sexta-feira, 22 de junho de 2012

SUA LUTA
COM A ADORAÇÃO

Introdução:

- Bem-vindos à segunda mensagem da série “As maiores lutas de sua vida”! Na semana passada vimos a “Sua luta com Deus”, baseada no primeiro dos Dez Mandamentos.

Hoje Deus vai falar conosco no segundo mandamento: “"Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto...” Êx 20.4-5

- Nossa segunda grande luta é adorar corretamente a Deus, o majestoso Criador e Senhor, sem rebaixa-lo ao tamanho de um deus qualquer. Nada na criação pode representar o Criador. Ele perguntou: “"Com quem vocês vão comparar-me ou a quem me considerarão igual? A quem vocês me assemelharão para que sejamos comparados?” Is 46.5

- O segundo mandamento é também o segundo mais extenso, superado em tamanho apenas pelo quarto.

- O primeiro trata da adoração exclusivamente a Iahweh. Este declara que é para adorar sem o uso de imagens. Deus proíbe a confecção de imagens para fins de adoração. Ele não pode ser reduzido a figuras e nem a representação alguma de qualquer coisa existente.

Uma observação: A Igreja Católica divide os 10 mandamentos conforme o modelo adotado por Agostinho. Do verso 2 ao 6, o primeiro mandamento. E no verso 17, dividiu o décimo em dois.

- A igreja primitiva nem templos possuía. Seus primeiros cultos eram muito simples e reuniam-se nas casas.

- Uma das acusações feitas pelos romanos aos cristãos era a de “ateístas”, porque não adoravam nenhuma imagem. Perseguidos, os cristãos passaram a se reunir nas catacumbas.

- Nestas, era comum a prática de pinturas simples, como ornamentação, como se fazia normalmente em lugares públicos. Desenhos inocentes, de pássaros, flores, borboletas. Mais tarde, surgiu a figura de um pastor carregando uma ovelha nos ombros. Com receio de que as pinturas viessem a se tornar algo mais sério, a própria Igreja as condenou.

- Em 305, na cidade de Elvira, Espanha, realizou-se um sínodo que declarou que “não deveria haver pinturas nas igrejas”.

- Em 360, o bispo de Chipre, Epifânio, declarou que o uso de imagens era “prática ateísta e antiescriturística”.

- Somente a partir do quinto século, já com o cristianismo como religião oficial, é que a prática começou a se generalizar.

- Em nosso tempo a idolatria é comum, bem mais do que se pensa. Há gente que acredita que o pé de coelho dá sorte, que uma figa afasta “mau olhado”, que o desenho de uma pirâmide energiza o ambiente, que um cristal passa bons fluidos, que um cacto em frente da casa afasta maus espíritos. A superstição é parceira inseparável da idolatria.

Ex: pamonha energizada, feita numa lanchonete em forma de pirâmide, perto de Brasília. “Transmite energia para quem come”, disse o proprietário. (citado por Isaltino, em “A Atualidade dos Dez Mandamentos”, Exodus Editora.)

- O segundo mandamento não proíbe a arte, bustos e estátuas em parques ou museus.

- O templo de Salomão teve acabamento artístico (2 Cr 3.10 a 5.1).

- O tabernáculo na época de Moisés tinha o candelabro de ouro, por exemplo (Ex 25.31-40).

- A cruz vazia é um símbolo cristão, e você pode ter e carregá-la num colar, ou até mesmo ser usada no templo. Nosso logo tem uma cruz, mas é só um símbolo, uma marca.

- Em algumas casas temos retratos da arca de Noé, da cena da última Ceia de Jesus com seus discípulos, ou outras cenas bíblicas. São apenas ilustrações, para uso didático, sem qualquer problema. O que o mandamento proíbe fica bem claro no verso 5: “não te encurvarás diante delas, nem as servirás” (v.5)

- Proíbe-se o fabrico de imagens para adoração. Não se pode adorar imagens. Alguns tentam se justificar dizendo que há uma diferença entre a postura diante das imagens e diante de Deus. Usam os termos latria (adoração a Deus) e dulia(veneração e respeito a pessoas que serviram bem a Deus). Mas isto é uma desculpa esfarrapada. Na verdade não é simplesmente veneração é culto às imagens o que acontece.

- Ex: Círio de Nazaré, em Belém. Até mesmo a corda que protege o carro onde o círio é posto é tida como possuidora de graça, acotelando-se as pessoas para toca-lo e receber graça.

- É uma vergonha e escândalo para o nome de Cristo o uso e abuso de imagens no cristianismo. Adora-se a imagens em franca e clara desobediência à Palavra de Deus.

DIFERENÇAS BÁSICAS ENTRE UMA IMAGEM E O DEUS VIVO E VERDADEIRO: IMAGEM DEUS VIVO

Visível Mutável Destrutível Demonstrável Definível Comparável Impessoal Material Incomunicável Inanimada Conforme Isaías 44, a imagem não tem olhos e não vê Invisível Imutável Indestrutível Indemonstrável Indefinível Incomparável Pessoal Imaterial Comunicável Vivo Mas Deus se revela, ouve, age, ajuda, atende, olha e protege.

TRÊS RAZÕES PARA PROIBIÇÃO DAS IMAGENS:

1. A revelação de Deus não é por imagens e sim por palavra.

"No dia em que o SENHOR lhes falou do meio do fogo em Horebe, vocês não viram forma alguma. Portanto, tenham muito cuidado, 16 para que não se corrompam fazendo para si um ídolo, uma imagem de alguma forma semelhante a homem ou mulher, 17 ou a qualquer animal da terra, a qualquer ave que voa no céu, 18 a qualquer criatura que se move rente ao chão ou a qualquer peixe que vive nas águas debaixo da terra. 19 E para que, ao erguerem os olhos ao céu e virem o sol, a lua e as estrelas, todos os corpos celestes, vocês não se desviem e se prostrem diante deles, e prestem culto àquilo que o SENHOR, o seu Deus, distribuiu a todos os povos debaixo do céu”. Dt 4.15-19

- Deus não se revelou por formas, mas por palavras. A ênfase é no conhecimento e não nos sentidos.

- Moisés pediu para ver a face do Senhor (Ex 33.20), mas Deus proclamou o seu nome (Ex 34.20).

- Jesus declarou: “Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade". Jo 4.24

- Deus deve ser adorado no coração e não nos olhos.

2. O nome de Deus e não sua imagem é que deve receber especial atenção.

“Mas procurarão o local que o SENHOR, o seu Deus, escolher dentre todas as tribos para ali pôr o seu Nome e sua habitação”. Dt 12.5

- Para o hebreu, o nome era o caráter de alguém. Conhecer o nome, entre os orientais, era ter domínio sobre a pessoa, pois conhecia-se o caráter da pessoa. Por isso Jacó quis saber o nome de quem lutava com ele (Gn 33.29), mas ficou sem saber. Ele não teria domínio. Ele, sim, Jacó, devia dizer o seu nome (Gn 32.27).

- O nome de Deus é o próprio Deus, no judaísmo.

3. A idolatria vai contra a inteligência.

“Jesus foi considerado digno de maior glória do que Moisés, da mesma forma que o construtor de uma casa tem mais honra do que a própria casa”. Hb 3.3

- A idolatria é um absurdo. O artífice é maior que sua construção. Mas o texto mais contundente contra a idolatria é Isaías 44.6-20.

- O profeta é irônico. Uma pessoa corta uma árvore, faz uma fogueira com uma parte e com ela se aquece e faz seu pão.

Da outra, faz uma escultura, se ajoelha diante dela e lhe diz: “Salva-me; tu és o meu deus". Is 44.17

A conclusão é óbvia:

“Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender. Ninguém pára para pensar, ninguém tem o conhecimento ou o entendimento para dizer: "Metade dela usei como combustível; até mesmo assei pão sobre suas brasas, assei carne e comi. Faria eu algo repugnante com o que sobrou? Iria eu ajoelhar-me diante de um pedaço de madeira?" Is 44.18-19

- Duas palavras definem bem: ignorância espiritual.

- A idolatria é um absurdo porque os ídolos são inúteis.

“Os ídolos deles, de prata e ouro, são feitos por mãos humanas. 5 Têm boca, mas não podem falar, olhos, mas não podem ver; 6 têm ouvidos, mas não podem ouvir, nariz, mas não podem sentir cheiro; 7 têm mãos, mas nada podem apalpar, pés, mas não podem andar; e não emitem som algum com a garganta”. Sl 115.4-7

A REAÇÃO DE DEUS QUANTO À OBSERVAÇÃO DESTE MANDAMENTO:

• Ele reage com zelo.
“porque eu, o SENHOR, o teu Deus, sou Deus zeloso” (v.5) No êxodo, Deus tomou Israel como sua esposa(figura muito usada em Oséias).

- A idolatria seria o rompimento do casamento. Israel deixaria seu marido para se prostituir, o que quebraria o vínculo matrimonial. E a quebra traria um castigo, como veremos a seguir.

• Ele reage com visitação.

“castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam”. (v. 5b)

- “Visitar” tem o sentido de “julgar, castigar, disciplinar”. Deus disciplina até a terceira e quarta geração. A infidelidade traz um castigo intenso e contínuo sobre o pecador.

• Ele reage com misericórdia.

“mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus mandamentos”. (v.6)

- Deus manifesta o seu amor aos que o obedecem. Há juízo para os desobedientes, mas graça e misericórdia abundantes para os que guardam suas palavras e as cumprem.

- Há apenas uma imagem de Deus que podemos adorar.

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”. Cl 1.15 -

- “Imagem” aqui é eikon, que significa “espelho”. Jesus Cristo é o espelho fiel de Deus. É nele que vemos Deus.

- Ele mesmo disse: “Quem me vê, vê o Pai”. Jo 14.9

- A idolatria envolve também colocar as coisas que amamos no lugar de Deus ou ver Deus como um meio de alcançarmos o que queremos.

- O seu ídolo pode ser o carro, a casa, a música, a carreira, o esporte, o sexo, o dinheiro, a família.

- Todas essas coisas são dons preciosos de Deus, mas quando as coisas criadas tomam o lugar do Criador, elas tornam-se ídolos.

- Nem mesmo a oração deve ser uma ferramenta para manipular a Deus. Ele não tem a obrigação de nos dar o que lhe pedimos.

- A oração precisa ser feita sempre em submissão à vontade de Deus. Deus está lá para ser adorado e não para ser manipulado.

- A idolatria também pode ser uma tentativa de colocar Deus ao nosso dispor.

- Adoração é colocar a nós mesmos à disposição de Deus.

- Hans Reifler, em seu livro “A Ética dos Dez Mandamentos” resume o segundo mandamento em cinco afirmações:

1. Não precisamos de nenhuma imagem ou projeção de Deus. Todas as imagens e opiniões particulares conduzem-nos a projeções erradas. Mas em Cristo Jesus nos é dada a perfeita imagem de Deus.

2. Deus se revela por meio da fiel pregação de sua Palavra.

3. Através do Espírito Santo, Deus se aproxima de nós, de maneira que podemos nos comunicar com ele (Jô 4.24; 14.17).Todos aqueles que aceitam Jesus e desejam possuí-lo recebem o Espírito Santo (Lc 11.13; 1 Co 12.13).

4. Deixar os ídolos e converter-se (1 Ts 1.9-10), buscar em primeiro lugar o Deus vivo – eis o caminho para voltar às origens do testemunho e do cumprimento positivo e alegre deste testemunho.

5. Purificação e santificação de nossa pessoa, mente, corpo, espírito, alma, atitudes e projeções em relação ao Deus vivo e verdadeiro é o caminho prático e devocional para cumprir o segundo mandamento.

- Alguns dirão que somos intolerantes, arrogantes ou mesmo fanáticos.

- Outros, entretanto, refletirão nas palavras de Cristo e por causa de nosso testemunho e do Espírito de poder, crerão em sua incontestável declaração:

"Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim”. Jo 14.6

- Não importa qual seja a reação das pessoas, temos de honrar o nome do Deus verdadeiro! Quem assim seja, amém!


AUTOR: Pr. Luiz Sanches

=========
========
=======
======
=====
====
===
==
=

SUA LUTA COM DEUS

Introdução:

- Esta é a primeira mensagem de uma série de dez, que tratam das maiores lutas de sua vida. É baseada nos Dez Mandamentos, de Êxodo 20.

- Você conhece os Dez Mandamentos?

- Estarão eles fora de moda, ou são aplicáveis para os nossos dias?

- Recomendo a leitura do livro “As Maiores Lutas de sua Vida”, da Ed. Betânia, escrito pelo Pr Colin Smith. Temos exemplares disponíveis na livraria da PIB.

- Para muitas pessoas, os Dez Mandamentos são meras relíquias históricas, placas de pedra – válidas, talvez, por manterem a lei e a ordem na sociedade, mas de pouca relevância em sua aplicação na vida diária.

- Lutamos com o tempo, com a verdade e com a autoridade.

- Lutamos pela paz, pela pureza, pela satisfação. Deus nos fala nos Dez Mandamentos sobre essas lutas que nos põem à prova a cada dia. Por seu poder, podemos vencer cada uma delas.

- Deus quer ter um encontro com você nessas lutas a fim de lhe ensinar o significado do amor, e conduzi-lo a um relacionamento saudável e próspero, primeiro com ele e depois com os outros.

- Este início de ano é bem propício para esta reflexão, e a minha oração é que esta série fortaleça ainda mais sua fé em Cristo e lhe encoraje para ficar firme nas dez maiores lutas de sua vida. “Não terás outros deuses além de mim” - Êx 20.3 - Os Dez Mandamentos refletem o caráter de Deus.

- O Deus que adoramos dá forma aos valores que possuímos e ao nosso estilo de vida.

- Se você escolhe um estilo de vida diferente dos princípios dos Dez Mandamentos, então precisa de um deus diferente.

- A primeira luta de Adão e Eva foi contra Deus. Ficaram confusos e tentaram se colocar no lugar do próprio Deus, conforme Gn 3.1-5. Por toda a história, as pessoas procuraram substituir o Deus da Bíblia, inventando outros deuses que expressavam seus valores. Assim foi no Egito, com os deuses ligados ao rio Nilo(Osíris) ou ao Sol (Ra).

- Nos tempos modernos, o capitalismo coloca o dinheiro como deus. O hedonismo substitui Deus pelo prazer. O mundo se tornou uma praça de mercado para deuses.

O QUE HÁ DE SINGULAR NO DEUS QUE DEU OS DEZ MANDAMENTOS? POR QUE DEVEMOS SEGUÍ-LO?

Você precisa de Deus – e nenhum outro – porque:

1. ELE SE REVELOU A VOCÊ
“Então Deus disse a Moisés: EU SOU O QUE SOU”. Êx 3.14

- Moisés queria saber o nome de Deus. A resposta: Eu sou o que sou. Jeová ou Yavé, cuja tradução é SENHOR, com letras maiúsculas. “Eu sou Yahweh (o SENHOR) seu Deus”. Eu tenho um nome. Eu sou Deus e não qualquer um.

- O Deus da Bíblia é o que é. Ele não é o que desejamos que seja. Não é produto de uma cultura antiga. Ele é o que é. É o Criador e sustentador de todas as coisas. É imutável, auto-existente, e isso quer dizer que não depende de ninguém.

- Cada coisa criada é dependente. Escolas dependem dos alunos e professores. Profissionais dependem dos clientes e fabricantes. Igrejas dependem de membros e líderes. Seres humanos dependem do alimento, ar e água.

- Deus, contudo, não depende de ninguém. Ele existe no poder de sua própria vida. Ele é Deus, quer creiamos nele, ou não. Alguns o amam, outros o odeiam, mas nenhum de nós pode evita-lo. Ele é o que é.

- O nome de Deus o põe à parte de quaisquer outros deuses. Eles foram invenções da história humana, produtos de culturas, que surgem e desaparecem a seu tempo. Ninguém hoje adora Baal ou Dagon, deuses que foram enterrados junto com as civilizações antigas.

- O Deus da Bíblia – Yaweh, porém, é o que é. Sempre foi e sempre será. Não foi criado por nossas palavras. Ele nos criou pela Palavra, por isso está absolutamente certo ao dizer: “Não terás outros deuses além de mim”.

- Deus se apresentou assim para Moisés, e é assim que ele se revela também hoje. É o mesmo Deus, é o mesmo Senhor. Você já teve um encontro com ele?

2. O AMOR DE DEUS É INCONDICIONAL
“Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão”. Ex 20.2

- Deus sempre esteve comprometido com o bem de seu povo, e é por isso que ele apela aos israelitas para que sigam seus mandamentos e assim serem livres da escravidão.

- 400 anos como escravos no Egito, mas Deus interveio e os resgatou. Mandou pragas, abriu o mar e destruiu os inimigos.Quando clamaram, ninguém mais os ouviu, somente Deus. Ninguém viu futuro para aquela gente, mas Deus viu e desceu para socorre-los.

- Você nunca estará pronto para abraçar a Deus completamente até que esteja convencido de que ele é bom.

- Muitos pensam que os Dez Mandamentos são um discurso de um Deus autoritário, que tenta impor sua vontade sobre os outros.

- Moisés recebeu os mandamentos como a palavra de um Deus apaixonado que entrega tudo para ganhar a afeição da amada.

- A razão pela qual devemos fazer de Jeová nosso Deus e seguir seus mandamentos, é que ele é Deus e é bom.

- No NT descobrimos que o “EU SOU” se fez carne na pessoa de Jesus. Ele é Yahweh (o EU SOU) conosco. Foi por isso que ele disse: “Antes de Abraão nascer, Eu Sou!” Jo 8.58

- O mesmo Deus que entregou o Dez Mandamentos a Moisés fala a nós por meio de Jesus Cristo, que desceu do céu para nos trazer maior livramento que o resgate do povo de Israel no Egito.

- Cristo veio ao mundo para nos libertar da escravidão do pecado, da morte e do inferno. Na cruz, ele deu a sua vida para libertar você, e ele está dizendo: “Eu sou o Senhor seu Deus. Eu me entreguei por você. Não coloque outros deuses diante de mim”.

Você resisti a este apelo? Tem amor maior? Você precisa de Deus porque

3. ELE CONVIDA PARA UM RELACIONAMENTO

- O primeiro mandamento trata de amor e lealdade mútuos. Deus nos ama e ele espera que tenhamos afeição por ele. O namorado, o marido, a esposa, esperam de volta, o amor que oferecem. Deus também deseja que o apreciemos, honremos, que o desejemos, que o temamos, confiemos nele, que clamemos por ele, que lhe sejamos gratos.

- Significa dar mais importância a Deus do que qualquer outra coisa, porque é isso que Deus faz com você.

- Como cristãos, nós nos reunimos para adorar porque queremos cultivar nossa afeição por Deus. Em qualquer relacionamento, o amor precisa ser renovado e reabastecido. O amor por minha esposa é renovado quando passo tempo com ela, e experimento a cada dia a pessoa maravilhosa que ela é.

- O amor revigorado sustenta o casamento e guarda marido ou esposa de serem atraídos por outra pessoa.

- De uma forma bem mais grandiosa, é nossa resposta ao amor de Deus, e o constante renovar do nosso amor por ele. Por isso, nesta quarta-feira, dedicamos ao Senhor um dia de jejum e oração aqui na PIB. Colocamos nossas vidas e sonhos para 2008 aos seus pés. Nos submetemos a Ele e ao seu plano para as nossas vidas.

4. QUALQUER OUTRO “DEUS” OFENDE AO SENHOR

- É preciso abandonar tudo aquilo que fere a santidade de Deus. Os pecados que quebram o primeiro mandamento têm algo em comum: todos eles substituem Deus.

“QUANDO ALGO OU ALGUÉM ALÉM DE DEUS GANHA POSIÇÃO DE CONTROLE EM SUA VIDA, QUEBRA-SE O PRIMEIRO MANDAMENTO, POIS ESSA POSIÇÃO PERTENCE SOMENTE A ELE”. Colin Smith

Alguns pecados que quebram o primeiro mandamento: Orgulho, idolatria, paixões cegas, superstição, consulta a espíritos, médiuns ou cartomantes, permitir que outros governem sua consciência, ensinar ou crer que todas as religiões conduzem a Deus (o que coloca todos os deuses no mesmo nível).

- O desespero também quebra o primeiro mandamento.

- Como nos desesperar se o Senhor é o nosso Deus?

- O desespero vem quando queremos algo, ficamos decepcionados por não consegui-lo, e isso se torna mais importante que nosso amor fiel a Deus. Você precisa de Deus, e somente dele porque

5. NELE ESTÁ A VERDADEIRA LIBERDADE
“Não terás outros deuses diante de mim”

- Parece contraditório, mas o primeiro mandamento traz muitas e maravilhosas bênçãos àqueles que seguem seu caminho. Fazer do Senhor o seu Deus, libertará você do domínio de forças que podem de algum modo governar a sua vida.

- Ex: pais arrogantes, amigos manipuladores, líderes autoritários, vícios incontroláveis.

- Nesses relacionamentos anormais, alguém ou alguma coisa asume o lugar que pertence a Deus. E isto é escravidão!!!

- Deus quer libertar você de toda forma de opressão. Ele deixa isso claro no primeiro mandamento. Guardar este princípio o livrará de paixões cegas, de falsas religiões e filosofias, e do domínio que outros tentam exercer sobre você.

- Nenhum homem tem o direito de tomar o lugar de Deus.

- Hitler tentou ser o “dono do mundo”, e muitos acreditaram nele. Não há espaço para qualquer tipo de ditadura.

- No primeiro mandamento encontramos o alicerce da liberdade. Os que rejeitam os Dez Mandamentos em nome da liberdade descobrirão a longo prazo que a tal liberdade se perdeu, pois seu alicerce foi destruído.

- James Packer sugere outras trindades que competem para tomar o lugar da trindade divina: sexo, dinheiro e estômago; prazer, possessões e posição; futebol, empresa e família.

- São áreas legítimas, mas que podem se tornar áreas de pecado se forem mais importantes que o doador delas. É o perigo da idolatria.

O QUE DOMINA SEUS PENSAMENTOS, METAS E CONVERSAS? QUAL É O PRIMEIRO AMOR DE SUA VIDA? ESSE SERÁ O SEU “DEUS”.

Conclusão:

- O primeiro mandamento não deixa nenhum espaço para um “se”, “mas” ou “quando”, pois aí você estará colocando algo no lugar de Deus.

- Se você diz sim a Deus, mas diz: “se me deres saúde”, ou “se abençoares minha família”, ou “se resolveres esse problema”, então é a saúde, a bênção para a família, a resolução do problema que ocupará o lugar de Deus.

- O primeiro mandamento é a nossa maior luta porque sempre queremos estabelecer condições. Queremos usar Deus em vez de deixar que ele seja Deus.

- Ao fazer de Cristo o Senhor de sua vida, você pode se colocar em situações difíceis.

- Os nove mandamentos que se seguem descrevem a vida à qual Deus quer nos conduzir. Cada um deles implicará numa luta. Entretanto, Deus o está chamando para dar um passo de fé, crendo que ele é Deus e é bom. Você está pronto para abraçar ao Senhor como o seu Deus incondicionalmente?


AUTOR: Pr. Luiz Sanches


++++++
++++++
++++++++++++
++++++++++++
++++++
++++++
++++++
++++++
++++++