sábado, 4 de fevereiro de 2012



Como saber que a
minha religião
é verdadeira

Referência: Tiago 1.19-27




INTRODUÇÃO

1. A ênfase neste parágrafo é sobre o auto-engano (1:22,26).

- Se um crente é enganado porque o diabo o engana é uma coisa, mas se ele peca porque engana-se a si mesmo, é uma coisa muito mais séria.

2. Muitas pessoas estão pensando que estão salvas e ainda não estão (Mt 7:22-23).

3. Muitas pessoas pensam que são espirituais e não são (Ap 3:17).

4. A verdadeira religião está centrada na Palavra de Deus.

Quais são as evidências de um crente verdadeiro?

I. O CRENTE VERDADEIRO TEM SUA VIDA CENTRADA NA PALAVRA DE DEUS – V. 18,21,22-25

1. Ele nasce da Palavra de Deus – v. 18

- A Palavra de Deus é a divina semente. Quando ela é aplicada em nosso coração pelo Espírito Santo, acontece o milagre do novo nascimento. Nascemos, então, de cima, de Deus, do Espírito. Recebemos, então, uma nova natureza, um nova vida.

2. Ele acolhe a Palavra – v. 21

a) Preparação própria para receber a Palavra
– “Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade…”.

- A Palavra de Deus é comparada a uma semente e o coração do homem a um solo.

- Jesus falou de quatro tipos de solo: o solo endurecido, o superficial, o congestionado e o frutífero.

- Antes de acolhermos a Palavra, precisamos remover a erva daninha da impureza e da maldade.

b) Requerida atitude para receber a Palavra
– “Acolhei com mansidão a Palavra em vós implantada…”.

- A mansidão é o oposto da ira (1:19). Precisa adubar o terreno para que a semente frutifique.

- A Palavra deve ter raízes profundas em nossa vida em contraste com a superficialidade. Aceitamos de bom grado a transformação que Deus opera em nós através da Palavra.

c) O resultado da recepção da Palavra
– “… a qual é poderosa para salvar a vossa alma”.

- Quando nascemos da Palavra, ouvimos a Palavra, recebemos a Palavra e praticamos a Palavra podemos ter garantia da salvação.

3. Ele pratica a Palavra – v. 22-25

a) Quem pratica a Palavra conhece a si mesmo – v. 23-24

– A Palavra aqui é comparada não como SEMENTE, mas como ESPELHO. O principal propósito do espelho é auto-exame.

- Quando você olha para dentro da Palavra e compreende o que ela diz, você conhece a você mesmo: seus pecados, suas necessidades, seus deveres e suas recompensas.

- Ninguém olha no espelho e logo vai embora sem fazer nada.
- Você olha no espelho para saber se já penteou o cabelo, se já lavou o rosto ou se a roupa está bem passada.
- Você olha no espelho para ver as coisas como elas são.
- Quando você olha no espelho você descobre que tipo de pessoa você é e como você está.

Perigos quanto ao espelho:

a) Olhar apenas de relance no espelho – Muitas pessoas não estudam a si mesmas quando lêem a Bíblia. Muitas pessoas lêem a Bíblia todo dia, mas não a observam. Muitos lêem por um desencargo de consciência, mas não se afligem por não colocar em prática;

b) Esquecer o que se vê no espelho – Muitas vezes lemos a Bíblia tão desatentamente que nem conseguimos ver quem nós somos, como está a nossa aparência. Não temos convicção de pecado. Não sentimos sede de Deus.

- Não falamos como Isaías: “Ai de mim!”.

- Não falamos como Pedro: “Senhor, aparta-te de mim, porque eu sou um pecador”.

- Não falamos como Jó: “Eu me abomino no pó e na cinza”;

c) Fracassar em fazer o que o espelho mostra

– Não basta ler a Bíblia, é preciso praticá-la.
- Não basta falar, é preciso praticar. Reunimo-nos muito para conhecer e pouco para praticar. Gastamos os assentos do bancos e pouco as solas dos sapatos.

b) Quem pratica a Palavra torna-se verdadeiramente livre – v. 25

– Por que Tiago chama a lei de Deus de “lei perfeita, lei da liberdade?” É porque quando a obedecemos Deus nos liberta. Aquele que comete pecado é escravo do pecado (Jo 8:34).

- Disse Jesus: “Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8:31-32).

- Deus não deu a sua lei como meio de salvação, mas a deu como um estilo de vida para os salvos, aqueles que haviam sido redimidos (Ex 20:2).

c) Quem pratica a Palavra torna-se bem aventurado no que realizar – v. 15

– Ouvir a palavra sem praticá-la é enganar-se a si mesmo. É como olhar no espelho e ver a roupa suja e não fazer nada.

- Ouvir a Palavra e não praticar é ter uma falsa religião. O fim é engano, é tragédia. Mas, quem obedece a Palavra é bem sucedido em tudo quanto faz (Js 1:6-8).

II. O CRENTE VERDADEIRO TEM RELACIONAMENTOS GOVERNADOS PELA PALAVRA – V. 19-20

1. Ele é pronto para ouvir – v. 19

Está pronto para ouvir a Palavra de Deus.

Está pronto para ouvir as pessoas.

“Pronto” é taxis, que signica rápido.

Temos dois ouvidos e apenas uma boca amuralhada de dentes.

Esta é a regra de ouro na comunicação interpessoal.

2. Ele é tardio para falar – v. 19

- Precisamos estar atentos no que falamos, como falamos, quando falamos, com quem falamos e por que falamos?

- Tardio é bradis, que significa retardado mental, lerdo de raciocínio.

- A vida e a morte estão no poder da língua.

- As três peneiras de Sócrates.

- A recomendação de Paulo Em Efésios 4:25,29

3. Ele é tardio para irar-se – v. 19

Há dois perigos com respeito à ira:

1) A explosão da ira – temperamento indisciplinado;

2) A implosão da ira – temperamento encavernado.

- Há mágoas dentro da igreja que adoecem o corpo.

- Onde as pessoas se ferem em vez de se amarem e se perdoarem, Satanás leva vantagem sobre a igreja (2 Co 2:11).

III. O CRENTE VERDADEIRO TEM SUA AÇÕES RELIGIOSAS DIRIGIDAS PELA PALAVRA – V. 26-27

- A religião pura e verdadeira vai muito além de doutrinas e ritos. Envolve prática, ação. Hoje há um divórcio entre o que professamos e o que vivemos.

Aqui Tiago menciona dois aspectos negativos e um positivo.

1. Ele tem controle da sua língua – v. 26

- Tiago alerta para o perigo de um temperamento doente e explosivo e de uma língua solta (1:19,26).

- Jesus disse que a pessoa que nutre raiva que desemboca em ofensa ao próximo é passível do fogo do inferno (Mt 5:22).

- Jesus disse: “Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no dia do juízo; porque pelas tuas palavras serás justificado e pelas tuas palavras serás condenado” (Mt 12:26,37).

- Tiago compara a língua como um cavalo fogoso sem freios, um navio sem leme que pode espatifar-se nas rochas, uma fagulha que incendeia uma floresta, uma fonte contaminada, uma árvore que produz frutos venenosos, um mundo de iniquidade e uma fera indomável.

- Jesus disse que é a língua que revela o coração (Mt 12:34-35). Uma língua controlada significa um corpo controlado (3:1).

- A maledicência é o pecado que Deus mais abomina (Pv 6:19).

2. Ele tem retidão pessoal – v. 27b

- Nós vivemos num mundo de imundície moral (1:21, 27).

- O mundo é esse sistema corrompido que se opõe a Deus. Ser amigo do mundo é ser inimigo de Deus (4:4).

- A marca de um crente verdadeiro é se ele se afasta desse sistema mundano.

- O salvo tem uma vida nova, uma vida diferente: namoro, casamento, sexo, trabalho, lazer, roupas, festas, diversões, dinheiro.

- O mundo é a sociedade sem Deus. Estamos fisicamente no mundo, mas não espiritualmente no mundo (Jo 17:11-16).

- Não podemos ser amigos do mundo, nem amar o mundo, nem nos conformarmos com o mundo, para não sermos condenados com o mundo.

Exemplo: Ló, Demas.

3. Ele tem compaixão dos necessitados – v. 27

- Tiago não está falando enfocando a questão doutrinária, mas um assunto de prática cristã.

- O conteúdo da fé é a morte expiatória de Cristo e sua ressurreição gloriosa. O cuidado dos necessitados não são o conteúdo do Cristianismo, mas a sua expresão.

- A preocupação prática da religião de uma pessoa é o cuidado pelos outros.
- A religião é a prática da fé. É a fé em ação. Seremos julgados com base nesse aspecto prático da religião (Mt 25:34-46).

- Quando nós olhamos no espelho da Palavra, nós vemos a Deus, a nós mesmos, e também o nosso próximo (Is 6:3-8). Palavras não substituem obras (2:14-18; 1 Jo 3:11-18).

CONCLUSÃO

Aquele que professa a verdadeira religião possui três benefícios gloriosos:

1. Aceitação de Deus – v. 27

– Somos aceitos por Deus em Cristo para a salvação. Mas quando exercemos a nossa fé em obediência a palavra, o nosso serviço é aceito por Deus como aroma suave (Fp 4:18).

- Quando Tiago diz que há uma religião pura e sem mácula aceitável diante de Deus, significa dizer que há uma religião que não é aceitável por Deus.

- Qual é ela? É aquela apenas de palavras, de uma fé que não tem obras.

2. Bênção pessoal – v. 25 – “… esse será bem-aventurado no que realizar”.

- Você quer que Deus o abençoe? Então, leia a Palavra, descubra o que ela diz e viva de acordo com a Palavra.

3. Bênção para outras pessoas – v. 27

– Tornamo-nos instrumentos de Deus para aliviar o sofrimento das pessoas necessitadas. Seremos, então, o sal da terra e a luz do mundo.







AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes




###############
################
#################

##################
###################
####################

####################
###################
##################

#################
################
###############
##############


Meu Pai, Meu Pai!
O Grito de
Um Eminente Órfão

Texto base:

2Rs 13: 14 Estando Eliseu padecendo da enfermidade de que havia de morrer, Jeoás, rei de Israel, desceu a visitá-lo, chorou sobre ele e disse: Meu pai, meu pai! Carros de Israel e seus cavaleiros!




Introdução.

- Num mundo modernizado onde a paternidade foi em muito transferida para o entretenimento da televisão, joguinhos eletrônicos e internet, tem se agravado uma crise relacionada com paternidade. As feridas de alma causadas pelos pais nos filhos, são as mais doloridas e que mais determinam o comportamento humano. Os processos de cura interior que mais manifestam machucaduras são os processos que envolvem os pais.

- Em 2Rs 13:14 é descrito o drama de uma pessoa que representava uma nação inteira dando um grito do fundo de sua alma pela eminente orfandade que estava chegando. È como o grito de nossa geração que cresceu muito carente de alguém que realmente assumisse a função de pai e atuasse nos verdadeiros papéis da paternidade.

- Há um grito na alma do povo por um verdadeiro pai. O rei Jeoás olhou para o pai espiritual Elizeu em sua eminente morte e começou a chorar dizendo: meu pai, meu pai! Era como se ele dissesse: como será nosso futuro sem um pai? Estamos ficando sem chão para pisar.

- O futuro sem um pai é tão escuro! Pv 29:18 diz que se não houver sábia direção o povo se corrompe. Se não houver um pai orientando para o caminho certo os filhos se corrompem. Este era o sentimento do rei e seu povo, sem o pai Elizeu o futuro era incerto.

- Uma pesquisa americana citada no livro “Paredes do meu coração” de Bruce e Bárbara Thompson mostrou que os filhos cujos pais estiveram ausentes enquanto serviram o exército em períodos de guerra, tiveram basicamente as mesmas reações e mesmas problemáticas sociais do que os filhos cujos pais morreram.

- Esta pesquisa mostra que é possível um filho ser órfão mesmo tendo pais vivos, mesmo que o pai esteja por perto fisicamente, se ele não fizer o papel de pai adequadamente gerando assim rejeição e carência afetiva no filho, esta relação de paternidade é problemática e um grito de orfandade emana da alma deste filho.

- Como se não bastasse essa constatação, a conclusão foi que os filhos de pais vivos, porém bêbados, abusadores, violentos, imorais tinham maior prejuízo em sua alma e personalidade do que os filhos que cresciam sem um pai. Assim esta nossa geração! Dando este mesmo grito de orfandade que Jeoás deu.

A cura da ferida da falta de uma paternidade saudável e passos de crescimento.

A) Assimilando a paternidade do Pai Celestial.

- Nós precisamos suprir esta carência e resolvermos nossa orfandade.

- Como suprir nossa carência de Pai? Salmos 27:10 Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me acolherá.

- A solução está justamente em algo muito difícil, pois como a pessoa não teve uma boa referência de pai natural tem dificuldade de ver a Deus como um Pai, porém justamente em adotar a Deus como Pai se encontra a solução para a orfandade gerada na alma. É preciso desligar a figura de Deus como Pai Celestial do pai natural.

B) Adotar um pai espiritual dentre o povo de Deus.

- O pai espiritual pode ser o pastor, pastora, líder de célula, ou pessoa mais madura na fé. O tempo não cura ferida gerada por problemas de paternidade.

- Certa vez um senhor de idade foi ministrado pela equipe da Rede Apostólica Cristã. Enquanto a cura interior era ministrada este velhinho falava sobre seu pai, chorava como se fosse um adolescente. Quem o ministrou tinha idade para ser neto, todavia o velhinho o adotou como pai e viveu dois anos de muito gozo no Senhor, curado interiormente e sendo cuidado, discipulado, amado pelo seu pai/neto. Tão velhinho era que dois anos após o Senhor o chamou para junto de Si. Ele foi para glória com uma expressão paz e alegria.

C) Tornando-se um pai.

- Você pode e deve ser um pai para muitos que estão gritando e chorando.

- Talvez você pense que estas coisas acontecem muito longe, porém se você pudesse ver o íntimo de cada pessoa, se você pudesse ver o interior de muitas pessoas que parecem tão duronas e resolvidas, você veria uma alma gritando: “meu pai, meu pai. Onde encontrarei um pai para me guiar”, Quem sabe você se comoveria e diria: “vem que eu te guio. Não sei muita coisa, mas posso te amar, posso te mostrar o caminho, posso te guiar por onde estou sendo guiado e sei que este é o caminho certo, Jesus é o caminho certo”.

D) A paternidade é substituível e transferível.

- O grito da alma de Jeoás não era apenas por causa de uma pessoa querida que estava morrendo. O grito era porque a paternidade estava acabando na nação. Se Eliseu tivesse transferido a paternidade de si para um de seus discípulos como Elias fez com ele o desespero de Jeoás seria menor.

- Logo após uma pessoa ter seu grito da alma calado pelo suprimento de uma paternidade, pode ser transferido para esta pessoa atribuições de paternidade. Pessoas e suas peculiaridades são insubstituíveis, mas as funções são passíveis de substituição.

- Elias como pessoa era insubstituível, mas sua paternidade na nação de Israel teve Elizeu como substituto que, a propósito, o fez muito bem.

- Elias havia passado a paternidade para Elizeu para não deixar ninguém órfão.

- Elizeu não passou a capa de autoridade e paternidade para ninguém apesar de ter centenas de aprendizes de profetas.

- Moisés transferiu a paternidade para Josué e o projeto de Deus continuou.

- Josué não transferiu a paternidade a outro líder, quando ele morreu o povo ficou órfão e a bíblia descreve como o povo vivia alguns anos após sua morte: Juízes 21:25
- Naquele tempo não havia rei em Israel, e cada um fazia o que bem queria. Não havia pai espiritual em Israel e cada um fazia o que bem queria.

- Imagine uma família onde cada um faz o que quer!
- Imagine uma sociedade sem uma figura de paternidade que lhes dê o norte! Sem uma figura de pai para ser exemplo! Vira um caos.

- Todavia, assim estão muitas famílias, assim está em grande parte nossa sociedade.

Aplicação:

- Deus precisa de que se levantem pais espirituais para dar o norte a uma geração orfanada.

- Adote um pai espiritual e siga-o.

- Quem é seu pai espiritual? Seu pastor, pastora, líder?

- Depois seja pai para outros.

- Seja filho bem amado e cuidado.

- Seja um pai amoroso e que cuida de seus filhos.



AUTOR: Vanderlei Cardoso, pastor





++++++++++++++++
+++++++++++++++++
++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++
+++++++++++++++++
++++++++++++++++


O Desafio de
Prosseguir




Introdução

- Quando falamos em prosseguir na vida cristã não nos causa qualquer impacto, pois pensamos ser algo muito fácil e como se diz popularmente, “tiramos de letra”. Mas prosseguir na carreira cristã é um desafio diário.

Por quê?

1. Tenho que lutar comigo mesmo e vencer para me manter na fé, pois muitas vezes, a fé é contrária a razão e temos que lutar contra nossos próprios pensamentos e sentimentos para nos sustentarmos nela.

“Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (I Co 2:14)

2. Tenho que lutar em relação às outras pessoas para crer, lutar para não deixar parentes nos influenciarem a desistirmos de seguirmos a Cristo da maneira bíblica.

“Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre.” (Jó 2:9)

- Como a esposa de Jó tentou desesperadamente influenciá-lo a desistir de sua fé, assim também acontece com pessoas que nós amamos as quais se deixam usar pelo inimigo com este fim.

- Ainda, as pessoas podem nos chamar de loucos por nos dedicarmos á leitura e obediência da palavra de Deus, assim como aconteceu com Paulo.

“Dizendo ele estas coisas em sua defesa, Festo o interrompeu em alta voz: Estás louco, Paulo! As muitas letras te fazem delirar!” (At 26:24)

3. Prosseguir na carreira cristã é um desafio tremendo, pois além de lutarmos contra nós, contra as argumentações contrárias de pessoas que amamos, temos, ainda, que lutar contra o inimigo de nossas almas.

“Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.” (I Pe 5:8)

- O que posso fazer para prosseguir na caminhada cristã de maneira vitoriosa?

“Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Fp 3:12-14)

Para prosseguir preciso saber o que fazer com o meu passado.

1. O sentimento de culpa em relação ao meu passado.

- Paulo dá uma dica interressante, ele diz: “... uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam....”

- Nosso passado não pode determinar nosso presente nem nosso futuro. Todos nós temos coisas do passado que nos machucaram, que marcaram, que temos até vergonha, mas precisamos deixar no passado.

- O inimigo é como um advogado de acusação e fica sempre jogando na cara nosso passado.

“0 Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus.” (Ap 12:1)

- Sabendo que a acusação vem dele, então você deve se defender e não aceitar, pois a culpa foi expiada por Jesus.

2. Compreendendo o perdão aos que me machucaram no passado.

- Quando pensamos no perdão e absolvição, logo relacionamos com o benefício gerado, isto é, que a pessoa perdoada absolvida é beneficiada, quando muitas vezes não merece a absolvição, pois de fato é culpada.

- Aqui reside a dificuldade de perdoar. O principal beneficiado no processo da liberação de perdão é o próprio ofendido, pois perdoando o ofensor receberá o perdão de Deus (Mt 6:14-15).

- Perdoando se livra de amarras espirituais.

“A quem perdoais alguma coisa, também eu perdôo; porque, de fato, o que tenho perdoado, por causa de vós o fiz na presença de Cristo; para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.” (II Co 2:10-11)

- É preciso resolver o passado para deixá-lo no passado e prosseguir, para que o inimigo não alcance vantagem em nós.

3. Se!!!! Deixar de lado a expressão se.

Muitos ficam remoendo o passado e dizendo:

- se tivéssemos feito o que a mãe falou não estaríamos nesta situação.

- Se você tivesse me escutado... Se não tivesse feito este negócio... Se tivesse casado com a mariazinha...

- Deus não pode construir nada sobre o “se”, Deus não pode construir nada em cima das mazelas do passado, Deus não pode construir nada sobre suas lamentações, quem constrói sobre as murmurações é o diabo, é um produto dele, não é de Deus.

Aplicação

- Deus não constrói sobre sentimentos negativos, Deus constrói sobre a fé.

- Deus constrói sobre a visão de possibilidades, certa vez Jesus estava no meio de pessoas negativas na Galiléia, veja o que a bíblia descreve sobre o assunto.

“E não fez ali muitos milagres, por causa da incredulidade deles” (Mt 13:58).

- Ficar ligado ao passado, argumentando coisas negativas limita Deus em nossas vidas. Por isto, olhe para o futuro acreditando que Deus fará o milagre necessário para você prosseguir na careira da fé.

- Lute com você mesmo e vença, lute contra os argumentos negativos das pessoas, lute contra Satanás, aprenda a se desprender do passado e caminhe em direção a vitória.

AUTOR: Vanderlei Cardoso, pastor




######################
#####################
####################
####################
#####################
######################