quinta-feira, 8 de julho de 2010


LIVRE DAS CADEIAS

DA REJEIÇÃO




Texto-Chave:

João 6:37 - “Todos aqueles que o Pai me dá virão a mim; e de modo nenhum jogarei fora aqueles que vierem a mim”.
- Uma das necessidades básicas do ser humano é de aceitação, de ser amado, de sentir que tem valor para as pessoas. Sabendo disto, Satanás procura promover situações em nossas vidas para nos prender com sentimentos de rejeição.

- Quando conhecemos a Cristo, precisamos permitir que Ele liberte nossa alma dessas cadeias, revelando-nos o amor do Pai, que é capaz de nos suprir plenamente.

I – DE ONDE VEM O SENTIMENTO DE REJEIÇÃO?
1) A rejeição pode vir através de pessoas que amamos

– Muitas vezes, pessoas importantes em nossas vidas falham conosco, nos rejeitam, desprezam ou traem (pais, filhos, cônjuges, amigos, etc...).

- Deus, porém, não nos lança fora em hipótese alguma – Isaias 49:14-15.

2) A rejeição pode vir através de fracassos que vivenciamos

– Muitas vezes fracassamos diante da vida, decepcionamos as pessoas e ficamos envergonhados, com a sensação de que não somos mais amados.

- O Senhor, porém, mesmo diante dos fracassos, sempre tem uma palavra de crédito para nós – I Samuel 2:8; Salmos 37:23-24 .

3) A rejeição pode vir de nós mesmos, por uma não aceitação de quem somos

– Há pessoas que se rejeitam a si mesmas, não aceitando sua raça, condição cultural, padrão econômico ou alguma outra característica de sua vida.

- Porém, quando conhecemos a Deus, devemos aprender a nos amar e ser gratos pela maneira como Ele nos fez – Salmos 139:13-16.

4) A rejeição pode vir da opressão e manipulação demoníaca

– Muitas pessoas são oprimidas ou manipuladas por pensamentos demoníacos e vivem escravas de fortalezas mentais que as leva ao sentimento de rejeição.

- Deus, porém, nos dá armas que podem derrubar estas fortalezas e calar os demônios com suas mentiras – II Cor. 10:4,5.

II – COMO DEUS NOS LIBERTA DO SENTIMENTO DE REJEIÇÃO?
1) Ele nos assegura que somos amados incondicionalmente

– O amor de Deus por nós não depende dos nossos atos.

a)- Ele nos amou quando ainda estávamos perdidos - Rom .5:8.

b)- Ele não nos valoriza baseado no que fazemos – Tito 3:4,5.

c)- Ele não nos valoriza baseado no que possuímos – Lucas 12:15.

d)- Ele não nos valoriza baseado na nossa condição social – I Cor. 1:27,28.
2) Ele nos coloca na família da fé, a igreja, lugar onde somos amados

– A célula, a consolidação e o discipulado devem ser ferramentas de cura para os que se sentem rejeitados.

- A igreja é uma família cheia de amor– Salmos 68:6.

3) Ele nos dá a sua Palavra, cheia de promessas a nosso respeito

– A Palavra de Deus é uma fonte de restauração, libertação e vida.

- Quanto mais a lemos, mais nos sentimos amados – Salmos 119:92,97.

Gancho Evangelístico (5 min.)

– Se houver algum visitante descrente, faça o seguinte apelo: Já vimos como a rejeição pode trazer danos à vida humana.

- Agora, você já pensou que, viver longe de Deus e desprezar o sacrifício de Cristo por nós é a mais injusta de todas as rejeições?

- Você não gostaria de aceitar o amor de Deus e viver uma vida feliz com Ele?

Receba, então, Jesus como seu Senhor e Salvador! - Faça a oração de entrega e consolide os que forem ganhos.

Fonte:
http://www.igrejavencedores.com.br/acervo_detalhes.asp?Id=103


===============

++++++++++++++++


###############

###############


O SOFRIMENTO HUMANO
Texto: Salmo 73:13-14


Introdução:

- O homem tem trazido consigo, desde os primórdios da criação, a marca do sofrimento. Os problemas tiram-lhe a paz. Porém, parece que nos últimos anos as crises que tém assolado a humanidade são maiores e mais freqüentes.

- Seqüestros, assaltos, assassinatos, desajustes conjugais, de­sobediência dos filhos aos pais, drogas, depravação moral, pestes, enfermidades, terremotos, furacões, secas, enchen­tes, descontrole monetário, confusão política, incompreensões, etc., são algumas das aflições pelas quais os homens têm passado.

- Como o cristão irá encarar esses problemas?

- É verdade que todos os grandes pensadores se preocu­param com o problema do mal e do sofrimento humano; mas, o que precisamos mesmo conhecer e entender é o ponto de vista das Escrituras Sagradas sobre este assunto.

I. Causas do sofrimento

As Escrituras falam do sofrimento como sendo um intruso neste mundo, pois Deus criou tudo perfeito e livre de dor, Gênesis 3:1.

Vejamos algumas razões por que o homem sofre.

1. O pecado de Adão e Eva.

- O pecado trouxe consigo os conflitos, a dor, a corrupção, o trabalho penoso e a morte, Gênesis 3:15-19.

- Davi expressou-se da seguinte maneira: "Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe" Salmo 51:5. Com a entrada do pecado no mundo, vieram as conseqüências: inimizade, Gên. 3: 15; dor: "Com dor terás filhos", Gênesis 3:16; maldição para a terra, Gênesis 3:17; dificuldades: "espinhos e cardos", Gênesis 3:18; canseira e fadiga, Gênesis 3:19; morte: "porquanto és pó, e em pó te tornarás", Gênesis 3:19.

2. Más escolhas individuais.

- São aquelas atitudes que tomamos sem consultar a vontade de Deus e por isso ferimos certos princípios em relação ao que ele estabeleceu para o nosso bem.

- Caim escolheu a inveja e o crime e teve uma vida desastrosa e dolorida, Gênesis 4:14.

- Ló, sobrinho de Abraão, escolheu pela aparência e teve graves proble­mas com vizinhos. Levado pelo egoísmo e vaidade, o homem tem escolhido o caminho mais longo.

3. Desajustes da própria natureza.

- O cristão não está isento de sofrer as conseqüências das catástrofes provocadas por um eventual desajuste da natureza.

- Paulo nos informa que a natureza aguarda a sua restauração. Até que isto aconteça, temos visto terremotos, furacões, mare­motos, enchentes, secas, raios, tremores de terra, etc. Tudo isso causa sofrimento.

4. Para a glória de Deus.

- Deus é Senhor e faz aquilo que lhe apraz.

- Certa vez, Jesus curou um cego de nascença e lhe perguntaram: "Quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: "Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para glória de Deus", João 9:1-3.

II. 0 que o sofrimento pode provocar no homem

O homem reage de diferentes maneiras diante do sofri­mento. A história diz isso e a experiência do dia-a-dia o confirma.

1. Revolta - Há pessoas que se revoltam às vezes porque sofrem muito, ou porque vêem outras pessoas sofrendo. Esta revolta é uma atitude resultante da falta de aceitação do problema em que se acham envolvidas. Mas a revolta não leva a nada; pelo contrário, só piora. Ha pode ser também gerada pela falta de compreensão da causa e do objetivo do sofrimento.

2. Incredulidade - A crença infantil num Deus bom que não permite nada de ruim impera de um modo geral. Portanto, diante de situações difíceis, a tendência natural é cair na incredulidade. Mas, biblicamente, o sofrimento de uma pessoa deve ser motivo para levá-la mais perto de Deus, reconhecendo Sua soberania e amor.

3. Blasfêmia - Muitos chegam a culpar a Deus pelo sofrimento e com palavras expressam sua rejeição. Com isso demonstram impiedade. Ex.: A mulher de Jó queria que ele fizesse isso por causa do sofrimento. "...amaldiçoa a Deus e morre", Jó 2:9.

4. Perda de esperança - O sofrimento pode levar ao desespero, enfraquecendo a capacidade de enfrentar os problemas e calamidades. Às vezes a pressão é tanta que a pessoa perde o prazer de viver, acontecendo aquilo que chamamos de "perder a esperança".

5. Suicídio - Há aqueles que se entregam de tal forma à angústia e ao desespero que acabam praticando o suicídio, na falsa esperança de pôr fim ao sofrimento.

6. Vícios - Alguns, diante de grande carga de sofrimento, apelam para o uso de drogas, bebidas alcoólicas e calmantes medicinais, que são paliativos provocantes de sofrimentos ainda maiores.

III. A posição do cristão diante do sofrimento

O crente fiel e verdadeiro não vê no sofrimento apenas um instrumento de castigo, mas um meio que o próprio Deus usa para abençoá-lo.

1. O crente recebe o sofrimento como prova de amor de Deus. Em Hebreus 12:6 e 7 o autor deixa claro que a correção do Senhor é prova do seu amor para conosco.

2. O crente recebe, inclusive, o sofrimento para seu próprio bem. Romanos 8: 28. Jó só conhecia a Deus por ouvir falar, mas depois passou a conhecê-lo pessoalmente, Jó 42:5.

3. O crente vê no sofrimento uma oportunidade para dar glória a Deus. Atos 16: 22-25.

4. O crente aproveita o sofrimento para testemunhar a sua fé. Paulo diz: "Eu sei em quem tenho crido..." Jó falou: "Eu sei que o meu Redentor vive..."

5. O crente usa o sofrimento para provar sua obediência a Deus. Ex.: Os Jovens hebreus, Daniel 3:14-26.

6. O crente recebe o sofrimento para sua correção. Deus nos corrige de muitas maneiras. E necessário termos a sensibilidade devida para percebemos o que Deus está querendo de nós, quando permite alguma situação difícil que venha gerar sofrimento.

Conclusão:

Sejamos crentes maduros e estruturados que entenda­mos com perfeição os planos do Senhor para nossa vida.

AUTOR: Pr. Aldenir Araújo / VISITE:
http://opregadorfiel.blogspot.com/2010/06/o-sofrimento-humano.html



##############

******************


AMOR E ÓDIO

HABITAM NO

MESMO LUGAR

Texto: 1 João 2:7-11; 4:20-21

(I João 2:7) - Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes.

(I João 2:8) - Outra vez vos escrevo um mandamento novo, que é verdadeiro nele e em vós; porque vão passando as trevas, e já a verdadeira luz ilumina.

(I João 2:9) - Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas.

(I João 2:10) - Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo.

(I João 2:11) - Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.

(I João 4:20) - Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?

(I João 4:21) - E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão. trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.

INTRODUÇÃO


- O antônimo do ódio é amor veja a história desse menino:

Certo menino estava brincando com seu irmão e seu com muita maldade jogou uma pedra nele e acertou em sua cabeça fazendo um ferimento profundo. E ele vendo que estava sendo muito sangue saiu correndo até a casa do médico que era próximo, pois eles moravam em um vilarejo distante da cidade. Ao bater na porta o médico abriu ao ver sua testa sangrando mandou entrar e foi cuidar do ferimento, e ele tinha que levar uns dois pontinhos então o médico disse se você não chorar eu te dou dois chocolate ta bom ele respondeu tu bem. Quando o médico terminou ele disse menino forte e corajoso aqui esta seus chocolate coma tudo sozinho e não de para ninguém ta certo, ele respondeu não doutor eu não posso e meu irmão é um pra mim e outro para meu irmão. O médico espantado disse mas não foi ele quem te acertou essa pedrada ele disse foi, então você mesmo assim vai dar um chocolate para ele o menino respondeu doutor ele é meu irmão.

PROPOSIÇÃODeus e ódio não habitam no mesmo coração

INTERROGATIVADeus e ódio podem habitar no mesmo coração?

TRANSIÇÃOTemos ouvido falar muito que luz e trevas não se combinam e entendemos dessa forma também. Então vamos entender um pouco a respeito desse sentimento em relação com nossa vida com Deus.

1. DEUS E ÓDIO NÃO PODEM HABITAR NO MESMO CORAÇÃO.


1.1. Deus é Amor

1.1.1. A Bíblia diz: Que nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. (I João 4:16)

1.2. O ódio


1.2.1. É um sentimento que nos leva a desejar mal a alguém: Raiva, Ira. É uma aversão (ódio) a pessoa, atitude ou coisas.

1.2.2. Temos que reconhecer nossos preconceitos

1.3. Imagine como deve ser terrível viver com tanto ódio no coração:


1.3.1. Quando vemos pessoas assim, nos bate dois tipos de sentimento: O primeiro é de vergonha e o segundo é de pena porque pertencer a mesma raça .

1.3.1. Não sentimos pena das pessoas que são alvo do ódio de outras pessoas, sentimos pena é da pessoa que carrega tanto ódio dentro do seu coração.

1.3.2. Novo Mandamento: Amar de modo de modo sacrifical como o Senhor amou.

1.3.3. As trevas: Onde vivíamos antes de sermos salvos.

1.3.4. A Verdadeira luz: A revelação de Deus em Cristo.

2. QUANDO TEMOS ODIO NO CORAÇÃO FICAMOS CEGOS.


2.2. Aqueles que odeiam os outros andam nas trevas, mesmo acreditando estar na luz.

2.3. As pessoas que tem ódio no seu coração estão cegas e não consegue enxergar a luz.

3. CADA CANTO DE NOSSOS CORAÇÕES DEVE SER PREENCHIDO COM A LUZ DE DEUS.


3.1. Se não podemos amar os outros, não podemos amar a Deus.

3.2. Embora não mostramos esse ódio publicamente o nível de rancor é o mesmo de manifestações preconceituosa.

3.3 Eu te pergunto: Quando deixamos de amar será que a luz clara e cálida (quente, ardente, apaixonada) de Deus enche canto de nossos corações?

3.4. Toda atitude de preconceito e ódio, por mais profunda que seja, pode ser banida pela luz de deus.

CONCLUSÃO
Senhor faz brilhar Tua luz de amor em meu coração e arranca qualquer ódio que ainda esteja preso em algum canto dentro de mim. Em nome de Jesus. Amém.

Fonte:
http://www.batistarestituicao.com.br/ministracoes/ANDANDO-NA-LUZ.doc





==============

++++++++++++++

#############

+++++++++++++