quarta-feira, 18 de janeiro de 2012



O Triste Caso
de Judas




Introdução:

- Ninguém quer levar o nome de Judas Iscariotes.

- Os nomes dos demais apóstolos tem sido copiados por muitos, porém o de Judas até hoje não conheço uma pessoa com o nome de Judas Iscariotes, este nome permanece só e triste através dos séculos.

- Por que? Porque está manchado com o estigma da traição. E em vez de recriminação, o discípulo traidor é digno de pena. Nós sem levarmos o nome dele, temos caído contudo no mesmo erro.

- Judas, pois, deve servir-nos de uma grande admoestação.

I – Quem era Judas

1 - Um dos Doze

- Foi chamado pelo Mestre, igual os demais discípulos

- Cristo viu nele um jovem inteligente, entusiasta, dinâmico, em quem se escondiam tremendas possibilidades para o bem
De outro modo, nunca haveria sido chamado

- Acompanhou o Mestre como os demais

- Recebeu insultos com o Mestre, sofreu fome com Ele, se alegrou com Ele em suas vitórias.

- Foi testemunha de toda a glória do Senhor, e nela se alegrou

- Assistiu a grande confissão de Pedro (para quem iremos pois só tu tens palavras de vida eterna)

2 – Foi Premiado Com Um Posto de Honra

- Foi um homem de confiança do Mestre
De outra maneira nunca haveria sido o tesoureiro do pequeno grupo

- Supõe-se que Cristo pôs em suas mãos a bolsa para apressar a sua condenação, esta é uma idéia mesquinha. É ignorar o coração de Jesus

- Foi um grande administrador

- Possivelmente devido a sua habilidade os discípulos não sofreram privações maiores

- Seus companheiros nunca duvidaram dele

- Pelo menos durante um certo tempo, Judas desempenhou seu trabalho fielmente, com absoluta honra

II – Como caiu Judas.

1 – Por Surpresa? De repente?

- As caídas repentinas no terreno espiritual, não existem

- São o resultado de um descuido, ou de uma inclinação alimentada

- Judas começou como começa todos os bêbados, todos os drogados, todas as prostitutas, todos os que se perdem, por muito pouco.

- Houve um dia em que o diabo do ouro falou as portas do seu coração puro e sincero
Foi isto ao receber uma boa remessa de dólares, ou ao passar o balanço da bolsa
Com pena e com medo pegou apenas uma moeda para si
Logo, na próxima vez, ao receber novas remessas de dólares, pegou algo mais que duas moedas

- O tempo foi passando e o temor de Judas por Deus, e agora já estava com mais da metade da remessa de dólares para si, já tinha um caixa dois.

- Daqui para trás Judas poderia sair dessa, e ser um salvo com os demais. Porém daqui para frente foi um homem perdido

2 – A traição

- Seu novo Senhor, o dinheiro, reservava para ele o último pedido

- Havia já sacrificado no altar de Mamon, a dignidade, a vergonha e a honra.

- Agora Mamon vai pedir-lhe uma prova final: O sacrifício de uma amizade santa, sobre a base de um preço, de uma venda.

- Caiu Judas por acaso? De surpresa?

- Veja como ele foi onde estavam os inimigos

- Veja como ele discutiu o preço da vitima

- Veja como acertou os detalhes de como o entregaria

- O pecado premeditado não é fruto de surpresa

- Judas era, já há muito tempo um homem caído, só esperava uma oportunidade para corromper a sua alma.

III – O Triste Fim do Apóstolo

1 – O Pecado, Repetido por Muitas Vezes Endurece e Cega

"O que tende o fazer, fazei-o depressa"

- O Senhor que compreendia o triste estado do perdido discípulo, tratou de concientiza-lo

- Chama sua atenção no prato

- Chama sua atenção no pão molhado

- Fala numa linguagem direta ao seu coração

- Lhe olha com um olhar profundo de advertência carinhosa

- Porem judas não acorda

- Judas sai e consuma a traição

2 – O Pobre Discípulo se Condena a Si Mesmo

- Pedro comete uma traição também e é perdoado, porque se arrepende

- Judas reconhece no fim o seu erro, porem não pode se arrepender, por que?

- O processo de sua queda havia sido muito grande

- Havia deixado profundos buracos em sua alma, buracos que já não se podiam tapar

- Havia secado seu coração dos melhores impulsos e dos mais nobres sentimentos

- Sua alma era um deserto, e não há chuvas para os desertos

- Para tais pessoas, só ficam duas alternativas aceitar o pedido de Jesus para o arrependimento ou caminhar para o inferno como caminhou Judas.

- Foi tarde para Judas evitar o triste fim que ele havia traçado para si mesmo.

Conclusão

- Há em tudo isto uma tremenda admoestação para nos esta noite: o perigo da negligência. O pecado não se apodera do coração repentinamente, senão aos poucos, Pedro, ainda que descuidou as vezes e caiu, soube levantar-se a tempo antes que fosse tarde demais.

Temos que estar atentos todo o tempo fugindo de toda aparência do mal, vigiando e orando.

Autor: Pr Joaquim Andrade





+
+++
++++++
+++++++++++
+++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++

Nenhum comentário:

Postar um comentário