quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012



AS MARCAS
QUE RESISTIRÃO

1 Co 3.10-16




- Nenhuma pessoa passa despercebida pela vida, ninguém é nulo. Mesmo as criançinhas que morrem muito cedo, deixam suas marcas nos corações dos seus entes queridos. Cada um de nós deixa suas marcas nos lugares onde passamos e nas pessoas com as quais convivemos. Neste sentido, os pais, cujo dia comemoramos hoje, deixam marcas duradouras em seus filhos. Os amigos, os pastores, os irmãos em Cristo, todos eles registram em nossa vida um pouco de suas vidas. Com certeza cada um de nós poderia citar pessoas que deixaram em nós marcas abençoadoras.

- Paulo nos mostra neste texto que a igreja de Corinto foi profundamente influenciada por alguns líderes cristãos, inclusive por ele mesmo (3.4-6). Estes ajudaram na abertura e edificação da igreja, por isso eram como que modelos e alicerces para o rebanho.

- Então, o Apóstolo das nações passa a descrever estas marcas deixadas pelos líderes, as quais chama de fundamento, de base, de estrutura sobre a qual a igreja estava sendo edificada. A seguir fala da edificação sobre este fundamento. Assim ele nos chama para analisarmos que tipo de marcas, de influência, deixamos sobre os que estão ao nosso redor.

- A questão central é: O que nós temos feito que resistirá ao Dia do juízo (v.23). Vejam que Paulo aqui fala no singular: “cada um”; demonstrando a responsabilidade individual dos que têm o poder de influenciar outras vidas e trabalhar na edificação da igreja de Deus.

- Então que marcas devemos deixar nos lugares onde passamos, nas pessoas com as quais convivemos, especialmente as pessoas do nosso lar e de nossa igreja?

O que resistirá ao juízo, ao fogo santo?

I - AS MARCAS QUE TÊM CRISTO COMO FUNDAMENTO

- Nos parece que o Apóstolo Paulo está percebendo que circundava a igreja de Corinto a idéia de que Jesus não é o seu único fundamento. Talvez alguns tivessem encantados com as figuras dos Apóstolos (Paulo, Pedro) e de Apolo, e descansassem neles as suas almas. Ele já havia criticado tal postura: Quem é Apolo? E quem é Paulo? (3.5).


- Paulo não despreza o fundamento apostólico para o início da igreja e o fervor evangelísticos de homens dedicados. Em Efésios 2.20, ele reconhece este valor.

Ef. 2.20:

“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular.”

- No entanto, quando se trata de salvação, somente Jesus é o fundamento. Qualquer outro nome que se apresente como alicerce de uma igreja, de um lar cristão, não corresponde ao ensino bíblico.

- Jesus é o centro do universo, o centro da Bíblia, o centro da igreja e deve ser o centro também de nossas vidas.

- Este é o sentido das palavras de Jesus nos mostrando a importância de tudo o que construirmos, tudo o que fizermos, tudo o que almejarmos, ser construído em cima da rocha, que é Ele.

Mt. 7.24-27:

24- Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;

25- e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.

26- E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia;

27- e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

- As marcas que deixaremos, que farão diferença na nossa igreja, no nosso lar, na vida de nossos cônjuges, filhos e parentes, são aquelas que têm o Senhor Jesus como o centro. Esta é a maior herança que um pai pode deixar para os seus filhos.

- Disse um historiador que John Wesley deixou de herança: Uma velha cartola, uma bíblia toda rabiscada e a igreja metodista.

- Que marcos temos deixado?

- O que os nossos filhos se lembrarão de nós quando ferem velhinhos? O que impregnamos em seus corações? Será que alicerçamos a nossa vida, o nosso lar, o nosso casamento, a nossa paternidade, a nossa igreja, o nosso estilo de vida, o nosso orçamento, no verdadeiro fundamento que é Jesus?

- Não nos esqueçamos que aquilo que plantamos determina a nossa colheita.

Gl 6.7-8:

7- Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.

8- Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna.



II - AS MARCAS QUE RESITEM EM DIAS MAUS

- O que construímos será provado no juízo final, no dia de Cristo, quando o Senhor julgará toda a terra:

1 Ts 5.4:

“Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa;”

Hb. 10.25:

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.”

- No entanto, somos há uma maneira singular de Deus agir na vida de seus filhos . A ação de Deus nos leva à conversão. Depois ele pode usar um recurso chamado provaçã. Estes são como que mecanismos que Deus usa para nos purificar.

- O juízo final de nossas obras será manifestado no final, no dia de Cristo, no entanto Deus nos prova hoje, como que nos jogando no fogo, para purificar-nos.

1 Pe. 4.12-13:

12- Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo;

13- pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando.

- Devemos edificar, seja uma igreja, seja um lar, seja um casamento, tão bem, que resistam às tempestades, às provações e tentações. Além do mais devemos trabalhar para que a nossa obra não se perca queimada pelo fogo pois não passou de palha e feno.

- O ouro resiste ao fogo e se deixa purificar por ela; as pedras também não serão queimadas, no entanto a madeira, o feno e a palha, que momentaneamente podem resistir, não resistirão muito tempo. Talvez seja este o sentido do salmo 1, quando diz:

Salmo 1. 1-6:

1-Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

2-Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.

3-Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido.

4-Os ímpios não são assim; são, porém, como a palha que o vento dispersa.

5-Por isso, os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores, na congregação dos justos.

6-Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá.

- O que tem alicerce resiste ao vento da tempestade, da provação e da tentação já presentes, e no futuro resistirá ao juízo de Deus.

- O que você está edificando resiste às lutas, às provações e tentações?

- Os que influenciamos suportam os embates deste mundo tenebroso? E mais, o que fazemos resistirá ao juízo? O que sobrará das obras de nossas mãos no juízo final?

III - AS MARCAS QUE GARANTEM GALARDÃO

- Paulo está conclamando os construtores, os que marcam as vidas com seu exemplo e serviço, os que ajudam na edificação da igreja, os que edificam os seus lares a não se esquecerem que um dia haverá uma premiação celeste, uma distribuição de galardão (v. 14-15).

- Os que forem indolentes, relaxados, preguiçosos; os que não tiveram Cristo como o fundamento, os que alicerçaram seu trabalho na força do homem, na força da carne, no modelo do mundo, poderão ser salvos (v.15), pois uma vez salvo, salvo para sempre, mas não receberão galardão algum.

- A parábola de Mateus 25.14-30 exemplifica que a falta de zelo com o que nos foi confiando trás resultados desastrosos.

Vejamos especialmente os últimos versos:

Mt. 25.24-30:

24- Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste,

25- receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

26- Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

27- Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.

28- Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.

29- Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.

30- E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.

- Deus saberá fazer a leitura correta, pois é juiz de todos os homens (Hb. 12.23) e não se deixará enganar.

Ouçamos Normam Champlin:

“Podemos estar certos de que nada escapará ao olhar de Deus. Ninguém será capaz de enganar o juiz. Não é um erro supormos que alguns dos supostos maiores Cristãos, que realizam aparentemente uma tarefa mais magnificente, serão desvendados com últimos, naquele dia. Esses serão aqueles cujas realizações foram efetuadas mediante a força da carne, da capacidade humana, dos dotes naturais, e não através do Espírito de Deus. Além disso, alguns daqueles que agora são reputados como últimos ,serão então primeiros. Esses serão aqueles que tiverem sido humildes em sua vida de oração e de trabalho cristão, embora aparentemente tenham contribuído bem pouco para os destinos da vida humana. Somente o Senhor Jesus pode fazer o julgamento preciso e apropriado, e podemos estar certos que Ele o fará “ (Normam Champlin).

Este é o sentido das palavras de Paulo em 1 Co. 4.4-5.

1 Co. 4.4-5:

4- Porque de nada me argúi a consciência; contudo, nem por isso me dou por justificado, pois quem me julga é o Senhor.

5- Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus.

- Deus não se limitará às nossas obras, mas também analisará quais foram as nossas esperanças, desejos, sonhos, motivos, ambições e o que tudo isso influenciou para que o evangelho de Cristo fosse experimentado.

- Não brinquemos com as coisas de Deus. Trabalhemos com dedicação, construamos com prudência, com zelo, com firmeza, sobre o verdadeiro alicerce, pois a seu tempo seremos julgados pelas marcas que deixamos.

- Talvez a frase: Cada um veja com edifica; seja uma solene advertência para cada um de nós.

IV – AS MARCAS QUE LEVAM À SANTIFICAÇÃO

- O santuário de Deus é sagrado (v.17). Parece que Paulo não está se referindo ao Tabernáculo ou a o Templo, visto que na nova aliança eles não têm nenhum sentido.

- O santuário sagrado hoje é o coração de cada pessoa que já recebeu a Jesus como seu Senhor e Salvador. Paulo reforça esta idéia no verso 16 e ainda em 2 Co 6.16:

“Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.”

- Assim com o Tabernáculo e o Templo deixou na nação de Israel marcas profundas, devemos fazê-lo onde estamos. Somos o tabernáculo ambulante, o templo vivo, o corpo de Cristo na terra. Através de nós Cristo é manifestado.

- Não dar valor a este sentido espiritual de nossas vidas, menosprezar o Espírito Santo que há em nós é como destruir um santuário de Deus, que é sagrado.

- Cada salvo é sagrado; separado, consagrado, dedicado ao Senhor, e tal verdade nos faz uma verdadeira construção espiritual que prevalecerá no juízo.

- Se esquecermos que Deus habita em nós, que somos dele, nos abrimos com facilidade para o pecado e não somos como que canais de bênção para os que estão ao nosso redor.

- Que revelação maravilhosa e sublima esta: Nós somos o santuário de Deus, e o santuário de Deus é sagrado. Que tal revelação nos encha de alegria e de temor.

CONCLUSÃO

- Talvez, cada um olhando para si nesta noite, se entenda tão longe do que este texto nos propõe.

- O desafio é alto demais, o que Deus nos indica parece ser uma tarefa angelical e não humana. No entanto ela pode ser aplicada a cada um de nós.
- Basta reconhecermos nossa limitação e insuficiência, e invocarmos auxílio divino, que deixarmos nossa marca espiritual por onde passarmos. Comecemos hoje a avaliar os fundamentos do que estamos fazendo.

- Vejamos se Cristo é o centro de tudo. Analisemos se o que estamos plantando nos corações dos outros é tão firme que resiste às tentações e provações impostas a nós.

- Construamos com tanta solidez, dedicação e zelo que as obras de nossas mãos sejam como ouro e pedras preciosas no julgamento final.

- Finalmente que vivamos como um santuário, uma habitação de Deus, uma extensão de Jesus aqui na terra, para que os que conviverem conosco vejam glória de Deus, como via o povo de Israel nos antigos monumentos (Tabernáculo e Templos).

- E assim que deixemos marcas profundas, espirituais, duradouras na vida dos que Deus colocar diante de nós, e especialmente, nestes dias, na vida de nossos filhos. Que Deus nos ajude.



AUTOR: Pr. Luiz César Nunes de Araújo




+
++
+++
++++
+++++
++++++
+++++++
++++++++
+++++++++
++++++++++
+++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
+++++++++++
++++++++++
+++++++++
++++++++
+++++++
++++++
+++++
++++
+++
++
+


A INTELIGÊNCIA
ESPIRITUAL

Tiago 1.5-8





- Você já se arrependeu de alguma atitude, de alguma decisão, de algum comportamento, por não ter tido sabedoria?

- Relembre situações em que no final você pensou: Eu precisava ter agido com mais sabedoria, especialmente com mais sabedoria espiritual.

- O filósofo Cícero disse que a sabedoria era a princesa das virtudes. De fato nenhum de nós ao ler este desafio de Tiago de pedir sabedoria se exclui desta necessidade.

- Todos nós precisamos de sabedoria para a usarmos em várias situações, como por exemplo no casamento, na criação dos filhos, nos estudos, no trabalho, na administração de nossas finanças e muito mais ainda para fazermos bem o trabalho de Deus.

- Tiago transmite a nós uma preocupação de toda a Bíblia, pois esta fala muito de sabedoria. Salomão, o homem mais sábio de todos os tempos, por exemplo, fala desta sabedoria no livro de Provérbios aproximadamente umas 50 vezes. Este tema era para ele muito importante, pois recebera do próprio Deus uma sabedoria singular (1 Cr 1.11-12).

- No entanto esta sabedoria citada por Tiago é distinta da sabedoria do homem. Certamente Tiago não está falando do QI de uma pessoa ou da capacidade de elaborar idéias ou alcançar resultados científicos, ou fazer boas provas, e ser notável entre os homens. Ele está falando de uma inteligência espiritual, que se abre primeiramente para aprender as coisas de Deus, que se deixa transformar pela operação de Deus em sua vida, que o prepara para ser um instrumento nas mãos de Deus, que faz com que o salvo tenha a mente de Cristo, tal qual nos instrui o Apóstolo Paulo:

1 Corintios 2.16:

- Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.

- A sabedoria espiritual consiste em compartilhar da sabedoria divina. Não anulando é claro a capacitação que Deus dá para as coisas seculares. Não nos esqueçamos que Salomão, além de receber de Deus a sabedoria para governar bem o povo de Deus, também a recebeu para um amplo conhecimento (1 Reis 4.29-34).

- Mas como você e eu podemos ser mais sábios? Como obtemos de Deus esta graça da inteligência espiritual?

O autor nos responde:

I – ORAR

- Quando pedimos a Deus algo que Ele nos orienta pedir, ficamos cheios de confiança. Existem causas que não sabemos se é da vontade de Deus, mas outras temos a convicção plena de que Ele quer que oremos, pois estão explícitas em sua Palavra.

- Nós podemos pedir sabedoria de Deus na certeza de que Deus quer que a peçamos, pois o texto de Tiago nos diz que “se alguém precisa de sabedoria peça a Deus’.
Neste mesmo sentido o Apóstolo João nos informa que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, Ele nos ouve (1 João 5.14).

- Vejamos que Salomão ao pedir sabedoria agradou muitíssimo a Deus.

2 Crônicas 1.11:

Disse Deus a Salomão: Porquanto foi este o desejo do teu coração, e não pediste riquezas, bens ou honras, nem a morte dos que te aborrecem, nem tampouco pediste longevidade, mas sabedoria e conhecimento, para poderes julgar a meu povo, sobre o qual te constituí rei.

- Quanto mais demonstramos reverência para com Deus, tanto mais nos tornamos sábios.

Pv.1.7:

O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.

- A oração é necessária para a obtenção dessa inteligência espiritual porque envolve a confissão de nossa insuficiência, nossa pequenez, nossa incapacidade de fazer o que Deus espera que façamos. Diante de Deus somos como crianças que nada podem fazer sem a supervisão de seus pais.

- O contrário desta oração que pede sabedoria é a arrogância de nossos corações em achar que podemos fazer algo de bom sem a intervenção de Deus. Jesus disse: Sem mim nada podeis fazer.

João 15.5:

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

- Assim, Pense em como Deus deve se alegrar quando um de nós pede sabedoria para servi-lo melhor, para orientar melhor a sua igreja, para conduzir melhor a família, para ser mais abençoados no trabalho, para gerenciar melhor as finanças, para olhar o mundo e as circunstâncias com os olhos de Deus.

- Não devemos ter o menor receio em buscar sabedoria. Este é o sentido das palavras de Salomão em Provérbios 2.3-4.

Pv. 2.3-4:

3- e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz,
4- se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares.

- Também devemos orar para que os outros também tenham a inteligência espiritual. Paulo orou para que os salvos a tivessem:

Ef. 1.17-18:

17- para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,
18- iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos.

- Assim os pais oram para que seus filhos sejam sábios e entendidos; os filhos oram para que seus pais tenham inteligência espiritual; os líderes oram pelo seu rebanho, para que entendam as coisas espirituais e o povo de Deus oram por seus líderes para que sejam inteligentes segundo Deus.

- Que a nossa oração seja: Senhor dá-me mais sabedoria e também aos outros.

II - ORAR COM FÉ

- O autor sagrado nos alerta: Peça porém com fé, em nada duvidando (v. 6).
O que não pede com fé não tem convicção de que obterá a resposta. De fato sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6).

- No entanto não podemos determinar a nós mesmos que tenhamos fé. A fé não pode ser aumentada por nós mesmos. Então o que fazer para obtermos mais desta virtude espiritual?

1 - Assim como podemos pedir mais sabedoria também podemos pedir que Deus aumente a nossa fé, como fizeram os discípulos:

Lucas 17.5:

Então, disseram os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé.

2 - A nossa fé é aumentada quando ouvimos a Pregação da Palavra, pois a fé vem pelo ouvir a pregação da Palavra de Deus. Assim quanto mais ouvimos e lemos a Palavra tanto mais a nossa fé aumentará.

Romanos 10.17:

E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.

3 - A nossa fé também pode aumentar quando convivemos e ouvimos pessoas de fé. Talvez seja este o sentido da frase: de fé em fé, quando Paulo diz que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé (Rm 1.17).

Vejamos que a fé de Timóteo habitou primeiramente em sua vó e em sua mãe:

2 Tm 1.5:

Pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.

- Vale a pena ressaltar que não é qualquer tipo de fé. A fé bíblica tem um referencial. É fé em Deus e não em mim e na minha fé. Não é fé na fé, é fé em Deus.

- Assim recebemos a sabedoria pela fé, pela convicção de que Deus a aumentará, bem como também a nossa própria fé. Se precisamos de sabedoria a pedimos a Deus, mas para alcançá-la é preciso pedir com fé. Então pedimos que Deus aumente a nossa fé para que oremos e confiemos que receberemos dela a sabedoria.

- Deus sabe que a nossa fé é pequena e Ele mesmo pode aumentá-la.

III - ORAR COM FÉ E CONSTÂNCIA

- Tiago está nos chamando a atenção para os que não são perseverantes em suas decisões.

- Ele tem conhecimento que as coisas espirituais não podem ser feitas de maneira relapsa e relaxadamente:

Jeremias 48.10:

Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR relaxadamente! Maldito aquele que retém a sua espada do sangue!

- Encontramos nos que são de Deus sempre uma determinação por fazer o melhor para Ele:

Jéu chamou o povo para ver o seu zelo pelas coisas de Deus:

2 Reis 10.16:

E lhe disse: Vem comigo e verás o meu zelo para com o SENHOR. E, assim, Jeú o levou no seu carro.

Daniel resolveu firmemente em seu coração não se contaminar iguarias do Rei:

Daniel 1.8:

Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se.

Paulo estava disposto a morrer pela causa do Senhor.

Atos 21.13:

Então, ele respondeu: Que fazeis chorando e quebrantando-me o coração? Pois estou pronto não só para ser preso, mas até para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus.

- O nosso Senhor Jesus nunca voltou atrás no seu plano de salvar-nos. Ele tinha a intrépida resolução de ir e morrer em Jerusalém:

Lc 9.51:

E aconteceu que, ao se completarem os dias em que devia ele ser assunto ao céu, manifestou, no semblante, a intrépida resolução de ir para Jerusalém.

- Assim não há vitória espiritual para os de ânimo dobre, para os que se dividem, os que se deixam dobrar em seus compromissos espirituais, em sua dedicação a Deus.

- Tiago diz que não é diferente em relação à sabedoria. Os que dela necessitam precisam ser perseverantes, e buscá-la até alcançá-la. Este é o sentido de Provérbios 2.3-4:

Provérbios 2.3-4:

3- e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz,
4-se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares.

- Se nos falta a inteligência espiritual devemos ser constantes, determinados em buscá-la como a um tesouro. Ninguém acha um tesouro na superfície da terra.

- É preciso cavar e cavar até encontrar. Penso que este é o sentido das palavras de Jesus que nos manda insistir com Deus em oração: Lucas 11.9-10.

CONCLUSÃO

- Somos chamados neste texto a ver nossa incapacidade, nossa fragilidade, nossa insignificância e a clamar por sabedoria, por inteligência espiritual. Somos desafiados a orar com fé, com persistência, como se nada pudéssemos fazer sem esta graça de Deus em nós.

- Não devemos nos esquecer, no entanto, que ao pedirmos sabedoria espiritual estamos nos unindo mais ao Senhor Jesus e estamos o glorificando com nossas vidas, pois conforme nos informa o Apóstolo Paulo, em última instância, Jesus é a verdadeira sabedoria de Deus:

1 Corintios 1.30:

Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção,

- Assim quando nos abrimos para a sabedoria de Deu, para a inteligência espiritual, estamos nos abrindo para o senhorio de Jesus em nós e estamos nele nos gloriando.
De fato o verdadeiro motivo para nos gloriarmos é o de conhecermos mais a Deus na pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo. Este é o sentido messiânico de Provérbios 8 que aponta para Jesus como a verdadeira sabedoria .

- Os que buscam a sabedoria de Deus, os que a alcançam e os que se utilizam da sabedoria espiritual, apontam para o Senhor Jesus e o glorificam, pois Ele é a sabedoria de Deus.

- Esta sabedoria espiritual Deus dá liberalmente, sem reservas, sem qualquer impedimento. Esta sabedoria de Deus pode se derramar em nossas mentes quando oramos, quando oramos com fé, quando oramos com fé e constantemente.

- Não faça mais nada, não tome mais nenhuma decisão, sem orar e pedir que Deus dê a você uma porção de sabedoria, de inteligência espiritual. Se há um pedido que devemos fazer para os que amamos é que eles sejam sábios espiritualmente.

Assim os irmãos verão o quanto é bom agir no poder de Deus, na graça de Deus, na dependência de Deus e na sabedoria de Deus.


AUTOR: Pr. Luiz César Nunes de Araújo





###################
@@@@@@@@@@@@@@@@
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
%%%%%%%%%