segunda-feira, 4 de junho de 2012

A Igreja
Que Prevalece
é Aquela
Que Evangeliza

Textos bíblicos sobre conversas evangelísticas de Jesus, para a sua reflexão durante a semana:


Segunda: Marcos 10:17-22                            
Sexta: João 4:1-42
Terça: João 1:35-42                                        
Sábado: João 8:1-11
Quarta: João 1:43-51                                    
Domingo: João 9
Quinta: João 3:1-21        
                         


Introdução

- Evangelização é a essência da missão da igreja. Ela existe para compartilhar com o mundo a salvação que só pode ser encontrada em Jesus.

- Se queremos evangelizar, creio que devemos seguir o exemplo de Jesus. Ele foi o maior evangelista de todos os tempos e tem muito a nos ensinar.

Portanto, a igreja que prevalece é aquela que evangeliza…

1. CUMPRINDO A SUA RESPONSABILIDADE MISSIONÁRIA (V.4)

- Jesus sempre demonstrou estar consciente da sua missão redentora (confira Lucas 19:10).

- Porque desejava cumprir a sua missão, era necessário passar por Samária.

- Por questões raciais e culturais, os judeus não se comunicavam com os samaritanos e por isso não passavam por Samária.

- Quando viajavam da Galiléia para a Judéia, ou vice-versa, sempre utilizavam um outro caminho para não terem que passar em território samaritano. Todavia Jesus sabia que em Sicar havia uma mulher que precisava da sua ajuda, por isso era necessário passar por lá. Ele sempre caminhou na direção das pessoas. Ele não esperava que as pessoas fossem ao seu encontro (Mateus 9:35-36).

- O que nos leva ao encontro das pessoas é a nossa consciência missionária.

- Para que as pessoas venham, antes precisamos ir ao seu encontro como fez Jesus. É bem verdade que não temos os olhos de Jesus para ver o coração das pessoas. Mas, quando oramos, o Senhor nos indica as pessoas que devem ser alvo da nossa abordagem, da nossa ação evangelizadora.

- Jesus tinha dado uma ordem à igreja (Atos 1:8). Não obstante, a princípio, parece que a igreja não queria cumprir a ordem de Jesus. A igreja se acomodou em Jerusalém. Afinal, ali estava tão bom, pra quê sair dali?

- Hoje também corremos o risco de experimentarmos essa mesma situação de nos sentirmos acomodados com a nossa vida tranqüi-la.

- Porém, essa vida tranqüila vai passar, e no final, quando você olhar para trás, será que terá feito algo útil para Deus? Ou experimentará o descontentamento de ter se preocupado apenas com você e se esquecido de tantos que estiveram ao seu redor e não experimentaram o Cristo que você experimentou?

- De repente, no meio daquela tranqüilidade de vida da igreja primitiva, surge a perseguição. Saulo inicia uma devastadora perseguição à igreja. Aí sim, a igreja sai do seu casulo, sai do seu templo, sai da sua acomodação e vai por toda parte anunciando a palavra.

- A partir desse episódio a igreja passa a seguir o exemplo de Jesus (Confira Mateus 9:35-36).

- Jesus sempre caminhou na direção das pessoas.

- Para que as pessoas venham precisamos ir aonde elas estão, precisamos ir ao seu encontro como fez Jesus, como fez a igreja primitiva. Todo o bairro de Madureira precisa ser alcançado pela palavra de Deus.

- Não permitamos que a perseguição venha por causa da nossa desobediência em cumprir a nossa missão.

- Não esperemos que venha uma perseguição para então sairmos ao encontro das pessoas. Antes disso cumpramos nossa missão indo por toda a parte onde as pessoas estão.

- Atos 8:26-27 registra que, apesar de estar fazendo um grande trabalho em Samária, o Senhor mandou Filipe ir para o deserto a fim de evangelizar o eunuco, mordomo de Candace, rainha dos etíopes, porque certamente ele deveria ser um instrumento de Deus para levar o evangelho também ao povo da Etiópia.

- Portanto, não se isole do mundo e das pessoas que estão ao seu redor. Vá ao encontro das pessoas!

João 4:4 afirma que “era-lhe necessário passar por Samária”.

- Se você deseja cumprir sua responsabilidade evangelizadora, é necessário passar por onde as pessoas estão; é necessário ir aonde as pessoas estão para compartilhar Jesus.

2. EVANGELIZANDO DE ACORDO COM O MÉTODO DE JESUS (V. 5ss)

- Aprendamos a evangelizar com Jesus.

- Analisemos o seu método de abordagem, através do seu diálogo com a mulher samaritana.

- Jesus chegou a Sicar e ficou junto ao poço que Jacó dera a seu filho José. Era cerca da hora sexta quando a mulher chegou ao poço para tirar água. É bom esclarecer que, no evangelho de João, hora sexta significa 6h da tarde, visto que João, escrevendo da cidade de Éfeso, usava a hora oficial romana, como nos informa a nota de rodapé da Versão Revisada da Imprensa Bíblica Brasileira.

Alguns aspectos da abordagem de Jesus devemos destacar.

2.1 - O seu amor O amor de Jesus foi suficiente para transpor todas as barreiras raciais que existiam entre a raça dele e a da mulher.

- A atitude de Jesus em procurar conversa, deixou a mulher espantada:
“Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana?” (v. 9).

- Jesus demonstrou que o ser humano tem uma importância muito maior do que qualquer outra coisa. Ele cumpriu a sua missão porque amou o ser humano a ponto de se entregar por ele.

- Se queremos ver as pessoas salvas por Jesus devemos amá-las como Cristo as amou pois jamais conseguiremos ganhar as pessoas para Cristo sem amor.

2.2 - A sua linguagem Jesus usou uma linguagem simples.

- Nós também precisamos usar uma linguagem simples para comunicar o evangelho.

- Comunicar não é falar. É fazer-se compreender. O bom comunicador é aquele que se faz compreendido.

- Por vezes, em nossas conversas com não-cristãos, usamos termos e expressões que, apesar de serem comuns a nós cristãos, não comunicam claramente a mensagem do evangelho.

- Jesus fez uso de uma situação visível para explicar o invisível (confira a essência do diálogo nos versos 10-14).

- Em Atos 8, encontramos Filipe procurando apresentar o evangelho de uma forma clara ao eunuco. Ao se aproximar, perguntou: “entendes, porventura, o que estás lendo ? Ele respondeu: pois como poderei entender, se alguém não me ensinar? (v. 30-31).

- Para muitas pessoas o evangelho é algo obscuro. Por isso, cabe a mim e a você, torná-lo claro e compreensível ao entendimento das pessoas.

3. A sua mensagem Jesus mostrou que, assim como o homem precisa de água para beber, precisa de Jesus para viver.

- A sua presença é imprescindível ao coração humano.

- Só ele preenche a vida.
- Só ele atende as mais profundas necessidades das pessoas.

- Mais uma vez, Atos 8 nos ajuda a compreender melhor essa questão. O verso 5 afirma que Filipe, descendo à cidade de Samária, pregava-lhes a Cristo. O verso 35 diz que Filipe anunciou Jesus ao eunuco.

- A mensagem de Filipe era cristocêntrica. Centralizada em Cristo!

- Filipe apresentava Cristo como a resposta ao preenchimento das necessidades das pessoas.

- Jesus precisa estar no centro das nossas vidas; precisa estar no centro da nossa abordagem evangelística.

- Ao falar de Cristo na sua abordagem evangelística, procure ser simples; procure falar, especialmente, a respeito da transformação que Cristo operou em sua vida. Essa é a maior mensagem que podemos proclamar.

- Evangelizar é levar os outros a Jesus assim como André levou seu irmão Simão a Jesus.

- É falar de sua experiência com Jesus. André simplesmente disse a Simão:
“Eu encontrei o Messias! Eu encontrei Jesus!”

- Se você já teve uma experiência e um encontro pessoal com Jesus, é isso o que você precisa dizer ao seu amigo, ao seu vizinho, ao seu parente, ao seu colega de trabalho.

Conclusão

- A mulher samaritana teve sua vida transformada por Jesus. Os samaritanos também foram atingidos com a mensagem de salvação.

- Jesus passou dois dias na cidade e muitas pessoas creram nele. O eunuco evangelizado por Filipe, jubiloso, seguiu o seu caminho (Atos 8:39). Simão, o irmão de André, depois do seu encontro com Jesus, teve o seu nome mudado para Pedro. Porém isso refletiu uma mudança de caráter porque Jesus deu um novo rumo à vida dele. Isso é o que Jesus vai fazer em nosso meio se levarmos as pessoas até ele.

- Essas são as conseqüências do poder do evangelho na vida das pessoas. Isso é o que veremos em nosso meio se cada um fizer a sua parte e cumprir a sua responsabilidade evangelizadora.

Autor e fonte: (Pr. Marcos Corrêa / http://www.pibmadureira.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=110:12-a-igreja-que-prevalece-e-aquela-que-evangeliza&catid=27:estudos-biblicos&Itemid=141


+++++++++++
++++++++++
+++++++++
++++++++
+++++++
++++++
+++++
++++
+++
++
+

As Fontes de Mara

Texto: Ex 15.23-27

- Um dos maiores milagres da história aconteceu na travessia do Mar Vermelho.

- A Bíblia relata nesse texto que eles passaram a pé enxuto. E tinham a boca cheia de cânticos e o coração transbordante de celebração.

- Eles adoraram a Deus e Miriam compôs uma canção de louvor e adoração em gratidão ao Senhor por ter aberto o mar.

- O povo estava cheio de um novo louvor e uma nova dança. Esse foi o maior milagre coletivo. Nenhum deles se negou a atravessar o mar, achando que estariam entrando numa cilada, pensando que quando estivessem no meio o mar, ele iria se fechar. Mas, naquela hora, o povo foi tomado de uma coragem e um poder sobrenatural, porque os líderes iam à sua frente.

- Os hebreus viram os egípcios sendo destruídos e experimentaram um grande livramento da parte de Deus.

- Eles caminharam por três dias no deserto, celebrando e dançando com alegria. E após isso tiveram sede; vendo-se no deserto sem água, rapidamente esqueceram da alegria experimentada anteriormente.

- Eles começaram a murmurar por causa da sede e debaixo de toda aquela murmuração, encontraram um poço de águas amargas e desejaram até beber daquela água. Por causa da sede, houve murmuração contra Deus e contra Moisés.

Que lições podemos tirar para nossas vidas com esta experiência?

1. A murmuração torna a vida amarga

- O povo não esperou Moisés buscar uma solução para encontrar água.

- Eles tomaram a iniciativa de irem até o poço e descobriram que as águas eram amargas.

- A murmuração destrói a vida de qualquer líder. Na precipitação, só encontramos águas amargas.

- Todas as vezes que não ouvimos o líder e nos precipitamos, encontramos águas amargas.

- A água amarga atuava como laxante. Você pode imaginar três milhões de pessoas com diarréia no deserto, sem recursos, sem nada? Ao beber aquela água o povo estava reduzindo sua qualidade de vida.

- Moisés teve que fazer um ato profético para que aquelas águas se tornassem doces. O Senhor mandou que ele jogasse uma árvore nas águas para que o povo pudesse saciar a sua sede.

- Aqui está um dos primeiros atos proféticos. Cortar uma árvore e jogar num poço daqueles, torna água doce?

- O que Deus fez? Mostrou que Jesus é água da vida e é o único que pode tornar nossas águas amargas em águas doces. Não há outro processo.

- A maioria de nós quando abre a boca sai água amarga.

- Sabemos quando a pessoa é amarga, por aquilo que ela fala.

- Precisamos nos libertar de toda a doutrina humanista, porque a nossa capacidade de convencimento muitas vezes quer argumentar contra o princípio.

2. A murmuração impede o povo de caminhar com o líder

- Enquanto Moisés não fez os atos proféticos, o povo continuava com as águas amargas.

- Se nós não decidirmos caminhar com o líder, andando ao seu lado, vamos beber água amarga o resto da vida.

- Não há como ser diferente, porque o líder sabe administrar um pequeno poço para muita gente.

- Não existia nenhum líder administrador como Moisés, que alimentou três milhões de pessoas, deu-lhes de beber, fê-las andar na sombra.

- Não existe um líder de êxito que não tenha aprendido a rota de calar a boca. Ou você aprende a controlar sua língua ou cava a sua cova.

3. A murmuração rouba a promessa

- Todos os que murmuraram não entraram na terra prometida, foram tragados no deserto.

- Experimentaram de um grande milagre passando pelo meio do mar a pé enxuto, mas não alcançaram a promessa.

- As águas de Mara eram um sinal. Elas representavam a vida daquele povo, pois eles eram amargos.

- Muitas vezes a comunidade é tremendamente prejudicada por causa de um que está dentro das fontes de Mara, jogando águas amargas nos outros, e os outros bebendo da água.

- E, quando descobrimos, é similar a passagem bíblica que diz: “filho do homem, há morte na panela”. Todos já comeram.

- A nossa boca pode assinar o óbito ou decretar a vida.

- O deserto tem o tamanho da nossa boca. Pela palavra que liberamos o deserto é alongado ou encurtado.

- Precisamos dominar a língua e aprender que a murmuração nos paralisa no deserto, mas o louvor e a gratidão pelos milagres na nossa vida nos leva a grandes conquistas.

FONTE: http://www.ibna12.com.br/estudo?id=28


++++
++++++++
++++++++++++
++++++++++++++++