quinta-feira, 31 de março de 2011


Sete coisas que

existem no inferno e que

precisamos ter na Igreja


TEXTO: Lc. 16. 19-31


- Muitos não acreditam que possa haver o inferno. Mas o fato é que de todos os escritores do livro sagrado, o que mais fala dele é o próprio Senhor Jesus.

7 COISAS QUE EXISTEM NO INFERNO E QUE PRECISAM EXISTIR NA IGREJA:

1 – NO INFERNO EXISTE UMA VISÃO CLARA DA REALIDADE ESPIRITUAL (v.23):

- Aquele homem rico morreu e foi para o inferno e a primeira coisa que vemos na vida dele, é uma visão clara, os olhos dele se abriram.

- Aquele homem quando estava aqui, vivia numa completa cegueira. Mas de repente no inferno, ele foi tomado de lucidez espiritual, de um esclarecimento.


A visão que ele teve no inferno se baseia em duas coisas:

1º - Existe uma realidade depois da morte: Essa realidade, é o que te leva a crer no Senhor para salvação, pois existe sim um Julgamento e muitos serão condenados para o inferno;

2º - O outro lado da visão, que esse esclarecimento da visão da realidade da vida depois da morte, é o que deve nos levar a ter uma atitude evangelizadora;

- Aquele que é displicente com o evangelismo, é na verdade alguém que não tem esclarecimento a respeito das realidades do espírito, porque se tivesse, não seria indiferente para advertir as pessoas a respeito da vida após a morte.

- Você tem sido atencioso ou displicente em relação ao evangelismo?

2 – NO INFERNO EXISTE SÚPLICA E CLAMOR (v. 24a):

- Podemos pensar que o inferno é um lugar cheio de blasfêmia, mas o texto mostra que o inferno é um lugar cheio de súplica, clamor e grito de misericórdia. Mas lá não terá ninguém para ouvir, não se poderá mais orar ao Pai.

- O rico pede algo para Abraão, mas nós, temos o caminho aberto, podemos chegar diante do trono da graça pelo sangue de Jesus e chamar Deus de Pai, Ele vai responder dizendo que nós somos filhos e vai nos abrir os tesouros do céu.

- É terrível pensar que no inferno há clamor e às vezes, na igreja não há!

- Existe um clamor em seu coração pelos perdidos?

3 – NO INFERNO EXISTE CONSCIÊNCIA DA PRÓPRIA CONDIÇÃO (v.24):

- Mais do que qualquer outra coisa, aquele homem teve a clara percepção da futilidade de todas as coisas, diante do peso da eternidade.

- Ele sabia que estava no inferno por causa de suas escolhas nessa vida.

4 – NO INFERNO EXISTE SEPARAÇÃO (v.26):

- Separação é um princípio vital na Palavra de Deus, o capítulo 1 de Gênesis mostra separação entre o dia e a noite, entre a luz e as trevas, entre águas de cima e águas debaixo, entre a terra e o mar, depois Deus separou Abraão de Ló, Isaque de Ismael, Esaú de Jacó, Deus separou Davi de Saul.

- Hoje, no Novo Testamento, Deus separa, a alma do espírito; Deus separa o que é da carne, daquele que é espiritual; o santo do profano; o filho de Deus e o filho da ira; salvação da condenação;

- No inferno eles entendem bem, que existe separação, lá as coisas são claras, mas muitos de nós não entendemos a separação!

5 – NO INFERNO EXISTE PREOCUPAÇÃO COM A SALVAÇÃO DOS PECADORES (v.27-28):

- Ele estava no inferno e preocupado com os que ficaram aqui.

- Muitos pensam que quem está no inferno, não está preocupado nenhum pouco com aqueles que estão aqui a caminho do mesmo. Mas isso é um engano.

- Quem está no inferno sofrendo em chamas esta preocupadíssimo com aqueles familiares, amigos que estão caminhando a passos largos para a perdição. Este homem estava muito preocupado com sua família.

- Mas, muitas vezes entre nós ignoramos as pessoas da nossa própria família. Pais, irmãos, primos morrendo perdidos e nós não fazemos nada.

6 – NO INFERNO EXISTE ESPÍRITO MISSIONÁRIO (v.27):

- Jesus disse: “Pai envia trabalhadores para a sua seara".

- Precisamos de obreiros, precisamos de pastores, precisamos de pessoas dispostas!

- Foi Ele quem disse: “Pede ao Pai para que envie trabalhadores para a seara, pois a seara está madura, mas os trabalhadores são poucos”.

- No inferno o rico estava preocupado com seus parentes e amigos, não queria que eles fossem para o mesmo lugar.

- Esse homem no inferno tinha um espírito missionário, e esse mesmo encargo precisa estar em nossos corações como Igreja.

7 – NO INFERNO EXISTE O ENTENDIMENTO DO CAMINHO DA SALVAÇÃO (v.31):

-O que aquele rico queria era o seguinte: "Permita alguém que está aqui que está vendo essas coisas horríveis, para que possa voltar para contar lá em cima o tormento que é esse lugar tenebroso, e não venha para cá. Mas Abraão disse: Eles já tem Moisés e os profetas. Porém, o que é gracioso é que foi isso que Deus fez em Cristo.

1 - Jesus é Aquele que desceu do céu – Ele pode nos falar das coisas do céu;

2 - Mas Jesus é Aquele que morreu na cruz pelos nossos pecados e foi enviado ao inferno, diz a Bíblia;

- E esse Jesus que foi ao inferno, ressuscitou! Ele é esse que pode voltar e dizer que existe o céu e o inferno e que você não precisa ir para lá.

Guia do Compartilhamento

Cite o nome de pessoas que você tem orado para que sejam salvos.

O que você fará para levar o evangelho a sua família e aos perdidos?

Por Pr Silvio Galli E-mail: prsilviogalli@ibavmua.com FONTE:
http://www.igrejabatistaaguaviva.com/sede1/modules/eNoticias/article.php?articleID=810


==============

===============

================

=================

==================



Os benefícios de

fazer parte

da Família de Deus

TEXTO: Ef.2.19

Introdução:


- Deus sempre existiu e sempre teve um relacionamento amoroso consigo mesmo; logo, ele nunca esteve só. Ele não precisava de uma família, mas desejou uma; então arquitetou um plano para nos criar, trazer-nos para sua família e dividir conosco tudo o que possui.

- Isso dá a Deus um grande prazer. Quando colocamos nossa fé em Cristo, Deus se torna nosso Pai, nós nos tornamos seus filhos, os outros crentes se tornam nossos irmãos e irmãs, e a igreja se torna nossa família espiritual.

OS BENEFÍCIOS DE FAZER PARTE DA FAMÍLIA DE DEUS:

1 – NA FAMÍLIA DE DEUS MANTEMOS O FERVOR ESPIRITUAL:

- Quando estamos reunidos como Igreja, recebemos algo diferente do que quando estamos sozinhos buscando a Deus, temos que buscar a Deus sozinhos também, mas quando a Família de Deus se reúne, Deus se manifesta de uma forma diferente e mais poderosa.

- Por isso, quando estamos reunidos como Igreja o nosso espírito mantém-se aceso, e continuamos fervorosos de espírito. Uma brasa sozinha, fora do braseiro se apagará.

2 – NA FAMÍLIA DE DEUS RECEBEMOS BENCÃOS ESPIRITUAIS (Mt. 18.20):

- No Pentecoste, os 120 irmãos só receberam porque estavam na hora certa e no lugar certo.

- A unção que se manifesta na comunhão é maior do que a unção individual.

- Evidentemente Deus nos ouve em nosso quarto e podemos experimentar unção sozinhos em oração, mas a unção na congregação é maior, por isso sua experiência pode ser mais intensa.

- Por isso, o Senhor disse que “onde houver dois ou três reunidos no nome dele, ali ele estará no meio deles” (Mt 18.20).

- De certa forma, estar fora da comunhão é o mesmo que estar distante da Presença do Senhor.

3 – NA FAMÍLIA DE DEUS SOMOS PROTEGIDOS ESPIRITUALMENTE (Ec. 4.9-12):

- Nem é preciso discutir a inutilidade de um soldado que vai sozinho para a guerra.

- No campo de batalha quem guardaria a nossa retaguarda? Na guerra nós nos protegemos mutuamente e lutamos uns pelos outros.

- A Igreja nos fornece uma cobertura para a nossa vida espiritual aonde os irmãos oram uns pelos outros, pessoas que vão nos discipular e nos proteger nos momentos de fraquezas e dificuldades que passamos em meio a nossa caminhada cristã, por isso nunca podemos querer levar a vida cristã solitária.

4 – NA FAMÍLIA DE DEUS DESFRUTAMOS DA COMUNHÃO COM OUTROS FILHOS (I Co. 12.27):

- Se convivermos somente nas reuniões, nossa comunhão será muito superficial.

- Os contatos informais o ajudarão a mostrar-se como você é, e a conhecer melhor os outros, porque os verão como são em seu ambiente natural.

- Devemos buscar tempo para compartilhar, para sair juntos para comer, falar ao telefone, visitar-nos mutuamente e participar das diferentes atividades da igreja, como os encontros, a escola de ministério ou vinculando-nos a um ministério que nos permita explorar os talentos que Deus nos deu.

5 – NA FAMÍLIA DE DEUS APRENDEMOS COM OS IRMÃOS MAIS MADUROS (Pv. 12.5):

- A igreja permite que os diferentes ministérios se desenvolvam. Para tal podemos contar com pessoas com um desenvolvimento espiritual mais elevado que o nosso, com uma maior experiência em seu caminhar com Cristo.

- Pessoas designadas pelos pastores que podem dar-nos um conselho sábio quando dele precisarmos.

- Devemos estabelecer como princípio, buscar pessoas confiáveis e guiadas por Deus quando virmos que algum pecado ou mau hábito está nos governando, que não o podemos vencer ou que é mais forte que nossa vontade.

- É preciso buscar a ajuda dessas pessoas para receber um conselho e saber como sair vitorioso do problema ou situação.

6 – NA FAMÍLIA DE DEUS VOCÊ SERÁ AJUDADO A CUMPRIR SUA MISSÃO NO MUNDO:

- Enquanto Jesus andou sobre a terra, Deus trabalhou por meio do corpo físico de Cristo; nos dias de hoje, Ele usa seu corpo espiritual. A igreja é o instrumento de Deus na terra.

- Não devemos apenas ser exemplo do amor de Deus ao cumprirmos o mandamento de amarmos uns aos outros; devemos transmitir em conjunto para o resto do mundo. Esse é um privilégio incrível que foi concedido a todos nós.

- Alguns motivos pelos quais alguns irmãos não valorizam a Família de Deus:

-Ignorância; -Falta de Tempo; -Preguiça; -Presunção; -Mundanismo; -Cansaço;

- Existem pessoas que não dão o devido valor para a Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo, por que pensam que já estão salvas e se forem aos cultos, já é o bastante, mas temos que lembrar que Jesus morreu em uma cruz por sua Igreja,que somos nós.

Guia do Compartilhamento

Dos benefícios citados que a Família de Deus traz para nossa vida, qual é o que tem mais lhe abençoado? Por quê?

De que forma a Família de Deus tem impactado sua vida?


Por Pr. Silvio Galli E-mail: prsilviogalli@ibavmaua.com Fonte: http://www.igrejabatistaaguaviva.com/sede1/modules/eNoticias/article.php?articleID=813




++++++++++++++

+++++++++++++++

++++++++++++++++

+++++++++++++++++



quarta-feira, 30 de março de 2011


Escolhendo Certo


Quebra-gelo: Você conhece alguém que destruiu a sua vida por escolher um caminho errado?

Textos: Provérbios 16:25 e Deuteronômio 30:15-20

Introdução:


- Todos os dias temos que tomar várias decisões, algumas inocentes, outras podem marcar definitivamente nossas vidas, por isso precisamos escolher bem, escolher certo.

- Conhecemos a história de pessoas que escolheram coisas que durante um momento pareciam boas, mas as prejudicaram e destruíram.

Se não quisermos que isso aconteça conosco:

1) Precisamos aprender a escolher bem.

- Se quisermos escolher bem precisamos escolher o que Deus nos propõe. Essa é a melhor escolha.

- Muitas vezes escolhemos o que gostamos ou queremos e esquecemos o que Deus nos diz. Essa atitude nos trará problemas.

- Temos que nos acostumar a escolher o que Deus nos propõe, isso é sempre o melhor.

2) Precisamos lembrar sempre que Deus sabe o que é melhor.

- Nós não temos poder sobre todas as circunstâncias, e nem sabemos todas as coisas, mas Deus sim.

- Podemos escolher algo que parece bom hoje, mas que no futuro se revela um grande problema.

- Deus conhece o passado, o presente e o futuro, por conhecer e governar sobre todas as coisas pode nos dizer melhor do que qualquer outro o que é melhor escolher.

- Quer escolher certo? Escolha o que Deus te propõe. Escolha segundo as orientações de Deus.

3) Se escolher errado reconheça, se arrependa e volte ao que Deus te propõe.

- Errar faz parte do jogo, mas permanecer no erro é burrice. Erramos quando escolhemos o que Deus não nos propôs.

- Quer se dar bem?

- Escolha o que Deus te propõe e persevere nesse caminho.

- Terá lutas, mas no fim, se perseverar obedecendo a Deus, terá o que deseja.

Conclusão:

- Quer ter uma vida abençoada?

- Quer escolher certo para isso?

- Quer escolher o que Deus te propõe e perseverar nesse caminho?

- Quer a ajuda de Deus para isso?

Levante a mão, vamos orar.







+++++++++++++++


+++++++++++++++


+++++++++++++++





Um Milagre

em Caná


– Jo 2.1-11

- Foi em Caná da Galiléia que Jesus operou o seu primeiro milagre.

- Caná era uma pequena cidade que ficava uns seis km ao norte de Nazaré, cidade esta localizada no sul da Galiléia, foi este o lugar que Cristo escolheu para surpreender seus discipulos, mestre-sala, convidados e os noivos, transformando água em vinho, tendo em vista, que o primeiro vinho havia acabado antes mesmo do termino da festa.


Introdução


- Jesus não somente fez um milagre que espantasse a todos quantos estavam presentes, mas Ele atingiu outras áreas na vida de alguns presentes com alguns princípios ensinados por Ele neste milagre.

- E João registrou com clareza esses princípios ou verdades que extraímos do texto para nós.

- Posto isto, quais são os princípios ensinados por Jesus neste milagre em Caná da Galiléia?

1 - O “primeiro vinho” retrata a capacidade humana, pois uma hora ela acaba. (v.3)

- Maria (mãe de Jesus) percebeu a movimentação e a aflição estampada no rosto do mestre-sala naquele momento e dirige esta frase a Jesus:

“Eles não têm mais vinho”, Jesus por sua vez sabia que tudo estava cooperando para um desfecho maravilhoso, a saber, o grande milagre.

- O mestre-sala (pessoa encarregada da ordem e do cerimonial de uma festa) tinha sido contratado pelo noivo para a realização da festa com muita exatidão e vendo ele que o vinho tinha acabado antes do termino da festa e antes que alguns pudessem estar satisfeitos, ficou totalmente aflito e angustiado a ponto de se ver isto estampado no rosto dele.

- Ele (mestre-sala) comunica ao noivo que o vinho acabou, achando ele que o noivo pudesse dar uma solução para o problema, e o noivo confiando no mestre-sala, afinal, este era contratado para o bom andamento da festa.

- Ou seja, um estava confiando no outro para que solucionasse o proágulo ali posto.

- Vemos aqui o primeiro principio relatado neste milagre, o primeiro vinho tinha acabado.

- E com isso a capacidade e habilidade humana de realizar.

- Noivo, noiva, mestre-sala e os serventes depositaram a sua confiança no primeiro vinho que representa a “capacidade humana e limitada”.

- Quantas pessoas vivem assim hoje: depositando sua confiança na capacidade humana, crentes que estão confiando "somente" na sua própria força ou capacidade quando não estão correndo atrás do pseudos "Vasos" de Deus, depositando suas esperanças de resposta para suas indagações ou solução de seus problemas unica e exclusivamente na vida espiritual alheia, mas nunca deposita sua espera e confiança no Senhor.

- Sim! Pessoas que no momento de aflição, de prova, em vez de buscar de Deus o refrigério, a resposta, a direção em oração, correm pra casa da “irmã Chiquinha sapato de fogo” (aquela de revela), quando não pra casa do “irmão Joãozinho canela de fogo” (o profeta), depositando assim sua confiança nos canais que Deus pode usar, mas nunca vai até a FONTE inesgotável de paz, unção, poder, refrigério, etc.

- Esta Fonte nunca nos decepciona e nunca se esgota, ao contrário da capacidade humana e dos canais usados por Deus.

- Noivo, noiva, mestre-sala e os serventes se decepcionaram porque depositaram a sua confiança no primeiro vinho que acabou gerando uma aflição no coração deles, pois haviam ali muitos convidados a serem servidos e não tinham nenhuma solução para o problema.

- E os responsáveis pela festa não tinham reserva de vinho confiaram na quantidade que ali estava.

- Isto também acontece com crentes que confiam em suas condições financeiras ou na sua capacidade intelectual e nunca se prepara para o imprevisível, nunca tem reserva, são iguais as virgens loucas (Mt 25) confiam somente no que tem e não se prepara tendo uma reserva.

- Tanto confiar em mim (na minha capacidade somente), e nas pessoas (depositando sobre elas minha esperança) eu sempre vou me decepcionar, mas quando confio no Senhor e sou Bem-Aventurado.

- "Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!

- Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.

- Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR.

- Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto". (Jr 17.5-8)

- “Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus”. (Sl 20.7)

2 - O “tempo de Deus” se manifesta na hora certa. (v.4)

- Jesus, já sabia que do ocorrido, de não ter mais vinho, mesmo antes de sua mãe (Maria) lhe avisar. E com isso estava esperando o momento certo de operar um grande milagre.

- Jesus sabia que os envolvidos nesta festa ainda buscariam alguma maneira de solucionar o problema pelas “suas próprias capacidades”, e isso impede o agir de Deus.

- A resposta de Jesus à sua mãe, quando esta lhe avisa do ocorrido foi: “A minha hora ainda não chegou”.

- Vemos aqui que Jesus estava esperando a hora certa de agir, ou seja, “o tempo de Deus”, repare que Ele diz: “a minha hora”.

- Jesus não diz: a hora do noivo, nem tampouco a hora do mestre-sala. Cristo não trabalha dentro do nosso tempo, nem tampouco no momento em que queremos, mas sim no momento que Ele determinou pra nós segundo o seu Propósito.

- No grego existem duas palavras para o tempo: “chronos e Kairos”. Enquanto chronos refere-se ao tempo cronológico, ou sequencial, que pode ser medido, kairos refere-se a um momento indeterminado no tempo, em que algo especial acontece na Teologia, é "o tempo de Deus".

- O Kairos é o tempo que não pode ser medido e sim vivido e vivenciado.

- Jesus esperou a hora certa, ou seja, o “Kairos” para realizar este o milagre, esperando os envolvidos no casamento “desistirem de tentar achar solução para o problema”.

- Quando “desistimos de tentar achar solução ou tentar merecer algo de Deus”, é neste exato momento que Ele (Jesus) aparece em cena e opera o milagre que não merecemos, mas Ele manifesta sua Graça para conosco.

3 - O “segredo” é fazer tudo o que o Senhor Jesus nos manda. (v.5)

- Maria aponta o segredo do milagre para os serventes (que seriam os garçons em nossos dias). Dizendo aos serventes que: fizesse tudo o que Cristo dissesse.

- Quando Maria aponta pra Cristo em suas palavras, Ela estava revelando a Fonte de toda a Esperança e de qualquer milagre, pois não existe outra Fonte de Poder, o que pode haver são canais usados por essa Fonte.

- Porém esses canais um dia se esgotam acabar ou deixar de jorrar, pois os canos ligados a Fonte estão intupidos e precisam de uma limpeza e manutenção.

- Em outras palavras Maria queria dizer a todos que: até aquele exato momento eles não conseguiram ter êxito em suas tentativas frustradas de tentarem solucionar o caso, e se quisessem de fato alcançar a vitória esperada, teriam que fazer tudo o que Cristo dissesse.

- O segredo para termos uma vida vitoriosa em Cristo, é de fato “fazer a vontade de Jesus”. Quando isto acontece tudo o que fazemos será prospero (Sl 1.1-3).

- Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando (Jo 15.14).

- Quando fazemos o que Jesus nos manda, além de termos uma Vida Vitoriosa, passamos a ser seus amigos e o nosso relacionamento com Ele se estreita ainda mais a ponto de termos maior intimidade com.

- A obediência às palavras de Jesus precede qualquer tipo de sacrifício.

“Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros”. (1Sm 15.22)

4 - Fazer a vontade de Jesus às vezes será muito pesado. (v.6,7,8)

- Os serventes fizeram exatamente conforme as palavras de Jesus, pegaram seis talhas que ali estavam para serem usadas para purificação (lavar as mãos e os pés) de quem chegava da rua para entrar em casa, e encheram de água.

- Repare que o artefato era feito de “pedra” e com isso muito pesada, e se não bastasse o peso das talhas somente, agora teriam que colocar aproximadamente 102 litros de água em cada uma delas, e após teriam que transportar as talhas até o mestre-sala.

- Com certeza tinham muitos serventes envolvidos neste trabalho árduo e pesado, porém seria muito recompensador a estes serventes, pois seriam os únicos que veriam a água sendo transformada em vinho.

- Pois no momento em que eles se dirigiram ao mestre-sala à água ainda era água, mas no decorrer do transporte viram diante de seus olhos a água sendo transformada em vinho e o milagre acontecer.

- Portanto, fazer a vontade de Jesus pode até ser pesado algumas vezes diante de nossas capacidades, porém será gratificante vermos diante de nossos olhos uma quantidade de água que não tem cheiro, sabor e nem cor, se transformar em um vinho muito saboroso.

5 - O “Segundo Vinho”. O melhor de Deus está no final. (v.9,10)

- Tendo o mestre-sala provado do segundo vinho (a água transformada em vinho) chamou o noivo indignado com aquilo. Pois não sabia de onde vinha aquele vinho especial.

- O mestre-sala repreende o noivo dizendo: olha todos servem o melhor vinho por primeiro e depois que todos já beberam fartamente servem o inferior e voce guardou o melhor para o final.

- O mestre-sala se indignou também pelo fato de ser um profissional contratado para a realização do evento e tinha ele um nome a zelar, (profissionalmente dizendo).

- Mas naquele instante nem o noivo e a noiva não sabiam da existência daquele vinho, somente os serventes que carregaram a água na talhas até o mestre-sala.

- Jesus surpreendeu a todos com aquele vinho pois era um vinho que ninguém havia experimentado antes de tão saboroso.

- O primeiro vinho que representava a “capacidade humana e limitada” já tinha se acabado, e agora no segundo vinho que representa o “Melhor de Deus” a “Alegria e Paz de Cristo” e a “Plenitude do Espírito Santo”, que não pode faltar em qualquer festa, casamento ou vida cristã, estava sendo servido como “cortesia” de Jesus a todos os presentes.

- Cristo sempre tem algo reservado a nós que nos surpreenda, que nos deixe estupefato com o que vemos.

“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera”. (Ef 3.20)

- O melhor de Deus está no fim, foi no fim da vida do Apóstolo João que teve as revelações do Apocalipse na ilha de patmos.

- O império romano o jogou lá para que morresse pelas feras que lá havia, tendo em vista que João já estava com seus 90 anos. Porém mal sabiam eles que estavam cooperando para o Reino de Deus.

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. (Rm 8.28)

Conclusão

- Lembre-se que Cristo reservou pra nós o melhor para o final, a saber, “a vida eterna”.

- E enquanto este momento tão esperado não chega, podemos sim viver uma vida abundante aqui na terra, experimentando as maiores bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef 1.3).

- Viver uma vida abundante não é requerer de Deus uma vida repleta de dinheiro e prosperidade financeira, e sim, uma vida cheio de Paz que só Cristo pode dar, cheia da unção de Deus e mais do que qualquer coisa, ter certeza de vida eterna.








++++++++++++++

++++++++++++++

++++++++++++++++++

++++++++++++++++++

++++++++++++++++++



terça-feira, 29 de março de 2011


Quatro maneiras

de tratar

com dificuldades

Ex.14:14


Introdução:

- A história da travessia do mar vermelho é a das mais conhecidas das Escrituras. Com um plano Soberano Deus por meio de seu instrumento Moisés após treze tentativas de ordenar á Faraó deixar o povo ir, o dia chegou. Um longa peregrinação caminha pelo deserto, mais com uma ordem de se acamparem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom é dada por Deus ao povo.

- Talvez para um momento de descanço como também para um momento de reflexão do que Deus tinha lhes feito até ali, e o que ainda havia de acontecer. É bem assim, quando paramos para descansar e refletir, porém alguns cudaidos precisamos tomar neste momento.

- Paulo escreve que muito do que ocorreu com este povo na peregrinação “estão escritas para aviso nosso” (1Co.10:11).

- O capitulo catorze nos trata de um avanço rumo á um grande milagre, e para este milagre, encontramos cinco grandes ASSUNTOS:

• As dificuldades que existem.


• O povo diante do desafio de enfrentar as dificuldades.


• A realidade da furia das dificuldades representada pelos Egipicios.


• Moisés simbolo do homem que se pôe a fazer a sua parte.


• Deus aquele que põe fim a cada dificuldade.

Dentre estes cinco assuntos meditemos em 4 grandes papeis.

1. O PAPEL DE MOISÉS - O LIDER ENTUSIASMADO NAS DIFICULDADES

1.1 - Moisés é o encorajador. “Não temais, estais quietos, vede o livramento, pelejará por vós”

- Aquele que tem não só a palavra, mas entendeu que também era hora de agir.

- Em meio a tantas vozes ele disse ao povo : “O Senhor pelejará por vós e vos calareis”

- O que o povo precisava era de ânimo, fé no Senhor e nas palavras do lider.

- Qualquer que seja a dificuldade, tenha á alguém uma palavra de entusiamo.

2. O PAPEL DOS EGIPICIOS - CAUSADORES DE DIFICULDADES MAS CIENTES DO SEU PROPRIO FIM

- Enquando Israel povo não cria no que seu lider falava, algo tremendo acontecia do lado de fora.

- O texto nos mostra que no momento da perseguição Deus “E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e fê-los andar dificultosamente. Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o Senhor por eles peleja contra os egípcios.” (v.25)

- Note que os de fora viam Deus sendo com o povo, mas o povo mesmo não conseguia enxergar isto.

- Existem muitas pessoas que nos observam e vêm Deus em nós e vez ou outra custa acreditarmos que Deus está agindo. Que possamos olhar as coisas de forma diferente.

3. O PAPEL DO POVO – VENCER AS DIFICULDADES CRENDO EM MOISÉS E EM DEUS, MAS ESCOLHERAM ERRAR

- Quando se está perto do milagre é possivel evitar que erros não sejam cometidos.

- Os erros cometidos por Israel são para nos ensinar que quando Deus faz uma promessa precisamos crer, ainda que circunstâncias provocadas nos permitem moldar-nos para melhor servi-lo.

- Mesmo diante da força de Moisés em suas palavras, acalmando, buscando tranquiliza-los, Israel conseguiu neste momento cometer três grandes erros, onde foram até Moises o tendo como culpado por passarem por tudo aquilo.

3.1 PRIMEIRO ERRO:

“E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirares {de lá}, para que morramos neste deserto?”


I. DE MORAR NO EGITO SEM DEUS ERA MELHOR DO QUE MORAR NO DESERTO COM DEUS

Ii) Israel precisava de uma RENOVAÇÃO NA MENTE

- Para eles era melhor ter de tudo no Egito do que não ter nada no deserto.

Iii) Israel precisava de uma MUDANÇA DE DIREÇÃO

- Para eles estabelecer-se no Egito com Faráo dava mais animo do que no Deserto com Deus.

Iiii) Israel precisava de uma EXPERIÊNCIA COM O DEUS DOS DESERTOS DA VIDA

- Eles não sabiam o que era providencia do Egito. Providência só de conhece no deserto.

3.2 SEGUNDO ERRO:

“...Por que nos fizeste isto, que nos tens tirado do Egito?

II. DE QUE ONDE DEUS OS TIROU NÃO HAVIA OUTRO LUGAR MELHOR

- Israel entre em um verdadeira campo minado com este erro.

Ii) O campo da INSATISFAÇÃO - Eles queriam estar melhor Locados.

Iii) O campo da INGRATIDÃO - Eles não conseguiam agradecer a mão forte do Senhor.

Iiii) O campo da DESCONFIANÇA - Eles não conseguiam confiar nem em Deus como em Moisés.

3.2 TERCEIRO ERRO:

“Não é esta a palavra que te temos falado no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? pois que melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto”

III. DE QUE TUDO O QUE SE TINHA A GASTAR ERA SÓ PARA O EGITO.

- Israel havia sido oprimido por muitos anos com trabalho forçado, muitos deram suas vidas.

- Muitos gemiam, mas o que parece é que ainda tinham muito para dar no Egito.

- Existem duas coisas que não se pode esquecer de lição que foi esquecido.

IIIa) Israel não aprendeu a lição da PRIORIDADE NO SERVIÇO - Gastar-se primeiro no Egito é coisa para antes do Livramento.

IIIb) Israel não aprendeu a lição do TEMPO EXCEDIDO

- O tempo do Egito passou, mas no coração do povo ainda estava passando.

- Antes Paulo gastava-se em perseguir, mas depois começou á gastar-se por ele 2Co.12:15

4. O PAPEL DE DEUS – AQUELE QUE NOS AJUDA EM TODAS AS DIFICULDADES TUDO PARA QUE SEU NOME SEJA GLORIFICADO

- Porque Deus se interessa por um povo assim?

- Você sabia que está pergunta é feita até hoje?

4.1 - Deus nos ajuda nas dificuldades porque nos tem como filhos.

- Ele é o Pai e nós somos os filhos. - Filhos aprendem do Pai, não ensinam o Pai.

4. 2 - Deus nos ajuda nas dificuldades porque nos ama.


- Ele é amor. Seu olha não é outro para nós.


- Quando pensa em olhar com ira, lembra-te da misericórdia.

4.3 - Deus nos ajuda nas dificuldades porque conhece nossa estrutura

- Ele sabe até onde aguentamos.


- Ele sabe que em meio a nossa infidelidade, Ele permanece fiel.

4.4 - Deus nos ajuda nas dificuldades porque visa glorificar o Seu proprio nome

- Ele disse que seria glorificado em Faraó.

- Deus não tem prazer em dar vitória á ninguém sem que seu nome não seja glorificado.

- Tudo o que Deus fizer, por mim, em mim, através de mim, visa GLORIFICAR O SEU NOME.

- No papel de Moisés, aprendemos a entusiasmar em meio as dificuldades.

- No papel dos Egipicios, aprendemos que Deus pode mostrar a não tementes sinais visiveis de sua ação que não estamos vendo.

- No papel do povo, aprendemos que em meio as promessas de Deus murmurar sempre é a ultima alternativa.

- No papel de Deus, aprendemos que mesmo com nossas infidelidade no crer, Ele se compraz em nos por do Outro Lado do Mar.

Conclusão:

- O favor de Deus está estendido a nós, tudo o que Deus prometeu a Israel e cumpriu, Ele continua o mesmo para cumprir em sua Igreja, Seu Israel.

- Que Sejamos fortalecidos em nossa fé, solidificado em nossas raízes, e com um amor a cada dia mais á Deus pelo que Ele é, e não só do que pode vir a nos dar ou fazer.



Ev. Fernando Cardoso IEAD Ministerio de Perus - SP - Brasil Enviado por: Fernando de Lima Cardoso SAO PAULO - PERUS, SAO PAULO, BRASIL Fonte:
http://www.aigrejaquecresce.com/Artigos/Mensagens/tabid/79/articleType/ArticleView/articleId/1053/Quatro-maneiras-de-tratar-com-dificuldades.aspx



##############

##############

#################

#################

###################



As glórias do Céu

Referência: Apocalipse 21.1-27 – 22.1-5


INTRODUÇÃO


1. A história já fechou suas cortinas. O juízo final já aconteceu. Os inimigos do Cordeiro e da igreja já foram lançados no lago do fogo. Os remidos já estão na festa das Bodas do Cordeiro.


2. Este texto é a apoteose da revelação. O paraíso perdido é agora o paraíso reconquistado. O homem caído é agora o homem glorificado. O projeto de Deus triunfou.


3. A pregação sobre o céu traz profundas lições morais para a igreja:

1) Jesus alerta para ajuntarmos tesouro no céu;

2) Paulo diz que devemos pensar nas coisas lá do alto;

3) Jesus ensinou que devemos orar: “seja feita a tua vontade na terra como no céu”;

4) O céu nos estimula à santidade (2Pe 3.14);

5) O céu nos ajuda a enfrentar o sofrimento (Rm 8.18); O céu nos livra do medo da morte (Fp 1.21).

I. NO CÉU TEREMOS A RESTAURAÇÃO DO PRÓPRIO UNIVERSO – V. 1

1. A redenção alcançou todo o cosmos – v. 1

- A natureza escravizada pelo pecado (Rm 8.20,21), agora está completamente restaurada.

- Deus não cria um novo céu e uma nova terra, mas torna-os novo, como do nosso corpo, fará um novo corpo. Não é aniquilamento, mas renovação.

2. Não haverá mais nenhuma contaminação – v. 1

“E o mar não mais existirá”. Isso é um símbolo.

- Aqui o mar é o que separa. João foi banido para a Ilha de Patmos. Também o mar é o que contamina (Is 57.20). Do mar surgiu a besta que perseguiu a igreja.

- No novo céu e na nova terra não haverá mais rebelião, contaminação nem pecado.

II. O CÉU É CONHECIDO PELO QUE NÃO EXISTE LÁ – v. 4

1. No céu não haverá dor

- A dor é conseqüência do pecado.

- A dor física, moral, emocional, espiritual não vai entrar no céu.

- Não haverá mais sofrimento, enfermidade, defeito físico, cansaço, fadiga, depressão, traição.

2. No céu não haverá mais lágrima

- Não haverá choro nas ruas da nova Jerusalém.

- Este mundo é um vale de lágrimas. Muitas vezes alagamos o nosso leito com nossas lágrimas.

- Choramos por nós, pelos nossos filhos, pela nossa família, pela nossa igreja, pela nossa pátria.

- Entramos no mundo chorando e saímos dele com lágrimas.

- Mas Deus é quem vai enxugar nossas lágrimas. Não é auto-consolo.

3. No céu não haverá luto nem morte

- A morte foi lançada no lago de fogo (Ap 20.15).

- Ela não pode mais nos atingir. Fomos revestidos da imortalidade. Tragada foi a morte pela vitória.

- No céu não há vestes mortuárias, velórios, enterro, cemitério.

- No céu não há despedida.

- No céu não há separação, acidente, morte, adeus.

III. O CÉU É CONHECIDO POR QUEM VAI ESTAR LÁ – V. 2

1. A cidade santa, a nova Jerusalém, a noiva adornada para o seu esposo

- A igreja glorificada, composta de todos os remidos, de todos os lugares, de todos os tempos, comprada pelo sangue do Cordeiro, amada pelo Pai, selada pelo ES é a cidade santa, a nova Jerusalém em contraste com a grande Babilônia, a cidade do pecado.

- Ela é a noiva adornada para o seu esposo em contraste com a grande Meretriz.

- O Senhor só tem um povo, uma igreja, uma família, uma noiva, uma cidade santa.

2. Essa noiva foi adornada para o seu esposo

- O próprio noivo a purificou, a lavou, a adornou. Ela será apresentada igreja santa, nova pura, imaculada, sem defeito. A

- noiva amada, comprada, amparada, consolada, restaurada e glorificada.

3. Essa noiva vai estar no céu pela graça – v. 6,7

- Feito está! Deus já completou toda a obra da redenção (Jo 19.30; Ap 16.17; Ap 21.6).

- Os sedentos bebem de graça da água da vida.

- Todos os que têm sede podem saciar.

- Todos os que buscam encontram.

- Todos os que vêm a Cristo, ele os acolhe.

IV. O CÉU É CÉU PORQUE LÁ ESTAREMOS EM COMUNHÃO COM DEUS – V. 2,3,7

1. Porque a vida no céu será como uma festa de casamento que nunca termina – v. 2

- As bodas passavam por quatro fases:

1) O compromisso;

2) A Preparação;

3) A vinda do Noivo;

4) A festa. O céu é uma festa. Alegria, celebração, devoção.

- Deleitar-nos-emos em seu amor. Ele se alegrará em nós como o noivo se alegra da sua noiva. Esta festa nunca vai acabar.

2. Porque o céu será profundamente envolvido pela presença de Deus – v. 3

- O céu é céu porque Deus está presente. Depois que o véu do templo rasgou, Deus não habita mais no templo, mas na igreja.

- O Espírito Santo enche não o templo, mas os crentes.

- Agora somos santuário onde Deus habita.

- Veremos Cristo face a face. Vê-lo-emos como ele é. Ele vai morar conosco. Não vai mais haver separação entre nós e Deus.

- A glória do Senhor vai brilhar sobre nós.

3. Porque no céu teremos profunda comunhão com Deus – v. 3b

- Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus.

- Aqui caem as divisas não só do Israel étnico, como das denominações religiosas.

- Lá não seremos um povo separado, segregado, departamentalizado.

- Lá não seremos presbiterianos, batistas ou assembleianos.

- Seremos a igreja, a noiva, a cidade santa, a família de Deus, povo de Deus.

4. Porque no céu desfrutaremos plenamente da nossa filiação – v. 7

- A igreja é a noiva do Cordeiro e a filha do Pai.

- Tomaremos posse da nossa herança incorruptível.

V. O CÉU É DESCRITO PELO FULGOR DA NOIVA, A NOVA JERUSALÉM – V. 9-27

1. A nova Jerusalém é bonita por fora, ele reflete a glória de Deus – v. 11

- Quando João tentou descrever a glória da cidade, a única coisa que pôde fazer foi falar em termos de pedras preciosas, como quando tentou descrever a presença de Deus no trono (4.3).

- A glória de Deus habita na igreja. Essa glória é indescritível, como indescritível é Deus.

- A igreja é bela por fora. Ela é como uma noiva adornada. Suas vestes são alvas.

2. A nova Jerusalém é bonita por dentro – v. 19,20

- Ninguém coloca pedras preciosas no fundamento. Mas no alicerce dessa cidade estão doze espécies de pedras preciosas.

- Há beleza, nobreza, riqueza e esplendor no seu interior.

- Não há coisa feia nem escondida dentro dessa igreja.

3. A nova Jerusalém é aberta a todos – v. 13,25

- A cidade tem 12 portas: ela tem portas para todos os lados.

- Isso fala da oportunidade abundante de entrar nesse glorioso e maravilhoso companheirismo com Deus.

- Venha de onde vier, as pessoas podem entrar.

- Os habitantes dessa cidade são aqueles que procedem de toda tribo, povo, língua e nação.

- São todos aqueles que foram comprados pelo sangue do Cordeiro.

- Não há preconceito nem acepção de pessoas. Todos podem vir: pobres e ricos; doutores e analfabetos; religiosos e ateus; homens e mulheres.

- A cidade é aberta a todos: Há portas para todos os lados.

- O noivo convida: Vem! A noiva convida: Vem! Quem tem sede recebe a água da vida.

4. A nova Jerusalém não é aberta a tudo – v. 8,12,27

- A cidade tem uma grande e alta muralha.

- Muralha fala de proteção, de segurança.

- Embora haja portas (v. 13) e portas abertas (v. 25), nem todos entrarão nessa cidade (v. 8,27).

- Embora as portas estejam abertas, em cada porta há um anjo (v. 12).

- Os pecadores inconversos não podem entrar no céu (v. 8) – O universalismo está errado.

- A idéia de que toda religião é boa e todo caminho leva a Deus é um engano.

- No céu só entrarão aqueles que se arrependeram de seus pecados, creram em Cristo e foram lavados em seu sangue.

- Só aqueles que têm o nome escrito no Livro da Vida podem entrar!

- O pecado não pode entrar na Nova Jerusalém (v.27) – Embora a igreja é aberta a todos, não é aberta a tudo.

- Muitas vezes, a igreja tem sido aberta a tudo e não a todos (Pedro e Jesus: Arreda Satanás).

5. A nova Jerusalém está construída sobre o fundamento da Verdade – v. 14

- Esse símbolo fala da teologia da igreja.

- A igreja está edificada sobre o fundamento dos apóstolos.

- A igreja do céu está edificada sobre o fundamento dos apóstolos, sobre a verdade revelada, sobre as Escrituras.

6. A nova Jerusalém tem espaço para todos os remidos – v. 15-17

- A cidade é quadrangular: comprimento, largura e altura iguais. A cidade tem doze mil estádios, ou seja, 2.200 Km de comprimento, de largura e de altura. Não existe nada parecido no planeta.

- É uma cidade que vai de São Paulo a Aracaju.

- Na Nova Jerusalém, a maior montanha da terra, o pico Everest, desaparece mais de 240 vezes.

- Essa cidade é um verdadeiro cosmos de glória e santidade.

- É óbvio que esses números representam a simetria, a perfeição, a vastidão e a totalidade da Nova Jerusalém.

- Não existem bairros ricos e pobres nessa cidade.

- Não existem casebres.

- Existem mansões, feitas não por mãos.

- Deus é o arquiteto e fundador dessa cidade.

7. A nova Jerusalém é lugar onde se vive em total integridade – v. 18,21b

- Não apenas a cidade é de ouro puro, mas a praça da cidade, o lugar central, onde as pessoas vivem é de ouro puro, como vidro transparente.

- Tudo ali vive na luz.

- Tudo está a descoberto. Nada escondido.

8. A nova Jerusalém é o lugar de plena comunhão com Deus – v. 22

- No Velho Testamento a presença de Deus estava no Tabernáculo, depois no Templo. Mas, agora, Deus habita na igreja.

- Na Nova Jerusalém não haverá templo, porque a igreja habitará em Deus e Deus habitará com a igreja. Isso é plena comunhão.

- A cidade será iluminada não mais pela luz do sol ou pela lua. A glória de Deus a iluminará.

9. A nova Jerusalém é o paraíso perdido, onde corre o rio da Vida – 22.1-2

- A Nova Jerusalém é uma cidade, um jardim, uma noiva.

- O jardim perdido no Éden é o jardim reconquistado no céu.

- Lá o homem foi impedido pelo pecado de comer a árvore da vida, aqui ele pode se alimentar da árvore da vida.

- Lá ele adoeceu pelo pecado, aqui ele é curado do pecado.

- Lá ele foi sentenciado à morte, aqui ele toma posse da vida eterna.

- No Jardim do Éden havia quatro rios. Nesse Jardim Celestial, há um único rio, o rio da Vida.

- Ele flui do trono de Deus.

- Ele simboliza a vida eterna, a salvação perfeita e gratuita, o dom da soberana graça de Deus.

- Por ele passa ele traz vida, cura e salvação.

10. A nova Jerusalém é onde está o trono de Deus – 22.3-5

- O trono fala da soberania e do governo de Deus. O Senhor governa sobre essa igreja.

- Na nova Jerusalém vamos ter propósito. “Os seus servos o servirão”. Nosso trabalho será deleitoso.

- Vamos servir àquele que nos serviu e deu sua vida por nós.

- Os salvos entrarão no descanso de Deus (Hb 4.9).

- Os salvos descansarão de suas fadigas (Ap 14.13), no porém do seu serviço.

- Na ova Jerusalém vamos ter intimidade com o Senhor. “Contemplarão a sua face”.

- O que mais ambicionamos no céu não são as ruas de ouro, os muros de jaspes luzentes, nem as mansões ornadas de pedras preciosas, mas contemplar a face de Jesus! O céu é intimidade com Deus.

- Na nova Jerusalém vamos reinar com Cristo eternamente – “e reinarão com ele para sempre”.

- Deus nos salvou não apenas para irmos para o céu, mas para reinarmos com ele no céu. Ele não apenas nos levará para a glória, mas também para o trono.

- Nós seremos não apenas servos no céu, mas reis.

- Cristo vai compartilhar com sua noiva sua glória, sua autoridade e seu poder.

CONCLUSÃO

1. Você já é um habitante dessa cidade santa? Seu lugar já está preparado nessa cidade?

2. Onde você tem colocado o seu coração? Na nova Jerusalém ou na grande Babilônia?

3. A qual igreja você pertence: à Noiva ou à grande Meretriz?

4. Qual é o seu destino: o paraíso ou o lago de fogo?

5. Para onde você está indo: para o Casa do Pai, onde o Cordeiro é a lâmpada eterna ou para as trevas exteriores?

6. Onde está o seu prazer: em servir a Deus ou deleitar-se no pecado?

7. Hoje é o dia da sua escolha, da sua decisão. Escolha a vida para que você viva eternamente!



AUTOR: Rev Hernandes Dias Lopes







+++++++++++++++++

+++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++


segunda-feira, 28 de março de 2011


DANDO A VOLTA

POR CIMA


TEXTO: Gn. 37:2-5

INTRODUÇÃO - José se indispôs com seus irmãos por alguns motivos:

- Gn. 37:2 Delatava seus irmãos quando não faziam o serviço direito;

- Gn. 37:3 Era o filho preferido do pai;

- Gn. 37:5, 8 Contou seu sonho que governaria sobre seus irmãos.

- Seus irmãos queriam matá-lo, mas por causa da intervenção de Rubem, foi vendido como escravo ao Egito.

- Chamado a trabalhar na casa de um dos capitães do Egito chamado Potifar, foi acusado injustamente pela mulher de seu senhor de querer violentá-la, e foi mandado para a prisão.

- De sonhador passou a uma dura realidade. Rejeitado e odiado pelos irmãos, acusado de imoralidade e preso numa terra estranha. Mas, José deu a volta por cima. Não somente se livrou da prisão, se tornou um homem de sucesso chegando a ser governador do país mais desenvolvido na época.

4 ATITUDES BASEADAS NA VIDA DE JOSÉ QUE NOS LEVARÁ A DAR A VOLTA POR CIMA.

1º) NÃO SEJA REFÉM DE SEU PASSADO

- Por tudo o que aconteceu a José, ele teria motivos de sobra para ser uma pessoa ressentida, amargurada e deprimida. Mas a primeira atitude que vemos neste jovem é que os fracassos do passado não o impediam de avançar.

- Essa é uma qualidade essencial em quem quer dar a volta por cima. É ter a capacidade de deixar os eventos passados para trás e seguir adiante.

- Aquele que é incapaz de superar as feridas dos fracassos anteriores é mantido refém do passado.

- John Maxwell: “Em mais de 30 anos trabalhando com pessoas, ainda não encontrei alguém que fosse bem sucedido e ao mesmo tempo continuasse lutando com as dificuldades do passado”.

- VOCÊ NÃO SABE O QUE ACONTECEU COMIGO?

- Alguns podem fazer esta indagação. Não quero fazer pouco caso do que aconteceu a você, é verdade as pessoas passam por tragédias, perdem pais, filhos e pessoas próximas.

- As pessoas contraem câncer, Aids e outras doenças horríveis, mas as tragédias não precisam impedi-las de ter uma perspectiva positiva. Serem positivas é viverem uma vida plena.

- Aprenda uma coisa não importa quão negro seja o seu passado, ele não pode manchar o presente e futuro colorido que Deus tem pra você.

OS PROBLEMAS DO PASSADO INFLUENCIAM DE 2 MANEIRAS:

Um colapso ou um avanço.

SINTOMAS DO COLAPSO


1º - COMPARAÇÃO: Quando você ouvir uma pessoa falar continuamente que teve muito mais dificuldades que qualquer outra pessoa.


2º - ISOLAMENTO: Muitos se afastam em função das feridas, é uma maneira de se autoproteger.


3º - REMORSO: O remorso é um dos mais importantes obstáculos que impede a pessoa de viver o presente. Ele suga quase toda a energia da pessoa, e deixa muito pouco para que a pessoa possa fazer algo positivo.


4º - AMARGURA: As pessoas que não passam por cima dos problemas e da dor do passado terminam ficando amargas. É a conseqüência de não saber enfrentar as velhas feridas e tragédias.

“Toda dificuldade mais séria que você enfrenta na vida é uma encruzilhada no caminho. Você escolhe o caminho a seguir”:


Seja em direção ao colapso, ou seja, em direção ao avanço.



APLICAÇÃO: Reconheça a dor, perdoe a pessoa, lamente a perda, perdoe a si mesmo, esqueça o acontecimento e siga em frente.

2º) REAJA COMO VENCEDOR DIANTE DOS APARENTES FRACASSOS

- José além de não ser refém do passado, tinha uma atitude de vencedor. E o que é ter uma atitude de vencedor?

- É compreender e assumir que a benção de Deus está com você.

- Você é filho de Deus? Então você é abençoado, e tudo o que você colocar as mãos prosperará. José era abençoado Gn. 39:2-3

PRECISAMOS SABER LIDAR COM OS FRACASSOS:

- A questão não é se você terá problemas, mas como você vai lidar com eles.

- Você vai dar a volta por cima ou ficará para baixo?

OS MITOS SOBRE O FRACASSO

1º) O fracasso é inevitável, errar é humano, mas perdoar é divino.


2º) O fracasso é um espírito, tem um espírito de fracasso que me persegue.


3º) O fracasso é definitivo, eu nasci para ser fracassado. - Como não estamos imunes ao fracasso, vamos passar por momentos de aparente fracasso, mas a nossa percepção e reação a eles é o que nos fará dar a volta por cima.


- OS QUE FICAM POR BAIXO

Culpam os outros Repetem os mesmos erros Esperam que nunca vão falar novamente Acham que vão fracassar sempre Limitam-se pelos erros passados Desistem


OS QUE DÃO A VOLTA POR CIMA

Assumem suas responsabilidades


Aprendem com cada erro Sabem que o fracasso faz parte da vida.


Mantem uma atitude positiva.


Assumi novos riscos. Perseveram

3º) ESTEJA DISPOSTO A CORRER RISCOS

- A terceira atitude que fez com que José desse a volta por cima foi sua disposição em correr riscos.

- Gn. 41:1 Faraó teve um sonho,

- Gn. 41:10 Seus sábios não conseguiram interpretar, foram para a prisão,

- Gn. 41:14 Faraó manda chamar José,

- Gn 41:25-26 José interpreta o sonho,

- Gn. 41:41 José dá a volta por cima.

- Em cada período da história pessoas enfrentam grandes perigos para descobrir novos lugares e estabelecer novos paradigmas.

- Nada pode ser alcançado se não assumirmos nenhum tipo de risco.

- O risco é uma coisa engraçada, ele é extremamente subjetivo, enquanto para uns o risco pode ser muito grande, para o outro não representa nada.

- O risco na verdade não deve ser baseado no medo que ele provoca, nem na probabilidade do sucesso, mas no valor do objetivo.

- Avalie se o objetivo é digno ou não dos riscos envolvidos. Se for pare de se preocupar. A verdade é que tudo na vida é arriscado.

- Pessoas que não ousam arriscar resistem às oportunidades.

- Pessoas que ousam arriscar encontram as oportunidades.

- Pessoas que não ousam arriscar falam das impossibilidades.

- Pessoas que ousam arriscar alimentam-se do impossível.

- Pessoas que não ousam arriscar abafam o entusiasmo.

- Pessoas que ousam arriscar se inflamam de entusiasmo.

- Pessoas que não ousam arriscar se alegram por não terem fracassado.

- Pessoas que ousam arriscar temem a mesmice, não o fracasso.

- Sidney Harris diz:


“O arrependimento pelas coisas que você fez pode ser curado pelo tempo. O arrependimento pelas coisas que você não fez é inconsolável”.

4º) AJA POSITIVAMENTE

- José, foi um homem que agia positivamente, mesmo aos intempéries que a vida apresenta.

- Quando estudo sobre Paulo posso ver em suas palavras um otimismo que parece indestrutível II Co. 2:14. Até parece sobrenatural, e é mesmo.

- Fp. 4:4 Paulo nos exorta a vivermos o principio do contentamento, a ser contente em qualquer situação.

- O contentamento vem de uma atitude positiva do tipo:

- Esperar o melhor de tudo, nunca o pior;

- Permanecer motivado, mesmo que tudo aponte para a desmotivação;

- Enxergar solução para todos os problemas, não problemas em cada solução;

- Manter a esperança, mesmo quando os outros acham que você morreu.

- A chave para uma atitude positiva é saber a diferença entre. Um problema é um fato da vida. Um problema é algo que pode ser resolvido. Um fato da vida é algo que deveria ser aceito.


ATITUDE POSITIVA COMEÇA COM O ESTADO MENTAL Fp. 4:8.


- O fracasso e o sucesso é uma questão interna.

- Se você pretende alcançar alguma coisa é necessário vencer a batalha da mente.

- Você não pode permitir que o fracasso que está fora de você entre dentro de você.


VENÇA O NEGATIVISMO


- Conversa negativa é contagiosa;

- Pensamento negativo limita Deus e bloqueia a fé;

- Pensamento negativo nos impede de desfrutar a vida;

- Pensamento negativo impede os outros de ter uma resposta positiva.

CONCLUSÃO

- Deus está te chamando para dar a volta por cima, assim como José e outros deram.

- Mas para que isso ocorra é necessário 4 atitudes.

1º - NÃO SEJA REFÉM DE SEU PASSADO


Não deixe que os fracassos do passado ofusquem o futuro brilhante que Deus tem para você.


2º - REAJA COMO VENCEDOR DIANTE DOS FRACASSOS APARENTE.


Que vamos cometer erros isso é certo, mas o que importa é como vou reagir diante deles.


3º - ESTEJA DISPOSTO A ASSUMIR RISCOS


Se você não arriscar as oportunidades não surgirão.


4º - AJA POSITIVAMENTE


O otimismo é marca distintiva do cristão cheio de fé.








##############

#################

#################

#################

##############

##############