecado Causa o Domínio do Inimigo – v. 1, 2 a

- Quando o povo de Deus se afasta do Senhor, Ele mesmo permite que o inimigo prevaleça:
 “…o Senhor os entregou nas mãos dos midianitas …Prevalecendo o poder dos midianitas contra Israel…” (v. 1, 2).

- Lembrar dos Reis de Judá e Israel. Quando obedeciam prosperavam, quando pecavam caiam nas mãos dos inimigos.

Ex.: Cativeiro de Israel pelos Assírios e de Judá pelos Babilônios.

- Deus pode permitir uma ação de Satanás, mesmo que não haja pecado, objetivando outros propósitos, como no caso da história de Jó. Todavia, os apertos podem ser um sinal de que precisamos nos quebrantar, nos corrigir em alguma área.

- O inimigo tem prevalecido? Será que não existem pecados a serem confessados e abandonados?

II.) O Pecado Causa o Medo e a Derrota – v. 2

- O povo de Deus que devia ser cabeça, passa a se esconder, a viver com medo, a viver derrotado!

- Lembrar da derrota do exército de Israel em Ai, por causa do pecado de Acã, após fragorosa vitória sobre Jericó (ver Js caps 6, 7). Muitas vezes o pecado de um só traz conseqüências sobre muitos. Foi o caso de Acã!

- Está se sentindo amedrontado e derrotado? Será que não existem pecados a serem confessados e abandonados? Será que algum tipo de concerto não está precisando ser feito?

III.) O Pecado Causa o Roubo e a Destruição – v. 3-6

- Elucidar os versos 3 a 6.

- Segundo o que Jesus ensinou, quem é que vem para roubar e destruir? Jo 10.10

- Na história do Filho Pródigo, depois de haver pecado (rebeldia, auto-suficiência, orgulho, devassidão, talvez orgias), ele também foi roubado e destruído.

- O que fazer nestas circunstâncias? O mesmo que o Filho Pródigo fez e que o povo de Israel também fez: clamar ao Senhor, se quebrantar, se arrepender, se humilhar.

- A pergunta é: Porque demorar tanto para se alinhar diante do Senhor? Porque esperar que as coisas fiquem cada vez pior?

- Tem havido roubo e destruição em sua vida? Não é tempo de se quebrantar? Porque esperar mais e trazer mais conseqüências desagradáveis sobre si?

IV.) O Pecado Causa o Entristecimento do Espírito Santo – v. 7-10

- Nas palavras de Deus por intermédio do profeta que Ele levantou, podemos perceber o entristecimento de Deus, do Espírito de Deus para com o seu povo. Apesar de tantas bênçãos que Deus havia dado ao povo (v. 8-10 a), eles não deram ouvidos à voz do Senhor (v. 10 b)!

- Devemos tomar muito cuidado para não entristecermos ao Espírito Santo. Ver Ef 4.30; 1 Ts 5.19; Tg 4.4-7 e observar os contextos destes textos.

Conclusão

- Sl 95.7,8: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o coração …”

- Rm 3.23: “… todos pecaram …”; Rm 6.23: “… o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor”.

- Quando há verdadeiro arrependimento, quebrantamento, o Senhor nos ouve (2 Cr 7.14).

- Venha a Cristo e Ele lhe perdoará e lhe dará Vida Eterna!


AUTOR: Pr. Ronaldo Guedes Beserra


=
==
===
====
=====
======
=======
========
=========