sábado, 3 de março de 2012



IGREJA DE ÉFESO

(AP 2.1-7)




INTRODUÇÃO:

1. Éfeso era a cidade mais importante da província romana da Ásia.

- Na cidade havia uma magnífica estrada de vinte e dois metros de largura, ladeada por colunas. Esta estrada cortava toda a cidade até um ótimo porto marítimo.

2. Havia na cidade teatros, bibliotecas, mercados, etc..

- Suas calçadas eram de mármore. Em Éfeso ficava o grande Templo de Diana, ou Artemis, a deusa grega da fertilidade, que foi uma das sete maravilhas do mundo antigo, At 19.23-28, "23 Por esse tempo, houve grande alvoroço acerca do Caminho. 24 Pois um ourives, chamado Demétrio, que fazia, de prata, nichos de Diana e que dava muito lucro aos artífices, 25 convocando-os juntamente com outros da mesma profissão, disse-lhes: Senhores, sabeis que deste ofício vem a nossa prosperidade 26 e estais vendo e ouvindo que não só em Éfeso, mas em quase toda a Ásia, este Paulo tem persuadido e desencaminhado muita gente, afirmando não serem deuses os que são feitos por mãos humanas. 27 Não somente há o perigo de a nossa profissão cair em descrédito, como também o de o próprio templo da grande deusa, Diana, ser estimado em nada, e ser mesmo destruída a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo adoram. 28 Ouvindo isto, encheram-se de furor e clamavam: Grande é a Diana dos efésios!"

3. Em Éfeso, havia o culto ao Imperador, uma prática comum nos dias do Império Romano, e templos foram erguidos por Cláudio, Adriano e Severo.

- Moedas e inscrições demonstram através das descorbertas arqueológicas, que a cidade orgulhava-se em ser um santuário de Artemis, como também um santuário do culto ao Imperador.

4. Em Éfeso, Paulo fundou uma Igreja que floresceu e teve dias de grande alegria na presença de Deus.

- A carta que lemos nesta noite, foi enviada por Jesus ao "Anjo da Igreja"- provavelmente o Pastor. Vejamos os detalhes desta carta:

I – A IDENTIFICAÇÃO DO REDATOR DA CARTA - CRISTO

1. Cristo é descrito como "Aquele que tem na sua destra as sete estrelas".

- Estas sete estrelas são os "anjos das Igrejas", Ap 1.16, 20, "16 Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força. 20 Quanto ao mistério das sete estrelas que viste na minha mão direita e aos sete candeeiros de ouro, as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candeeiros são as sete igrejas".

a. A palavra "destra"- significa "à direita".

- Cristo tem à sua mão direita os verdadeiros líderes da sua Igreja. Isto significa proteção, cuidado, amparo, direção, etc.

2. Cristo também é descrito como o que "anda no meio dos sete candeeiros de ouro".

- Ap 1.12, 20, nos mostra que os candeeiros, são as Igrejas: "12 Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro 20 Quanto ao mistério das sete estrelas que viste na minha mão direita e aos sete candeeiros de ouro, as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candeeiros são as sete igrejas".

a. O candeeiro tinha a função de levar a luz.

- Como Igreja de Cristo nós somos os responsáveis para conduzir a luz ao mundo em trevas:

Mt 5.14-16, "14 Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; 15 nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. 16 Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus".

Fp 2.15, "...para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo".

II – A APROVAÇÃO DE CERTA OBRAS

1. Fidelidade No Viver Diário, Vs. 2:

- "Conheço as tuas obras, o teu trabalho e a tua perseverança".

- A palavra "obras", refere-se aos serviços espirituais que a Igreja prestava ao Senhor. Era uma congregação ativa e agressiva.

- A palavra "trabalho", tem a ver com o esforço que produz serviço, à custa de sofrimento.

- E a palavra "paciência", ou "perseverança", revela a atitude de persistência no esforço que conduz às obras. Significa persistência e não atitude agressiva.

2. Fidelidade Doutrinária, Vs. 2: "não podes sofrer os maus", ver também o Vs. 6 – "...odeias as obras dos nicolaítas...".

- A palavra nicolaítas, vem do grego "Nikolaithv" – Nikolaites e significa "destruição de pessoas".

- Estes "nicolaítas", ou "destruidores de vidas", tinham conquistado algum terreno em Éfeso.

- Haviam chegado lá proclamando serem apóstolos de Cristo, porém a Igreja os provou, vendo-os como falsos mestres e os reprovou.

3. Surge aqui uma questão importante para qualquer tempo da igreja:

- Como identificar os falsos mestres?

- Vejamos alguns pontos:

a. Pelos seus frutos, Mt 7.15-23, "15 Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. 16 Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? 17 Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. 18 Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. 19 Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. 20 Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis. 21 Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. 22 Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? 23 Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade".

b. Pela sua maneira de praticar da Palavra de Deus, Mt 23.1-4, "1 Então, falou Jesus às multidões e aos seus discípulos: 2 Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus. 3 Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. 4 Atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los".

c. Pela sua maneira de oprimir o povo de Deus, Cl 2.16-23, "16 Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, 17 porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo. 18 Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal, 19 e não retendo a cabeça, da qual todo o corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus. 20 Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: 21 não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, 22 segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas coisas, com o uso, se destroem. 23 Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade".

III - UMA REPROVAÇÃO

VS. 4

1. "Tenho, porém, contra ti, que deixaste o primeiro amor".

- A Igreja não estava mais conservando aquele amor caloroso e fervoroso a Deus, que caracterizara suas primeiras experiências na vida cristã.

- Tinham deixado de lado o verdadeiro motivo da vida cristã. Tudo quanto fazemos para Deus, passa a ser mero ativismo, se não for feito com amor e de coração:

1 Co 13.1-3, "1 Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. 2 Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. 3 E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará".

Ef 6.5-6, "5 Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, 6 não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus".

IV - UM CONSELHO

1. A recomendação que Cristo faz à Igreja em Éfeso, envolve três verbos: Lembrar, arrepender-se, voltar:

a. Lembrar: Deveriam recordar do início de sua vida cristã, do entusiasmo que caracterizava suas reuniões, do amor ardente entre eles. As lembranças devem nos levar a corrigir passos errados.

b. Arrepender-se: Arrepender-se de um serviço feito sem amor, de uma vida cristã vazia.

c. Voltar: Voltar àquele primitivo espírito de serviço, que brota dum coração cheio de amor.

2. Cristo avisa que se não houver uma correção, um retorno ao primeiro amor, um retorno às práticas cristãs no Espírito Santo, perderiam o direito de existir como Igreja. Cristo ameaça removê-la de seu lugar. O Candeeiro, é a Igreja, Ap 1.20.

3. No Vs. 7, há uma expressão interessante: "Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz ...". Aqueles que têm percepção espiritual são aconselhados aqui a escutar. Deveriam estar alertas à voz de Deus, e se porem em guarda contra a apatia espiritual, o inimigo mortal da Igreja.

4. Não há coisa pior do que uma Igreja indiferente ao plano de redenção de Deus, para a humanidade.

- Uma Igreja que faz as coisas apenas por fazer, sem amor e consciência da real vontade de Deus, não pode ficar impune, Rm 12.1-2, "1 Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus".

IV - A PROMESSA

VS. 7b

1. "Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do Jardim de Deus".

a. A idéia de vitória é uma das principais características do livro de Apocalipse.

- Significa sair vitorioso das circunstâncias em que nos encontramos, Ap 6..2, "Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer". Eles deveriam sair vitoriosos no combate às doutrinas falsas, no retorno ao primeiro amor e às primeiras obras, e manter a pureza da fé.

b. No contexto do livro, viver uma vida de vitória, significa viver uma vida de serviço para Deus, com o coração cheio de amor. A quem estiver vivendo assim, o Senhor promete os frutos do Jardim de Deus. Deus não deixa de atender ao seu povo em tempos de necessidade.

CONCLUSÃO

1. Cristo não está indiferente às atividades de sua Igreja:

a. Ele aprova o que fazemos de bem,

b. Repreende as nossas más obras,

c. Coroa os vencedores.




=> Esboço extraído do Livro "A Mensagem do Apocalipse" de Ray Summers, com notas acréscimos e supressões pelo Pr. José Antônio Corrêa.






##################

#################

################

#################

##################

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.