sexta-feira, 9 de março de 2012



União do
Povo de Deus




Introdução:




- O Salmo 133, possivelmente escrito pelo Rei Davi, representa um momento histórico importante na vida de Israel. No reinado de Saul o povo estava disperso.

- Houve neste período muitas conturbações no reino devido ao modo como o rei se conduzia.

- As atitudes de Saul produziram um reinado fraco o que teve como uma das conseqüências a própria fragilidade da unidade da nação de Israel. O contexto mais provável [...] é o da unificação das doze tribos de Israel debaixo do reinado de Davi em Jerusalém.

As figuras no texto do salmo confirmam ascendentemente esta situação.

I - Propósito do Salmo 133 : Demonstrar o Valor da unidade do povo de Deus

- Davi reconhece que somente quando o povo está unido é que as bênçãos de Deus acontecem.

- Em meio a guerras e divisões, como era o caso do reinado de Saul, não poderia haver bênção de Deus. Contudo, quando o povo estava unido a bênção do Senhor era vista sobre a nação.

a) Unidade do povo – O Salmo inicia dizendo: Oh quão bom e suave é que os irmãos vivam em união.

- Os termos bom e suave representam bênçãos. Estas, por sua vez, advém somente da unidade.

- Veja que isto é agradável e, portanto, representa o ideal para o povo. Se as tribos de Israel andassem unidas, isto representaria força, proteção, crescimento, vida espiritual. Daí a importância deste Salmo em apresentar o valor da unidade do povo.

- Mauro Meister faz a seguinte aplicação: Vimos no texto que a bênção era condicionada à unidade, e prejudicada sem ela.

- A mesma relação permanece para o povo de Deus hoje? Creio que sim, guardadas as devidas proporções. O povo de Deus é uma nação santa e exerce um sacerdócio que é abençoado na unidade.

- Esta unidade se expressa à medida que o povo de Deus, sua Igreja, como agente do seu reino, se submete à autoridade do Rei, sua lei e seu ensino, sem se desviar, sem comprometer sua verdade.

- Nesta unidade, Iahweh ordena a sua bênção. Creio que esta é a aplicação fundamental do texto para nossos dias.

b) Na divisão não há bênção – Divisão é um dos principais problemas enfrentados nas igrejas nos escritos Neotestamentários.

- Paulo roga aos Coríntios da seguinte forma: Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer. (I Co 1:10).

- Em outra ocasião diz: completai o meu gozo, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa; nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; (Fil 2:2,3).

- Por isso, torna-se importante ecoar mais uma vez no nosso meio as palavras do Salmo 133 que demonstra o quanto é importante um povo unido. Não faça parte de divisões, contendas, fofocas.

- Primeiro, se você fizer assim, estará perdendo a bênção de Deus;



- Segundo, que aqueles que agem desta maneira estão dominados pela carne (Gl 5:16).

II – A bênção do Sacerdócio para o povo

- Temos a partir do verso 2 do Salmo 133 a figura sacerdotal. Os sacerdotes representavam a forma como Deus abençoava o povo. Eles representavam o povo diante de Deus e também ensinavam a lei para o povo.

- Assim o povo poderia estar na presença de Deus. No entanto, quando não havia unidade entre o povo de Deus (Israel), isto acarretava também no afastamento do povo da presença de Deus, pois o próprio sacerdócio que era responsável pelo ensino e a adoração ficava prejudicado.

Este contexto nos leva as duas reflexões importantes:

a) Nós somos um povo sacerdotal – 1 Pe 2:9.

- A igreja é chamada de sacerdócio real. Não estamos no tempo em que havia somente algumas pessoas escolhidas para o sacerdócio.

- Hoje todos nós temos acesso a Deus, e podemos desfrutar de sua presença. Todavia, é importante relembrar que sem um sacerdote a nação de Israel não teria condições de aproximar de Deus, e conseqüentemente não poderia estar na sua presença.

- Somente na unidade é que todo o Israel poderia receber o exercício do sacerdócio. A contínua expiação pelo pecado dependia da unidade do povo de Deus.

b) Do Hermom a Sião - Geograficamente, a região do Hermom era uma região fértil.

- Porque o monte Hermom é muito alto e seu cume coberto de neve, o seu pesado orvalho “rega” toda a região em volta fazendo da mesma uma área muito fértil e produtiva.

- Observe que os “orvalhos” do monte Hermom descem até Sião. Sião representa a divisão para uma região seca.

- O que está entre Hermom e Sião é o Jordão. Veja o comentário de Meister:
- O nome Jordão provavelmente deriva-se do verbo dry sendo então "o que desce". Uma das fontes do rio Jordão é exatamente um ribeiro chamado Banias, que nasce na base do monte Hermon.

- De certa forma, a riqueza de vida do Hermon se faz presente em toda a extensão de Israel até as proximidades de Sião. Aquele "que desce" (como o óleo descendo … que desce … que desce) traz bênção sobre todo Israel

- Perceba que a indicação do monte Hermom até Sião abrange todo o Israel e assim aponta para a unidade do povo de Deus e também para a extensão da riqueza da vida: toda a terra.

- A bênção de Deus estaria em toda a nação na medida que andassem unidos. E ao andarem unidos a vida de adoração estaria presente, demonstrando assim a presença de Deus no meio do seu povo.

Conclusão:

- O Salmo 133 retrata o contexto da nação de Israel, mas também serve-nos de exemplo para a nossa unidade. Deus nos chamou para vivermos unidos (Ef 4:4-6) e sem esta unidade não poderemos sobreviver.

- Não podemos deixar que nos percamos no caminho. Como povo somos chamados a manifestar a graça de Deus em nossa unidade (At 2:42), como povo somos chamados a proclamar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz (1 Pe 2:9).

- Veja a oração de Jesus: "eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim." João 17:23.

- Veja que quando estamos unidos nosso testemunho é real e revela o amor de Deus ao mundo no envio de seu filho, além de demonstrar a todos o grande amor de Deus por este povo que vive unido.

- Não podemos esquecer que é O Espírito de Deus que produz a obra da unidade no meio do povo de Deus, e assim como o “povo de Israel era abençoadona unidade nacional, o povo de Deus é abençoado na unidade espiritual, quando com unanimidade, em um só Espírito, uma só fé, nos aproximamos do único Senhor.

Que Deus nos ajude!



AUTOR: Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior




====================
==================
=================
================
===============
==============
=============
============
===========
==========
=========
========
=======
======
=====
====
===
==
=

Nenhum comentário:

Postar um comentário