terça-feira, 14 de junho de 2011



O LAR CONSAGRADO

Salmo 127

1 – Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.

2 – Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.



3 – Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre, o seu galardão.

4 – Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade.

5 – Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta.




INTRODUÇÃO

- O apóstolo Paulo, usado por Deus e em resposta ao carcereiro de Filipos, (At 16.31) deixou uma mensagem explícita não apenas para aquele homem, mas para toda a humanidade: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa”. Esta é uma promessa que se estende a toda a casa daquele que crê, numa clara indicação de que Deus tem interesse em abençoar a família e não somente o indivíduo.

- No entanto, o que temos visto são filhos e filhas de crentes entregues aos prazeres mundanos e carnais, entre os quais, o vício das drogas, da lascívia e da prostituição, sem temor e sem reverência à santidade de Deus, deixando os pais angustiados e preocupados com o que lhes possa acontecer
- Para termos famílias consagradas, onde a operação divina é tão atuante e poderosa a ponto de nos livrar das maldições que o pecado traz a nossas famílias, os pais – principais líderes e responsáveis na condução de uma família a Deus – necessitam colocar o Senhor no centro de seus corações, de suas atitudes e de seu lar.

I – EDIFICADOS POR DEUS

“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”; (Sl 127.1a)

- Para que a família seja, de fato consagrada, não pode estar apoiada em valores sociais ou morais por melhores que eles sejam, mas unicamente em Deus, o autor da família, e em seus princípios, que tem todos os atributos necessários para torná-la uma bênção, além de ser Ele mesmo o maior interessado em ser o Senhor de nossos lares (Ef 3:20). “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.” (Fp. 2.13)

1. Através da Santificação

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” (Hb 12.14)

- O primeiro passo que devemos dar para que nossos lares sejam, de fato, consagrados a Deus é a santificação.

- O ambiente de paz, tranqüilidade, amor e sabedoria que desejamos para nossas famílias só se manifestará com a presença constante de Deus em nossas casas previamente consagradas a Ele, em plena santificação de nossas vidas.

- Não é por acaso que o autor da epístola aos Hebreus associou a santificação à paz, uma vez que o coração consagrado não abre espaços para brigas e contendas, posto que essas são obras da carne, incompatíveis com um lar santificado. Isso significa dizer que um lar essencialmente cristão e separado para Deus produz marido, esposa e filhos pacíficos e equilibrados.

- O lar santificado não se associa com as obras da carne (Gl 5.19-21), mas pratica o fruto que o Espírito Santo produz (Gl 5.22).

2. Através da Obediência

“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.”(Dt 6.6-7)

- Deus deu ordens aos israelitas a respeito da sua Palavra. Ela deveria ser ensinada aos filhos em todas as ocasiões do dia em que surgisse a oportunidade: assentado em casa, andando pelo caminho, ao levantar e ao deitar.

- Se cada pai e mãe se dispuser, no seu coração, a obedecer a esse mandamento bíblico, seremos abençoados com uma geração de crianças, jovens e adultos comprometidos com a Palavra de Deus e tudo que dela implica, seja a renúncia ao pecado e aos hábitos mundanos, seja dedicação total a Deus.

- Mas é importante notar que Deus diz que a sua Palavra deverá estar, primeiramente, no coração dos pais. Não na mente, no raciocínio, na consciência, apenas, mas no coração, o lugar da devoção e da obediência, o que os capacitará a ser bons exemplos a seguir.

3. Através da Oração

“…A oração do justo pode muito em seus efeitos.” (Dt 6.6-7)

- Não há como termos um lar consagrado a Deus se nele não houver a presença diária da oração.

- O próprio Senhor Jesus orava noites inteiras e sempre ordenava-nos à oração (Mt 14.23; 26.41) Através da oração, os pais podem e devem rogar a Deus pelos filhos desde o ventre da mãe para que os torne servos fiéis e obedientes do Senhor. Por ela, podemos interceder pelos cônjuges para salvação, transformação e edificação. Devemos, também, suplicar ao Altíssimo a nossa santificação e aperfeiçoamento na fé

- Em Atos 10 e 11, temos um bom exemplo do Centurião Cornélio, que salvou a sua família através da oração. Quando em resposta às orações daquele homem Deus enviou Pedro para lhe pregar a respeito da Salvação, toda a família foi salva e cheia do Espírito Santo.

II – GUARDADOS POR DEUS

“…se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” (Sl 127.1b)

1. Segurança Física

“E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados” (Mt 10.30)

- Atualmente, uma das indústrias que mais crescem no Brasil e no mundo é da área de segurança pessoal. Pagam-se elevadas somas de dinheiro para a contratação de serviços de vigilância, mas, apesar de todo esse cuidado e de todo o aparato envolvido, vez ou outra, temos notícias de alguém que foi seqüestrado e/ ou morto, numa demonstração de que, sem a guarda de Deus, todo os métodos humanos são falíveis.

- Para os salvos, no entanto, a Bíblia diz que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra”. (Sl 34.7).

- O Salmo 91 é uma das mais belas promessas de Deus para quem nele confia de que, quando surgirem as pestes, mortandades e assolações, o Senhor estará nos guardando. Rm 8.28 nos faz lembrar que “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus…”.

2. Segurança Emocional

“E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais…” (Ml 4.6)

- Há, no mundo de hoje, uma terrível tendência para o egocentrismo, a busca dos próprios interesses, as divisões e separações dentro dos lares.

- Filhos há que, revoltados, nada ouvem das palavras dos pais.

- Maridos e mulheres já não reconhecem como autoridade sobre suas vidas as palavras de Jesus contra o divórcio e posterior casamento (Mt 19.9) e desobedecem a esse mandamento. A cada um desses eventos, as pessoas demonstram a falta de consagração ao Senhor, posto que estão com o coração endurecido.

- Mas Deus, ao planejar o primeiro casamento e a primeira família, no Éden, criou homem e mulher para serem um e não mais dois. As pesquisas mostram que filhos de pais que nunca se separaram, tampouco, tem intenção para isso, são mais equilibrados e melhores pessoas.

3. Segurança Espiritual

“E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.” (Mt 10.28)

- Quando as nossas famílias estão consagradas a Deus, podemos ter a alegria de ver pai, mãe e filhos, em todas as fases de suas vidas, seguindo a Deus com todo vigor e alegria, sabendo que maior é o que está conosco do que o que está no mundo (I Jo 4.4) e que nós temos todas as condições de permanecermos com toda a família nos caminhos do Senho

- Ainda que o diabo ataque o nosso lar, há uma receita precisa e eficaz de Deus para nós: “sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós”. (Tg 4.7)

III – SUPRIDOS POR DEUS

1. O Pão de cada dia

“Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.” (Sl 127.2)

- Quando estamos com o nosso lar voltado para a vontade de Deus, devemos confiar que Ele é capaz de suprir todas as nossas necessidades.

- O salmista dizia: “fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão”. (Sl 37.25)

- Uma vez que Deus tem suprido as necessidades das nossas famílias, e continuará a fazê-lo, é importante, para os pais e para os filhos, equilibrar a dedicação ao trabalho secular com a dedicação ao cônjuge e aos filhos, e, principalmente, a Deus, uma vez que muitos há que, de tanto trabalhar terminam negligenciando tanto a família quanto a Deus

2. O Poder contra o inimigo

“Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.” (Sl 127.5)

- A família unida por Deus tem todas as condições para vencer o maligno e a todos os seus adversários com mais facilidade.

- Quando permitirmos e buscarmos para nossos lares, um ambiente de amor e harmonia vindo de Deus seremos como Levítico 26.8: “cinco de vós perseguirão a um cento deles, e cem de vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós”.

- Não é sem motivo que o diabo tem investido tanto para popularizar o divórcio e ridicularizar o casamento, até mesmo entre os crentes, pois ele sabe que o crente separado é crente derrotado e isolado, tornando-se presa fácil para suas armadilhas. Sabe ele, também, que filhos separados de um ou de outro dos pais é filho instável, inseguro e sofrido, portanto, sujeito às suas artimanhas. Mas quando consagramos nosso lar e nossas vidas a Deus, temos poder para vencer o maligno.

CONCLUSÃO

A estabilidade e segurança que um lar consagrado produz transfere -se, automaticamente, para os demais membros do corpo de Cristo, a Igreja.

Satanás sabe, muito bem, que contra uma Igreja cujos membros vivem o Evangelho de Cristo na forma genuína como nosso Senhor deixou não é uma presa fácil para suas armadilhas. Eis a razão porque o seu primeiro alvo é destruir as famílias, restando a cada um de nós ficar atento para suas astutas ciladas e vencê-las todas (Ef 6.10-11).

1. O seu lar é consagrado?
2. Você tem se dedicado à santificação, à obediência e à oração dentro de seu lar?
3.Você está disposto a mudar o que está errado na sua vida para que Deus tenha lugar dentro de sua casa?

Fonte: Missão Aupe / http://estudos.gospelmais.com.br/o-lar-consagrado.html






#################
#####################
########################
##########################


A FAMÍLIA E A IGREJA






1 João 2.12-17

12 – Filhinhos, escrevo-vos porque, pelo seu nome, vos são perdoados os pecados.

13 – Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.

14 – Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.

15 – Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

16 – Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

17 – E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

INTRODUÇÃO

- Dentro do plano divino para salvação da humanidade Deus sempre procurou o bem estar da família (Gn 6.18; 19.12; Êx 10.9), por isso, é de grande importância buscarmos as bênçãos que provém de um lar dirigido pela Palavra de Deus.

- Veremos a seguir o que pode ser feito, de acordo com a Bíblia, para que possamos experimentar a harmonia entre aquilo que vivenciamos na nossa casa e o que aprendemos na Casa do Senhor.

I – A FAMÍLIA CRISTÃ É PARTE DA IGREJA DE JESUS

- Um dos grandes desafios enfrentados pelos cristãos de todos os tempos tem sido o de apresentar a Deus uma família que se enquadre dentro da Sua vontade.

- Hoje, mais do que nunca, temos que procurar fazer com que a nossa família seja uma extensão da Igreja.


Para que isto aconteça devemos:

1. Deixar Jesus entrar em nossas casas

- Não se pode ter uma família feliz se Cristo não for o centro do nosso lar. O Evangelho de Lucas registra algo maravilhoso quando Jesus fala para Zaqueu: “Hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Prontamente Zaqueu tomou a decisão mais correta da sua vida e levou para sua casa alguém que mudaria para sempre a sua história. Foi, sem dúvida alguma, o hóspede mais ilustre que ele recebeu. Na atualidade muitas coisas negativas têm encontrado espaço nas famílias que se dizem cristãs, seja através da mídia, das amizades impróprias (jugo desigual), de tantos outros agentes do mal que têm se apropriado do espaço que deveria ser dado ao Senhor.

- Em muitas famílias Jesus não é mais bem vindo, apesar de estar sempre batendo à porta, mesmo estando do lado de fora.

- A família que abrir as portas para Ele, como fez Zaqueu, poderá experimentar uma mudança imediata que será benéfica para todos os seus membros (Ap 3.20).

2. Viver no ambiente familiar os ensinos de Jesus

- Só podemos afirmar com convicção que Cristo está na nossa família se obedecermos aquilo que Ele nos ensina. É inconcebível que alguém pregue a respeito da paz quando, na sua casa ele agride o seu cônjuge (Ef 5.22,25), ensine a respeito do amor quando a sua vida familiar mostra exatamente o oposto (1 Tm 3.5), corrige o mundo em que vive mas não disciplina os seus filhos (Pv 23.13).

- Quem permite que Jesus entre em sua casa deve, da mesma forma, ouvir os seus conselhos e colocá-los em prática (Lc 6.49) . Observe a reação de Zaqueu após ter permitido que o Senhor entrasse no seu lar e anunciasse a Sua Palavra: Passou a ser um homem solidário, honesto e íntegro (Lc 19.8) e depois de tudo ouviu do próprio Salvador a seguinte afirmação: “Hoje veio salvação a esta casa” (Lc 19.9).

- Podemos constatar que, a partir daquela visita o lar de Zaqueu passou por uma transformação completa. Não adianta servirmos a Deus unicamente no ambiente da Igreja.

- Devemos deixar Jesus entrar nos nossos lares, ouvirmos os seus conselhos através da Bíblia, e vivermos o que Ele nos ensina. Isto fará com que nossa casa seja um “pedaço do céu” (Sl 128).

II – CONSAGRANDO OS FILHOS A SERVIÇO DA IGREJA

- Quando usamos a palavra consagrar, como neste contexto, estamos dizendo o mesmo que dedicar, oferecer a Deus os nossos filhos para que Ele os use de acordo com a Sua vontade. O propósito do diabo desde os tempos remotos é o de impedir que tal consagração ocorra.

- Observe uma das propostas de Faraó a Moisés ainda no Egito: que as crianças e as mulheres ficassem, enquanto os homens fossem servir a Deus no deserto (Êx 10.10,11).

- A mesma proposta é lançada para os crentes atuais quando o inimigo sugere que nós não precisamos levar as crianças para a igreja, que podemos deixá-las em nossas casas enquanto iremos adorar ao Senhor, que eles são muito novos para servirem a Deus e etc.

- Por isto devemos consagrar os nossos filhos ao Senhor mesmo antes deles nascerem para que suas vidas sejam direcionadas pela vontade de Deus Leia na sua bíblia os exemplos de Ana (1 Sm 1.11,28), Abraão (Gn 22.12), Zacarias e Isabel (Lc 1.13,63) e Maria (Lc 2.22,23)

III – CONSAGRANDO OS BENS AO SERVIÇO DA IGREJA

- Os bens materiais que Deus colocou em nossas mãos devem ser administrados visando o crescimento do Reino de Deus.

- Na família que serve a Deus em espírito e em verdade não deve haver egoísmo, ambição nem avareza.

- Devemos consagrar a Deus todos os nossos bens como casa, emprego, salário, carro, móveis, etc. Agindo assim estaremos colocando tudo nas mãos de quem realmente é o verdadeiro dono.

Devemos manter uma atitude de:

1. Voluntariedade

- Tudo que consagramos ao Senhor só será aceito se partir de um coração voluntário, visto Deus não aceitar oferta que é trazida sem espontaneidade.

- Barnabé exemplifica esta verdade ao vender sua propriedade, que indubitavelmente já havia consagrado a serviço da igreja, e trazer o valor correspondente à venda, depositando aos pés dos apóstolos (At 4.37).

- Ao contrário de Ananias e Safira que ao invés de oferecerem voluntariamente ao Senhor o dinheiro, simularam que estavam entregando tudo, usaram de falsidade e mentira e foram punidos com a morte. (At 5. 1-10)

IV – MANTENDO O MINISTÉRIO EM ALTA ESTIMA PERANTE OS MEMBROS DA FAMÍLIA

- Todos os itens acima expostos serão de pouca valia se houver uma postura de descrédito na relação família-ministério eclesiástico, pois como será a família parte da igreja de Jesus, os filhos e os bens consagrados a serviço da igreja se nós menosprezamos a autoridade ministerial? Para isso é necessário:

1. Vigilância

- Evitar criticar o pastor e demais liderança diante dos nossos filhos. Isto pode distorcer a sua visão e fazer com que ele não se submeta aos ensinamentos cristãos e perca o interesse pela igreja (Tg 4.11).

2. Respeito

- Toda autoridade é constituída por Deus e quando esta verdade está relacionada ao ministério da igreja do Senhor Jesus, tem um peso de importância infinitamente maior.

- Será difícil para um membro da nossa família “desejar o episcopado” (1Tm 3.1) se não houver da nossa parte o respeito necessário ao ministério.

3. Obediência

- A melhor maneira de se exigir obediência de alguém é mostrar que se é obediente a outrem.

- Obedecendo ao nosso pastor teremos uma grande oportunidade de mostrar à nossa família a importância da função que ele está exercendo, cuidando das nossas almas.

CONCLUSÃO

Deus espera que façamos tudo o que Ele nos ensina para que nossa família seja parte da igreja. Se O obedecermos incondicionalmente poderemos dizer como Josué: “…eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.25). Caso contrário lamentaremos a ausência de Jesus da nossa família como Marta que disse: “Se tu estivesses aqui meu irmão não teria morrido”.(Jo 11.21)

1. Você tem colocado seus filhos à disposição de Deus?

2. Tudo o que Deus te deu está consagrado a Ele?
3. Qual é a imagem que você tem levado para sua família do ministério da sua igreja?

Fonte: Missão Aupe / http://estudos.gospelmais.com.br/a-familia-e-a-igreja.html






=================
===================
======================