sexta-feira, 16 de dezembro de 2011





SOLIDARIEDADE JÁ

- ATOS 11:27-30






- Relatório da FAO, agência da ONU para alimentação e agricultura divulgado nesta sexta, dia mundial da alimentação, declarou que um sexto da população mundial (mais de um bilhão de pessoas) passa fome.

- Desde 1970 nunca houve tantas pessoas com fome no mundo... A solução divina para esta realidade é a SOLIDARIEDADE!
- Mas a fome não é uma realidade nova.

- Lucas, finalizando o capítulo 11, diz que naqueles dias (v. 27) – dias de dispersão, evangelização e expansão do Reino de Deus – os profetas de Jerusalém (irmãos que comunicavam a visão de Deus para o presente e futuro – At 13:1; Ef 3:20) foram para Antioquia, onde um deles, chamado Ágabo, afirmou que haveria no mundo uma fome ampla, geral e irrestrita! (v. 28).

- Neste contexto de crise a nascente e frutífera igreja de Antioquia discerniu que deveria agir solidariamente.... Aprendemos com ela que....

I – OS CRISTÃOS NÃO ESTÃO ISENTOS DAS CRISES ECONÔMICAS (v. 28)

- Ágabo profetizou pelo Espírito que haveria fome e não prosperidade.

- Esta direção divina contraria pressupostos comumente aceitos hoje na igreja evangélica brasileira, inspirada por “profetas” como Kenneth Hagin, para quem “a idéia de pobreza simplesmente não combina com nossa posição de filhos do Rei”.

- Uma leitura honesta do Evangelho, porém, sinaliza Jesus, filho do Rei, vivendo de maneira simples e pobre, fazendo de sua pobreza o canal de manifestação da riqueza de Sua graça (II Co 8:9).

- Apesar dos avanços as crises econômicas não estão distantes de nós.

- Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem teto; 1 bilhão são analfabetas; 1,1 bilhão de pessoas vivem na pobreza, destas, 630 milhões são extremamente pobres, com renda per capta anual bem menor que 275 dólares; 1,5 bilhão de pessoas não têm água potável; 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se debaixo do peso; 150 milhões de crianças com menos de 5 anos são subnutridas (uma para cada três no mundo); 12,9 milhões de crianças morrem a cada ano antes dos seus 5 anos de vida; 1 de cada 7 crianças morre de fome no mundo; no Brasil, os 10% mais ricos detêm quase toda a renda nacional.

II – AS CRISES ECONÔMICAS EXIGEM SOLUÇÕES COMUNITÁRIA (v. 29)

- A igreja de Antioquia seguia o exemplo da igreja de Jerusalém (cp c/ At 4:33-34) – diante da crise, ao invés de jogar a culpa no governo, julgou, imediatamente, ser dela a responsabilidade na busca de uma solução.

- Esta visão de que a comunidade é a alternativa para a necessidade tem se espalhado cada vez mais.

- Leonardo Aritzer, professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Viçosa-MG, afirmou que : “um número cada vez maior de pessoas está descobrindo que é possível fazer alguma coisa para reduzir a crise social no país; a crença de que isto era tarefa exclusiva do governo está se revertendo”.

- Foi com esta consciência que o Pr. Wildo Gomes dos Anjos fundou a 25 anos a Missão Vida, uma ONG pioneira no Brasil na recuperação de mendigos.

- O balanço de suas ações em 2008 dão uma idéia de sua extraordinária influência: 224.658 refeições servidas; 4.012 procedimentos médicos e odontológicos; 89.978 medicamentos distribuídos sob prescrição médica; 350 leitos disponíveis mensalmente para mendigos em recuperação; 195 alunos matriculados no Centro de Formação Vida; 35.864 pessoas participaram dos cultos de apresentação da Missão Vida; 16 ex-mendigos formados pelo Instituto Bíblico Palavra e Vida.

- Tudo isso só foi possível porque algumas centenas de pessoas do Brasil decidiram fazer parte de uma solução comunitária para os mendigos de rua (80% dos mantenedores da Missão Vida contribuem com R$12.00)

III – AS SOLUÇÕES COMUNITÁRIAS ENVOLVEM A PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL (v. 29)

- Lucas destaca que houve a participação individual.

- Esta responsabilidade pessoal nos esforços coletivos foi muito bem delineada no NT.

- Paulo, por exemplo, quando acolhido por Tiago, Pedro e João, recebeu deles a recomendação de que não se esquecesse dos pobres (Gl 2:10) e ele mesmo, falando aos presbíteros de Éfeso, recomendou atenção especial aos pobres (At 20:35)

- O que há de comum entre Ronaldo, Cafu, Denílson, Felipão, Xuxa, Marília Gabriela e a professora de dança Ana Cravo, a agente de saúde Nancy Gomes, o juiz Antonio Malheiros, a conselheira Milu Vilela e a dona de casa Hilda Maria de Jesus?

- Todos estão ligados a movimentos que apóiam pessoas carentes em nosso país.

- Segundo levantamento do Instituto de Estudos da Religião 26 milhões de brasileiros estão trabalhando de graça para cerca de 220 mil entidades de assistência social.

IV – A PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL DEVE SER PROPORCIONAL (v. 29)

- Apegado, como bom historiador, aos detalhes, Lucas lembrou que este envolvimento pessoal foi marcado pela qualidade pois cada irmão participou “conforme as suas posses”.

- Não basta participar, é necessário fazê-lo com proporcionalidade, generosidade e liberalidade.

- Este princípio é também claramente evidenciado no NT: Observando a forma como eram feitas as contribuições no templo, Jesus confrontou os ricos que depositavam as sobras de suas riquezas e elogiou a viúva que da sua pobreza deu tudo quanto possuía (Mc 12:41-44).

- Dorcas, diz o mesmo Lucas, “era notável pelas boas obras e esmolas que fazia” (At 9:36).

- Em II Co 8, destacando o coração generoso da igreja macedônica, Paulo afirmou que aqueles que decidem ser generosos devem fazê-lo “conforme as suas posses”, com “boa vontade, conforme o que homem tem e não segundo o que ele não tem” (v. 11-12).

CONCLUSÃO

Como podemos hoje vivenciar a SOLIDARIEDADE JÁ?

1. Solidariedade já envolve decisão e ação: os cristãos de Antioquia entenderam, resolveram e agiram (v. 29-30; Ez 33:31-32)

2. Solidariedade já envolve especificação: a fome era em todo o mundo, mas eles ajudaram os irmãos da Judéia (v. 29). A solidariedade precisa ser particularizada ....

3. Solidariedade já envolve uma participação direta dos líderes (v.30) – discípulos motivados, associados aos líderes Paulo, Barnabé e aos presbíteros, fizeram da solidariedade um instrumento vivo do amor de Jesus.

Que Ele, por sua graça, nos conduza à SOLIDARIEADE JÁ, é a minha oração!

AUTOR: Pr. Jair Francisco Macedo / Sermão pregado em 18.10.2009





++
+++++
++++++++++
+++++++++++++++
++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++++


PERFIL DO CRISTÃO
DO PONTO DE
VISTA BÍBLICO




- A vida cristã séria significa continuamente fazer julgamentos morais. Para isso devemos, em primeiro lugar, aceitar que existem leis morais aplicáveis a todos. Para alguns, a escolha entre o certo e o errado, ou bem e mal, é baseada naquilo que for conveniente para o momento.

- Outros baseiam a sua moralidade nas convicções culturais ou na influência da mídia, principalmente da TV. Os cristãos devem tirar seus valores da Bíblia.

- A ética bíblica está preocupada com o estilo de vida que a fé cristã exige. (Tg 3:13; 1o Pe 3:2-16; 2o Pe 3:11)

- O caráter de Deus é refletido na ética bíblica. Assim, as virtudes como honestidade, bondade, gentileza e integridade, são atributos definidos por Deus e não estão sujeitos às opiniões particulares.

- A ética bíblica é para todos, não distingue raça, classe social e nível cultural. (Gl 3:28; Cl 3:11 e Tg 2:1-10). Os requisitos morais pelos quais os cristãos devem viver hoje são os mesmos de ontem e serão os mesmos de amanhã, porque “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e o será eternamente” (Hb 13:8).

- A nossa tarefa é chamar de certo, errado, bem ou mal, o que Deus chama certo, errado, bem ou mal. Não há liberdade individual para decidir quais valores são corretos. Deus já os revelou para nós.

- Para o cristão, o estilo de vida é uma questão de lealdade a Deus, não de preferência pessoal. Qual a ordem moral contida nas escrituras?

- Que devemos sempre considerar a preciosida-de daqueles que estão ao nosso redor.

- Devemos viver de uma maneira que reflita Cristo em nós. Jesus sempre se orientava em relação aos outros e estabeleceu o padrão ético; o ‘’uns aos outros’’ das escrituras.

- Devemos seguir seu exemplo e orientar o nosso comportamento de acordo com a preciosidade dos outros. (Jo 13:34-35 e Cl 3:8-9, 12-14).

- Devemos considerar quem vem atrás, quem está ao nosso lado e quem está à nossa frente. É uma sensibilidade de amor a Deus e ao próximo. (Mc 12:28-31 e 1o Jo 4:19-21).

A qualidade do caráter cristão é exemplificada pela presença ou ausência de três atributos:

- Respeito,
- honra e
- honestidade

- Ter uma atitude de respeito honra e honestidade não é suficiente, tem que haver uma demonstração contínua dos três.

Os relacionamentos interpessoais fundamentais para todos os relacionamentos humanos são:

- Autoridade
- Pais
- Anciãos
- Companheiros e irmãos
- Propriedades dos outros
- Natureza

I. Respeito por Autoridade

- Autoridade é um conceito bíblico (Romanos 13:1, 1o Pedro 2:13-14 e 17; Hebreus 13:17a).

- O homem, por natureza, não gosta de autoridade, porém a ética bíblica requer que vivamos de acordo com a autoridade, honrando os outros.

- Todas as autoridades originam-se de Deus (Rm13:1);

- Deus quer que respeitemos a autoridade (Rm 13:2-3) e treinemos os nossos filhos a fazerem o mesmo (Ef 6:1-4).

- O Senhor colocou pessoas em posição de autoridade para evitar o caos, a confusão e a destruição. Imagine se não houvesse autoridade governando o tráfego; para punir os malfeitores e trazê-los à justiça e para proteger os inocentes (Rm 13:4).

- Concluímos então que a autoridade é necessária para manutenção da ordem. A submissão à autoridade é aceitar que Deus colocou essa pessoa sobre nós. Muitas vezes uma atitude amarga em relação à autoridade é uma atitude amarga contra Deus.

II. Respeito pelos pais

- Ensinar aos filhos a respeitarem e honrarem os pais é fundamental no ensino sobre “respeito às outras pessoas” (Êx 20:12). Este mandamento está associado a uma promessa. Consequentemente, a desonra também está ligada a uma maldição.

- Os que desonram seus pais receberão o peso do julgamento de Deus (Pv 30:17; Êx 21:15,17 e Lv 20:9).

- Os filhos não obedecerão, respeitarão ou honrarão automaticamente a seus pais. Essas atitudes são contrárias à sua natureza. Eles precisam receber treinamento e orientação. Os pais são os governadores designados por Deus para administrar as almas de seus filhos. De acordo com a Bíblia, honrar os pais implica em um profundo respeito, dado com amor.

- Honrar por dever não anula a honra, mas anula a santidade da honra e a intenção original de Deus. Deus nos chama a um relacionamento de discipulado com os nossos filhos; a levá-los da inocência e estultícia à maturidade e sabedoria (Pv 4:1-7).

III. Respeito por idade

- A mensagem bíblica é clara: Honrar a idade é honrar a Deus (Lv 19:32). É uma ordem bíblica. A tradução literal desse versículo é que diante de uma pessoa idosa, você se levantará e a honrará, e assim temerás o seu Deus.

IV. Respeito pelos colegas e irmãos

- A última parte dos dez mandamentos representa o relacionamento do homem como homem.

- São as orientações para o nosso comporta-mento, servindo como uma restrição e encorajamento moral de nossas ações em relação aos outros

... considerando cada um, os outros superiores a si mesmo (Fp 2:3);
... suportar uns aos outros (Cl 3:13);

... preferindo-vos em honra uns aos outros (Rm 12:10)

... amar uns aos outros (Rm 13:8)




AUTOR E FONTE: José Adelson de Noronha / http://verboeterno.wordpress.com/





+++++++++++++++++++++
++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++