terça-feira, 28 de junho de 2011



“Os sete julgamentos
essenciais de Deus
previsto na Bíblia”

Texto: Jo. 5:24-29

“Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo; E deu-lhe o poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem. Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.”





Introdução

- Agora vamos aprender um ensino muito importante e significante para nós. Às vezes a vida parece sem sentido e o mundo esquecido por Deus. Mas Deus olha e vê tudo que acontece.

- Mesmo que haja momentos, que ao homem parece não haver recompensa em servir a Deus, em ser justo. Mesmo que em algumas situações nos pareça, que Deus não faz justiça, que Deus não traz juízo sobre a terra, como aconteceu com Asafe no Sl 73 que achou que era em vão servir a Deus, ele chegou até achar que era em vão ter mãos limpas e coração puro Sl. 73:2-3 (“Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios.”), o que mudou completamente a sua visão quando foi revelado por Deus Sl. 73:1(“Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.”). A bíblia ensina sobre os sete julgamentos previstos por Deus em sua palavra.

1) O julgamento da Cruz

- Deus estabeleceu no Éden a sentença de morte para o homem caso ele pecasse. Gn. 2:16-17 (“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”)

- O homem caiu. Gn. 3:1-13 (“Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. - E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses? Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi. E disse o Senhor Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.”)

- Desde Gn. 3:15 (“E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”) até o fim do Velho Testamento, Deus prometeu este julgamento que representa a redenção do homem. IPe. 1:18-20 (“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;”)

- Deus prometeu o resgate para o homem, Deus prometeu este julgamento.
- O julgamento da cruz foi o julgamento do salvo. Rm. 8:1 (“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.”), Rm. 5:1 (“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;”)

- Este julgamento representa o julgamento que Cristo fez em favor da igreja. IICo. 5:21 (“Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.”)

- Todos os salvos da antiga e da nova aliança são salvos pelo julgamento da cruz.

- O homem só pode ser salvo, absolvido da culpa do pecado, se crer e receber de forma pessoal o sacrifício de Cristo na cruz. At. 4:12 (“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”)

- O homem só pode entrar no céu, se passar pela cruz, se passar por Jesus. Jo. 10:9 (“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.”), Jo. 14:6 (“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”) e ITm. 2:5 (“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”)

- A igreja é salva, porque Cristo já foi condenado por ela, porque Cristo a comprou com seu precioso sangue. Louvado seja Deus por seu filho Jesus que já sofreu esse julgamento em nosso lugar.

2) O julgamento do Cristão

- Uma vez que aceitamos a Cristo os nossos pecados estão perdoados. O nosso passado está apagado, e os pecados até então praticados estão perdoados. II Co. 5:17 (“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.”) e At. 17:30 (“Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;”)

- Mas agora, o cristão uma vez crente será julgado na sua performance cristã de fé. Deus olha se realmente há mudança, se o novo nascimento ocorreu de verdade na sua vida. Jo. 3:3 e 5 (“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.”); Rm 12:1-2 (“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”)

- O cristão tem seu julgamento cotidiano baseado nas ações do arrependimento e da confissão. IJo. 2:1-2 (“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.”) e IJo. 1:7 (“Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.”)

- Por isso que a bíblia ensina que cada cristão deve examinar, e julgar cada um a si mesmo. ICo. 11:27-32 (“Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem. Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.”)

- Não podemos esquecer que o juízo começa pela casa de Deus. Nesse julgamento, é julgado a nossa sinceridade diante de Deus. Não podemos esquecer que Deus está julgando a conduta de cada um e que todas as coisas estão patentes diante de seus olhos.

- A igreja não pode ser ignorante a cerca desse importante julgamento. Para melhor compreensão LER E MEDITAR NOS SALMOS 32 E 51.

3) O julgamento do Tribunal de Cristo

- Paulo fala a igreja, que todos nós vamos comparecer ante o tribunal de Cristo. Rm. 14:10 (“Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo.”).

- Nesse Juízo cada um dará conta de si mesmo a Deus. Rm. 14:12 (“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”)

- Cada servo de Deus vai receber segundo o que tiver feito por meio do corpo. IICo. 5:10 (“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.”)

- É um julgamento para receber galardão. Ap. 22:12 (“E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.”)

- O tribunal de Cristo não é para julgamento de pecados. IJo.1:7 (“Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.”) (É para julgamento de obras)

- O tribunal de Cristo não é para condenação e sim para dar recompensa. Rm. 8:1 (“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. ”)

- O tribunal de Cristo não é para garantir entrada no céu, pois ao convertermos a Cristo já temos esta garantia. Jo. 5:24 (“Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.”)

- Nesse juízo vai ser julgado nossa conduta. II Co. 5:10 (“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.”)

- No tribunal de Cristo nossas ações diante de provas e tentações serão julgadas.

- Nossas reações diante de sofrimentos, o tempo, o dinheiro, o trabalho, tudo que você fez será julgado.

- Neste Julgamento todas as obras serão julgadas. ICo. 3:11-15 (“Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”)

- O fogo é o símbolo do juízo de Deus.

Obras dignas X Obras indignas
Obras de valor X Obras sem valor
(Ouro, prata, pedras preciosas) X (Madeira, palha e feno)

- Deus vai conceder Cinco tipos de coroas nesse julgamento.

1ª - Coroa de Glória. IPe. 5:4 (“E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória.”).

2ª - Coroa incorruptível. ICo. 9:25 (“E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.”)

3ª - Coroa de Alegria. Fl. 4:1 (“Portanto, meus amados e mui queridos irmãos, minha alegria e coroa, estai assim firmes no Senhor, amados.”)

4ª - Coroa de Justiça. II Tm. 4:8 (“Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.”)

5ª - Coroa de vida. Ap. 2:10 (“Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida..”)

4) O julgamento de Israel

- Deus prometeu juízo especifico a nação de Israel. Ez. 20:37-38 (“Também vos farei passar debaixo da vara, e vos farei entrar no vínculo da aliança. E separarei dentre vós os rebeldes, e os que transgrediram contra mim; da terra das suas peregrinações os tirarei, mas à terra de Israel não voltarão; e sabereis que eu sou o Senhor.”)

- Deus sempre deu privilégios a Israel, mas sempre cobrou e julgou Israel por sua conduta. Exemplos:

1º) - Deus trouxe Juízo no tempo de juizes.
2º) - Deus trouxe Juízo ao Reino de Israel no cativeiro assírico.
3º) - Deus trouxe Juízo ao Reino de Judá no cativeiro babilônico.

- A bíblia revela um tratamento especifico de Deus com Israel. Sl. 50:6-7 (“E os céus anunciarão a sua justiça; pois Deus mesmo é o Juiz. Ouve, povo meu, e eu falarei; ó Israel, e eu protestarei contra ti: Sou Deus, sou o teu Deus.”)

- Em todo tempo da história Deus sempre julgou e julgará Israel separadamente das outras nações.

- Podemos ver o tratamento de Deus separadamente com Israel:
§ Na velha aliança
§ Na nova aliança
§ Na grande tribulação
§ E no milênio.

5) O julgamento das Nações

- A bíblia promete o juízo das nações, Deus um dia julgará e cobrará a justiça de todos os povos e de todas as nações. Is. 34:1-5 (“Chegai-vos, nações, para ouvir, e vós povos, escutai; ouça a terra, e a sua plenitude, o mundo, e tudo quanto produz. Porque a indignação do Senhor está sobre todas as nações, e o seu furor sobre todo o exército delas; ele as destruiu totalmente, entregou-as à matança. E os seus mortos serão arremessados e dos seus cadáveres subirá o seu mau cheiro; e os montes se derreterão com o seu sangue. E todo o exército dos céus se dissolverá, e os céus se enrolarão como um livro; e todo o seu exército cairá, como cai a folha da vide e como cai o figo da figueira. Porque a minha espada se embriagou nos céus; eis que sobre Edom descerá, e sobre o povo do meu anátema para exercer juízo.”)

- Esse juízo se dará no término da grande tribulação e na implantação do reino milenar. Ocorrerá por ocasião da segunda vinda de Cristo.

- Jesus será o rei de toda terra.

- Jesus virá em grande Glória com a igreja e seus anjos. Mt. 25:31 (“E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;”)

- Jesus se assentará como rei e juiz em glória e poder.

- Todos se comparecerão perante Ele para receberem leis, estatutos e juízo.

- Nesse julgamento de Jesus haverá separação entre os bodes e as ovelhas. Separação entre o justo e o injusto. Ml. 3:18 (“Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve.”)

- Só haverá justiça de verdade nesta terra no governo milenar de Cristo. Só no milênio. Ml. 4:2 (“Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.”)

6) O julgamento dos Anjos Caídos. Jd. 6 (“E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia;”)

- Este julgamento refere-se aos anjos que não permaneceram na sua posição original, mas que rebelaram contra Deus e violaram a sua lei. Ap. 12:4 e 9 (“E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.”)

- O diabo e seus anjos, agora já estão aprisionados, sentenciados aguardando o devido juízo.

- Nem todos os anjos estão encarcerados, pois satanás e muitos demônios estão na terra atualmente. II Pe. 2:4 (“E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa,”) e IJo. 5:19 (“Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.”)

- Na verdade Deus já separou e já julgou os anjos. O julgamento dos anjos já aconteceu. Ez. 28:13-19 (“Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. - Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.”)

- Deus deu o devido castigo a satanás. Is. 14:13-15 (“E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.”)

- Na verdade o juízo de satanás e os demônios já aconteceu, eles esperam apenas a condenação que lhes está reservada.

- O diabo e seus anjos já têm o lago de fogo e enxofre como seu lugar eterno, pelo juízo que já recebera. Mt. 25:41 (“Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;”)

- Essa é a sentença de Deus que aguarda o diabo e seus anjos. Ap. 20:10 (“E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”)

- No devido tempo da consumação dos séculos o diabo receberá com seus anjos a condenação que pelo juízo de Deus lhes está reservado.

7) O julgamento do Juízo Final

- Este será o julgamento do trono branco. Ap. 20:11 (“E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles.”)

- Neste julgamento estarão ali todos os mortos. Ap. 20:12 (“E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.”) – portanto se dará a 2ª ressurreição.

- Serão usados neste julgamento, (neste juízo) os seguintes livros:

§ O livro das Obras – O juízo será segundo as obras.
§ Os livros da Bíblia – O juízo será segundo a palavra de Deus.
§ O livro da Consciência – O homem reconhecerá pela justiça de Deus diante do Trono Branco a sua própria condenação.
§ O livro da Vida – Há um rol com os nomes dos salvos arrolados no céu. Ap. 20:15 (“E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.”)

- Todos os pecados alistados na bíblia, ali serão sentenciados como em Ap. 21:8 (“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.”); ICo. 6:9-10 (“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”) e Gl. 5:19-21 (“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.”)

- No Juízo final todos os condenados, “os que não se acharem escritos no livro da vida” serão lançados para dentro do lago de fogo e enxofre. Ap. 20:15

Conclusão

Aprendemos que o salvo tem pela palavra de Deus a sua redenção garantida e sua eterna habitação no novo céu e nova terra.
Porém para os perdidos, aprendemos que a condenação será severa e sem misericórdia e que o seu destino eterno é no lago de fogo e enxofre.
Entendamos que Deus é justo e que os seus juízos (os sete julgamentos) acontecerão no seu próprio tempo, que Ele mesmo determinou.

AUTOR: Pr. José Vandelô
FONTE: http://www.aditaberai.com.br/esbocos_vis.php?id=000000000000011&idc=00004






################
##################
####################
#####################

Nenhum comentário:

Postar um comentário