terça-feira, 10 de janeiro de 2012



O Espírito de
Religiosidade

(Parte 1)




- Não foram os romanos ou qualquer outro povo pagão que perseguiu a Jesus.
- Não foram as autoridades governamentais que se levantaram conta Ele.

- Também não foram os revolucionários daquela época (zelotes) que tentaram impedir a pregação do Evangelho.

- De fato, os maiores opositores de Jesus foram os religiosos daquela época. Foram eles que o perseguiram e o acusaram falsamente.

- Aqueles que mais conheciam a Bíblia, aqueles que mais oravam e jejuavam, aqueles que tinham a aliança com o único Deus verdadeiro, foram os que se opuseram a pregação das boas novas.

- Posteriormente quando o evangelho estava sendo espalhado pelo mundo através das equipes apostólicas, quem se levantou contra os apóstolos e suas equipes foram os religiosos.

- Estevão foi apedrejado pelos religiosos judeus até a morte.

- Paulo em suas viagens apostólicas também foi perseguido por estes por onde quer que andava. Eles tentavam impedir que a palavra de Deus fosse pregada e o Evangelho se expandisse.

- Em suma, nos tempos bíblicos, a maior resistência e a oposição mais desvelada que existiu contra o verdadeiro cristianismo foi da parte dos religiosos.

- O espírito demoníaco que opera por traz de toda esta resistência é conhecido hoje como “espírito de religiosidade”.

- Assim como nos primeiros tempos o espírito de religiosidade resistiu a expansão do evangelho, da mesma forma está resistindo e resistirá o grande mover de Deus dos últimos tempos.

Vejamos o que autoridades conhecidas e respeitadas no meio do cristianismo tem falado sobre isto:

- “O espírito de religiosidade é a mais forte oposição contra a igreja apostólica, contra cristãos e ministérios efetivos ... Falsos apóstolos e profetas, o espírito de religiosidade e o espírito de Jezabel serão os três principais poderes demoníacos opositores da igreja apostólica dos últimos dias.” Jonas Clark, Effective Ministries and Belivers, pg.43, 121, 136.

- “Para nos desviar ... , o inimigo usa um dos ataques mais enganadores e mortais sobre a Igreja por meio do espírito religioso ... O confronto da Igreja com o espírito de religiosidade será uma das batalhas épicas dos últimos tempos.” Rick Joyner, Vencendo o Maligno nos Últimos Dias, pg.117, 119.

- “Eu estou convencido que o espírito de religiosidade é o mais esperto agente de Satanás. Eu creio que este espírito pernicioso tem sido bem sucedido em manter a maioria de nós ignorantes de seus esquemas através dos anos, e assim ele tem alcançado vantagem sobre nós, como a Bíblia diz, assim tem acontecido.” Peter Wagner, Freedom From The Religious Spirit, pg. 9.

I. Como age o espírito de religiosidade?

- O apóstolo Paulo escreve a respeito dos judeus religiosos: “Porque lhes dou testemunho de que eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento. Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus.” (Rm 10:2-3)

- O espírito de religiosidade atua fundamentalmente nas pessoas zelosas por Deus, e que, por falta de entendimento, querem estabelecer a sua própria justiça, ou seja, querem fazer as coisas da sua própria forma e não da forma que Deus estabeleceu. Na verdade isto é orgulho e este orgulho as impedem de humilharem-se e se sujeitarem completamente a sabedoria e direção de Deus.

- Estas pessoas buscam a Deus, mas de sua própria maneira. Em suma, a conjunção do zelo por Deus mais orgulho resulta em religiosidade.

II. Zelo por Deus + Orgulho = Religiosidade


- Sempre dizemos que a “religião é o esforço humano em se aproximar (religar) a Deus”. Justamente isto que é a religiosidade. É tentar aproximar-se de Deus através de formas que o homem estabeleceu, deixando de lado a graça de Deus. Por isso, onde encontramos pessoas orgulhosas buscando a Deus, encontramos o espírito de religiosidade.

- Este espírito de religiosidade leva as pessoas a resistirem o que vem de Deus, pois para eles o que vale é o que eles pensam, decidem e fazem. O orgulho dá espaço para o surgimento do espírito de religiosidade.

- A falta humildade de reconhecer a condição e incapacidade humana impede a pessoa ser sensível àquilo que o Espírito está dizendo e fazendo.

- A religiosidade impede a pessoa ouvir a voz de Deus e seguir sua direção. O Espírito de Deus está se movendo e os protagonistas da religiosidade jogam pedras, pois a graça de Deus não cabe em seu modo de ver as coisas.

Sempre analisam com base em sua forma de ver como é que as coisas devem acontecer e não da forma que o Espírito está fazendo.

Continua...

AUTOR: Ricardo Wagner, apóstolo





=================
================
===============
==============
=============
============
===========
==========


O Espírito de
Religiosidade

(Parte 2)




- Conforme a tabela abaixo, podemos observar que o Rio Grande do Sul é o estado brasileiro que possui o maior número de municípios onde 100% da população diz ter alguma religião. Mas apesar do RS ser o Estado brasileiro declaradamente mais religioso do Brasil, também é o Estado que possui as cidades menos evangelizadas (as primeiras 9 cidades menos evangelizadas do Brasil são gaúchas).

- Isto confirma o que dissemos na edição anterior: a religiosidade foi o maior inimigo da igreja primitiva e será o maior impedimento para proliferação do evangelho nos últimos tempos.

- O espírito de religiosidade sempre está presente onde o evangelho for pregado. Onde há pessoas que desejam a Deus lá está presente este espírito para macular esta relação.

- A religiosidade é a soma do anelo por Deus, amalgamada com o orgulho que faz com que as pessoas busquem a Deus do seu próprio jeito e não da forma que Deus estabeleceu.

- Sabemos, pelas manifestações populares, que os gaúchos tem um sentimento de orgulho muito intenso; campo prpicio para o desenvolvimento da religiosidade.

- Frases como “Orgulho De Ser Gaúcho” expressa exatamente este sentimento. O movimento de emancipação do RS do restante do Brasil mostra como o gaúcho percebe-se auto suficiente e independente.

- O espírito de religiosidade faz com que pessoas desenvolvam coisas que substituem a orientação do Espírito Santo. Estas pessoas tentam chegar a Deus por métodos próprios, independentes da graça de Deus, ignorando a necessidade de arrependimento e humilhação. Por andarem por caminhos que não levam ao verdadeiro Deus, as pessoas não experimentam o cotidiano do amor, da presença, do poder, da verdade e do perdão do Senhor.

Este espírito atua tanto dentro como fora da igreja.

Onde o espírito de religiosidade atua, ele leva as pessoas a enveredarem por um de três mega caminhos que substituem a graça de Deus.

1. Auto-Justificação

- Na época de Jesus vemos esta forma do espírito de religiosidade atuando nos fariseus. Nesta forma de manifestação da religiosidade a graça de Jesus é substituída pelo legalismo, ritualismo, tradições (Mt 15:1-9), alto padrão de moralidade, sacrifícios, esforço próprio e pela argumentação baseada em conhecimento humano. É a forma mais comum e mais conhecida da religiosidade.

- As características daqueles que estão debaixo da influência deste espírito nesta forma de atuação tem as seguintes características: dão atenção para aparência exterior (Is 1:13-14; Mt 23:5), têm preocupação com a formologia; são auto-suficiência e centrados em si mesmos; dão atenção demasiada para as coisas sociais onde o homem está no centro das atenções (humanismo); são perfeccionistas, se dando o direito de julgarem, condenarem e criticarem a todos; vêem nos outros apenas as coisas ruins; têm medo de serem condenados, desaprovados, rejeitados; são voltados ao passado (tradições) ao invés do futuro (sonhos); possuem espiritualidade mecânica baseada em repetições (Mt 6:7); resistem a obra do Espírito Santo; são insubordinados, rebeldes e pensam ser irreprováveis.

- A passagem de Lucas 18:11-12 expressa exatamente esta forma de atuação da religiosidade: “O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho.”

- O Rio Grande do Sul possui as cidades mais católicas do Brasil. Dos primeiros 17 municípios mais católicos do Brasil, 15 são gaúchos. Os únicos 4 municípios com 100% de católicos no Brasil são gaúchos.

2. Misticismo

- Nos judeus vemos esta forma de religiosidade nos cabalistas (seguidores da Cabala).

- Nesta forma de religiosidade, a graça de Jesus é substituída pelo misticismo, idolatria, ocultismo, magia e feitiçaria. O que tem importância é o contato, controle e a manipulação de poderes sobrenaturais.

- Características das pessoas influenciadas por este forma de religiosidade: dão importância ao emocionalismo; estão envolvidas em rituais místicos; manifestam expressões estranhas, coisas não compreensíveis e extremismos espirituais; dão extrema importância para as coisas sobranaturais (Mt 7:22:23).

Dos primeiros 24 municípios mais afro do Brasil, 19 são Gaúchos.

3. Secularismo

- Nos judeus vemos esta forma de religiosidade nos saduceus. Os saduceus eram um povo completamente auto-suficiente. Não davam valor e não criam nas coisas espirituais. Por se decepcionarem com a falta de resultado das religiões, os secularistas acabam desprezando completamente as coisas espirituais. Apesar do secularismo não fazer parte daquilo que se chama religião, ele é causado pelo espírito de religiosidade que leva a pessoa a decepção com as coisas espirituais.

- Características das pessoas secularistas: frieza, ceticismo, incredulidade, desprezo as coisas espirituais.

No RS o crescimento do número de pessoas aderindo ao secularismo cresce duas vezes mais rápido que o crescimento dos evangélicos.



AUTOR: Ricardo Wagner, apóstolo






#####################
####################
###################
##################