sábado, 31 de dezembro de 2011



Foi buscar água
e teve sua vida
transformada.

João 4:10




Esta mensagem enfoca a conversão da mulher samaritana junto a uma fonte de águas, aquele que é a fonte da água da vida, nosso Senhor Jesus Cristo.

I - O ENCONTRO JUNTO AO POÇO DE JERICÓ

1) a mulher desconhecida.

- A Bíblia não registra o nome nem a genealogia da mulher samaritana. Diz, apenas, que ela era natural de Samaria, capital do antigo Reino do Norte.

- Tratava-se de uma mulher humilde, pois ela mesma cuidava dos seus afazeres domésticos, não tendo, certamente, quem os fizesse. Era, pois, uma mulher laboriosa. seu nome não aparece; não importa aqui descobrir seu nome, pois o mais importante para Deus são: os atos de fé na graça do Senhor.

- Pela vaidade do homem ele importa que seu nome seja aparecido, e isto nos vários lugares de comunicação.

2) A popularidade de Jesus.

- Os milagres operados por Jesus despertaram a atenção do povo e sua fama chegou ate aos fariseus. Estes, movidos mais pela inveja, procuravam encontrar Jesus. Entre os discípulos de João também houve discussão, porque Jesus batizava mais que o próprio João Batista. Então o senhor Jesus resolveu deixar a Judéia a ir outra vez para Galiléia. Ele não aceita e não concorda que haja inveja e contenda no seu trabalho. Por isso, (Jo. 4.3).

3) Jesus em Samaria.

- Samaria conforme foi dito era a antiga capital do Reino do Norte, fundada por Onri, rei de Israel (1 Rs.16.24).

- Foi por muito tempo um centro de idolatria (Jr.23.13;0s.7.1). Em 722 a.C., quando Sargon II,(Is.20:1) rei da Assíria, levou para o cativeiro as dez tribos do reino do Norte (2 Rs.17.5,6.23,24). Enviou para a cidade de Samaria os povos oriundos de outras terras e nações.

- Era uma mistura de babilônicos e gente de Ava, de Hamata e de Servavim (2 Rs.17.24). Foram esses povos que vieram para colonizar Samaria, resultando daí uma raça mista que provocou muitos conflitos com os judeus.
II – A SAMARITANA E A FONTE DE JACÓ

1) Jesus e as barreiras físicas.

- Jesus cansado do caminho sentou-se para descansar, porque sua humanidade experimentou as mesmas limitações físicas que todos os homens sentem e conhecem (Hb.4.15). Era quase a hora sexta (meio dia, segundo o calendário judaico), quando seus discípulos voltavam da cidade, para onde tinham ido comprar comidas.

2) Jesus pede água a samaritana.
As barreiras religiosas e sociais são um impedimento. Para a mulher samaritana.

Havia três barreiras para ela aproximar-se de Jesus:

a) A barreira racial: Jesus era judeu; e, ela samaritana;

b) a barreira material: Jesus não tinha para ela, os utensílios para tirar a água da vida. Para tirar água do poço era necessário, corda e um balde.
c) a barreira espacial: o poço era fundo. Mas para Jesus as barreiras são encurtadas.

- Jesus derruba as barreiras e diz para a mulher (v.10). Para tirar a água viva, que é a graça salvadora de Deus, não precisamos de balde e corda, precisamos sim de conhecer o dom de Deus que é a graça dEle.

- Não existe poço fundo para Jesus Cristo, as dificuldades são superadas. Jesus não perguntou qual a sua religião e sua família não perguntou se a mulher era idolatra, nem se era de boa ou má conduta. Mas ofereceu a mulher o que ela mais necessitava: a água viva. A mulher não conhecia: O dom de Deus, que Jesus é a fonte d’água viva. Para tirar água do poço de Jacó era necessário sim balde e corda, mas para tirarmos água da fonte da vida é necessário unicamente FÉ. Ele oferece gratuitamente. (Ap.22:17).

- Jesus é a inesgotável fonte de água da vida, onde, diariamente, todos os crentes, de todos os lugares podem beber e encher os seus cântaros, que simbolizam novos corações.

III – A CONVERSAO DA MULHER SAMARITANA

a) a visão materialista da mulher.

- As palavras de Jesus despertaram o interesse material da mulher samaritana: (Jo.4:15).

- O propósito da mulher era não ir mais ao poço de Jacó tirar água. O poço de Sicar é uma figura do mundo. Quem beber desse poço voltará a ter sede.
- Existem muitos crentes que voltaram a beber em Sicar, por isso não tem uma vida consagrada a Deus.

- A mulher samaritana nunca mais voltou a beber água do velho poço de Jacó. Daquele dia em diante encontrou uma fonte melhor, Cristo a Fonte das Águas Vivas. (Ap.22.1)

b) a visão espiritual da mulher é despertada.

- Ela desejava saber onde e como adorar a Deus. Os samaritanos consideravam o monte Gerizim sagrado. Nele estava o templo samaritano. Por isso, a mulher argumentou com Jesus dizendo: (4:20) Jesus ensina-lhe que Deus não pode estar em lugar determinado por homens, e mostra-lhe que o pai é adorado em Espírito e Verdade. O único canal de comunicação com Deus é a FÉ.(Rm.8:26). Existem três tipos de adoradores (V.v.22,23).

1) 0s que adoram o que não sabem;
2) os que adoram o que sabem;
3) os que adoram em espírito e em verdade.


Foi ai que a samaritana compreendeu a verdadeira adoração, e como evidência de sua transformação “deixou o seu cântaro” e foi a cidade dizendo: “Vinde e vede...não é este o Cristo?”

CONCLUSAO

- O cântaro abandonado é sinal de conversão e de que as coisas velhas já se passaram. Quem se converte a Cristo abandona os cântaros dos vícios, dos maus costumes da religiosidade e procura ter uma vida diferente, regida por normas de condutas distintas.

- Deixando ali o seu cântaro, deixando a velha natureza, encheu o seu novo cântaro com a Água da Vida, FÉ e sem perder tempo voltou à vida dando testemunho de Jesus aos seus patrícios “vinde e vede um homem que me disse tudo”. Só Jesus nos dará tudo que precisamos ouvir, saber e aprender.
- Jesus espera que façamos como fez a samaritana, encha-se com a Água da Vida, não perca tempo, seja uma testemunha de Jesus, Ele conta com você.



Ler mais: http://basemissionariadeguaraquecaba.webnode.pt/products/foi-buscar-agua-e-teve-sua-vida-transformada-/





===================
==================
=================
================






O que Deus
anda procurando.

Salmos 14.2 e 113.5,6






Introdução:

Nestes salmos vemos que Deus está procurando alguma coisa muito importante. O que seria? Como em Lucas 15 sabemos que Deus procura ovelhas perdidas, moedas perdidas e filhos perdidos.

O que Deus procura em minha vida?

1 - ADORADORES: João 4.24

Pessoas dispostas a adorar a Deus em todo tempo e lugar não apenas aparentemente, mas em Espírito e em Verdade.

2 - TRABALHADORES: Mateus 9.37,38

Pessoas dispostas a trabalhar para Deus servindo em ministérios de sua igreja da forma que seja mais oportuna e humilde.

3 - ORAÇÃO: Mateus 6.6

Pessoas para viver uma vida santa em oração.

4 - FÉ: Lucas 18.8

A cada dia é mais difícil encontrar pessoas de fé porque a sociedade tem se tornado materialista e não consegue ter sensibilidade espiritual.

5 - INTERCESSORES: Ezequiel 22.30

A igreja precisa de pessoas para orar pelos outros, ungir com óleo, visitar os enfermos e estar cobrindo seu pastor de oração.

6 - DEDICAÇÃO: Eclesiastes9.10

A obra de Deus é feita com muito esmero e dedicação por isso é muito importante haver pessoas disponíveis e dispostas a trabalhar.

7 - FRUTOS: Mateus 21.18,19

Além de ter dons é preciso ter frutos de vida digna do evangelho.

8 - OVELHAS: Ezequiel 34.11

As ovelhas são dóceis e tratáveis, isso que o Senhor quis dizer ao procurar pessoas assim.

9 - PERDÃO: Atos 7.54-60

Assim como Jesus perdoou, ele quer olhar para nós e nos ver perdoando aqueles que nos ofendem.

10 - Salvos: Apocalipse 20.15

A última procura que Deus fará será pelos nomes que estigverem nos livro da vida. Ele quer ver o seu nome ali.

CONCLUSÃO:



Isaías 63.5

Quando Deus olha mas não acha, Ele mesmo faz.

Contudo apezar de não precisar de nós, Ele quer nos usar para fazer sua obra.

Deus está procurando você!



Ler mais: http://basemissionariadeguaraquecaba.webnode.pt/products/o-que-deus-anda-procurando-/






++++++++++++++++

+++++++++++++++

++++++++++++++

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011



Avalie sua Vida
Pela sua Visão

II REIS 6:8-17




- A sua vida nunca será maior que a sua Visão. É a sua visão que desperta os seus potenciais adormecidos que transformam fatos surpreendentes em desafios.

- É a visão que galvaniza o seu potencial, levando-o a agir, apossa-se de você no ponto em que está e o impede para uma vida de bênção e significado para Deus.

1. Deus tem uma Visão Importante para Você.

a) Se a visão de Deus tomar conta de você, jamais voltará a ser o mesmo.

b) Não olhe para o que você é hoje, visualize a pessoa que Deus quer que você seja amanhã.

c) Tome posse da visão que Deus tem para você. Ex. Willian Booth recebeu a visão de Deus de ajudar os pobres e as crianças... para isso ele fundou o exército da salvação que esta até hoje em 91 paises e 125 idiomas... milhões de pessoas tem sido abençoadas...

d) Peça a Deus que abra os seus olhos para ver o que Ele vê. (II Rs 6:17-18)

e) Abra os seus olhos e veja os recursos invisíveis, a proteção, as bênçãos e o futuro que Deus planejou...

2. Tenha uma Visão Completa de Deus (Is. 6:1-8)

a) Não meça a Deus pelos seus problemas ou circunstâncias presentes, meça seu presente em toda sua realidade por Deus.

b) Você precisa ver Deus em todo seu poder soberano, em todo seu perfeito conhecimento de seu hoje e amanhã.. Ex. George Muller foi guiado pelo Espírito a fazer da glória de Deus a primeira e única paixão de sua vida; a sua vida inteira foi dedicada a cumprir a visão de sustento dos órfãos e a pregação do evangelho...

c) Se Deus está ao seu lado quem poderá prejudica-lo? Quem pode destruir o plano d’Ele para você? (Rm 8:31; Ap 17:14 e 19:11-16)

d) Tenha uma visão completa de Deus. Ele é maior do que o seu universo....

e) Obtenha uma nova visão do amor de Deus por você...

3. Deus Tem uma Visão Especial para Você

a) Deus quer abrir seus olhos para ver oportunidades que jamais viu antes.

b) Tenha uma nova visão de como Deus pode tomar a sua vida hoje e tocar o mundo inteiro, mediante seu amor, oração, dedicação e fé. Ex. Bill Bright – fundou a Cruzada estudantil e profissional para Cristo com a visão de ganhar estudantes universitários para o Senhor em todo o mundo..... só o filme Jesus já foi traduzido para mais de duzentos idiomas e já foi visto por cerca de quatro bilhões de pessoas...

c) Ore para que Deus abra seus olhos para a visão que Ele tem para você...

d) Avalie sua vida pela visão de como você pode fazer cada dia, contar para Deus e para a eternidade.

e) Transforme sua visão em realidade, não desperdice os seus momentos, horas, dias e anos; não desperdice as grandes oportunidades.

Para viver a visão de Deus para sua vida é preciso:
1- Pensar sobrenaturalmente
2- Orar sobrenaturalmente
3- Planejar sobrenaturalmente
4- Esperar grandes coisas de Deus
5- Amar a Deus de todo o coração, de toda alma, de todo o entendimento e com toda as suas forças; e amar ao próximo (Mc. 12:30-31)
6- Entregar-se completamente a Deus.
7- Aceitar a vontade de Deus.


Fonte: http://www.pibmarilia.org.br/sermoes.php?ida6_sermoes=9





++++++++++++++++++++
+++++++++++++++++++
++++++++++++++++++
+++++++++++++++++
++++++++++++++++

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011



Onde está
o teu irmão?



- Gênesis 4.9




- Caim é o primeiro ser humano nascido com a semente do pecado. Não é de se admirar que sua história esteja repleta de exemplos de caminhos futuros que seriam seguidos pela humanidade.

- Primogênito de Adão e Eva (Gn 4.1), agricultor (Gn 4.2), irmão de Abel, em um tempo remoto trouxe Caim uma oferta frugal ao Senhor (Gn 4.3), enquanto seu irmão trouxe um dos seus animais do rebanho (Gn 4.4) pela fé (Hb 11.3). Deus aceitou a oferta de Abel, mas não aceitou a oferta de Caim (Gn 4.5). A oferta está ligada indissociavelmente à vida do ofertante. As obras de Caim eram más (1Jo 3.12). Seu caminho irracional (Jd 11).

- Caim fica furioso e seu semblante transtornado (Gn 4.6). Deus ensina a Caim o caminho do arrependimento: tenha fé (Hb 11.3) e faça o bem (Gn 4.7). A oferta está ligada ao coração do ofertante. O bom sacrifício são as obras de bem que evidenciam o coração do adorador (Hb 13.16).

- O ensino bíblico não é apenas de deixar de fazer o mal, mas de fazer o bem (Rm 12.21). É deixar de fazer uma prática ruim e inserir um bom hábito. Isto deve ser feito, pois “o pecado ameaça à porta” (Gn 4.7).


- Segundo intérpretes, a figura proposta pela composição hebraica é a de um demônio agachado ao lado de fora da porta de uma casa. O pecado deseja dominar, mas deve ser dominado.

- Astuciosamente Caim vai com seu irmão ao campo e comete um homicídio doloso. O primeiro fratricídio da história (Gn 4.8): a humanidade caída começa a construir sua história de pecado.

- Deus vem a Caim e requer contas de seu irmão (Gn 4.9). Sarcasticamente, Caim responde-lhe que não é responsável por ele. O pecador chafurda-se cada vez mais no pecado: homicídio, sarcasmo e hipocrisia. Deus dá-lhe sua sentença: maldito será. A ligação do homem com a terra é evidenciada quando Deus diz que a terra recebeu o sangue de Abel e está clamando (Gn 4.10-11). A maldição agora está sobre Caim e por isso a terra será fraca e Caim se tornará nômade (Gn 4.12).

- A culpa e o medo, característicos do pecado são evidenciados em Caim: “Não posso suportar. Serei morto por outros” (Gn 4.13-14). Deus marca Caim para que não o matem (Gn 4.15) e Caim muda-se para uma terra mais adiante (Gn 4.16).

- O coração e espírito de Caim evidenciam-se na modernidade: individualista: não me interessa o próximo; hedonista: matarei meu irmão para ser feliz; irracionalista: não me importa a razão, importa ser o primeiro. Caim poderia fazer parte do Ultraje ao Rigor com sua ideologia pós-moderna: Eu me amo, não posso mais viver sem mim. Segundo Amorese, com o individualismo marcante da pós-modernidade, o indivíduo cria uma ilusão de independência com egoísmo e insensibilidade. Com esta ideologia presente na igreja, há o enfraquecimento da mentalidade de servo. Não há mais a perspectiva de que a igreja tenha qualquer autoridade sobre a minha vida ou que eu tenha qualquer responsabilidade em relação a ela.

- Segundo Sayão, “A insatisfação é filha do individualismo egocêntrico”.

- Deus nos convida a um pitstop na caminhada para refletirmos sobre o espírito que tem prevalecido em nosso entendimento. Esta reflexão parte da pergunta que Ele nos faz hoje: “Onde está o teu irmão”? Este irmão não se refere apenas aquele que começou a corrida, mas parou, mas também aquele que ainda está na corrida, porém só Deus sabe como ele está na corrida. Refere-se também àquele que está na corrida, mas esqueceu-se do porquê está na corrida. Corremos para chegar lá, mas e se quando chegarmos lá, lá não for onde desejávamos?

A reflexão na pergunta “onde está o teu irmão” trazia alguns convites a Caim, que são os mesmos convites de Deus a você e eu neste dia.

I. “Onde está o teu irmão” é um convite à reflexão sobre à localidade: “Onde está”.

- Onde ele está é o lugar onde ele deveria estar ou há outro onde no qual ele deva estar? Você está onde você foi chamado para estar ou está procrastinando, desvirtuando ou apressando-se para estar onde deveria estar. Foi a pergunta que Deus fez a Adão após o pecado “Onde estás” (Gn 3.9): o que você fez Adão?

- Fazemos vistas grossas à maioria dos pecados, mas elegemos como imperdoável o pecado do adultério, riscando do livro da vida àqueles que cometem tal pecado.

- Onde está? O espírito de Caim diz: não tenho responsabilidade de saber onde ele está. O espírito de José diz: “Procuro meus irmãos” (Gn 37.16). Procure os irmãos que aqui não estão, mas também procure os irmãos que aqui estão, mas não estão onde era para estarem: no centro de sua vocação. Estão deixando passar o tempo. Estão vendo a banda passar esperando algo mais sobrenatural, enquanto Deus lhes tem falado tanto no natural.

- Sophia Muller disse: “Nunca tive um chamado, mas vi uma necessidade e atendi”.

- Um antigo pai da Igreja disse que “A Igreja é o único exército que deixa os feridos pelo caminho”.

- Tudo tem seu tempo (Ec 3.1). Quando algo é realizado no tempo, é formoso (Ec 3.11). Porém, quando não é realizado no seu tempo, torna-se ridículo: uma senhora querendo passar-se por mocinha; um adulto mimado como criança; um meia-idade que quer levar a vida à revelia sem nunca ter trabalhado. Todos nós conhecemos a versão do pica-pau sobre a Fábula de Esopo da Formiga e as cigarras: “Durante o inverno, as formigas trabalhavam para secar o grão úmido, quando uma cigarra, faminta, lhes pediu algo para comer. As formigas lhe perguntaram: Por que, no verão, não reservastes também o teu alimento? E a cigarra respondeu: Não tinha tempo, pois cantava, alegrando o mundo com a minha melodia. E as formigas, rindo, disseram: Pois bem, se cantavas no verão, dana agora no inverno. Moral: Descuidar de certos trabalhos pode trazer tristeza e faltas”.

II. “Onde está o teu irmão” é um convite à responsabilidade: ele é teu. O irmão não é irmão de Deus.


- De Deus ele é Filho e Deus sabe onde ele está. O irmão dele sou eu. A síndrome da projeção da culpa comum à natureza humana pecaminosa é herdada e aprendida tão rapidamente de Adão por Caim. Na ocasião da Queda Adão responsabiliza Eva (Gn 3.11-12), que responsabiliza a serpente (Gn 3.13).

- De forma indireta estavam colocando a culpa em Deus, pois Ele criara a serpente: “Senhor, se não criasses a serpente...” Caim tenta eximir-se da responsabilidade: “Eu sou responsável pelo meu próximo”? Sim, Caim, você é.

- Deus nos chamou para a vida em comunidade. O solitário está contra a vontade de Deus. O que vive isolado ou acha que é bom demais, ou acha que é ruim demais. Ele está se levantando contra quem Deus diz que ele é (Pv 18.1). Segundo Paul Tournier, “Há duas coisas as quais são impossíveis de se fazer sozinho: casar e ser cristão”.

- Pensamos tanto em nós que esquecemos quando o irmão está na pior e queremos cobrar de um, de outro, ou da igreja a visita de alguém em casa quando há falecimento ou quando o casamento acaba. Espera-se ficar na pior para, então, querer entrar em contato com o amigo. Se você quer um amigo, seja um. Se você não tem um amigo, é porque você não é amigo. Não fique parado na pior, querendo que tenham pena de você: aja.

- Segundo Madre Teresa de Calcutá: “Não queira que os outros tenham pena de você, mas respeito”.

- Não espere o outro ligar, ligue. Faça uma visita. Dê sinal de vida. Marque um café na sua casa e chame os amigos. Pague um baratíssimo para ele, uma esfiha do Habib’s, um podrão, mas faça alguma coisa. Segundo Benjamin Franklin: “O homem de muitas ações comete muitos enganos, mas o maior erro é não fazer nada”.

III. “Onde está o teu irmão” é um convite à fraternidade: irmão. Caim, ele é teu irmão.


- Irmão briga com irmão, mas deixa outro brigar com o irmão para ver o que acontece. Irmão briga, mas resolve. Há algo mais forte que as discussões, que une os irmãos, são os laços do amor.

- Irmão usa roupa do outro, chinelo, camisa, não lava, não fala, mas depois se acerta. Irmão briga por brinquedo, mas daqui a pouco joga bola junto. Irmão sempre acha que o pai tem um que é mais preferido que o outro, mas quando amadurece entende que o amor não é maior nem é melhor, mas é diferente porque era necessário assim. Irmã se preocupa se a outra casou e era mais nova e, ela, mais velha, não casou. Como tudo tem seu tempo, já, já ela se casa. Irmão passa no concurso e se alegra, mas se o outro ainda não passou, ele o ajuda a encontrar o caminho. Irmão mais velho lavou fralda de pano e não reclamou porque o sorriso do irmão pagava tudo. Irmã mais velha fez mingau e ajudou a botar remédio de dor de ouvido de madrugada com o maior gosto. Irmão cuida de irmão porque ele é irmão.

- Ele não tem cargo. Ele não é conhecido. Não é seminarista. Não é membro novo. Ele é irmão. Não tem dinheiro. Não tem estudo. Às vezes até é chato à beça. Mas é irmão. Pegou no pé. Deu bola fora. Falou o que não era para falar. Está na pior, mas é irmão. Ele fala e você discorda. Já deu até briga. Ele olha para você meio torto. Mas é irmão.


- Onde está o teu irmão? Vá atrás dele. Aprenda a conviver em comunidade. Esta é a família de muitos irmãos, e Cristo é o primeiro dos irmãos (Rm 8.29).


- Faça como gostaria que fizessem com você. É a regra áurea (Mt 7.12). Ah! Aproveite para fazer o seguinte: veja se você também está sendo um bom irmão.

CONCLUSÃO:


- Caim sabia onde tinha deixado Abel.

- Caim sabia como o havia deixado. Deus também sabia, mas convidava

- Caim à pensar sobre a localidade, sobre a responsabilidade e à fraternidade.

- Caim foi reprovado no exame. Acima disso tudo, a conclusão é que o convite de Deus foi um convite ao arrependimento para que Caim, caindo em si, acha-se lugar de arrependimento diante do trono de Deus.


- O caminho escolhido por Caim foi a autocomiseração: “É peso demais para mim” (Gn 4.13). Está diante de nós o convite de Deus para pensarmos se o espírito em nosso coração será o de Caim: “nada tenho com meu irmão” ou de José: “vou procurar os meus irmãos”.



- O convite é de Deus. A decisão é nossa.

AUTOR: Pr. Henrique Araujo






++



+++



++++



+++++



quarta-feira, 28 de dezembro de 2011



VIDA OU MORTE

- EFÉSIOS 2:1-10





1. 1.Janeiro.2007: O Brasil será o melhor lugar do mundo e Goiás será o melhor lugar do Brasil para se viver????

2. Diagnóstico de Efésios: desordem do mundo – falta de segurança, avanço da criminalidade, avanço das drogas, corrupção, má distribuição de renda, desagregação da família, ausência de valores éticos, ...... ordem de Deus (1:9)

I – MORTE: PASSADO

1. TIPO

a) Não é morte física

b) Não é morte eterna – separação definitiva de Deus no inferno

c) É morte espiritual – “o salário do pecado é morte” – Rom 6:23 a

2. CAUSA: pecado

a) É uma condição natural

& “Filhos” da desobediência (v. 2); “filhos” da ira

“Somos substancialmente pecadores, todos sem exceção o sabem; cada nascido de mulher descobre isso sem precisar lê-lo nos livros” (Simpson)

b) “Somos” pecadores = por isso pecamos E NÃO “pecamos” = por isso somos pecadores

PECADO PECADOS

Centro Circunferência

Origem Resultados

Raiz Frutos

Fonte Fluxo

O que somos O que fazemos

3. ESTIMULADORES

a) “Mundo” (v. 2) = “kosmos” = “cosmético” = “tudo que pretensamente embeleza a vida humana, mas confronta o conceito divino de beleza”; “sistema social que exclui e rejeita Seu domínio"

b) “Príncipe” (v. 2) = diabo (Jo 12:31; 14:30)

a) Poder (“príncipe”)

b) Influência (“agora atua nos filhos da desobediência”)

c) “Carne” (v. 3) = “natureza não regenerada” ; Gl 5:19-21; Ef 4:17-2

4. ABRANGÊNCIA: todos (v. 1-3)

“Estando vós mortos nos vossos delitos e pecados....” (v. 1); “estando nós mortos em nossos delitos” (v. 5a)

Ex.: “o mundo todo é um imenso cemitério e cada pedra tumular tem a mesma inscrição – morto por causa do pecado” (Curtis Vaughan).

“MAS” (v. 4)

II – VIDA: PRESENTE E FUTURO

1. FONTE: Deus (v. 1, 4-5)

a) Iniciativa exclusiva de Deus (v. 1, 5)

b) Motivação: misericórdia (v. 4)

“É Deus não dar o que merecemos: a condenação”

2. MEIO: Jesus Cristo

“Nos deu vida juntamente com Cristo” (v. 5)

“Desperta, ó tu que dormes, levanta-te entre os mortos e Cristo te iluminará” (Ef 5:14)

a) Cristo anulou os efeitos mortíferos do pecado

“A vós outros que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívidas, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente na cruz; e, despojando os principados e as potestades,publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Col 2:13-15)

“Está consumado” = “tetelestai” = “está pago” (Jo 19:30)

b) Cristo nos transportou para o céu (v. 6 “... nos ressuscitou e nos fez assentarem nos lugares celestiais em Cristo Jesus”)

“Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Col 1:13)

3. BASE: graça

a) Graça cristocêntrica (v. 5 – “nos deu vida juntamente com Cristo pela graça”); “Assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida” (Rom 5:18)

a) Graça salvadora (v. 5, 8)

Graça é Deus nos dar gratuitamente aquilo que não merecemos: a salvação.
Nb.: a garantia é o Espírito Santo (Ef 1:12-14)

c) Graça suprema (v. 7)

4. EXPERIMENTAÇÃO: (v. 8)

a) Fé salvadora (v. 8)

& Não é fé meramente “intelectual” – Tg 2:19

& Não é fé meramente “temporal” = finanças, emprego, saúde, concurso, viagem...

& É fé que confia em Jesus para a vida eterna

“Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” – At 16:31

b) Fé somente (v. 8 – “isto não vem de vós, é dom de Deus”)

“Tu não podes satisfazer a Deus, mas Ele satisfaz a si e a ti. O que importa não é o que você faça, mas tão somente o que Ele faz... Tu só entendes a palavra de Deus quando e4stá no fim com as tuas forças, quando só te resta a esperança no Senhor” (Emil Brunner)

c) Fé humilde (v. 9 – “não de obras para que ninguém se glorie”)

“O verdadeiro Deus é aquele que se acha quando não há mais possibilidade de se ajudar a si mesmo e só resta a confiança no Senhor. Confiar somente em Deus, não mais na própria força, na própria capacidade, nos próprios conhecimentos – isto significa crer, tornar-se propriedade do verdadeiro Deus” (Emil Brunner)

d) Fé sinalizada pelas obras (v. 10)

CONCLUSÃO

1. Pilares da Reforma

Só a Deus glória – “Ele vos deu vida...”

Só Jesus Cristo – Ef 1:3

Só a graça – Ef 2:5, 8

Só a fé – Ef 2:8

Só a Escritura – Jo 5:39-40


AUTOR: Pr. Jair Francisco Macedo





+++++++++++
++++++++++
+++++++++


DO ATIVISMO

PARA A QUIETUDE






- LUCAS 10:38-42

Jesus foi peregrino (v. 38), simples (v. 38), relacionável (v. 38) e sábio (estabeleceu diagnósticos corretos – v. 41-42).


I – PERFIL DO ATIVISTA: MARTA

1. Tomou a iniciativa correta: hospedou Jesus (v. 38; Hb 13:2)

2. Teve a disposição correta: serviu a Jesus expontãneamente (Mc 10:43-45; Jo 13)

3. Submeteu-se a uma carga excessiva de trabalho (v. 40)

4. Abriu mão da qualidade de vida (v. 40, 41)

5. Perdeu o bom senso relacional (ignorou a presença de Jesus, a autoridade de Jesus e a individualidade da irmã).

II – PERFIL DO EQUILIBRADO: MARIA

1. Estabeleceu uma linha qualificada de comunicação com Jesus (v. 39)

2. Resistiu à tentação de trocar a comunhão pela ação (v. 40)

3. Buscou a aprovação de quem tem autoridade para conferi-la (v. 42)

Maria foi elogiada e aprovada por Jesus porque preocupou-se: com pouca coisa (v. 42), com uma coisa só (v. 42) e escolheu aquilo que não pode ser perdido: o conhecimento de Jesus (v. 42).

CONCLUSÃO

Nossa resposta ao texto:

1. Avaliar o uso do nosso tempo

2. Pedir perdão pelas distorções

3. Redefinir nossas prioridades: Deus, família, igreja, trabalho

4. Estabelecer um projeto devocional e cumprí-lo




AUTOR: PR. JAIR FRANCISCO MACEDO









++++++++++++++

+++++++++++++

++++++++++++

terça-feira, 27 de dezembro de 2011



A Igreja Que
Queremos Ser!

Textos bíblicos para reflexão durante a semana:




Segunda: Mateus 18:15-35 Sexta: Mateus 9:35-38

Terça: Atos 4:32-37 Sábado: Mateus 6:5-15

Quarta: Tiago 1:19-27 Domingo: Romanos 12:1-2

Quinta: Salmo 150

Introdução

Rick Warren, em seu livro “Uma igreja com propósitos”, relaciona algumas motivações de existência de algumas igrejas, como transcrevo a seguir:

Igrejas dirigidas pela tradição

“Nas igrejas dirigidas pela tradição, a frase preferida é: “Nós sempre fizemos isso desse jeito”. O alvo da igreja dirigida por tradições é simplesmente perpetuar o passado. Mudanças são quase sempre vistas de uma forma negativa e a estagnação é interpretada como sinônimo de ‘estabilidade’.

“Igrejas mais antigas têm a tendência de se agarrar a certas regras, regulamentos e rituais, enquanto as mais jovens tendem a se unir a um propósito e uma missão. Em algumas igrejas a tradição é tanta que qualquer outra coisa, inclusive a vontade de Deus, se torna secundária. Ralph Neighbour disse que as sete últimas palavras desta igreja são: ‘nós nunca fizemos isto deste jeito antes’.

Igrejas dirigidas por personalidades

Nesta igreja o fato mais importante é: ‘o que o líder da igreja quer?’ Se o pastor está servindo na igreja por muito tempo, certamente é a personalidade que a motiva. Mas se a igreja tem uma história de sempre mudar de pastor, um leigo de destaque na igreja certamente é esta força polarizadora. Um dos problemas comuns de uma igreja dirigida por personalidade é que o planejamento é sempre determinado pelo passado, necessidades e inseguranças do líder e não pela vontade de Deus e pela necessidade do povo. Outro problema é que esta igreja é colocada em xeque quando a personalidade dirigente a deixa ou morre.

Igrejas dirigidas pelas finanças

“A questão que ronda a mente de cada pessoa numa igreja dirigida por finanças é: ‘quanto isto vai custar?’ Nada é tão importante quanto as finanças. Boa mordomia e entrada financeira são elementos essenciais em uma igreja sadia, mas finanças nunca podem ser um fator controlador. O item principal deve ser o que Deus quer que a igreja faça. Igrejas não existem para produzir lucro. A razão da existência de uma igreja não deve ser ‘quanto conseguimos economizar?’, mas sim, ‘quantos nós conseguimos salvar?’ Tenho notado que muitas igrejas são dirigidas pela fé nos seus primeiros anos, mas depois o dinheiro assume o controle da direção.

Igrejas dirigidas por programas

“A Escola Dominical, o programa feminino, o coral e o grupo jovem são exemplos de programas que muitas vezes são a força que motiva certas igrejas. Numa igreja dirigida por pogramas, toda energia está concentrada em se manter o que foi planejado. A igreja dirigida por programas, em vez de desenvolver o povo, trabalha somente no preenchimento de cargos. A comissão de nomeações é o grupo mais importante da igreja. Se os resultados não são esperados, as pessoas envolvidas culpam a si mesmas por não trabalharem o suficiente. Ninguém jamais questiona se o progama ainda funciona ou não.

Igrejas dirigidas por construções

“Winston Churchill disse uma vez: ‘Formamos os nossos prédios e depois os prédios nos formam’. Muitas vezes uma congregação está tão ansiosa por ter um prédio bonito, que os seus membros gastam mais dinheiro do que eles têm. O maior item do orçamento é o pagamento da manutenção das instalações. Fundos necessários para operar ministérios têm de ser desviados para pagar intermináveis prestações e assim o verdadeiro ministério da igreja sofre. Para isso serve a expressão chinesa: ‘Em vez de o cachorro balançar o rabo, o rabo balança o cachorro’. Por outro lado, certas igrejas permitem que a pequenez de seus templos sirva como limites para o seu crescimento futuro. Para eles, permanecer num templo histórico, embora inadequado, é mais importante do que alcançar a comunidade.

Igrejas dirigidas por eventos

“Se você olhar o calendário de uma igreja dirigida por eventos, ficará com a impressão de que a meta daquela igreja é manter o povo ocupado. Sempre tem alguma coisa acontecendo, todos os dias da semana. Assim que um grande evento é realizado, já começam a trabalhar no próximo. Existe muito trabalho em igrejas como esta, mas não necessariamente produtividade. Uma igreja pode ser ocupada sem entender qual é o propósito de tanta ocupação. Alguém precisa questionar: ‘Qual o propósito de cada uma de nossas atividades?’ Numa igreja dirigida por eventos, o número de pessoas que freqüentam as programações é a principal medida de fidelidade e maturidade. Devemos nos preocupar com a tendência de permitir que reuniões substituam o ministério como a principal atividade dos crentes.

Igrejas dirigidas pelos sem-igreja

“Em uma tentativa honesta de alcançar almas para Cristo e ser relevante na cultura moderna, algumas igrejas permitem que as necessidades dos não-crentes se tornem a sua força motivadora. A pergunta principal é: ‘o que os sem-igreja querem?’ Devemos ser sensíveis às necessidades, emoções e interesses dos não-crentes. Planejar cultos evangelísticos visando essas necessidades é uma idéia inteligente, mas não podemos permitir que isso dirija por completo a programação da igreja.

“Os propósitos de Deus para sua igreja incluem o evangelismo, mas isso não exclui os outros propósitos. Atrair os sem-igreja é o primeiro passo em se fazer discípulos, mas não deve ser a força que controla a igreja. Ela deve ser sensível às almas famintas mas não pode ser dirigida por elas”. 1

Diante dessa visão geral, à luz da Bíblia, que tipo de igreja queremos ser? Uma igreja dirigida por eventos? Pela tradição? Pela construção? Enfim, que tipo de igreja queremos ser?

Que esses modelos de igrejas não se enquadrem dentro da nossa realidade, pois queremos ser…

1. UMA IGREJA QUE VIVA EM COMUNHÃO

- Uma igreja em que os relacionamentos sejam marcados pelo amor (João 13:35); amor que anima, ajuda, aconselha, orienta; amor que capacita para o exercício da disciplina (Mateus 18:15-35/ Gálatas 6:1-2).

- Uma igreja em que a comunhão seja um meio pelo qual as pessoas conheçam a Cristo (João 17:21). Uma igreja em que as pessoas aprendam e pratiquem a arte de amar (Mateus 5:38-48).

- Uma igreja-hospital, uma comunidade terapêutica na qual os feridos de alma sejamcurados, os cativos e oprimidos sejam libertos (Lucas 4:17-21).

- Uma igreja em que as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos e os idosos convivam em harmonia, cumprindo cada um com alegria, a sua responsabilidade para o crescimento da igreja (Efésios 4:16).

2. UMA IGREJA QUE ESTENDA A SUA MÃO AO PRÓXIMO

- Uma igreja que ame a ponto de estender a mão ao caído e, à semelhança do bom samaritano, o socorra em suas necessidades (Lucas 10:25-37).

- Uma igreja que se identifique com as pessoas que estão à sua volta, fazendo diferença com a prática do amor (Atos 4:32-37).

- Uma igreja que se relacione com a comunidade, e faça diferença como sal, luz e fermento (Mateus 5:13-16/Mateus 13:33).

3. UMA IGREJA COMPROMETIDA COM A PALAVRA DE DEUS

- Uma igreja em que o ensino da Palavra de Deus seja ministrado com profundidade, a fim de capacitar os seus membros para o exercício dos seus ministérios (Efésios 4:11-12).

- Uma igreja cujos membros encontrem subsídios para o seu crescimento na graça e no conhecimento de Cristo Jesus (II Pedro 3:18).

- Uma igreja firmada na Verdade, que não se deixe levar pelos ventos de doutrina deste tempo (Efésios 4:13).

- Uma igreja que conheça e viva de acordo com a Palavra de Deus (Tiago 1:22).

- Não queremos ser uma igreja dirigida pela tradição humana, antes pela Palavra de Deus (Mateus 15:6).

4. UMA IGREJA QUE ADORE A DEUS EM ESPÍRITO E EM VERDADE (João 4:23-24)

- Uma igreja em que os cultos de celebração sejam oportunidades de capacitação dos seus membros para o cumprimento da sua missão (Atos 4:23-31).

- Uma igreja na qual todos adorem juntos: jovens com adultos; adolescentes com idosos… (II Reis 23:2 - “desde o menor até o maior”/ Joel 2:16).

- Uma igreja em que a música seja um instrumento de inspiração e edificação do povo de Deus (Salmo 150).

5. UMA IGREJA QUE EVANGELIZE! UMA IGREJA QUE FAÇA MISSÕES!

- Uma igreja que proclame a Verdade (II Timóteo 4:1-5 e Romanos 1:16), testemunhando de Cristo com a vida (Atos 1:8).

- Uma igreja que leve a Verdade às pessoas onde elas estejam (Mateus 9:35-38 e Atos 8:26-40).

- Uma igreja que faça discípulos de Jesus Cristo, capacitando-os a fazer outros discípulos (Mateus 28:18-20).

Porque desejo que a minha igreja atinja esses objetivos, estou disposto a …

1. Investir pelo menos 15 minutos diários na prática da oração, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela que caminha de joelhos, perseverando na oração (I Tessalonicenses 5:17;Mateus 6:5-15).

2. Consagrar ao Senhor com fidelidade os dízimos e as ofertas que a ele pertencem, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela formada por crentes que consagram suas vidas e bens ao Senhor e à sua obra (Romanos 12:1-2; Malaquias 3:7-10).

3. Zelar pela observância dos princípios bíblicos para a formação e manutenção da família, porque entendo que uma igreja que prevalece é aquela que é formada por famílias que prevalecem (Efésios 5:22-6:4).

4. Aplicar todos os dons e capacitações que tenho recebido do Senhor para que a minha igreja cumpra o seu ministério, porque entendo que a igreja que prevalece é aquela que desenvolve ministérios orientados pelos dons espirituais (Mateus 25:14-30; I Timóteo 4:14; II Timóteo 1:6-7) .

5. Submeter-me à autoridade de Cristo sobre a minha vida para que, no que depender de mim, a minha igreja não seja dirigida por personalidade, antes pela Personalidade do Senhor Jesus (Efésios 5:18).

6. Cumprir a minha missão como crente fazendo discípulos que, comprometidos com a Palavra de Deus, façam outros discípulos (Mateus 28:18-20).

7. Trabalhar pela preservação da paz e da unidade da minha igreja.

Conclusão

- Essa é a igreja dos sonhos de Jesus! Sonho que pode se tornar realidade a partir de você.

- Não podemos apenas contemplar a linda história que os nossos antepassados nos legaram. Precisamos fazer história; uma história que inspire as gerações vindouras, assim como fomos inspirados pelas gerações passadas.

- Sejamos uma igreja relevante; uma igreja que prevalece!

AGRADECIMENTOS

Ao encerrar esta série de estudos, gostaria de render graças ao meu Deus que me sustentou e ajudou na realização deste trabalho.

Confesso aos irmãos que, em alguns momentos imaginei que não ia conseguir dar conta de tão grande desafio. Porém Deus foi fiel. A sua graça não faltou e, por isso, chegamos juntos até aqui.

Estas lições serão usadas na classe de novos membros da igreja. Todos os novos membros recebidos por batismo, reconciliação, carta de transferência ou aclamação deverão fazer estes estudos nesta classe.

Espero que assim os fundamentos do ministério da igreja sejam bem firmados.

Gostaria ainda de agradecer à minha família, pelo estímulo e participação neste ministério.

Agradeço ao diácono Adalberto Alves de Sousa, pela preciosa revisão literária; às secretárias da nossa igreja, Eliasib de Almeida Nascimento, Lucilene Mendes dos Santos e Patrícia Ferreira da Rosa Baumgarten; à irmã Alzerina Werly de Lima Cauper, por sua dedicação e prontidão em preparar as cópias; à Primeira Igreja Batista de Itaguaí e Primeira Igreja Batista de Mangaratiba pela coragem em participar deste projeto também.

Agradeço ainda aos alunos e professores da Escola Bíblica, por terem aceito este desafio.

Que Deus nos ajude a fazer a nossa parte para que sejamos sempre uma igreja que prevalece!

No amor de Cristo,

Pastor Marcos. / http://www.pibmadureira.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=109:13-a-igreja-que-queremos-ser&catid=27:estudos-biblicos&Itemid=141






======================
=====================
====================
====================

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011



Características
da Igreja Bíblica

Texto: Lucas 13.22-30




Introdução:

· Igreja que é bíblica é uma igreja que está com as portas abertas, tanto no sentido literal (promovendo oportunidade para que todos estejam participando das reuniões), ou no sentido figurado (sendo uma Igreja que não recusa a entrada de nenhuma pessoa, independente de como ela esteja).

· É uma igreja que RECEBE (você é bem vindo, não recusamos a ninguém, aqui é o lugar de pessoas imperfeitas), mas que TRATA (você veio com feridas, somos um hospital e queremos ajudar você a sarar seu corpo, sua alma e, principalmente seu espírito), depois CAPACITA (discipula ensinando a Palavra, ensinando sobre mordomia e dons espirituais e sobre a importância do serviço) e então ENVIA ao mundo para pregar o evangelho que é o poder de Deus para Salvação.

· É uma igreja que toca o coração das pessoas com a Palavra pregada como fez Pedro em Atos 2.37. Não busca apenas belos sermões bem estruturados, mas que sejam palavras vivas capaz de mudar corações e transformar vidas.

· É uma igreja que prega o arrependimento dos pecados e abandono da velha vida; que incentiva a busca ao Senhor pelo batismo, a comunhão, a adoração, e enfatiza a necessidade do testemunho pelo poder do Espírito Santo (Atos 2.38).

Transição: A primeira característica da Igreja Bíblica é:

1. ELA MOSTRA UM ALVO - v.22

a. Jesus andava de cidade em cidade, esta foi uma marca forte de seu ministério. Sem se importar com tamanho ou importância política, o Senhor sabia que as cidades estavam cheias de pessoas precisando da graça do Pai.

b. Jesus ensinava sobre o reino de Deus, sobre a graça e o perdão. Podemos dizer que o ministério de Jesus era focado no ensino. Os milagres, as curas e outras manifestações aconteciam para ratificar sua mensagem ou para abrir portas para uma nova ministração (Marcos 1.38).

c. Jesus avançava para o seu alvo, ele se dirigia a Jerusalém (Lucas 17.11; 18.31; 19.28). Ali ele consumaria seu ministério de salvação, sendo julgado, condenado e morto em nosso favor. Os três anos e meio de ministério apontavam para Jerusalém.

d. Assim como Jesus, Paulo também tinha um alvo (Filipenses 3.12ss; 2 Timóteo 4.7,8). Ele queria chegar onde estava seu Senhor e lá receber a recompensa por seu trabalho. Ele manteve-se firme até o final de sua vida.

e. Meu querido amigo, para onde você está indo, qual a direção que sua vida está tomando? Não me refiro no âmbito das coisas desse mundo, mas no âmbito da vida espiritual. Dentro desta perspectiva só há duas alternativas: o céu ou o inferno.

f. Diante disso quero desafiá-lo a seguir para o alvo correto. Quero dizer que você deve seguir para Jesus, ou em outras palavras, ir em direção ao céu. Se você não chegar lá, você não alcançou o seu alvo e correu em vão por toda sua vida.

Transição: A segunda característica da Igreja Bíblica é:

2. ELA ADVERTE QUE A PORTA É ESTREITA - v.23,24

a. Você já parou para pensar por que temos poucas pessoas nas Igrejas enquanto que os bares, casas noturnas, e prostíbulos estão cheios? Será que o motivo é a ineficiência e a comodidade da igreja? Em alguns casos até pode ser, mas não é esse o motivo central.

b. O que afasta as pessoas da Igreja é porque ela prega uma porta estreita e um caminho apertado (Mateus 7.13,14). As pessoas não querem se submeter as exigências que o Senhor requer para segui-lo. Entre abandonar o pecado e abandonar o Senhor, preferem andar pelo caminho largo mesmo que isso signifique ficar sem Deus.

c. A Igreja prega que não se pode entrar no céu com a bagagem do mundo ou do velho homem. Prega que é preciso passar pelo processo da santificação, do arrependimento e da conversão para que um novo homem nasça e se torne a semelhança do Senhor.

d. Em resumo, a igreja prega a purificação como prática essencial para entrar pela porta estreita (Hebreus 12.1). Quem não quiser se submeter as práticas espirituais ou se esvaziar das coisas do mundo, jamais passará pela porta estreita. Por isso que ela é estreita, pois ela exige renuncia.

e. A porta nunca é estreita demais que você não possa passar. Basta disposição para se tornar como ela exige, basta uma decisão de mudança e transformação. O problema não está na porta, o problema está naqueles que devem passar por ela.

Transição: A terceira característica da Igreja Bíblica é:

3. ELA LEMBRA QUE UM DIA A PORTA SE FECHARÁ – v.25-27

a. A porta para o céu está aberta, o tempo da graça ainda opera sobre nós, e assim Jesus ainda pode ser achado. A porta aberta é uma oportunidade que Deus nos dá de ouvir a mensagem do evangelho e crer nele (João 10.7-9).

b. Mas a igreja bíblica prega que um dia a porta se fechará assim como na Arca(Gênesis 7.16), então veio o julgamento de Deus em forma de dilúvio e todos que não haviam entrado morreram. Quando Jesus voltar para buscar sua Igreja, a porta se fechará, quem tiver entrado será salvo, quem ficar de fora, será condenado.

c. Nesse tempo não adiantará bater, nem chorar, muito menos argumentar dizendo: fui a Igreja; fui batizado; participava da ceia; dava o dízimo, até orava e lia a Bíblia (v.26). Jesus será aquele que irá julgar os que não o aceitaram, e esse julgamento resultará em condenação eterna.

d. Neste dia Jesus vai responder: “não sei de onde vós sois; apartai-vos de mim” (v.27). Pode parecer uma palavra dura, mas essa é a recompensa para quem não aproveita a porta aberta. Não devemos pensar que Deus vai se compadecer e salvar a todos. A salvação está sendo oferecida, mas é para quem a quer, e entra pela porta aberta que leva a Deus.

e. Meu amigo, aproveite enquanto a porta está aberta. A Bíblia diz “se hoje ouvir a sua voz não endureçais o vosso coração” (Hebreus 3.15). Também o profeta diz: “Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” (Isaías 55.6). A porta está aberta esperando você entrar, vó logo antes que ela se feche.

Transição: A quarta característica da Igreja Bíblica é:
4. ELA MOSTRA E FALA A VERDADE
– V.28

a. O compromisso com a verdade é qualidade essencial da Igreja, mesmo que para isso seja preciso dizer que há só dois destinos para a vida espiritual. Em Lucas 16.22ss Jesus nos conta a história de um homem que morreu e foi para o inferno e outro que morreu e foi para um lugar de descanso. Portanto há só dois destinos: céu ou inferno.

b. Como igreja não podemos omitir esta verdade, nem mudá-la. Não podemos diluir as verdades da Palavra pelo fato de serem duras demais. A verdade sempre deve ser dita, doe a quem doer. Deixar de falar a verdade só porque ela não é agradável, é corromper a essência do Evangelho.

c. Mas não podemos criar outras alternativas para substituir a verdade: Purgatório; Reencarnação; Karma; Teoria do aniquilamento da alma. Depois que a porta da salvação se fechar, sobrará só dois destinos. Essa é uma verdade.

d. Meu amigo, no sentido espiritual e figurativamente falando ou você sobe, ou você desce. Ou você estará no céu na presença de Deus em um estado de descanso, ou você estará no inferno num estado de dor e sofrimento.

Conclusão:

1. Toda igreja por essência tem que ser bíblica. Se ela não for bíblica, não ter razão de ser igreja. E para isso ela precisa ter um compromisso, zelar e sempre falar a verdade.

2. Como igreja bíblica temos que mostrar um alvo; temos que advertir que a porta é estreita, temos que lembrar que um dia a porta se fechará e que mostrar e falar a verdade.

3. Assim deve ser a igreja, mesmo que essa mensagem não atraia as pessoas para ela, mas quando o Espírito falar aos corações, essa mensagem trará as pessoas perdidas para Deus.


Fonte: http://ibmorumbi.blogspot.com/2011/12/caracteristicas-da-igreja-biblica.html






==================
++++++++++++++++++
::::::::::::::::::::::::::::::::::::

sábado, 24 de dezembro de 2011



Natal,
a boa nova
de grande alegria





- José e Maria não encontraram lugar em Belém. A cidade estava lotada e as hospedarias indisponíveis. A hora de Jesus nascer havia chegado, e por não ter encontrado espaço entre os homens para nascer, nasceu numa estrebaria, um abrigo de animais.

- O Filho de Deus, o Rei dos reis não nasceu num palácio, mas numa manjedoura.

- Aquele que é o criador e dono do mundo não nasceu num berço de ouro, mas num berço de palha.
- Aquele que dirige os céus e a terra e cujo governo está sob seus ombros esvaziou-se e tornou-se um infante.

- Naquela noite em Belém, nasceu o Sol da justiça. O anjo de Deus desceu do céu e anunciou aos pastores que guardavam seus rebanhos: "Não temais, eis que vos trago boa nova de grande alegria: é que hoje vos nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor" (Lc 2.11). A mensagem natalina que vem do céu tem sua centralidade não nos anjos nem em Maria, mas em Jesus.

Três verdades são aqui destacadas:

1. Jesus é o Salvador

"… é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador…" (Lc 2.11).

- Duas verdades sublimes saltam aos nossos olhos aqui.

- A primeira delas é que Deus cumpre a sua Palavra.

- Jesus deveria nascer em Belém, a cidade de Davi. Para isso Deus moveu todo o império romano, a fim de que um recenseamento fosse feito. Com isso, a jovem Maria que estava grávida em Nazaré, na Galiléia, subiu para as montanhas de Belém, na Judéia, porque José era belemita e deveria alistar-se em sua cidade natal. A Palavra de Deus não pode falhar. A profecia deveria se cumprir.

- A segunda verdade é que Jesus foi anunciado pelo anjo como o Salvador.

- Ele recebeu o nome de Jesus exatamente porque veio para salvar o seu povo de seus pecados.

- Ele nos salva não pelo seu exemplo nem pelos seus ensinos, mas pela sua morte.
- Ele nasceu para morrer. Ele nasceu como sacrifício.
- Ele nasceu como o Cordeiro que tira o pecado do mundo.
- Ele nasceu como nosso substituto. Ele carregou em seu corpo o nosso pecado.
- Ele deu sua vida por nós.
- Ele foi ferido e traspassado pelas nossas iniquidades, a fim de recebermos o dom da vida eterna.

2. Jesus é o Cristo

"… que é Cristo…" (Lc 2.11).

- O Salvador é o Cristo. Ele é o Messias prometido.

- Sua vinda não foi acidental.
- Sua vinda não foi de improviso.
- Sua vinda foi planejada na eternidade e prometida na história.

- Os patriarcas falaram de sua vinda.
- As profecias apontaram para a sua vida.
- Todo o Velho Testamento foi uma preparação para a sua vinda.
- Os sacrifícios no tabernáculo e no templo eram sombras do seu sacrifício perfeito.

- O Messias é o centro da eternidade.
- É o centro da Bíblia.
- É o centro da história.
- Ele é a figura central nos decretos de Deus.
- Ele é a figura central da igreja.
- Ele é a figura central no céu. Tudo é dele, por meio dele e para ele.
- Ele é o Alfa e o Ômega da redenção.

- Todas as coisas do tempo e da eternidade convergem para ele.
- Todas as coisas nele subsistem. Ele é o Cristo, o Messias, o desejado de todas as nações.

3. Jesus é o Senhor

- "… o Senhor" (Lc 2.11).

- Jesus é o Salvador, o Messias e também o Senhor. Ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores.

- Todos os poderes do universo estão sob seu governo.

- Ele está à destra de Deus Pai e tem o livro da história em suas onipotentes mãos.
- Ele governa as nações e reina sobranceiro e absoluto sobre sua igreja.
- Ele recebeu o nome que é sobre todo o nome e diante dele todo joelho se dobra no céu, na terra e debaixo da terra. Aquela criança que nasceu em Belém tem o cetro do universo. Ele é maior do que César.

- Ele é maior do que os reis deste mundo.
- Ele é o soberano do universo. Diante dele todos os reis precisam se dobrar. Aos seus pés todos precisam depositar suas coroas. Precisamos conhecer o Jesus do Natal. Ele é o Salvador do mundo. Ele é o Messias de Deus.

- Ele é o Senhor do universo. Ele tem as rédeas da história em suas mãos.







AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes






+
++
+++
++++
+++++
++++++
+++++++
++++++++
+++++++++
============
============


É legítima a
comemoração do Natal?




- O Natal é uma festa cristã e não pagã. Há uma onda entre alguns cristãos, na atualidade, taxando aqueles que comemoram o Natal de serem infiéis e heterodoxos, dizendo que essa comemoração não é legítima nem cristã.

Precisamos, a bem da verdade, pontuar algumas coisas:
1. A distorção do Natal.
- Ao longo dos anos o Natal tem sido desfigurado com algumas inovações estranhas às Escrituras.

Vejamos:
Primeiro, o Papai-Noel. O bojudo velhinho Papai-Noel, garoto propaganda do comércio guloso, tem sido o grande personagem do Natal secularizado, trazendo a ideia de que Natal é comércio e consumismo.

- Natal, porém, não é presente do homem para o homem, é presente de Deus para o homem.

- Natal não é a festa do consumismo; é a festa da graça.

- Natal não é festa terrena; é festa celestial.

- Natal é a festa da salvação.

Segundo, os símbolos do Natal secularizado.
- Há muitos símbolos que foram sendo agregados ao Natal, que nada tem a ver com ele, como o presépio, a árvore natalina, as luzes, os trenós, a troca de presentes. Essa embalagem, embora, tão atraente, esconde em vez de revelar o verdadeiro Natal. Encantar-se com a embalagem e dispensar o conteúdo que ela pretende apresentar é um lamentável equívoco.

Terceiro, os banquetes gastronômicos e a troca de presentes não expressam o sentido do Natal.
- Embora, nada haja de errado celebrarmos com a família e amigos, degustando as iguarias deliciosas provindas do próprio Deus e manifestarmos alegria e expressarmos amor na doação ou mesmo troca de presentes, esse não é o cerne do Natal. Longe de lançar luz sobre o seu sentido, cobre-o com um véu.

2. A proibição do Natal.
- Tão grave quando a distorção do Natal é a proibição da celebração do Natal.

- Na igreja primitiva a festa do ágape, realizada como prelúdio da santa ceia foi distorcida.

- A igreja não deixou de celebrar a ceia por causa dessa distorção. Ao contrário, aboliu a distorção e continuou com a ceia.

- Não podemos jogar a criança fora com a água da bacia.
- Não podemos considerar o Natal, o nascimento do Salvador, celebrado com entusiasmo tanto pelos anjos como pelos homens, uma festa pagã. Pagão são os acréscimos feitos pelos homens, não o Natal de Jesus. Não celebramos os acréscimos, celebramos Jesus! Não celebramos o Papai-Noel, celebramos o Filho de Deus.

- Não celebramos a árvore enfeitada, celebramos o Verbo que se fez carne.
- Não celebramos os banquetes gastronômicos, celebramos o banquete da graça.
- Não celebramos a troca de presentes, celebramos Jesus, a dádiva suprema de Deus.

3. A celebração do Natal.
- O Natal de Jesus Cristo foi celebrado com grande entusiasmo em Belém.

- O anjo de Deus apareceu aos pastores e disse-lhes: “Não temais, eis que vos trago boa nova de grande alegria, que será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11).

- Natal é a boa nova do nascimento de Jesus. É o cumprimento de um plano traçado na eternidade. É a consumação da mensagem dos profetas. É a realização da expectativa do povo de Deus.

- Natal é a encarnação do Verbo de Deus. É Deus vestindo pele humana. Natal é Deus se fazendo homem e o eterno entrando no tempo.

- Natal é Jesus sendo apresentado como o Salvador do mundo, o Messias prometido, o Senhor soberano do universo.

- Quando essa mensagem foi proclamada, os céus se cobriram de anjos, que cantaram: “Glórias a Deus nas maiores alturas e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem” (Lc 2.14).

- O verdadeiro Natal traz glória a Deus no céu e paz na terra entre os homens. Natal é boa nova de grande alegria para todo o povo.

- O verdadeiro Natal foi celebrado com efusiva alegria no céu e na terra. Portanto, prossigamos em celebrar o nascimento do nosso glorioso Salvador!






AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes




=====================
====================
===================
==================

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011



Quem pode suportar
o dia da sua vinda?

Texto: Malaquias 3:2







- Mas quem suportará o dia da sua vinda?

- E quem subsistirá, quando ele aparecer?

Porque ele será como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros.

Introdução:

- A pergunta de Malaquias é mais atual que nunca: “Quem pode suportar o dia da sua vinda? E quem subsistirá quando ele aparecer?”

- Esta indagação instigante pode apavorar qualquer incrédulo e também CRENTE DESPREPARADO.

1. Quem pode suportar o dia da sua vinda?

- Aquele que adora em meio às provações. (Atos 16 Paulo e Silas( Mais perto quero estar, meu Deus de ti)

Ø Ao invés de nos lamentarmos e se queixar de Deus e das circunstâncias adversas, saibamos dar-Lhe graças por tudo (Rm 8.28) E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

2. Quem pode suportar o dia da sua vinda?

- Aqueles que passam por grandes provações e continuaram louvando ao Senhor e O buscando ainda mais intensamente em meio aos muitos problemas.

- Ap 3:8 Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.

- Apo 2:10 Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

3. Quem pode suportar o dia da sua vinda?

- Aqueles que sabem que quanto mais fortes forem às chamas mais perto o Senhor estará.

- Dn 3:23-25 E estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente.

24 Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa; falou, dizendo aos seus conselheiros: Não lançamos nós, dentro do fogo, três homens atados? Responderam e disseram ao rei: É verdade, ó rei.

25 Respondeu, dizendo: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem sofrer nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante ao Filho de Deus.

4. Quem pode suportar o dia da sua vinda?

- Aqueles que suportarão passar pela TSARAPH. palavra hebraica para este ato de purificar Tsaraph. Ela é um verbo no sentido de purificar, refinar, retirar as escórias e impurezas, 1 Pedro 4:12-19.

PURIFICAR: 1Pe 4:12 Queridos amigos, não se assustem nem se admirem quando vocês passarem pelas provas ardentes que estão para vir, pois isto não é coisa estranha e nem fora do comum que lhes vai acontecer.

REFINAR: 1Pe 4:13 Pelo contrário, alegrem-se verdadeiramente, pois estas provações transformarão vocês em companheiros de Cristo no seu sofrimento, e depois terão a maravilhosa alegria de participarem da sua glória naquele dia vindouro quando ela será manifestada.

1Pe 4:14 Alegrem-se se vocês forem amaldiçoados e insultados por serem cristãos, pois quando isso acontecer o Espírito de Deus virá sobre vocês com grande glória.

RETIRAR AS ESCORIA: 1Pe 4:15 Não quero ouvir falar de vocês sofrerem por cometer assassinato, ou roubar, oufazer desordem, ou por serem abelhudos e se intrometerem nos negócios dos outros.

1Pe 4:16 Mas não é vergonha nenhuma sofrer por ser cristão. Dêem graças a Deus pelo privilégio de estarem na família de Cristo e serem chamados pelo seu nome maravilhoso!

RETIRAR AS IMPUREZAS: 1Pe 4:17 Porque a hora do julgamento chegou, e deve começar primeiro entre os próprios filhos de Deus. E se até mesmo nós, que somos cristãos, devemos ser julgados, qual será o destino terrível que aguarda aqueles que nunca creram no Senhor?

1Pe 4:18 Se os justos se salvam com dificuldade, que oportunidade terão os ímpios?

1Pe 4:19 Portanto, se vocês estiverem sofrendo segundo a vontade divina, continuem a fazer o que é direito e entreguem-se aos cuidados do Deus que criou vocês, pois Ele nunca faltará.

5. Mas afinal quem poderá suportar o dia da sua vinda?

- Aqueles que são crentes verdadeiros até o TUTANO.

- Ap 3:1-6 E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto.

Ap 3:2 Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus.

Ap 3:3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.

Ap 3:4 Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso.

Ap 3:5 O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.

Ap 3:6 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.



AUTOR: Pr. Geziel de Jesus









+++++++++++++++

++++++++++++++

+++++++++++++