sexta-feira, 21 de janeiro de 2011


Rompendo com as
Velhas Estruturas

Atos 19:8-20


“O Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”, no entanto, para viver o evangelho de Jesus é preciso romper com as velhas estruturas...

1. O Primeiro Passo para Seguir a Jesus é o Arrependimento. (V. 18)

a) O arrependimento é o tema central do Novo Testamento. (Mt. 3:2; 4:17; At 3:19;17:30)

b) Sem arrependimento verdadeiro não há mudança de vida...

c) O arrependimento glorifica a Deus...

d) É preciso confissão sincera e honesta. (At 19:18; Pv 28:13)

Ex: Arrependimento de Pedro...

2. Para Seguir a Jesus é Preciso Romper com as Velhas Estruturas. (V. 19)

a) “Ninguém pode servir a dois senhores” (Mt 6:24)

b) É preciso romper com a idolatria, feitiçaria, prostituição, mentira, o medo, as seitas, os vícios, a incredulidade, as organizações secretas...

c) O projeto de Jesus é: “Vinho novo para odres novos” (Mt 9:17)

d) O Senhor não divide a Sua glória (Dt 6:4; Is 43:10; 42:8)

e) Você já queimou as coisas que te prendiam ao passado? (v. 19) (Dt 7:25,26)

3. Só é Agradável a Cristo Aquele que lhe Obedece em Tudo. (Jo 15:14; 14:15)

a) A obediência tem uma grande recompensa. (Lv 26:3-13)

b) Se obedecermos a Cristo, nosso corpo será sua morada. (Jo 14:23)

c) É preciso obedecer a Cristo em tudo: Batismo; Ceia do Senhor; Todos os Mandamentos...

d) Se obedecermos à Cristo seremos seus amigos. (Jo 15:14). Obediência é prova de amor (Jo 14:15)

e) Você está obedecendo a Cristo em tudo?

4. Para Seguir a Cristo é Preciso Romper com as Velhas Práticas e Abraçar Novos Valores do Reino. (Lc 14:33; At 19:18,29)

a) É preciso renunciar tudo... (Lc 14:33)

b) “Se alguém está em Cristo nova criatura é...” (II Cr 5:17)

c) É preciso seguir o padrão de Deus.

d) Os valores do Reino de Deus são eternos.

e) Você está disposto a romper com tudo agora mesmo, para servir a Jesus?

Para seguir a Jesus é preciso passar por uma reforma geral, toda maneira de ser e de viver precisa ser transformada pelo Evangelho de Jesus.

Fonte:
http://www.pibmarilia.org.br/sermoes.php?ida6_sermoes=69




+++++++++++++++

+++++++++++++++++

++++++++++++++++++





Todos Precisam
Ter Um Sonho


I Cor. 2:9






- Ao iniciar um novo ano todos nós precisamos ter um grande sonho... infelizmente, para muitos à medida que o tempo vai passando, seus sonhos encolhem para o tamanho da situação que enfrenta... provavelmente no início de sua vida Cristã.


- Você pode enxergar antecipadamente grandes coisas, com o passar do tempo as circunstâncias tendem a encolher seus sonhos.

1. Se Você é um Filho de Deus, Precisa Ser um Sonhador.

a) Precisa ter fé no que Deus vai realizar através de você. ( Heb. 11:6).

b) A fé começa no momento que você sonha...

Ex.: Pr. Abe Herber, falou de seu sonho pela fé no primeiro culto com três pessoas...

c) A fé torna a visão em realidade.

Ex.: O Pr. Rick Warren, comunicou a visão de uma grande igreja com 20.000 membros no primeiro culto quando estava com 60 pessoas... 25 anos depois a visão foi alcançada...

d) Você alcançará o que declara em fé... ( Heb. 11:1).

Ex.: Josué e Calebe...

e) Abrace os sonhos de Deus e jamais duvide que eles tornar-se-ão realidade...

f) Deus tem grandes planos para você. ( Jer. 29:11).

2. Todos os Membros da Igreja Precisam Ter um Grande Sonho...

a) Se você não está sonhando, está morrendo.

b) Não existem pessoas grandiosas... existem pessoas comuns comprometidas com grandes sonhos. Quando uma pessoa comum está comprometida com um grande sonho, isso a transforma em alguém grandioso.

Ex.: Elias...,
Ex.: Martim Luther king Jr...,
Ex.: Abraham Lincoln...
Ex.: Tomas Edson...

c) Se você deseja ser saudável, precisa ter um sonho nessa direção...

Ex.: A jogadora de futebol feminino – Marta...

d) È preciso sonhar com a evangelização da cidade, do Brasil e do Mundo. ( Atos 1:8).

e) Grande Sonhos glorificam a Deus e beneficiam a humanidade...
Ex.: Luis Paster...

Ex.: Pr. Rick Warren, tem um sonho de derrotar os cinco gigantes mundiais, que são:

1- Alcançar o perdidos espirituais;

2- Liderança egocêntrica...;

3- A pobreza;

4- A doença...;

5- A ignorância.

f)- Sonhe em ser cheio do Espírito Santo e andar no poder do Espírito. ( Luc. 4:1,14).

3) Passos para Ajudar Você a Descobrir e Viver os Sonhos de Deus para sua Vida.


a)- Abra sua mente para Deus... ouça a voz de Deus...

b)- Faça pesquisas – Leia bons livros, vá a congressos, conferências, visite outros locais, conheça os fatos...

c)- Comece buscando conselhos – “ Lembre-se é melhor admitir sua ignorância do que prova-la na sua experiência...seja humilde. Seja ensinavel”

d)- Estabeleça prioridades – aprenda a diferença entre o importante e o urgente... seja eficiente e ser efetivo – eficiência é fazer as coisas de maneira certas, efetivo é fazer as coisas certas.

e)- Avalie os custos – isso é que chamamos de risco calculado.


Faça três perguntas:

1- É necessário?
2- Quanto vai custar em termos de tempo, energia, dinheiro...?
3- Vale a pena?

f)- Planeje para enfrentar os problemas – ( Prov. 22:3).

Pergunte: “o que pode dar errado com esse sonho”?
Seus planos devem visualizar os problemas, isso é ser realista...

Ex. Moises conduzindo o povo em direção à terra prometida... Ex. Os apóstolos no começo da igreja...

g)- Esteja pronto para arriscar – Enfrente seus medos. ( Prov. 29:25).

- O segredo de estar acima do medo, é saber quem lhe deu o sonho, quando você sabe que seu sonho provém de Deus, isso lhe dá segurança, confiança... o que importa é o que Deus disse para fazer.

h)- Comece a fazer isso agora – aqui está o ponto de decisão, onde você para de falar e começa agir. Deus lhe chamou para fazer algo, comece a fazer agora mesmo.

- Não custa nada sonhar; sonhe grandes sonhos para sua vida, família, ministério, igreja, profissão.

- Tudo é possível ao que crê. Não há impossíveis para Deus em todas as suas promessas. (Mar. 9:23; Luc. 1:37).

- Tudo que é possível hoje em nossa sociedade era impossível em tempos atrás: carros, computadores, aviões, internet...

As impossibilidades de hoje são os milagres de amanhã.









++++++++++++++++

++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++






quinta-feira, 20 de janeiro de 2011


O Enigma do mal

(I Pe 5.8-11)




Objetivo do Estudo:

- Saber que o mal não é uma realidade independente de Deus, que há um propósito divino em permiti-lo; que Deus tem o controle absoluto sobre ele, no tocante à sua origem, duração e intensidade, e providenciou meios para lhe resistirmos.

O estudo numa frase:

- Deus não é o autor do mal, mas permitiu que ele acontecesse para cumprir Seus propósitos no mundo até o momento em que o eliminará.

Panorama bíblico:

- O texto de Pedro destaca nossa atitude diante dos ataques de satanás. Ele é como um leão sempre procurando alguém para devorar. Então, qualquer descuido pode ser fatal.

- Pedro quis chamar a atenção para o estado de prontidão que os cristãos devem ter. Pedro diz que devemos resistir firmes na fé.

- O objetivo do diabo é nos fazer abandonar a fé, portanto, vencemos quando permanecemos firmes.

- Pedro diz que os cristãos do mundo precisam passar por isso. Mas ele garante que Deus irá completar sua obra em nós e até mesmo usar essas lutas e dificuldades para nos aperfeiçoar.

INTRODUÇÃO

- Por que Deus permitiu e permite a existência de satanás?

- Não há dúvida de que Deus poderia ter impedido a queda dos anjos ou mesmo exterminado todos eles a fim de não causarem todo o mal que vêm causando ao longo das eras.

- Essas criaturas são perversas. Então, por que Deus permitiria a existência de um ser tão mau?

- Essa pergunta nos faz voltar à questão da própria origem do mal. De onde veio ele?

- Falar sobre a origem do mal é entrar num dos caminhos mais obscuros e pouco trilhados da teologia.

- Poucos se aventuraram nessa estreita senda cheia de armadilhas e dificuldades, onde facilmente se pode tropeçar e cair na heresia e até mesmo na blasfêmia.

- A pergunta “quem criou o mal?” é uma daquelas questões da qual todo professor de Seminário ou de Escola Bíblica gostaria de fugir.

I – A ORIGEM DO MAL

- No mundo antigo, sempre se acreditou que havia um deus bom e um deus mau.

- Modernamente, essa crença denominada dualismo tem ressuscitado em muitos lugares, especialmente nos movimentos ligados à Nova Era.

- O dualismo identifica essas duas forças como iguais e dependentes uma da outra, como se uma completasse a outra. Esse conceito está muito longe de ser bíblico.

- De acordo com a Bíblia, satanás não é igual a Deus. Deus é o único Soberano, satanás é uma criatura rebelde de Deus. Não existe comparação, Deus é o Rei por excelência, satanás não passa de um usurpador.

Qual a origem do mal?

- Nunca teremos uma resposta completamente satisfatória, pelo menos nesta vida.

Algumas perguntas que podem ser feitas nos ajudam a pensar no assunto.

1 – De onde veio o mal se Deus é o criador de todas as coisas?

2 – É satanás o criador do mal?

3 – Como ele teria criado o mal se ele próprio era bom antes de pecar?

- Para começar uma coisa precisa ficar absolutamente clara: Deus não é o autor do mal.

- Seja qual for a resposta que dermos para a origem do mal, ela precisa necessariamente excluir Deus (Tg 1.16-17), pois se Deus fosse o autor do mal não poderia ser o Deus bom e justo no Qual cremos. Deus é o criador de todas as coisas, mas não é o criador do mal.

- Então, seria satanás o criador do mal?

- Se satanás fosse o criador do mal isso faria dele alguém que realmente está em competição direta com Deus.

- A verdade é: o mal não foi necessariamente criado. Ninguém o criou do nada e de forma específica.

- Portanto, o mal é o que pode ser chamado de uma ou seja, fruto do uso de coisas que já existiam, como por exemplo, o livre-arbítrio, a personalidade e o poder de satanás.

- Nesse sentido, Deus dotou satanás com essas qualidades e ele as usou para originar o mal. Isso é o máximo que podemos dizer, é o limite até onde podemos ir.

- Podemos entender que o pecado não tem origem, mas só um início.

- Vemos estudiosos que apelam para a expressão de Isaías, onde Deus diz: “Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas” (Is 45.7), como uma prova de que Deus é o autor do mal.

- O contexto da passagem em questão sugere que esse mal não se refere ao mal último, metafísico, mas uma situação específica, que no caso dos judeus, seria a vinda dos caldeus contra a nação (Rm 9.16-18).

- O mal nesse texto se refere mais a algo como a calamidade, e não ao pecado (ver nota em quadro ao fim do tópico).

- O fato de a Escritura não dar explicação direta sobre a origem do mal, mas por outro lado mostrar o papel do mal é uma indicação de que esse último deve ser o foco da nossa atenção.

- A origem do mal, contudo, sempre será uma incógnita para nós.

- Is 45.7 – Crio o mal. Isto não quer dizer que Deus seja moralmente responsável pela existência do pecado.

- O “mal”, heb rá, inclui tudo o que os homens chamam de mal: desgraça, punição, infortúnios, dificuldades, coisas que sobrevêm ao homem por causa do pecado no mundo, conseqüências de uma situação que Deus está pronto a remediar, se entregarmos os nossos caminhos a Ele, aceitando o castigo e a correção das Suas mãos.

- Deus age nos mínimos acontecimentos, mas faz do mal surgir o bem, e finalmente livra os seus de todo o mal.

- O versículo também combate a grande religião nacional da Pérsia, que faz do universo um palco de infinda luta entre dois deuses, Ahura Mazda, o deus da luz, e Arimã, o deus das trevas.

- A Bíblia ensina que todas as coisas estão dentro da providência divina e sujeitas ao Seu poder.

Bíblia Shedd, Edições Vida Nova, 1ª edição, 1998 – São Paulo –SP. p. 1033.

II – O PROPÓSITO DO MAL (Tg 1.2-4 e 1.12-15)

- Voltar ao porquê da permissão de Deus para a origem do mal faz com que nos encontremos num terreno mais sólido.

- De alguma forma o mal pode ser usado por Deus em seus propósitos. Não adianta fechar os olhos para o fato de que ao conceder livre-arbítrio aos anjos e depois a Adão, passou a existir a possibilidade da existência do mal.

- Porém não podemos imaginar que Deus permitiria algo que pudesse de fato arruinar Seus propósitos; nada colocou em risco o Seu grande projeto.

- A Confissão de Fé de Westminster diz: Desde a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho de sua vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece, porém, de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas (III, 1).

- Essa talvez seja a afirmação mais precisa que já foi formulada sobre a origem de todas as coisas. Há uma tensão (paradoxo) admitida na frase, a de que isso não faz de Deus o autor do pecado, nem elimina a liberdade do homem.

- A única responsabilidade pelo mal que pode ser atribuída a Deus é que Ele criou um mundo no qual o mal era possível, e isso para demonstrar Sua glória pelo fato Dele saber lidar com isso e, ao final, conduzir tudo para o bem.

- A verdade é que a existência do mal segue os propósitos de Deus para esse mundo.

- Uma coisa precisa ficar clara: o Senhor não tem nenhum prazer em satanás e não compartilha de nenhuma de suas maldades, porém, Deus pode usar satanás para cumprir Seus propósitos.

- Não é que satanás queira gentilmente servir a Deus, ele luta desesperadamente contra Deus, mas tal é a Soberania do Criador, que mesmo em sua luta desesperada, satanás acaba contribuindo para que o supremo propósito de Deus se realize.

- Uma das maneiras que Deus usa o mal é para testar Seu povo (Tg 1.2-4 e 1.12-15).

- O teste é uma prova de qualidade. Todo produto que seja confiável precisa de pressão para confirmar sua resistência.

- Nós recebemos a pressão do inimigo como forma de teste. Deus pode usar satanás como instrumento de punição também.

- Há pelo menos dois casos na Bíblia em que pessoas foram “entregues a satanás” como um castigo por seus pecados, um crente e um incrédulo (I Co 5.5 e I Tm 1.20).

- Deus decretou que o ímpio sofra, e a satanás é meramente permitido trazer essa punição sobre ele.

- Deus permite a contínua existência de satanás porque este é de fato o Seu “chicote” para esse mundo, porém acima de tudo, Deus o usará pessoalmente para demonstrar Seu poder.

- Deus fará uma grande demonstração de Seu poder sobre o maior inimigo quando o aprisionar definitivamente no lago de fogo.

- Deus já tem demonstrado Seu poder sobre satanás hoje, resgatando as vitimas do império das trevas e trazendo-as a salvo para o Reino celestial.

- Ainda podemos dizer que, pelo fato de ter deixado que o mal se originasse, Deus criou a oportunidade de expressar ainda mais plenamente Sua graça e misericórdia. Esse caráter gracioso e misericordioso de Deus jamais teria sido demonstrado se o mal não tivesse se originado.

III – A DURAÇÃO DO MAL

- O mal não é eterno, pois não faz parte da essência das coisas que existem. O fato de que Deus vencerá o mal torna a existência dele razoável.

- O mal cumpre um papel estabelecido por Deus, e quando esse papel se acabar, Deus o eliminará e nunca mais permitirá que o mal reapareça.

- Aqueles que tentam explicar a existência do mal baseados no livre-arbítrio não têm resposta para a questão: o homem poderá novamente pecar?

- Se o livre-arbítrio de fato faz parte da constituição humana não há garantias de nossa salvação nem nesta vida, nem na vindoura. Nesta vida, a qualquer momento, poderíamos perder a salvação por um ato deliberado de nossa vontade, e mesmo no futuro, embora não tenhamos mais motivos para pecar, sempre teremos a possibilidade de pecar.

- Se alguém quiser afirmar que no futuro o homem não terá mais livre-arbítrio, poderia se perguntar então, por que deveria ter hoje?

- Não haverá livre-arbítrio no futuro, como de fato não existe hoje. Deus não permitirá que o mal entre novamente em Sua criação e corrompo-a outra vez; podemos ter certeza (Ap 21.4).

IV – A ATITUDE CORRETA FRENTE AO MAL

Devemos ser equilibrados ao tratarmos do problema do mal, pois dois erros ocorrem e devem ser evitados:

1) Não dar qualquer importância ao mal;

2) Exagerar a importância do mal.

- Os teólogos liberais têm negado a existência do diabo. A teologia liberal que fez com que grande parte das igrejas evangélicas da Europa e dos Estados Unidos perdesse a relevância bíblica.

- O esvaziamento dessas igrejas é uma prova incontestável disso. Ignorar os desígnios do inimigo é praticamente decretar a vitória dele (II Co 2.11).

- Numa guerra a pior coisa que pode acontecer é alguém ser pego de surpresa.

- Paulo fala dos “desígnios” de satanás indicando a idéia de que ele tem metas definidas, estratégias elaboradas, um programa de ação e opções a serem aplicadas conforme as circunstâncias.

- Não podemos ignorar que, “... quando o inimigo é invisível, maior é o perigo.”

- Há também aqueles que exageram a importância de satanás. Muitos estão desafiando o diabo abertamente, e até supostamente, entrevistando-o na televisão.

- O diabo tem sido o alvo principal de muitos movimentos evangélicos, que o vêem praticamente em tudo. Em muitos casos a responsabilidade pessoal de cada um é minimizada, pois tudo o que acontece de ruim é atribuído ao diabo.

- Há uma verdadeira obsessão pelo diabo. É errado sacrificar o tempo do culto que deveria ser dedicado à adoração a Deus para promover uma luta contra o diabo. Equilíbrio, portanto, é necessário. Não devemos nem exagerar nem minimizar a importância do diabo.

- Seguir a Bíblia sempre será a melhor opção para não termos surpresas desagradáveis em nossa luta contra o mal (I Pe 5.8-9; Tg 4.7 e Ef 6.13). Resistência é a palavra de ordem.

CONCLUSÃO

- Deus não é o autor do mal, mas a existência do mal segue os propósitos eternos de Deus.

- Em tempos tão confusos, relativos e sincréticos, precisamos destacar o absoluto antagonismo que há entre Deus e o diabo, entre o bem e o mal. Porém, não devemos pensar num dualismo cosmológico, pois bem e mal não são forças em pé de igualdade.

- O bem de Deus é soberano, ainda que o mal de satanás apareça mais neste mundo.

- A certeza é que a soberania do Deus bom garante que o mal será completamente eliminado da vida dos regenerados.



Estudos bíblicos sobre o ser humano
Autor: Leandro Lima
Editora Cultura Cristã
Adaptações e complementações: Alceu de Amorim Von-Held

Fonte:
http://www.ibsweb.com.br/ipsw3/index.php?option=com_content&view=article&id=405:o-enigma-do-mal&catid=21:estudos-biblicos&Itemid=38




+++++++++++++++++

++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011


Ética Cristã

"Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento; se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz, se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade, para que guardem as veredas do juízo. Ele preservará o caminho dos seus santos. Então entenderás a justiça, o juízo, a eqüidade e todas as boas veredas." Pv 2:1-9



O que é ética?

- A ética pode ser definida como o estudo crítico da moralidade.

- Consiste na análise da natureza da vida humana, incluindo os padrões do “certo” e do “errado”, pelos quais sua conduta passa a ser conduzida. Em resumo ética e a aquilo que você pensa e faz.

a) Liberdade e responsabilidade

- Ética pressupõe não apenas liberdade, mas também responsabilidade, porque liberdade sem responsabilidade tende a converter-se em libertinagem, ainda que libertinagem tenha se transformado num principio ético, muito em voga (moda) na sociedade moderna atual.

- A ética interessa-se por todas as decisões, escolhas e avaliações do homem quanto aos valores da vida.

- Concluindo, ética diz respeito a todas as atividades do homem, a serem louvadas ou criticadas e rejeitadas.

b) Diferentes tipos de ética

Quanto à sua aplicação, a ética se divide em vários tipos:
ética social, ética política e ética religiosa.

1. A ética social:
abrange os princípios que regem o comportamento da família e da sociedade como um todo.

2. A ética política: fala dos princípios de uma condução e administração do bem público, como sejam município, o estado e a federação.

3. A ética religiosa: tem haver com os princípios que regem o comportamento espiritual do homem, pertença ele a religião que pertencer, o professe ele a crença que professar.

ÉTICA CRISTÃ

- No contexto evangélico “ética cristã” é um somatório de princípios que formam e dão sentido à vida cristã normal.

- É a marca registrada de cada crente. É o que cada crente é, pensa e faz. Por aquilo que o crente é e faz, evidencia a sua dependência de Deus e do seu próximo.

- Aqui está a fundamental diferença entre “ética cristã” e “ética” como simples estudo critico da moralidade.

Evidencias duma Ética Cristã

Como modelo de vida concreta, a ética cristã apresenta o crente ao mundo de quatro formas a seguir:

1. Uma escolha nascida de novo.

- Para viver uma vida nova, torna-se necessário que o homem nasça de novo; nasça do céu para as coisas do céu (Jo. 3:3).

- Só que o nascimento espiritual na família de Deus, dota o homem da natureza divina e capacita-o a viver de forma a agrada-lo.

- Só vivendo para Deus o homem estará habilitado para viver o seu próximo, pois a vida que passa a gozar e tão abundante (Jo. 10:10) que dá para comunica-las aos outros.

2. Sal da Terra.

- Aqueles que já experimentaram o novo nascimento e agora vivem de acordo com a vocação divina, Jesus diz: “Vós sois o sal da terra” (Mt. 5:13).

- O sal tem a prioridade de conservar, equilibrar e dar sabor.

- Como “sal da terra” o crente possui a singular responsabilidade de conservar a sua identidade com Deus, ser um agente de equilíbrio e comunicar sabor ao ambiente onde o império da morte se faz presente e impera.

3. Luz do mundo.

- Em Mt. 5:14, Jesus diz “vós sois a luz do mundo”.

- A luz brilha e se opõe as trevas. É exatamente isto que Deus quer que o cristão faça.

- O cristão deve saber que o mundo jamais verá a Deus melhor do que o próprio crente é capaz de apresentar através de suas atitudes. Por isto Jesus acrescentou Mt. 5:16.

- A função do sal é principalmente evitar a deterioração, enquanto que a função da luz é iluminar as trevas; porém, o sal e a luz possuem duas características em comum: eles se dão e se gastam, e isto é oposto de qualquer conceito ético religioso concentrado no ego.

- Portanto, como sal da terra e como luz do mundo, o crente pode viver um modelo de vida, que além de dar segurança e um real senso de realização, contribuirá para que outros se aproximem de Deus e tenham a nova vida oferecida em Jesus Cristo.

4. Testemunha de Jesus Cristo.

- A vida frutífera alcançada através duma comunhão constante com Cristo, capacita o crente a partilhar as imensuráveis riquezas espirituais com aqueles que como ele habitam neste vale de lágrimas.

- Contar aos outros o que Deus fez em seu beneficio é uma das formas mais salutares de manter a benção recebidas.

Demonstração da ética cristã

- A ética cristã é uma norma de vida a se vivida por aqueles que encontraram vida abundante em Cristo, e como tal, deve ser demonstrada através duma contínua comunhão com Deus, de cooperação com o próximo e com a sociedade dum modo geral.


AUTOR: Pr. Alailson Sivirino Dias






================

==================

===================



A Ética Cristã

no Culto a Deus

"Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro." I Co. 14:26-30


- O culto é como uma gota de orvalho em busca do oceano do amor divino; é uma terra sedenta clamando por chuva. Dado a importância do culto, devemos procurar conhecer suas bases e essência, bem como a necessidade da reverencia ética do culto.

I. BASES BÍBLICAS DO CULTO

- A confissão da igreja cristã tem por objetivo principal a glorificação a Deus e alegrar-se nele Sl. 122:1.

- Isto faz do culto o ato mais importante, mais relevante, mais glorioso na vida do homem Sl. 84:1-4.

- Contudo, quantos crentes sabem distinguir entre a verdadeira e a falsa adoração?

- Será que você tem cultuado de modo que agrada a Deus? Hb. 11:5.

Palavra que designa adoração

- Para alcançarmos uma visão correta sobre o culto cristão, é mister examinarmos o termo “Latreía”, cujo significado é “serviço” ou “culto”.

- Denota-se o serviço prestado a Deus, pelo povo inteiro ou pelo individuo.

- Em outras palavras é o serviço que se oferece à divindade através do culto formal, ritualístico.

A) Bases teológicas do culto

- A adoração cristã é fundamentada na nova aliança Hb. 8. está franqueada ao crente a comunhão com Deus, pelo novo e vivo caminho aberto por Jesus Cristo Hb. 10:19-22.

B) Os requisitos éticos do culto

- O comprimento de um ritual não basta para que haja culto. É indispensável à aceitação, por Deus do culto oferecido Sl. 20:3.

- Deus estabelece condições para aceitar a adoração de homens. Jo. 5:41.

- A ignorância dessas condições ou sua violação transforma o ritual do culto divino em um exercício unilateral com sérias conseqüências para os participantes.

II. A ESSÊNCIA ÉTICA NO CULTO A DEUS

A) A necessidade do culto

- O culto é necessário, pois tem por finalidade o homem Ex. 19:17.

- No culto, o homem acha razão da sua existência, pois ele foi criado para adoração Sl. 96:9.

- O fim supremo e principal do homem e glorificar a Deus. Fora da posição de adorador de Deus, o homem não encontra sentido para vida.

B) A essência do culto

- Em meio às múltiplas maneiras de cultuar, há um elemento imprescindível à adoração: o amor.

- A essência da adoração é o amor. É totalmente impossível adorar a Deus sem ama-lo.

- E Deus nunca se satisfez com menos que tudo. Dt. 6:5.

- “Sem o incentivo do amor por Deus, o culto não passa de palha, pura casca, isento de qualquer valor. Pode até se tornar em culto a Satanás” (Russel Shedd).

C) Ação intelectual de adoração

- A adoração também envolve a mente para uma meditação acerca das coisas celestiais.

III. A REVERÊNCIA COMO PRIORIDADE NO CULTO

- A maneira correta de participarmos do culto deve ser com reverência. Hb. 12:28.

A) Razões para reverência

- Servimos a um reino de poder: “Pelo que, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente com reverência e piedade”.

B) Atitudes reverentes

- É necessário que durante o culto, mantenhamos uma atitude reverente com o local de adoração, uma vez que Deus está no templo Mt. 18:20.

- E, uma vez que Deus se faz presente em nossas reuniões, necessário se torna que o reverenciemos.

C) Indicações bíblicas para um culto reverente

- Sem a verdadeira adoração a Deus, não há culto.

- Na presença do altíssimo demonstraremos, com toda sinceridade de alma, nossa profunda humildade e reverência em face de sua santidade absoluta.

IV. AS ATITUDES ANTIÉTICAS NO CULTO A DEUS

- Há infelizmente muitos crentes que não sabem manter uma atitude correta perante o Senhor, no seu santuário.

- Esquecem-se que o culto é um encontro de Deus com seu povo Hc. 2:20, é necessário reverência. São meros assistentes, por conseguinte, jamais chegam as bênçãos que o Senhor reserva aos que realmente o cultuam.

A) Desatenção no culto

- A falta de atenção é o mesmo que falta de consideração, descortesia.

- Miguel Risso, referido-se ao culto divino, escreve o seguinte: “É preciso que haja ambiente próprio para que ele seja proveitoso. Isso é fácil de se entender. A atitude mental de quem cultua a Deus é diferente daquela de uma pessoa que esteja numa festa tumultuosa, entregando-se à alegria mundana”.

B) Movimentação desnecessária no recinto do culto

- Observamos, infelizmente, a falta de reverência em muitas de nossas igrejas, não só por parte das crianças, mas de pessoas adultas na idade e que deveriam ser também adultas também no comportamento cristão. Entretanto por não ter atingido a maturidade espiritual é que são assim irreverentes.

- Ainda hoje o pecado da irreverência é responsável pela debilidade espiritual de grande numero de membros de igrejas.

- O crente que não mantém uma atitude correta perante Deus durante o culto não cresce espiritualmente, além do que prejudica sensivelmente o culto, com sua frieza e indiferença.

CONCLUSÃO

Todo culto é acompanhado da ética cultual. Nela se exige que saiba o significado de cultuar a Deus.


AUTOR: Pr. Alailson Sivirino Dias
FONTE:
http://www.ministeriofama.org/portal/estudos-biblicos/a-etica-crista-no-culto-a-deus.html?Itemid=56




######################

######################

######################


terça-feira, 18 de janeiro de 2011


Porque Deus Aceitou
a Oferta de Abel
e Recusou a de Caim

"1 Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e, tendo dado à luz a Caim, disse: Alcancei do Senhor um varão. 2 Tornou a dar à luz a um filho - a seu irmão Abel. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. 3 Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. 4 Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta, 5 mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. 6 Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante? 7 Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar. 8 Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou. 9 Perguntou, pois, o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Respondeu ele: Não sei; sou eu o guarda do meu irmão? 10 E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão está clamando a mim desde a terra. 11 Agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para da tua mão receber o sangue de teu irmão. 12 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra. 13 Então disse Caim ao Senhor: É maior a minha punição do que a que eu possa suportar. 14 Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á. 15 O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, sete vezes sobre ele cairá a vingança. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse. 16 Então saiu Caim da presença do Senhor, e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden". Gênesis 4:1-16

INTRODUÇÃO

Em relação às nossas contribuições para a Obra de Deus, podemos cair em dois erros mais comuns: um deles é nos abstermos de qualquer contribuição, achando que Deus não precisa de dinheiro; outro erro é transformarmos a Igreja numa "empresa" materialista e ávida por arrancar a qualquer custo o dinheiro dos fiéis, através de leilões, extorsões, meios ilícitos, práticas anti-bíblicas, coisas muito comuns em algumas igrejas da atualidade.

Devemos lembrar que Satanás, é inimigo de Deus e de sua obra, e deseja fazer tudo para destruir o plano de Deus na terra. Usando todos os meios diabólicos, ele pode nos levar a uma visão errada, distorcida em relação às nossas contribuições para a Casa de Deus. Não podemos agir contra os princípios da Palavra de Deus, estando num extremo ou em outro! Mas devemos estar cientes de que como filhos luz, devemos nos dispor para a contribuição financeira no Reino de Deus.

Os Dízimos, as ofertas, são bíblicos, e a Bíblia é a Palavra de Deus. Eles são o recurso de Deus para a expansão de seu Reino na Terra. Quem é contra o dízimo, é contra o próprio Deus e seu Reino. Dízimo, também não é lei. Como crentes em Cristo, como Senhor, nós vivemos acima da Lei.

O difícil não é sermos dizimistas, mas sim Deus receber, acolher o nosso dízimo e nossa oferta, como tributo ao seu nome. Não podemos nos esquecer que há princípios, critérios da parte de Deus, para que Ele aceite nossas contribuições. No texto lido, encontramos uma questão de suma importância para aqueles que servem a Deus com seus dízimos e ofertas:

"Porque Deus Aceitou a Oferta de Abel e Recusou a Oferta de Caim?"

Vejamos alguns pontos:

I. CAIM TROUXE SUA OFERTA DO FRUTO DA TERRA, MAS ABEL USOU O SACRIFÍCIO - Gn 4.3-4,

"3 Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. 4 Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta,
Abel sacrificou um animal, oferecendo-o ao Senhor, obedecendo os princípios da lei mosaica, mesmo antes que a lei fosse dada no Monte Sinai, Lv 1.1-2,

"1 Ora, chamou o Senhor a Moisés e, da tenda da revelação, lhe disse: 2 Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor, oferecereis as vossas ofertas do gado, isto é, do gado vacum e das ovelhas". Levíticos 1.1-2

Alguns estudiosos, crêem que Caim antes de oferecer sua oferta de manjares e cereais ao Senhor, deveria ter oferecido um sacrifício de sangue, para expiar seus pecados, uma vez que não estaria qualificado sem este sacrifício. Estes estudiosos defendem seus princípios usando alguns textos como os que vamos citar agora:

"E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem ‘derramamento de sangue não há remissão’". Hb 9.22

"5 e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, 6 para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado, 7 em quem temos a "redenção pelo seu sangue", a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça." Ef 1.5-7

• Se estes estudiosos estão corretos, e esta foi a razão da rejeição da oferta de Caim, para que ofertemos para Deus, é necessário passarmos pela expiação de nossos pecados, que só pode acontecer mediante a aceitação do sacrifício do Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, Jo 1.29,

"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo". Jo 1.29

II. CAIM CUMPRIU APENAS UM RITUAL, PORÉM ABEL USOU SEU CORAÇÃO

Deus odeia a religião ritualista e sem sentimentos:
"11 De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? diz o Senhor. Estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes. 12 Quando vindes para comparecerdes perante mim, quem requereu de vós isto, que viésseis pisar os meus átrios? 13 Não continueis a trazer ofertas vás; o incenso é para mim abominação. As luas novas, os sábados, e a convocação de assembléias... não posso suportar a iniqüidade e o ajuntamento solene! 14 As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer. 15 Quando estenderdes as vossas mãos, esconderei de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei; porque as vossas mãos estão cheias de sangue". Is 1.11-15
a. Não adianta tentarmos agradar a Deus, somente com aparência religiosa. Deus conhece nossa real intenção e não receberá nossa oferta.

b. 1 Sm 15.22-23, "22 Samuel, porém, disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros 23 Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniqüidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não sejas rei".
- Deus não tem prazer em holocaustos, quando não há obediência à sua Palavra. A desobediência, é rejeição à Palavra de Deus. Quando há rejeição à Palavra de Deus, Ele também nos rejeita.

c. Mt 23.23-24, "23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. 24 Guias cegos! que coais um mosquito, e engulis um camelo".

- O cuidado com as formas ritualísticas, não pode ser superior à religião interior. Jesus não censura a forma ritualística, mas ela precisa ser acompanhada com sentimentos de amor a Deus e ao próximo.

d. A oferta de Caim foi recusada, porque faltou o sentimento da verdadeira adoração a Deus. Quando não há este sentimento, Deus rejeita a oferta.

2. Para contribuirmos na obra de Deus e sermos agradáveis a Ele, é necessário que aprendamos o princípio da obediência.

III. ABEL ERA JUSTO, PORÉM, CAIM ERA INJUSTO, ÍMPIO

1. A Bíblia diz que Caim irou-se fortemente ao ver que sua oferta foi recusada, o que custou-lhe uma repreensão severa de Deus, (6-7), "6 Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante? 7 Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar".

a. A ira incontrolável, é o início do caos na vida cristã, Ef 4.26, "Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira".

- É provável que Satanás encontre uma grande brecha em nossas vidas quando alimentamos a ira, Ef 4.27, "nem deis lugar ao Diabo". Não foi isto que se deu com Caim?, Gn 4.8, "Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou".

b. 1 Jo 3.12, "não sendo como Caim, que era do Maligno, e matou a seu irmão. E por que o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas".

- Caim matou seu irmão porque era maligno e suas obras eram más. Não havia lugar em seu coração para o amor.

2. Porém, Abel foi justo e por esta razão, Deus recebeu sua oferta, (4), "Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta".

a. Mt 23.35, "para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que mataste entre o santuário e o altar".

b. Neste texto de Mateus, Jesus se refere a Abel, como sendo Justo. O justo é aquele que agrada a Deus em sua vida e obras, Hb 11.4, "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala".

3. Se tua vida não é reta diante de Deus, Ele recusará sua oferta.

IV. ABEL OFERECEU DAS PRIMÍCIAS, PORÉM, CAIM TROUXE QUALQUER COISA

1. "Caim trouxe do fruto da terra", (3).

- Provavelmente, pegou do que sobrava, ou das piores coisas e trouxe ao Senhor:

a. Deus não recebe a sobra, ou o que não presta para você, Lv 22.17-25, "17 Disse mais o Senhor a Moisés: 18 Fala a Arão, e a seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e dize-lhes: Todo homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros em Israel, que oferecer a sua oferta, seja dos seus votos, seja das suas ofertas voluntárias que oferecerem ao Senhor em holocausto, 19 para que sejais aceitos, oferecereis macho sem defeito, ou dos novilhos, ou dos cordeiros, ou das cabras. 20 Nenhuma coisa, porém, que tiver defeito oferecereis, porque não será aceita a vosso favor. 21 E, quando alguém oferecer sacrifício de oferta pacífica ao Senhor para cumprir um voto, ou para oferta voluntária, seja do gado vacum, seja do gado miúdo, o animal será perfeito, para que seja aceito; nenhum defeito haverá nele. 22 O cego, ou quebrado, ou aleijado, ou que tiver úlceras, ou sarna, ou impigens, estes não oferecereis ao Senhor, nem deles poreis oferta queimada ao Senhor sobre o altar. 23 Todavia, um novilho, ou um cordeiro, que tenha algum membro comprido ou curto demais, poderás oferecer por oferta voluntária, mas para cumprir voto não será aceito. 24 Não oferecereis ao Senhor um animal que tiver testículo machucado, ou moído, ou arrancado, ou lacerado; não fareis isso na vossa terra. 25 Nem da mão do estrangeiro oferecereis de alguma dessas coisas o pão do vosso Deus; porque a sua corrupção nelas está; há defeito nelas; não serão aceitas a vosso favor".

2. "Abel pegou das primícias", (4), "Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta".

Deus quer das suas primícias, e não da última parte do que você recebe.

CONCLUSÃO

1. Muitos crentes vêem no dízimo um peso, uma sacrifício. Porém, ele não deve ser encarado desta forma. Deve ser um ato de amor a Deus e a sua obra.

2. Quando nós entregamos o dízimo com amor para a obra de Deus, ele é aceito pelo Senhor e revertido a nosso favor:

a. Ml 3.10, "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança".

b. 2 Cr 31.5-10, "5 Logo que esta ordem se divulgou, os filhos de Israel trouxeram em abundância as primícias de trigo, mosto, azeite, mel e todo produto do campo; também trouxeram em abundância o dízimo de tudo. 6 Os filhos de Israel e de Judá que habitavam nas cidades de Judá também trouxeram o dízimo de bois e de ovelhas, e o dízimo das coisas dedicadas que foram consagradas ao Senhor seu Deus, e depositaram-nos em montões. 7 No terceiro mês começaram a formar os montões, e no sétimo mês acabaram. 8 Vindo, pois, Ezequias e os príncipes, e vendo aqueles montões, bendisseram ao Senhor e ao seu povo Israel. 9 Então perguntou Ezequias aos sacerdotes e aos levitas acerca daqueles montões. 10 Respondeu-lhe Azarias, o sumo sacerdote, que era da casa de Zadoque, dizendo: Desde que o povo começou a trazer as ofertas para a casa do Senhor, tem havido o que comer e de que se fartar, e ainda nos tem sobejado bastante, porque o Senhor abençoou ao seu povo; e os sobejos constituem esta abastança".

3. Deus não precisa do meu dinheiro. Nós é que precisamos dar nosso dinheiro para sermos abençoados.

Autor: Pr José Antônio Corrêa





++++++++++++++++++

++++++++++++++++



++++++++++++++

++++++++++++++++

+++++++++++++++++




Sete níveis
de contribuição

TEXTO: Mt. 6.21


INTRODUÇÃO:

Existem níveis de contribuição para o Reino de Deus, falaremos sobre sete níveis de contribuição:

1 - RESTITUIÇÃO (Jl. 2.25-26):

- Restituição nada mais é do que devolver aquilo que pertence a Deus. Muitos querem a restituição e o ressarcimento daquilo que foram roubados e perderam, no entanto, não querem restituir aquilo que não era seu e usaram.

- Muitos já foram roubados pelo diabo seja na vida financeira ou em qualquer outra área, mas Deus tem uma promessa para Seu povo, “fazer com que esses gafanhotos-demônios façam a restituição”.

2 - DEVER (Ml. 3.10):

- Muitos acham que o dizimo é um nível de contribuição muito elevado, porém é o mais baixo.

- Alguns entregam por obrigação, outros entregam por medo de maldição. Mas mesmo assim o Senhor promete abrir a janela do céu e derramar bençãos sem medida e te chamarão de bem aventurado.

3 - SEMEADURA (II Co. 9.6-7, 10):

- O mesmo que dá o pão é o que dá a semente. O problema é que muitos acabam comendo a semente, e não tem nada para semear, portanto acabam não colhendo.

4 - GRATIDÃO (Sl. 116.12):

- Esse é um ato de gratidão.

- Aquele que semeia está pensando em ganhar. Mas aquele que dá por gratidão ele dá porque ele já ganhou.

- Aquele que semeia está pensando naquilo que virá a ter, mas aquele que tem gratidão ele já sabe que recebeu.

5 - CAUSA (Mc.16.15):

- Esse é um nível superior de contribuição, pois expressamos nosso compromisso como discípulos.

- Quando fala-se de causa deixa-se de estar no centro, passando a contribuir naquilo que se acredita, tendo um compromisso e investindo dinheiro numa causa significativa e nobre.

6 - GENEROSIDADE (Pv. 11.24 e 25):

- Poucos contribuem por generosidade. Muitos são os que doam por compaixão, seu coração se comove e suas mãos se apressam em serviço.

- A compaixão mobiliza, exige ação prática. Compaixão não custa nada, mas os atos de compaixão sempre demandam dinheiro, bens, ou alguma forma de recursos; no mínimo de uma rede de relacionamentos solidários e dispostos a ajudar outros.

7 - ADORAÇÃO (Pv. 3.9-19/ Jo. 12.1-6):

- Finalmente, há os que contribuem por gesto de adoração, ato que visa apenas e tão somente a glória de Deus.

- Estamos habituados a adorar o Senhor com músicas e canções e isso é bom. Mas quantos já pararam para adorar o Senhor com os seus bens?

- Maria não adorou com palavras; Maria não adorou com instrumentos;

- Maria não adorou com músicas;

- Maria adorou com uma oferta que equivaleria a dez meses de serviço.

Guia do Compartilhamento

Qual o nível de contribuição que você deseja dar? Por que?


AUTOR: Pr Valdinei





+++++++++++++++

++++++++++++++++


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011


É Preciso
Nascer de Novo
Quebra-gelo: Você acha possível alguém conseguir mudar seu jeito de ser (sua personalidade)?

Texto: João 3:3-7


Introdução:


- A Bíblia ensina que o homem nasce e morre uma só vez (Hebreus 9:27), depois disso é esperar o dia que seremos julgados por Deus, mas em João 3: 3-7 Jesus diz que é preciso nascer de novo?

- O que Jesus queria dizer?
- Quando Jesus diz que é necessário nascer de novo, Ele está explicando a experiência que vivemos quando recebemos a Jesus como Senhor e Salvador.

- Quando sinceramente nos arrependemos de nossos pecados e o recebemos como Senhor de nossas vidas, recebemos também o Espírito Santo de Deus, essa experiência de recebimento do Espírito Santo que Jesus chama nascer de novo.

- Ele ensina que todos que desejam serem salvos tem que passar por essa experiência, mas o que precisamos fazer se quisermos receber o Espírito Santo?

Se quisermos nascer de novo?

1) Precisamos estar arrependidos de nossos pecados e querer viver em novidade de vida.

- Você quer mudar?

- Quer ter um estilo de vida que agrada a Deus?

- Está arrependido dos seus pecados?

- Se a resposta for sim, você já está dando um grande passo para o recebimento do Espírito Santo e para nascer de novo.

2) Precisamos crer em Jesus e obedecê-lo.

- A Bíblia fala em Atos 5:32 que Deus dá o Espírito Santo aqueles que lhe obedecem.

- Você está disposto a obedecer a Deus em qualquer situação?

- Mesmo em situações que Deus fale uma coisa e você queira outra?

- Se estiver disposto, Deus te ajudará e te dará o Espírito Santo para auxiliá-lo.

3) Precisamos querer viver para Deus e pedir a Ele que nos dê o Espírito Santo.

- Quer viver para Deus?

- Então peça a Ele que te dê o Espírito Santo. Peça com fé e espere, Ele te dará com certeza.

Conclusão:

- Precisamos nascer de novo, do Espírito de Deus, o Espírito Santo, mas o Espírito Santo só faz a vontade de Deus.

- Só vale a pena receber o Espírito Santo se decidimos viver para Deus, para obedecê-lo e honrá-lo. Ele não faz o que nós queremos, mas nos guia para fazermos a vontade de Deus.
- Você quer viver para fazer a vontade de Deus?

- Quer nascer de novo?

- Quer receber o Espírito Santo?

Levante a mão, vamos orar.

FONTE:
http://www.imm.com.br/celulas01.php?cod=201





++++++++++++++++++

+++++++++++++++++



+++++++++++++

+++++++++++++++

++++++++++++++++

+++++++++++++++++

++++++++++++++++++