quarta-feira, 2 de maio de 2012


ADVERSÁRIOS DO
CASAMENTO
BEM SUCEDIDO

Texto: “Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo; mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou o joio no meio do trigo e retirou-se. E, quando a erva cresceu e produziu fruto, apareceu também o joio. Então, vindo os servos do dono da casa, lhe disseram: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde vem, pois, o joio? Ele, porém, lhes respondeu: Um inimigo fez isso” (Mateus 13.24-28 a).


Introdução


- Sermão dirigido aos noivos, mas também a todos os presentes.

- Nunca, tantos casais se separaram! De 1982 a 2000, o número de divórcios aumentou 29,4% enquanto as separações judiciais saltaram para 84,3%, segundo os dados do IBGE. A maior parte destes dados foi levantada entre pessoas de 30 a 40 anos.

- Em todos os esportes, os jogadores, lutadores, estudam seus adversários para não serem surpreendidos e para procurar vencê-los.
- Quando conhecemos bem os nossos adversários, podemos jogar, lutar melhor contra eles.

Transição

- A instituição casamento tem adversários que o podem destruir, que o podem derrotar.

- A Bíblia e a própria experiência nos mostra alguns adversários (inimigos) contra os quais devemos lutar para que o nosso casamento permaneça de pé.

I.) Infidelidade – Hb 13.4

“Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hb 13.4)

- Ninguém cai no pecado da infidelidade de uma vez. Tudo começa com um pequeno e despretensioso olhar, que pode avançar para pequenas liberdades com pessoa do sexo oposto, que podem se encaminhar para algo mais intenso. Daí a importância de cada cônjuge procurar satisfazer seu companheiro em todas as áreas para ajudar a fechar a porta para o pecado.

- Olhares impuros para pessoas do sexo oposto, visita a sites de conteúdo imoral, liberdades com pessoas via Internet (msn) também são formas de infidelidade!

- Outra forma de infidelidade é mentir, esconder informações que não deveriam ser escondidas, etc.

- Uma pequena mentira pode corroer toda a confiança no relacionamento.

- Reler e explicar Hb 13.4. Devemos manter nosso leito sem mácula. Deus julgará os impuros e adúlteros.

II.) Egoísmo – 1 Co 10.24; Fp 2.4

“Ninguém busque o seu próprio interesse, e sim o de outrem” (1 Co 10.24).

“Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Fp 2.4).

- Temos por natureza, a tendência de sermos egoístas. Se o egoísmo for levado para dentro do casamento, a porta para problemas desagradáveis, e até para a destruição do relacionamento está aberta.

- Se cada cônjuge pensar em satisfazer não às suas necessidades, mas as necessidades do outro, o casamento será bem sucedido. Se cada cônjuge buscar não a sua própria felicidade, mas a felicidade do outro, ambos serão felizes!

III.) Expectativas Conjugais Irreais – Jo 16.33

“… No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).

- Você já ouviu expressões como estas: Você está ficando igualzinho a seu pai! Você reage como a sua mãe! Esperava algo bem diferente do nosso casamento! Quando a gente namorava, tudo ia às mil maravilhas, mas agora …! Eu tinha uma certa imagem do nosso relacionamento, mas a realidade está sendo bem outra!

- Por mais tempo que um casal namore ou estejam noivos, o conhecimento pleno um do outro só se dará quando os dois estiverem morando debaixo do mesmo teto.

- Expectativas conjugais irreais fatalmente causarão frustrações, desilusões, desapontamento e desespero. É necessário ter os “pés no chão” e ter consciência de que o casamento não é um “mar de rosas”. Problemas surgirão!

Alguns exemplos de expectativas irreais:

- Se eu casar com uma pessoa crente, o meu casamento estará seguro e feliz. (Este é um primeiro passo muito importante, mas se ambos não atentarem para outros princípios importantes, o fato de os dois serem cristãos não vai evitar problemas).

- Em nosso casamento não haverá discórdias e brigas como tem acontecido com nossos pais.

- Ele vai continuar a ser sempre o homem romântico que sempre foi!
- Ela será como a minha mãe, uma mulher virtuosa!

- Passaremos todo o nosso tempo de lazer juntos tendo os mesmos interesses, “hobbies” e atividades esportivas.

- É necessário ter os “pés no chão” e saber que no casamento passaremos por aflições, mas tende bom ânimo!

Conclusão

- Entre outros adversários do casamento bem sucedido encontram-se: falta de sabedoria no relacionamento com os pais e sogros, falta de prática da Palavra de Deus, falta de sabedoria no planejamento financeiro, falta de boa comunicação, falta de amor verdadeiro, etc.

- Como foi lido no texto inicial, não durmamos e não permitamos que um inimigo semeie o joio em nosso relacionamento, para que este nunca venha a ser destruído!

FONTE: Pr. Ronaldo Guedes Beserra com algumas citações de Jaime Kemp.


==============
=============
============
===========

+++++++++
++++++++++
+++++++++++
++++++++++++
+++++++++++++
AS BEM AVENTURANÇAS
E O CASAMENTO

Texto: Mt 5.3-9


Introdução

- Por que as pessoas se casam?

- Entre outras respostas, creio que as pessoas se casam para serem felizes! Em uma pesquisa sobre o assunto, penso que esta seria uma das respostas mais dadas!

- Se as pessoas se casam para serem felizes, quais são as atitudes certas para se alcançar a felicidade no casamento ou em nossa vida em geral?

- No sermão da montanha Jesus nos mostra as atitudes certas para se alcançar a felicidade na vida, mas creio que estas atitudes se aplicam perfeitamente ao casamento também!

Transição

- A vontade de Deus é a nossa felicidade no casamento.

 - O texto das bem-aventuranças, aplicado ao casamento, nos mostra algumas atitudes para se alcançar a felicidade no casamento.

I.) Humildade – v. 3

- Humildade para se reconhecer os erros e dizer: “Eu errei, me perdoe”. É importante fazer isso em alto em bom som e com sinceridade de coração.

- Arrogância, altivez, orgulho tem o poder de destruir qualquer relacionamento.

“… Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes” (Tg 4.6).

II.) Sensibilidade – v. 4

- Sensibilidade para se importar com a dor, os medos, as limitações, as fraquezas, as inseguranças, etc do cônjuge. Algo que para você pode ser fácil de superar, para o seu cônjuge pode ser muito difícil. É necessário sensibilidade.

- Sensibilidade para se colocar no lugar da outra pessoa.

- Existem pessoas que são muito insensíveis no casamento, geralmente os homens.

“Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações” (1 Pe 3.7).

III.) Mansidão – v. 5

Manso = brando, amansado.

- Mansidão na hora de falar, na hora de expressar uma opinião contrária.

- Não usar gritos, ironia, estupidez, ira ,etc.

“Abandonem toda amargura, todo ódio e toda raiva. Nada de gritarias, insultos e maldades!” (Ef 4.31 – NTLH).

 - É um dos aspectos do fruto do Espírito Santo. Se estivermos cheios do Espírito vamos manifestá-lo.

IV.) Justiça – v. 6

- Temos que procurar ser justos em nosso relacionamento. Não fazer com que a balança venha a pender para o nosso lado com argumentos injustos, com atitudes injustas.

- A Bíblia diz que o verdadeiro amor “… não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade (1 Co 13.6).

- Para sermos justos devemos permitir que a verdade venha à tona em nosso casamento. Qualquer tipo de mentira corrói a confiança no relacionamento.

V.) Misericórdia – v. 7

- Misericordioso para perdoar, para entender as falhas, entender as limitações.

- Devemos manifestar misericórdia ao nosso cônjuge assim como desejamos que ele demonstre para conosco.

- Devemos ser misericordiosos “porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” (Lc 6.38 b)

VI.) Pureza – v. 8

- Pureza para não dar lugar à malícia.

- No casamento, se dermos lugar à pensamentos impuros, olhares impuros, palavras impuras, desejos impuros, relacionamentos impuros com outras pessoas do sexo oposto, estaremos abrindo a porta para a destruição do nosso casamento.

- A Pureza deve existir antes do casamento e deve continuar existindo inclusive depois do casamento.

“Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro. Deus julgará os imorais e os que cometem adultério” (Hb 13.4 – NTLH).

VII.) Pacificação – v. 9

- Pacificação para buscar a paz de todas as formas.

- Não estar sempre pronto a brigar, a discutir, a encrencar!

- Todas as outras coisas você pode comprar, mas a paz não tem preço. Portanto, mantenha a paz de todas as formas possíveis.

AUTOR: Pr. Ronaldo Guedes Beserra


++++++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++++