terça-feira, 6 de dezembro de 2011



VALE A PENA
FAZER DE DEUS
O PROPÓSITO CENTRAL
DA NOSSA VIDA?

UMA HISTÓRIA DE VIDA




“Costumo definir este livro de Salmos como uma anatomia de todas as partes da alma, porque não há sentimento no ser humano que não esteja aí representado como num espelho. Diria que o Espírito Santo colocou ali , ao vivo, todas as dores, todas as tristezas, todos os temores, todas as dúvidas, todas as esperanças, todas as preocupações, todas as perplexidades até as emoções mais confusas que agitam habitualmente o espírito humano” (João Calvino, reformador, pai da Igreja Presbiteriana, 1509-1564).

I – CENA UM: CELEBRAÇÃO (v. 1)

Dê asas à sua imaginação: terminado no domingo o Encontro Nacional de Renovação Espiritual, realizado no Centro de Convenções de Jerusalém, Asafe estava radiante: como alguns dos nossos amigos encontristas daqui ele também abria para todos um largo sorriso para dizer – “foi tremendo”, “sim, com efeito, Deus é bom”, Deus é muito bom, Deus é bom demais! (v. 1).

II – CENA DOIS: INDAGAÇÃO (v. 2-3)

Segunda-feira, Asafe não ouviu o relógio despertar, acordou agitado e sem tempo de tomar café! Seguiu apressado para o trabalho, mas ao chegar ao ponto o ônibus já tinha passado! Por ter entrado atrasado no serviço, foi duramente repreendido pelo gerente! Na hora do almoço foi obrigado a atender um cliente que acabou não fechando a compra, mas roubou sua possibilidade de ganhar dinheiro e de comer; no final do dia, frustrado por não ter atingido a cota de vendas do mês, recebeu do gerente a notícia de que seus serviços não interessavam a empresa. Saindo dela, enfrentou um engarrafamento provocado pelas chuvas torrenciais que caíram na cidade e só conseguiu chegar em casa por volta das 21 horas. Encontrou sua esposa Rebeca nervosa: três contas que ele deixara para serem pagas não foram quitadas pois o saldo dele no Banco Nacional Israelita estava negativo. Vinte duas horas: o telefone tocou trazendo uma trágica notícia: seu melhor amigo, Abraão, tivera um avc e estava internado em estado grave na UTI do Hospital Geral da Beneficência Judaica.
Assentado na sua mesa ele retomou sua oração iniciada no domingo após o culto (v. 2-3) = se sentiu à beira do abismo, na recepção do inferno, com uma forte sensação de que vida boa era a do seu vizinho de porta: arrogante, perverso, porém extremamente próspero – tudo o que ele punha na mão funcionava absolutamente bem! Choroso fez um diagnóstico aparentemente preciso daqueles que não têm qualquer vínculo com Deus...

1. São despreocupados (v. 4a)

2. São “sarados” (v. 4b)
“Nédio” = “de pele lustrosa”

3. São diferentes do meio dos iguais (v. 5)

a) Enquanto os mortais se cansam, eles estão sempre descansados
b) Enquanto os homens são afligidos, eles estão sempre tranqüilos

4. E as conseqüências? “E daí” (v. 6)

a) Daí que são soberbos (v. 6a)

b) Daí que são violentos (v. 6b)

c) Daí que vivem os maiores e melhores prazeres (v. 7)

d) Daí que são comunicadores doentios (v. 8-9) – “a vida e a morte estão no poder da língua” (Pv 18:21); “Motejam” = zombadores (v. 8), maliciosos (v. 8), altivos = presunçosos (v. 8), blasfemadores (v. 9a); fofoqueiros (v. 9b)

e) Daí que quanto piores são mais aumenta a sua popularidade (v. 10)
A lógica deles é “pq deixar de ser corrupto se a corrupção não interfere em nossa popularidade”?

f) Daí que são “ímpios” = incrédulos = não têm o temor de Deus, não servem a Deus, não amam a Deus, mas ainda assim são prósperos, estão sempre “tranquilíssimos e riquíssimos” - v,11-12).

Exemplos de “prosperidade” citados pelo ONG Transparência Brasil: (“Portal do Asafe”)

• Em conjunto, os deputados federais brasileiros gastaram quase R$ 20 milhões com viagens em 2007. Esse dinheiro seria suficiente para cada deputado dar cinco voltas em torno da Terra de avião.

• Não só na Câmara dos Deputados, nos estados o gasto é astronômico: exemplo - o combustível que os 24 deputados distritais brasilienses declararam ter gasto seria suficiente para percorrer o Plano Piloto de uma ponta a outra mais de 235 mil vezes durante o ano.
• Cerca de um terço dos deputados federais e mais de um terço dos senadores apresentam ocorrências na Justiça ou em Tribunais de Contas.

• Pelo menos um terço dos deputados estaduais de 15 Casas Legislativas estaduais tem pendências com a Justiça ou com Tribunais de Contas. Na Assembléia Legislativa de Goiás eles são mais de 70%. Em outros sete estados o porcentual é de pelo menos 40%.

• A assiduidade dos parlamentares ao trabalho muitas vezes deixa a desejar; a semana dos brasileiros vai de domingo a segunda, mas a dos parlamentares vai de quarta a sexta. A média de ausências nas sessões das comissões temáticas da Câmara dos Deputados é de 28%

• Em 2007 o Brasil destinou para a manutenção de cada deputado o equivalente a CR$11.545.00 por minuto; o que o Brasil gasta com seus 594 parlamentares é em média quatro vezes mais do que gastam os parlamentos europeus e o parlamento canadense

III – CENA TRÊS – FRUSTRAÇÃO (v. 13-16)

1. Frustração pela escolha: escolher o caminho de Deus foi um grande erro (v. 13)

2. Frustração pelo resultado: o que Deus me deu foi exatamente o oposto do que eu Lhe ofereci (v.14)
Dei a Ele o melhor (v. 13) e Ele me deu o pior = aflição e castigo (v. 14)

3. Frustração pela ausência de um mentor espiritual equilibrado(v. 15)
Sendo eu um escolhido de Deus, um servo de Deus, um líder de Deus, com quem eu vou me abrir Sem ser repreendido, rejeitado e acusado de traição?

4. Frustração pela ausência de alternativa (v. 16)
Não tem saída, o melhor é chutar o balde!

5. Aplicação: será que vale a pena viver com um propósito centrado em Deus?

a) Profissão: será que vale a pena trabalhar honestamente, pagar todos os impostos, respeitar os direitos daqueles que prestamos serviço, honrar sempre aqueles que nos lideram?

b) Moral: será que vale a pena namorar ao invés de ficar, casar ao invés de ajuntar, ser fiel à mesma pessoa a vida inteira ou diversificar conforme as conveniências de cada etapa?

c) Espiritual: será que eu não posso seguir a Deus sozinho ao invés de assumir pesados compromissos comunitários? Por que seguir rigidamente a Bíblia e não “lightemente” conforme preceitua a tradição religiosa? Para que tanta santidade se ela tolhe a minha liberdade?

IV – CENA QUATRO: COMPREENSÃO (“até que..” – v. 17- 22)

1. Asafe entrou no “santuário de Deus” (v. 17) = “coração de Deus, visão de Deus, propósito de Deus” - Pv 4:23

2. Asafe entrou no coração do homem sem Deus (v. 17 – “e atinei com o fim deles”)

a) Onde só via autosuficiência (v. 4-5) passou a ver vulnerabilidade (v. 18a)
b) Onde só via o sucesso e curtição (v. 6-7) passou a ver destruição e assolação(v. 18b, 19a)

c) Onde só via a força da alegria (v. 7) passou a ver o aniquilamento do terror (v. 19b)

d) Onde só via pessoas ovacionadas (v. 10) passou a ver pessoas desprezadas (v. 20)

3. Asafe entrou no seu próprio coração (v. 21-22)
Distante do propósito de Deus Asafe só encontrou amargura (v. 21), comoção interior (v. 21). Quebrantado faz um diagnóstico preciso: eu estava ao lado de Deus, na presença de Deus, próximo de Deus, mas agindo como um “embrutecido” = “estúpido”, “ignorante”, “irracional”.

V – CENA CINCO: PROCLAMAÇÃO (v. 23-27 – “todavia...”)

1. P. da segurança da intimidade divina (v. 23)
A estupidez, ignorância e irracionalidade de Asafe foram tratadas pela misericórdia divina...

2. P. da segurança da direção divina presente (v. 24a)
Pertos de Deus a possibilidade de sermos guiados por Ele é de 100%

3. P. da segurança da salvação futura (v. 24b)
Aqueles que em vida centraram o propósito em Deus têm uma entrada garantida no céu...

4. P. da segurança do prazer divino (v. 25)
Ainda que não tivesse céu não há prazer maior na terra do que viver em obediência a Deus

5. P. da segurança da vitória em meio ao sofrimento (v. 26)
Viver em Deus é viver com duas certezas: a certeza do sofrimento e a certeza da vitória sobre ele...

6. P. da segurança da justiça divina (v. 27)
Um dia, inevitavelmente, todos os homens estarão diante do juiz: os prósperos sem Ele serão condenados e o prósperos Nele serão salvos...

UMA LIÇÃO DE VIDA

1. Somente Deus pode nos dar um diagnóstico correto da existência humana
2. O diagnóstico de Deus sobre a existência humana só pode ser dado na Sua intimidade

3. Na sua intimidade descobrimos que a vida só tem propósito quando ligada inteiramente a Deus

PROPÓSITOS DE ASAFE (v. 28)

1. Ser sempre grato pela companhia de Deus
2. Ser sempre dependente de Deus
3. Ser sempre um comunicador de Deus





AUTOR: Pr. JAIR FRANCISCO MACEDO – jajamacedo@hotmail.com





++
+++++
++++++++++
++++++++++++++++
+++++++++++++++++++


VIVER COM
PROPÓSITO

- ISAÍAS 26:1-4




1. Dr. Hugh Moorhead, professor de filosofia da Universidade de Illinois, EUA, perguntou a 250 renomados filósofos, cientistas e intelectuais do mundo: “qual o significado da vida”?.


Respostas: alguns deram bons palpites, outros inventaram um propósito para não passar em branco, outros honestamente disseram que não tinham a menor idéia e vários pediram ao professor que, caso ele descobrisse a resposta, que comunicasse com eles.

2. PERFIL DE ISAÍAS Profeta urbano e ligado à corte; ministério - exercido entre 740 e 700 a.C; tempo - de agitação política (por causa do domínio assírio) e de agitação espiritual (por causa do domínio do pecado); mensagem - de confrontação e de encorajamento.

3. ENCORAMENTO: Isaías aponta para um DIA DE VITÓRIA

a) Dia de celebração (v. 1a - “naquele dia se entoará este cântico na terra de Judá”)

b) Dia de reafirmação (v. 1b – “temos uma cidade forte, Deus lhe põe a salvação por muros.....”)

c) Dia de comunhão (v. 2 – “abri as portas....”)
Nb.:

+ Sentido primário – restauração de Jerusalém com o fim da dominação assíria
+ Sentido pleno – estabelecimento da Nova Jerusalém para todos os salvos pelo Messias de Israel - Ap 21:10-11 (“ a santa cidade, Jerusalém,... tem a glória de Deus”); Hb 12:22

4. PROPOSTA DO ESTUDO:

a) Como chegar hoje a esta experiência presente de restauração existencial e no futuro de restauração salvadora plena? Isaías diz que “é preciso ter um propósito de vida “ (v. 4)

a) “Propósito= “formar, moldar, imprimir diretrizes”
b) “O homem sem propósito é como um barco sem leme” (Thomas Carlyle)

UMA VIDA COM PROPÓSITO (v. 4)

I – UMA VIDA CENTRADA EXCLUSIVAMENTE EM DEUS (v. 4 “Tú, Senhor,...”)

“A menos que se admita a existência de Deus, a questão que se refere ao propósito para a vida não tem sentido” (Bertrand Russel – ateu)

Is 44:1-6
1. PQ DEUS É O NOSSO CRIADOR (Is 44:1-2)
Só quem nos criou pode definir eficientemente o propósito para a nossa existência...
2. PQ DEUS É O NOSSO MANTENEDOR (Is 44:3-4)
Só quem nos mantém pode criar as condições para que vivamos com propósito....
3. PQ DEUS É O NOSSO SENHOR (Is 44:5-6)
Viver com propósito significa viver como servo de Deus
Nb.: propósito não é aquilo que você decidiu fazer da sua vida e depois só comunicou a Deus, mas é aquilo que Deus decidiu fazer de sua vida e comunicou a você!

II – UMA VIDA COM QUALIDADE DIFERENCIADA
(v. 4 “conservarás em perfeita paz...”)

1. PAZ PERFEITA NÃO É:

a) Ausência de sofrimento – I Pd 5:10
b) Ausência de conflito – Gl 2:11 (Paulo resistiu a Pedro “face a face pq se tornara repreensível”)

1. PAZ PERFEITA É:

a) Paz da singularidade (“Pessoa certa...”)

Você é o único “você” que Deus criou. A probabilidade de que exista alguém igual a você, no presente, passado ou futuro é infinitesimal, algo como 10 elevado à potência 3.000.... Deus criou você e quebrou o molde... Ninguém pode duplicar a sua vida... Não existe uma caixa com “cópia de segurança” sua na oficina de Deus.. Você é o cometa halley de Deus: só temos uma oportunidade de vê-lo brilhar! (Max Lucado).

b) Paz da utilidade (“... nos lugares certos...”)

Diante da ordem dada pelo presidente John Kennedy para plantar um carvalho no gramado da Casa Branca, o jardineiro protestou dizendo que a árvore não cresceria em menos de dez anos. “Então aí está uma razão para você plantá-la logo: plante hoje mesmo”, disse Kennedy. Você é único, mas precisa ser útil sem medo da grandeza do propósito que Deus lhe determina. Moisés só tinha um cajado, Davi só um estilingue, Sansão só uma queixada, Raabe só uma corda, Maria só um pouco de ungüento, Arão só uma vara, Dorcas só uma agulha, MAS TODOS FORAM USADOS POR DEUS POR QUE TIVERAM O PROPÓSITO DE SEREM ÚTEIS! A paz perfeita é a paz da utilidade!

c) Paz da verticalidade (...” pelas razões certas”)

Michelangelo foi um grande escultor. Com pouco mais 30 anos, quando já tinha produzido obras primas como Pietá e Davi, recebeu do papa Julio II a tarefa de esculpir algumas figuras no teto de uma capela do vaticano. Apesar de resistente no início, por não ser a pintura a sua paixão, acabou aceitando o desafio. Quatro anos mais tarde, depois de ter pintado 400 figuras e 9 cenários e ter perdido a saúde de tanto trabalhar, Michelangelo acabou fazendo uma obra que redirecionou o estilo da pintura européia e mundial. A um observador do trabalho lhe perguntou porque dera tanta atenção nos detalhes dos cantos da capela se ninguém nunca os veria, ele respondeu de maneira firme: “Deus verá”. Para viver com propósito não basta ser único, ser útil, é preciso fazer tudo para a glória de Deus = paz da verticalidade.
Ef 6:7 “Sirvam de boa vontade, como ao Senhor e não para homens”

III – UMA VIDA QUE PAGA O PREÇO DA CONSTÂNCIA
(“aquele cujo propósito é firme”)

1. PROPÓSITO FIRME É O QUE RESISTE AO TEMPO (Is 25:1 – “ó Senhor, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei a ti e louvarei o teu nome, porque tens feito maravilhas e tens executado os teus conselhos antigos, fiéis e verdadeiros”)

Judith Dias Pinheiro, é um grande exemplo de alguém que decidiu viver com propósito: missionária servindo ao Senhor desde a juventude, registrou no cartão de aniversário dado aos convidados para a sua festa de 90 anos: “O Senhor levará a bom termo o que me concerne” (Sl 138:8); a doutrina da providência ensina aos cristãos que eles nunca estão presos à sorte cega, à casualidade ou ao destino. Tudo o que lhes acontece é divinamente planejado e cada acontecimento chega como um novo convite a confiar, a obedecer e regozijar-se, sabendo que todas as coisas ocorrem para o seu bem espiritual e eterno” (Rom 8:28). Viver com propósito não é um projeto para um ano ou uma década, mas para toda a vida!

2. PROPÓSITO FIRME É O QUE PERMANECE NO FOCO

Quando Davi se apresentou a Saul para lutar contra Golias, vendo que Golias tinha mais de 2.70 de altura, um capacete de bronze, uma couraça de escamas de 56 quilos, caneleiras de bronze, uma lança com uma ponta de 7 quilos (I Sm 17:4-7), Saul mais do que depressa quis dar ao pequenino Davi uma armadura e um capacete de bronze. Contudo ele rejeitou, escolheu as pedras e derrotou o gigante com um estilingue, ensinando-nos que nem tudo que serve para os outros serve também para nós. Se um rei lhe der uma armadura não significa que você deve usá-la: só porque alguém lhe deu um conselho, um emprego, uma promoção, não significa que você tenha que aceitar. Viver com propósito não é fazer muitas coisas, mas fazer exatamente aquilo que Deus estabeleceu como foco central das nossa vidas...

CONCLUSÃO:

viver com propósito é viver em Cristo (Is 9:6-7)

1. É viver na melhor fonte de vida: o Senhor Jesus Cristo (Jo 4:6-15)

2. É desfrutar da melhor paz de vida: a paz perfeita de Jesus Cristo (Col 3:15)

3. É permanecer até o fim na prática da melhor vontade da vida: a vontade de Jesus Cristo Jo 13:17 4.

Propósitos que partilharemos daqui até novembro:

a) Adoração: você foi planejado para agradar a Deus
b) Comunhão: você foi formado para fazer parte da família de Deus
c) Discipulado: você foi criado para conhecer e ensinar todo o desígnio de Deus
d) Serviço: você foi moldado para demonstrar o amor de Deus
e) Evangelização: você foi criado para partilhar a salvação de Deus




AUTOR: Pr. Jair Francisco Macedo – jajamacedo@hotmail.com





==============
=============
============
===========