domingo, 26 de junho de 2011



Verbos que o crente
tem que saber usar
aprendendo com
as formigas

Texto: Provérbios 30:25 “as formigas são um povo impotente; todavia, no verão preparam a sua comida;”




Introdução

As formigas nos ensina muito, dentre as suas ricas lições a principal lição seria o seu trabalho e a sua sabedoria.
Deus com certeza além de nos ensinar Ele nos confronta com as formigas. Pv. 6:6 “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos e sê sábio.”

Tema: Verbos que o crente tem que saber usar aprendendo com as formigas
I – Saber organizar.
Vemos isso com a organização social das formigas. I Co 14: 40 “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.”

Paulo nos fala que tudo deve ser feito com decência e ordem.



As formigas são exemplos de organização e ordem. Elas são divididas assim:
1 - Construção: Embora todas as formigas constroem formigueiros, algumas destacam-se fazendo autênticas obras de engenharia: túneis, galerias, câmaras, depósitos e berçários. (Neemias 2)
Aplicação: A obra de Deus só consegue ir avante porque Deus tem no seu contingente crentes que são verdadeiros construtores de sua obra.

2 - Tarefas: Cada grupo de formiga tem sua função dentro do formigueiro.
Isto é uma conscientização que cada crente tem que ter, cumprir a sua função e nunca invadir ou se preocupar com a vida ou a função do outro.

3 - Rainha: função de reprodução. Vive dentro do formigueiro e é a maior formiga.
Cada comunidade de crente tem “a sua formiga rainha”, e o crente tem que saber reconhecer, reverenciar e conviver com esta realidade. Pois é uma hierarquia bíblica. (Visão errada do líder e do pastor)

4 - Machos: função de reprodução. Aparecem apenas quando são necessários para a fecundação da rainha. Após a fecundação são proibidos de entrar no formigueiro.


Obs.: Isto representa a convivência dos crentes com o líder. Cada crente deve estar ligado ao Senhor de sua vida, fazendo o seu papel no reino dependendo do pastor ou do líder apenas para orientação necessárias e cabíveis.

II – Saber Comportar
Aprendemos isso com o Comportamento das formigas.
(Efésios 4: 11) “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,”

Assim como no formigueiro há desenvolvimento, também, a obra de Deus precisa crescer e desenvolver.

1 – No formigueiro há o grupo responsável pela alimentação.


Aplicação: na igreja também é assim há um grupo responsável só para alimentar o rebanho. (Pastores, mestres e doutores).


2 – No formigueiro existe o grupo que cuida da manutenção e ampliação do formigueiro.


Aplicação: Na igreja também existe o grupo de crentes que é usado por Deus para crescer e expandir a igreja, e também para dar manutenção, isso tanto espiritual como financeira.


3 – No formigueiro existem as formigas estéreis
São as responsáveis pela segurança e defesa dentro do formigueiro. (Conhecidas como formigas obreiras)


Aplicação: esse é o grupo dentro da igreja que Deus usa para proteger e defender a igreja dos ataques e todo tipo de levantes, tanto do diabo quanto dos homens.

4 – No formigueiro existem as formigas operárias
São responsáveis pelo berçário, cuidam dos ovos e das larvas do formigueiro.


Aplicação: Representa o grupo dentro da igreja que é usado por Deus só para cuidar dos novos convertidos, guardar a fé dos novos crentes.


5 – No formigueiro existem as formigas soldados
Cuidam da proteção de todo o formigueiro. São os responsáveis por irem à luta contra os inimigos.


Aplicação: Representa o grupo de crentes que são levantados por Deus como soldados de guerra. São os guerreiros de Cristo, homens e mulheres que Deus levanta na área da oração, da intercessão, do discernimento espiritual e que na guerra espiritual protege o nosso formigueiro (a Nossa Igreja, a obra de Deus)

III – Saber desenvolver
Aprendemos isso com o Desenvolvimento das Formigas.
(II Pedro 3: 18) “antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.”

As formigas passam por dois estados de desenvolvimento:

1 – Estado Larvar: nesta época não possuem patas, ficando dependentes de outras. Elas são alimentadas pelas formigas obreiras, as quais utilizam o processo de trofalaxia, um processo de alimentação em que um indivíduo transfere para outro o alimento que se encontra dentro do seu próprio tubo digestivo por regurgitação.

Aplicação: Esse processo é real na igreja, pois há muitas pessoas que necessitam de uma palavra, um conselho, uma visita, etc.
Quando o crente ainda não alcançou a sua maturidade cristã ou sofre uma recaída, apostasia ou frieza espiritual, ele depende de outro crente para se alimentar e receber de Deus.

2 – Estado Adulto: Mesmo quando atingem a maturidade elas não são abandonadas pelo grupo, continuam unidas em todas as circunstâncias.


Aplicação: está lição é imprescindível para o crente, pois o crente precisa entender que mesmo depois de alcançar a maturidade cristã, ele não poderá seguir a vida cristã sozinho continuará a depender do grupo (a igreja).
(Atos 2: 42) “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.”

IV – Saber comunicar
Aprendemos isso com a Comunicação das Formigas. (Pv. 11:14 “Não havendo sábia direção, o povo cai, mas, na multidão de conselheiros, há segurança.”e Pv.15:22“Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas, com a multidão de conselheiros, se confirmarão.”

As formigas comunicam-se por substâncias químicas chamadas feromônios ou pelas suas antenas.

1 – Feromônio: Se uma formiga obreira achar comida ela deixa um rastro no caminho para que todas as formigas encontrem o mesmo. Quando o alimento se esgota a última formiga não deixa mais o rastro. O feromônio também é utilizado quando é necessário mudar a rota.


Aplicação: Como é necessário esta qualidade de comunicação nos crentes, precisamos aprender a testemunhar e a ensinar os outros o segredo da vitória e o caminho do sucesso.

2 – Antenas: É através das antenas que as formigas falam de suas necessidades umas as outras. Uma das necessidades mais comuns entre as formigas é a fome, para que essa necessidade seja suprida as formigas armazenam alimentos líquidos no papo e passam para as outras formigas (trofalaxia).


Aplicação: Rm. 12: 13 “comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade;”
Nunca podemos deixar de comunicar com os santos as nossas necessidades, e o crente nunca pode deixar de alimentar seu irmão quando precisar.


3 – Cheiro único: Cada colônia tem um cheiro o que distingue as formigas de um formigueiro e de outro. Se uma formiga entrar em um formigueiro que não seja o seu ela é morta. Formigas de formigueiros deferentes não se misturam.


Aplicação: Assim também os crentes não se misturam com o mundo, se identificam como um só rebanho, exalando o bom cheiro de Cristo. II Co 2:14 e 15 “E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento. 15Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.”

Obs.: Por que alguns crentes estão se misturando, entrando em outros formigueiros, certamente não são formigas “ovelhas” de Cristo.

CONCLUSÃO

Quero concluir este ensino ressaltando alguns tipos de formigas que representam alguns grupos de crentes existentes na igreja de hoje:
I Co. 12:12 ao 23

1 – Correição: esta classe de formiga não constrói formigueiros, são nômades. Gostam de atacar outros formigueiros, roubam os ovos e as larvas, as criam como escravas e vivem às suas custas a vida inteira.


Aplicação: Representa aquele grupo de “crentes” que vive fazendo proselitismo religioso, invadindo a igreja dos outros. Vivemos uma época que precisamos ter muita vigilância nesta área, pois há segmentos por ai que vive a por o povo escravos, dependentes deles e não de Cristo. Mt. 7: 15 “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.”

2 – Tecelãs: constroem ninhos em árvores, usando as folhas para fazerem seus berçários.


Aplicação: Simboliza os crentes que buscam as coisas celestiais e não terrenas. Cl. 3: 2 “Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra;”.

3 – Cortadoras: Elas cortam e guardam as folhas. Consumindo as substâncias e os fungos que essas folhas produzem dentro do formigueiro.


Aplicação: Representam os crentes que se abstém do mal. I Co. 5: 12 “Porque que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro?” Esses crentes são raros de achar, como essas formigas.

4 – Pote de Mel: São obreiras especiais cuja função é armazenar comida no seu próprio corpo para alimentar o resto do grupo quando há grande necessidade. Ficam, geralmente, imóveis, devido ao grande abdômen cheio de comida.


Aplicação: Simbolizam os crentes que dão a sua vida em prol do Reino de Deus. Exemplo: Apóstolo Paulo.


Fonte: http://www.aditaberai.com.br/esbocos_vis.php?id=000000000000013&idc=00004





#####################
#######################
########################




Conselhos práticos


sobre a postura


do crente na


“Casa de Deus”

Texto: ICo. 14:26-40

“Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja. Porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós? Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. - Mas, se alguém ignora isto, que ignore. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas. Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.”







Introdução

Nesse tema vou falar sobre nossa postura na igreja. Preocupado com o descaso e a irreverência que assola a igreja de Cristo nestes últimos dias reservei alguns conselhos práticos importantes para nossa postura na casa de Deus. “Por isso Atenção”

1) “Conselhos práticos sobre a postura do crente no culto Divino”

a) Não conversar durante o culto. Lc. 4:20 (“E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele.”)

b) Não sair da igreja durante o culto. Ec. 5:1 (“Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus; porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal.”)

c) Ter concentração no culto, especialmente na palavra de Deus. Ap. 1:3 (“Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.”)

d) Não fazer gracejo ou ato de violação ao culto divino. IICo. 14:40 (“Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.”)

e) Não desconsiderar o culto tratando-o com descaso. IICo. 14:26 (“Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.”)

f) Procurar ser atencioso e aberto para o Espírito Santo. ITs. 5:19 (“Não extingais o Espírito.”)

g) Não mascar chicletes, balas e etc, dentro da casa do Senhor. ICo. 14:37-38 (“Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. Mas, se alguém ignora isto, que ignore. ”)

h) Não querer ser a estrela do culto, mas vaso na casa de Deus. ICo. 12:7 (“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.”)

i) Não ter interesse próprio, mas congregacional no culto. ICo. 12:11 (“Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.”)

j) Não fazer nenhum gesto ou atitude que escandalize alguém. ICo. 14:31-33 (“Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.”)

2) “Conselhos práticos sobre a postura do crente com os utensílios da Casa do Senhor”

a) Reconhecer que todo ornamento é consagrado ao Senhor. Lv 8:10 (“Então Moisés tomou o azeite da unção, e ungiu o tabernáculo, e tudo o que havia nele, e o santificou;”)

b) Devemos respeitar e reverenciar a casa de Deus. IICr. 7:6 (“E os sacerdotes, serviam em seus ofícios; como também os levitas com os instrumentos musicais do Senhor, que o rei Davi tinha feito, para louvarem ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre, quando Davi o louvava pelo ministério deles; e os sacerdotes tocavam as trombetas diante deles, e todo o Israel estava em pé.”)

c) Devemos preservar os utensílios da casa do Senhor. IRs. 8:63b (“assim o rei e todos os filhos de Israel consagraram a casa do Senhor.”)

d) A responsabilidade dos pais na educação de seus filhos. Dt. 6:7-8 (“E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos.”)

e) É inadmissível ato de vandalismo na casa do Senhor. Hb. 12:28 (“Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade;”)

f) A manutenção da limpeza e higiene na casa do Senhor. Ex. 30:20-21 (“Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor. Lavarão, pois, as suas mãos e os seus pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo a ele e à sua descendência nas suas gerações.”)

g) A boa aparência do crente ornamenta a casa do Senhor. Ex. 28:2 (“E farás vestes sagradas a Arão teu irmão, para glória e ornamento.”)

h) O amor do crente para com a casa do Senhor. Sl. 27:4 (“Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.”)

i) O desejo do crente em estar na casa do Senhor.
§ O crente deve ter alegria em estar na casa do Senhor. Sl. 122:1 (“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.”)

§ O crente deve ter o propósito de habitar na casa do Senhor. Sl. 23:6 (“Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.”)

§ O crente não pode deixar a congregação, a casa do Senhor. Hb. 10:25 (“Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”)

§ O crente que assiste fielmente na casa do Senhor é abençoado. Sl. 134 (“ EIS aqui, bendizei ao Senhor todos vós, servos do Senhor, que assistis na casa do Senhor todas as noites. Levantai as vossas mãos no santuário, e bendizei ao Senhor. O Senhor que fez o céu e a terra te abençoe desde Sião.”)

3) “Conselhos práticos Sobre a postura dos oficiais no exercício do culto Divino”.

a) A maneira de se cumprimentar, se o culto já estiver em andamento.

§ Deve ser feita com discrição para não chamar a atenção e nem atrapalhar a adoração e o andamento do culto.

b) Como proceder para dar um testemunho.

§ O testemunho deve ser breve, objetivo, sem colocações de pormenores que não interessa.

§ No testemunho só interessa dizer como era antes, o que aconteceu e como está agora. Tudo isto com o objetivo de glorificar a Deus.

§ O testemunho em um culto divino deve durar no máximo de 2 a 3 minutos.

c) Como proceder para dar uma saudação.

§ A saudação em um culto divino deve ser breve, objetiva e alegre.

§ A saudação em um culto divino deve ser voltada para a característica do culto desenvolvido. Cada culto exigirá uma saudação diferente. A saudação segundo o culto poderá ser voltada: as senhoras, aos jovens, aos varões, as mães ou aos obreiros; deve se observar o caráter do culto para então fazer a saudação.

§ A saudação pode ter a duração de 2 a 3 minutos também.

d) Como proceder para dar uma boa palavra bíblica.

§ A palavra bíblica em um culto divino pode ter duração de 3 a 5 minutos.

§ A palavra bíblica deve estar em sintonia com o caráter do culto desenvolvido.

§ Deve-se entender que a palavra bíblica não é a mensagem oficial do culto e sim uma palavra que estimula, que volta a expectativa do público para a mensagem oficial.

§ A palavra bíblica deve ser inspirada em referências que trás a igreja: alegria, fé, ânimo, esperança e motivação.

e) Como deve proceder o cantor para apresentar um hino.

§ O cantor ao apresentar um hino no culto divino, deve-se apenas saudar a igreja, citar o titulo do hino e cantar adorando ao Senhor.

§ O cantor não precisa ler a bíblia para louvar ao Senhor com seus hinos.

§ O cantor não precisa ficar contando testemunhos antes de cantar, se foi convidado apenas para cantar.

§ O cantor não deve querer chamar a atenção do publico para si mesmo. Sua função é levar o publico a adoração a Deus.

f) Como deve proceder o pregador na entrega da mensagem oficial do culto.

§ O pregador deve usar apenas o tempo dedicado à mensagem dado pelo dirigente do culto. Pregador nunca deve passar do horário que recebeu para pregar.

§ O pregador nunca deve se exaltar, deve-se colocar diante do rebanho do Senhor apenas como vaso, como um profeta, um instrumento nas mãos de Deus.

§ O pregador nunca deve ferir os princípios ou as ideologias da igreja local ou do pastor local. Sua mensagem deve ser de edificação e de motivação. Nunca de polêmica ou confusão.

§ O pregador deve ser objetivo e simples, o povo não está precisando de homens que demonstrem sabedoria, conhecimento ou preparo apenas. O povo de Deus está precisando de receber, de ouvir mensagens que realmente falem da parte de Deus com eles.

g) A maneira correta de se fazer a leitura bíblica.

§ A leitura bíblica em um culto divino deve ser feita com muita reverência e temor.

§ A leitura bíblica deve ser feita com a participação e com a atenção de toda a igreja.

§ A leitura bíblica deve ser lida com entusiasmo e motivação.

§ O dirigente do culto ou a pessoa responsável pela leitura bíblica deve saber escolher o texto apropriado para cada culto, para cada reunião.

§ A leitura bíblica deve ser feita em textos que não sejam polêmicos, confusos ou obscuros.

§ O texto escolhido deve trazer ao público edificação, motivação, etc.

h) A importância da participação de todos na liturgia do culto.

§ É importante que todos participem ativamente do culto. É importante que todos participem: da oração, da leitura bíblica, do louvor, das saudações, das palavras, da mensagem, do apelo enfim de tudo.

i) A consideração de todos para quem quer que seja que estiver usando a palavra.

§ A igreja deve crer que Deus pode usar qualquer pessoa que seja.

§ A igreja precisa entender que Deus não usa pessoa segundo a sua aparência ou capacidade humana.

§ Saiba respeitar, reverenciar no culto divino qualquer pessoa que porventura tiver oportunidade. Você poderá perder sua benção se assim não proceder.

j) Evitar fazer comentários durante o ensino ou pregação.

§ Na hora do culto divino não é hora de conversar, de discutir ou de comentar a bíblia ou a pregação. É hora de apenas ouvir e meditar.

k) A necessidade de cada oficial saber exercer sua função.

§ O culto divino só terá seu devido desempenho em seu desenvolvimento se cada oficial da igreja cumprir cabalmente sua função. Isto desde o porteiro até o dirigente do culto.

4) “Conselhos práticos Sobre a postura do crente e sua reverência em relação à igreja e suas autoridades.”

a) Em relação ao Pastorter reverência, submissão e não idolatria. Hb. 13:7 e 17 (“Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.”)

b) Em relação aos obreiros – ter respeito e consideração. ITm. 5:17 (“Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina;”)

c) Em relação aos líderes de departamento – ter respeito e consideração. ITm. 6:1 (“Todos os servos que estão debaixo do jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a honra, para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados.”)

d) Em relação à direção dos cultos e trabalhos – “Ver Deus” Is. 6:1b (“eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo.”)

e) Em relação aos anciões da igreja. IPe. 5:5 (“Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.”)

f) Em relação aos oficiais representativos da Igreja – Porteiros, secretários, tesoureiro, etc.

§ Devemos mostrar para com eles respeito e consideração.

g) Em relação aos pastores presidentes, convenção, etc.
§ Devemos respeitar e reverenciar sabendo que foi Deus que constituiu. Ef. 4:10-11 (“Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,”)

h) Em relação aos irmãos em geral. Fl. 2:3 (“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.”)

i) Em relação aos profissionais da Igreja.
§ No que tange a obra de Deus devemos orar, amar e principalmente abençoar até mesmo os profissionais que prestam serviços ou servem a igreja. Como advogados, engenheiros, médicos, etc.

Conclusão

Neste sermão aprendemos como proceder no culto divino e na casa de Deus, minha fé e esperança é que todos possam valorizar e praticar este ensino.


Autor: Pr. José Vandelô

Fonte: http://www.aditaberai.com.br/esbocos_vis.php?id=000000000000012&idc=00004




















++++++++++++++





+++++++++++++++++





++++++++++++++++++++