sexta-feira, 1 de junho de 2012

Restauração
após a queda

Texto:
“Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?” (Mt 7.3).

Introdução:

- Estar de pé na presença do Senhor é o sonho de todo verdadeiro cristão, porém muitos caem e isto acontece por falta de observância ao que o Ap. Paulo nos instruiu em 1º Co 10.12:

“Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia”.

1. Causas da queda:

a. Quem quer ser amigo do mundo cai da fé.

- O que não valorizamos perdemos.

“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg 4.4).

b. Quem não testifica do Senhor acaba negando-o.

- Quando testemunhamos do Senhor, somos por ele fortalecidos.

“Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus” (Mt 10.32,33).

“E, quando acenderam fogo no meio do pátio e juntos se assentaram, Pedro tomou lugar entre eles. Entrementes, uma criada, vendo-o assentado perto do fogo, fitando-o, disse: Este também estava com ele. Mas Pedro negava, dizendo: Mulher, não o conheço. Pouco depois, vendo-o outro, disse: Também tu és dos tais. Pedro, porém, protestava: Homem, não sou. E, tendo passado cerca de uma hora, outro afirmava, dizendo: Também este, verdadeiramente, estava com ele, porque também é galileu. Mas Pedro insistia: Homem, não compreendo o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo. Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então, Pedro, saindo dali, chorou amargamente” (Lc 22.55-62).

c. Quem não perdoa perde a comunhão com o Pai.

- Quem não perdoa, não é perdoado e afastado da presença do Pai.

“E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas. 26[Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.]” (Mc 11.25,26).

“Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. 2Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Is 59.1,2).

d. Negligenciar a comunhão com os irmãos leva ao naufrágio.

- Somos fortalecidos na comunhão com os irmãos.

“Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hb 10.24,25).

e. Procurar defeitos nos outros leva ao um mau final.

- A soberba e os reinos pessoais precedem a queda. Desonra gera desonra.

“Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão” (Mt 7.3-5).

f. Amar ao mundo reconduz ao mundo.

- O que valorizamos cresce. Valorizar o mundo amando-o levará ao mundo.

“Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (1 Jo 2.15-17).

2. Como acontece a restauração?

a. Conversão e arrependimento.

- Arrepender e mudar o rumo das coisas.

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti” (Ap 3.3).

b. Voltar ao primeiro amor.

- Retirar a cinza de ontem e colocar lenha nova e o fogo arderá novamente no coração e gerará novas atitudes.

“Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas” (Ap 2.4,5).

Conclusão:

- O nosso Deus é misericordioso e sempre nos proverá mais uma chance se realmente houver arrependimento.

- Volte hoje, pois como o Pai do Filho Pródigo, Ele está a sua espera de braços abertos.


FONTE: http://www.ibna12.com.br/estudo?id=30


========
=======
======
=====
====
===
==
=
CUIDE BEM DE
SI MESMO

Texto:

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida. Desvia de ti a falsidade da boca e afasta de ti a perversidade dos lábios. Os teus olhos olhem direito, e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam retos. Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal” – (Provérbios 4.23-27).

Introdução:

- No Livro de Provérbios o sábio rei Salomão dá ao seu filho inúmeros conselhos que têm o propósito de proporcionar-lhe sabedoria e entendimento para que ele seja também sábio e prudente na maneira de pensar, falar, olhar e agir.

Estes ensinamentos continuam vivos e eficazes ensinando-nos como devemos viver a vida cristã.

1 – Guardando o coração acima de tudo
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida” (v.23).

- Atualmente o nosso cérebro é considerado o centro diretor das atividades humanas, mas para a Bíblia esse centro diretor é o coração, pois segundo ela, no coração que se encontra a fonte dos desejos e das decisões e, para nós, o coração é figurativamente a sede das emoções.

- Para termos uma vida de vitória sobre o pecado devemos buscar a pureza da nossa mente. Por isso precisamos guardar o nosso coração para não cedermos aos desejos do pecado, pois o nosso coração é mais enganoso do que todas as coisas (Jr 17.9). Além disso, o mal procede da abundância do nosso coração (Lc 6.45)

2 – Afastando a maldade dos lábios
“Desvia de ti a falsidade da boca e afasta de ti a perversidade dos lábios” (v.24).

- A língua é o membro do nosso corpo mais difícil de ser controlado.

- O Ap. Tiago afirma que ela é indomável (Tg 3:5-12).

- As palavras que saem da nossa boca podem gerar bênção ou maldição (Pv 18.21).

- Por isso, devemos refrear a nossa língua do mal (Sl 34.13).

- Só conseguiremos conter a nossa língua através da pureza de mente, pois aquilo que falamos revela a verdadeira condição da nossa mente, se estamos voltados para as coisas celestiais ou se os nossos interesses ainda são terrenos, se estamos nos submetendo à vontade do Senhor ou se a nossa própria vontade ainda nos domina.

3 – Olhos que olham com firmeza“teus olhos olhem direito, e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti” (v.25).

- Jesus ensinou que os nossos olhos precisam ser bons para que todo o nosso corpo seja luz (Mt 6.22).

- Por isso não devemos nos distrair olhando para cada coisa que surgir em nossa frente, pois isso nos afasta da presença de Deus desviando o nosso pensamento para o mal.

- A Bíblia ensina que devemos manter nosso olhar "firme" em Jesus, pois Ele é o autor e consumador da nossa fé (Hb 12.2).

- Foi olhando para Jesus que Pedro conseguiu andar sobre as águas e só afundou quando desviou o seu olhar do mestre. (Mt 14.25-31).

4 – Ponderando a vereda dos pés“Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam retos” (v.26).

- Devemos sempre meditar e orar antes de agirmos. Nunca devemos agir de maneira intempestiva.

- Erramos quando não entregamos o nosso caminho nas mãos do Senhor confiando no seu amor e poder.

- No versículo 18 Salomão afirma que A Bíblia ensina que "a vereda do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito".

- Por isso devemos sempre confiar no Senhor, meditando e orando sempre antes de agir, pois assim estaremos desviando os nossos pés do caminho mal.

5 – Ande pelos princípios da Palavra de Deus
“Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal” (v.27).

- Andar pelos caminhos do Senhor, que trarão vida longa, paz e prosperidade, é uma decisão pessoal, uma atitude de mudança de vida, deixando a derrota e optando pela vitória.

Conclusão:

- Pureza de mente, sinceridade no falar, firmeza no olhar e cautela no agir são conselhos que o ajudarão a viver bem consigo mesmo, com as pessoas que convivem com você e, acima de tudo, com o Senhor nosso Deus. Amém.


Fonte: http://www.ibna12.com.br/estudo?id=31


++++++++++
+++++++++++
++++++++++++
+++++++++++++
++++++++++++++
+++++++++++++++