terça-feira, 27 de dezembro de 2011



A Igreja Que
Queremos Ser!

Textos bíblicos para reflexão durante a semana:




Segunda: Mateus 18:15-35 Sexta: Mateus 9:35-38

Terça: Atos 4:32-37 Sábado: Mateus 6:5-15

Quarta: Tiago 1:19-27 Domingo: Romanos 12:1-2

Quinta: Salmo 150

Introdução

Rick Warren, em seu livro “Uma igreja com propósitos”, relaciona algumas motivações de existência de algumas igrejas, como transcrevo a seguir:

Igrejas dirigidas pela tradição

“Nas igrejas dirigidas pela tradição, a frase preferida é: “Nós sempre fizemos isso desse jeito”. O alvo da igreja dirigida por tradições é simplesmente perpetuar o passado. Mudanças são quase sempre vistas de uma forma negativa e a estagnação é interpretada como sinônimo de ‘estabilidade’.

“Igrejas mais antigas têm a tendência de se agarrar a certas regras, regulamentos e rituais, enquanto as mais jovens tendem a se unir a um propósito e uma missão. Em algumas igrejas a tradição é tanta que qualquer outra coisa, inclusive a vontade de Deus, se torna secundária. Ralph Neighbour disse que as sete últimas palavras desta igreja são: ‘nós nunca fizemos isto deste jeito antes’.

Igrejas dirigidas por personalidades

Nesta igreja o fato mais importante é: ‘o que o líder da igreja quer?’ Se o pastor está servindo na igreja por muito tempo, certamente é a personalidade que a motiva. Mas se a igreja tem uma história de sempre mudar de pastor, um leigo de destaque na igreja certamente é esta força polarizadora. Um dos problemas comuns de uma igreja dirigida por personalidade é que o planejamento é sempre determinado pelo passado, necessidades e inseguranças do líder e não pela vontade de Deus e pela necessidade do povo. Outro problema é que esta igreja é colocada em xeque quando a personalidade dirigente a deixa ou morre.

Igrejas dirigidas pelas finanças

“A questão que ronda a mente de cada pessoa numa igreja dirigida por finanças é: ‘quanto isto vai custar?’ Nada é tão importante quanto as finanças. Boa mordomia e entrada financeira são elementos essenciais em uma igreja sadia, mas finanças nunca podem ser um fator controlador. O item principal deve ser o que Deus quer que a igreja faça. Igrejas não existem para produzir lucro. A razão da existência de uma igreja não deve ser ‘quanto conseguimos economizar?’, mas sim, ‘quantos nós conseguimos salvar?’ Tenho notado que muitas igrejas são dirigidas pela fé nos seus primeiros anos, mas depois o dinheiro assume o controle da direção.

Igrejas dirigidas por programas

“A Escola Dominical, o programa feminino, o coral e o grupo jovem são exemplos de programas que muitas vezes são a força que motiva certas igrejas. Numa igreja dirigida por pogramas, toda energia está concentrada em se manter o que foi planejado. A igreja dirigida por programas, em vez de desenvolver o povo, trabalha somente no preenchimento de cargos. A comissão de nomeações é o grupo mais importante da igreja. Se os resultados não são esperados, as pessoas envolvidas culpam a si mesmas por não trabalharem o suficiente. Ninguém jamais questiona se o progama ainda funciona ou não.

Igrejas dirigidas por construções

“Winston Churchill disse uma vez: ‘Formamos os nossos prédios e depois os prédios nos formam’. Muitas vezes uma congregação está tão ansiosa por ter um prédio bonito, que os seus membros gastam mais dinheiro do que eles têm. O maior item do orçamento é o pagamento da manutenção das instalações. Fundos necessários para operar ministérios têm de ser desviados para pagar intermináveis prestações e assim o verdadeiro ministério da igreja sofre. Para isso serve a expressão chinesa: ‘Em vez de o cachorro balançar o rabo, o rabo balança o cachorro’. Por outro lado, certas igrejas permitem que a pequenez de seus templos sirva como limites para o seu crescimento futuro. Para eles, permanecer num templo histórico, embora inadequado, é mais importante do que alcançar a comunidade.

Igrejas dirigidas por eventos

“Se você olhar o calendário de uma igreja dirigida por eventos, ficará com a impressão de que a meta daquela igreja é manter o povo ocupado. Sempre tem alguma coisa acontecendo, todos os dias da semana. Assim que um grande evento é realizado, já começam a trabalhar no próximo. Existe muito trabalho em igrejas como esta, mas não necessariamente produtividade. Uma igreja pode ser ocupada sem entender qual é o propósito de tanta ocupação. Alguém precisa questionar: ‘Qual o propósito de cada uma de nossas atividades?’ Numa igreja dirigida por eventos, o número de pessoas que freqüentam as programações é a principal medida de fidelidade e maturidade. Devemos nos preocupar com a tendência de permitir que reuniões substituam o ministério como a principal atividade dos crentes.

Igrejas dirigidas pelos sem-igreja

“Em uma tentativa honesta de alcançar almas para Cristo e ser relevante na cultura moderna, algumas igrejas permitem que as necessidades dos não-crentes se tornem a sua força motivadora. A pergunta principal é: ‘o que os sem-igreja querem?’ Devemos ser sensíveis às necessidades, emoções e interesses dos não-crentes. Planejar cultos evangelísticos visando essas necessidades é uma idéia inteligente, mas não podemos permitir que isso dirija por completo a programação da igreja.

“Os propósitos de Deus para sua igreja incluem o evangelismo, mas isso não exclui os outros propósitos. Atrair os sem-igreja é o primeiro passo em se fazer discípulos, mas não deve ser a força que controla a igreja. Ela deve ser sensível às almas famintas mas não pode ser dirigida por elas”. 1

Diante dessa visão geral, à luz da Bíblia, que tipo de igreja queremos ser? Uma igreja dirigida por eventos? Pela tradição? Pela construção? Enfim, que tipo de igreja queremos ser?

Que esses modelos de igrejas não se enquadrem dentro da nossa realidade, pois queremos ser…

1. UMA IGREJA QUE VIVA EM COMUNHÃO

- Uma igreja em que os relacionamentos sejam marcados pelo amor (João 13:35); amor que anima, ajuda, aconselha, orienta; amor que capacita para o exercício da disciplina (Mateus 18:15-35/ Gálatas 6:1-2).

- Uma igreja em que a comunhão seja um meio pelo qual as pessoas conheçam a Cristo (João 17:21). Uma igreja em que as pessoas aprendam e pratiquem a arte de amar (Mateus 5:38-48).

- Uma igreja-hospital, uma comunidade terapêutica na qual os feridos de alma sejamcurados, os cativos e oprimidos sejam libertos (Lucas 4:17-21).

- Uma igreja em que as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos e os idosos convivam em harmonia, cumprindo cada um com alegria, a sua responsabilidade para o crescimento da igreja (Efésios 4:16).

2. UMA IGREJA QUE ESTENDA A SUA MÃO AO PRÓXIMO

- Uma igreja que ame a ponto de estender a mão ao caído e, à semelhança do bom samaritano, o socorra em suas necessidades (Lucas 10:25-37).

- Uma igreja que se identifique com as pessoas que estão à sua volta, fazendo diferença com a prática do amor (Atos 4:32-37).

- Uma igreja que se relacione com a comunidade, e faça diferença como sal, luz e fermento (Mateus 5:13-16/Mateus 13:33).

3. UMA IGREJA COMPROMETIDA COM A PALAVRA DE DEUS

- Uma igreja em que o ensino da Palavra de Deus seja ministrado com profundidade, a fim de capacitar os seus membros para o exercício dos seus ministérios (Efésios 4:11-12).

- Uma igreja cujos membros encontrem subsídios para o seu crescimento na graça e no conhecimento de Cristo Jesus (II Pedro 3:18).

- Uma igreja firmada na Verdade, que não se deixe levar pelos ventos de doutrina deste tempo (Efésios 4:13).

- Uma igreja que conheça e viva de acordo com a Palavra de Deus (Tiago 1:22).

- Não queremos ser uma igreja dirigida pela tradição humana, antes pela Palavra de Deus (Mateus 15:6).

4. UMA IGREJA QUE ADORE A DEUS EM ESPÍRITO E EM VERDADE (João 4:23-24)

- Uma igreja em que os cultos de celebração sejam oportunidades de capacitação dos seus membros para o cumprimento da sua missão (Atos 4:23-31).

- Uma igreja na qual todos adorem juntos: jovens com adultos; adolescentes com idosos… (II Reis 23:2 - “desde o menor até o maior”/ Joel 2:16).

- Uma igreja em que a música seja um instrumento de inspiração e edificação do povo de Deus (Salmo 150).

5. UMA IGREJA QUE EVANGELIZE! UMA IGREJA QUE FAÇA MISSÕES!

- Uma igreja que proclame a Verdade (II Timóteo 4:1-5 e Romanos 1:16), testemunhando de Cristo com a vida (Atos 1:8).

- Uma igreja que leve a Verdade às pessoas onde elas estejam (Mateus 9:35-38 e Atos 8:26-40).

- Uma igreja que faça discípulos de Jesus Cristo, capacitando-os a fazer outros discípulos (Mateus 28:18-20).

Porque desejo que a minha igreja atinja esses objetivos, estou disposto a …

1. Investir pelo menos 15 minutos diários na prática da oração, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela que caminha de joelhos, perseverando na oração (I Tessalonicenses 5:17;Mateus 6:5-15).

2. Consagrar ao Senhor com fidelidade os dízimos e as ofertas que a ele pertencem, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela formada por crentes que consagram suas vidas e bens ao Senhor e à sua obra (Romanos 12:1-2; Malaquias 3:7-10).

3. Zelar pela observância dos princípios bíblicos para a formação e manutenção da família, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela que é formada por famílias que prevalecem (Efésios 5:22-6:4).

4. Aplicar todos os dons e capacitações que tenho recebido do Senhor para que a minha igreja cumpra o seu ministério, porque entendo que a igreja que prevalece é aquela que desenvolve ministérios orientados pelos dons espirituais (Mateus 25:14-30; I Timóteo 4:14; II Timóteo 1:6-7) .

5. Submeter-me à autoridade de Cristo sobre a minha vida para que, no que depender de mim, a minha igreja não seja dirigida por personalidade, antes pela Personalidade do Senhor Jesus (Efésios 5:18).

6. Cumprir a minha missão como crente fazendo discípulos que, comprometidos com a Palavra de Deus, façam outros discípulos (Mateus 28:18-20).

7. Trabalhar pela preservação da paz e da unidade da minha igreja.

Conclusão

- Essa é a igreja dos sonhos de Jesus! Sonho que pode se tornar realidade a partir de você.

- Não podemos apenas contemplar a linda história que os nossos antepassados nos legaram. Precisamos fazer história; uma história que inspire as gerações vindouras, assim como fomos inspirados pelas gerações passadas.

- Sejamos uma igreja relevante; uma igreja que prevalece!

AGRADECIMENTOS

Ao encerrar esta série de estudos, gostaria de render graças ao meu Deus que me sustentou e ajudou na realização deste trabalho.

Confesso aos irmãos que, em alguns momentos imaginei que não ia conseguir dar conta de tão grande desafio. Porém Deus foi fiel. A sua graça não faltou e, por isso, chegamos juntos até aqui.

Estas lições serão usadas na classe de novos membros da igreja. Todos os novos membros recebidos por batismo, reconciliação, carta de transferência ou aclamação deverão fazer estes estudos nesta classe.

Espero que assim os fundamentos do ministério da igreja sejam bem firmados.

Gostaria ainda de agradecer à minha família, pelo estímulo e participação neste ministério.

Agradeço ao diácono Adalberto Alves de Sousa, pela preciosa revisão literária; às secretárias da nossa igreja, Eliasib de Almeida Nascimento, Lucilene Mendes dos Santos e Patrícia Ferreira da Rosa Baumgarten; à irmã Alzerina Werly de Lima Cauper, por sua dedicação e prontidão em preparar as cópias; à Primeira Igreja Batista de Itaguaí e Primeira Igreja Batista de Mangaratiba pela coragem em participar deste projeto também.

Agradeço ainda aos alunos e professores da Escola Bíblica, por terem aceito este desafio.

Que Deus nos ajude a fazer a nossa parte para que sejamos sempre uma igreja que prevalece!

No amor de Cristo,

Pastor Marcos. / http://www.pibmadureira.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=109:13-a-igreja-que-queremos-ser&catid=27:estudos-biblicos&Itemid=141






======================
=====================
====================
====================

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.