domingo, 4 de julho de 2010


FILHOS
DESOBEDIENTES
DE QUEM
É A CULPA?


Introdução:

- Crianças: vítimas ou culpadas?

- Estamos, diante de uma questão polêmica: quem é o culpado pela existência de filhos problemáticos?

- A culpa tem sido atri­buída a vários fatores, de acordo com a percepção de cada pessoa.

- Antes de redigir este estudo, além das pesquisas bíbli­cas, foram ouvidas pessoas de diferentes posições sociais, membros de igreja, oficiais e até mesmo elementos que professam outros credos, procurando sentir o que está acontecendo e o que pensam sobre o problema.

- Alguns responderam ser a sociedade a culpada, muitos afirmaram serem os pais (a família), outros não tiveram respostas, mostrando-se confusos e reflexivos.

- O problema existe e requer uma análise profunda das dificuldades que afetam hoje os lares, os pais, os adolescentes e jovens.
I. O conflito de gerações
1. O lar hoje. Mudou muito a estrutura dos lares modernos. Pelo menos três pontos são bem conhecidos:

a. O amor está se esfriando.

O casamento por si já é uma sociedade complexa. E ele está em crise. Se o dia não foi muito bom para um dos cônjuges, é certo que será ótimo para um bate-boca.

b. O sustento da casa está cada vez mais problemá­tico.
Se o dinheiro falta, a confusão está armada; quando sobra também.

c. Filhos sem afeto.
A convivência dos pais com filhos é cada vez menor. O pai precisa sair de madrugada para o trabalho e só volta à noite: quase não convive com os filhos. A mãe tem sido obrigada a trabalhar fora.

2. Como são os filhos.

A personalidade dos filhos é fruto de uma carga variada de influências-, o meio em que se formaram, a herança paterna, as influências externas e especialmente o pecado original do qual só nos livramos pela conversão e pela misericórdia de Deus. Assim, encon­tramos:

a. filhos rebeldes: estão sempre de mau-humor e criado conflitos com os pais e irmãos; logo cedo na vida arrumam seus colegas, se "enturmam" e não têm hora para sair ou chegar em casa;

b. filhos desobedientes: têm por hábito contrariar a vontade dos pais em quase tudo; não acatam sua autori­dade, suas ordens, fazem o que querem;

c. filhos respondões: discordam de tudo, às vezes gratuitamente; são turrões; outros agridem com palavras que humilham e ferem; xingam, discutem. Muitos assumem uma posição política contrária à da família, o que se torna um motivo a mais para desavenças;

d. filhos agressivos: são indelicados, batem nos irmãos e até nos pais, quebram objetos. São de "estopim curto". A qualquer contrariedade, explodem. Quando che­gam em casa, tudo fica tenso; quando saem, é um alívio;

e. filhos preguiçosos: não cumprem suas tarefas, não estudam, e não querem trabalhar;

f. filhos delinqüentes: desviam-se dos padrões morais da família, envolvendo-se em namoro escandaloso, ou mexendo com drogas, roubos, etc. São "barra-pesada" e a polícia está sempre de olho neles.

II. Problemas externos afetam a harmonia do lar
Entre os problemas externos, vamos analisar a inter­ferência do consumismo e dos meios de comunicação sobre o lar.

1. Consumismo - A família sofre os efeitos negativos da inflação, mas o consumismo é um flagelo ainda maior. Provavelmente o verbo "comprar" seja o mais conjugado nos lares. Quando a expectativa dos filhos não corresponde aos seus anseios, surgem conflitos na família, que levam a conseqüências desastrosas - indisposição de pais contra filhos, abandono do lar, desenlaces, acarretando para os filhos problemas das mais diversas naturezas.

2. Influência negativa dos meios de comunica­ção - Existe uma interpretação materialista da vida. Isso não é novo.

- Nos dias de Davi já havia quem afirmasse: "Não há Deus", SaImo 14:1. Hoje a divulgação dessa posição é feita pelo cinema, televisão, jornais, revistas, internete e livros. Os meios de comunicação estão solapando o alicerce da família.

III. Do ponto de vista espiritual, o que precisa ser feito
- Aqui reside o ponto central da questão: filhos problemá¬ticos normalmente não crêem em nada. Até mesmo no meio evangélico, esse mal vem campeando.

- Os críticos atribuem a culpa à Igreja, aos pastores e presbíteros. Alegam falta de ambiente adequado, de tato no relacionamento, de melhores programas, ou de excessiva rigidez doutrinária.

- Na verdade, a Igreja começa ou tem a sua origem no lar e este, por sua vez, tem falhado em vários aspectos básicos, indispensáveis para a criação dos filhos, como:
1. Falta de espiritualidade. No Antigo Testamen¬to, no sistema patriarcal, cada família se constituía numa congregação, onde Deus era servido e adorado, Deuteronômio 6:4,9. O cristianismo também se desenvolveu através das famílias. A Igreja Primitiva não tinha templos; suas reuniões eram feitas nos lares, Romanos 16:5. Hoje, a falta de cultivo espiritual nos lares está corroendo e desintegrando a família.

2. Falta de ensino, Prov. 22:6 e 15. Os pais crentes precisam saber dizer aos seus filhos: "Sede meus imitadores como também eu sou de Cristo", I Corintios 11:1.

3. Falta de disciplina - Esse elemento é indispen¬sável para a construção da obediência dos filhos, Provérbios 22:15; 23:13-14 e 29:15-17 e Efésisos 6:1-3.

4. Falta de amor - A Palavra de Deus determina que os pais amem os seus filhos, mas também que sejam prudentes, não os irritando, Colosenses 3:21. Os filhos problemáticos são na maioria das vezes frutos de uma rejeição, involuntária ou deliberada dos pais.

Conclusão:Duas propostas de soluções para os pro­blemas entre pais e filhos.

1. O diálogo.
- Hoje os pais estão mais amadurecidos quan­to a esses problemas e procurando dialo­gar com os ãlhos. Es­tão procurando apoio ou lendo mais, porque sabem que, dependendo da idade, soluções anti­gas como bater, casti­gar, humilhar são questionáveis.

- O diá­logo tem dado mui­tos resultados, principalmente quando sincero, mar­cado pelo exemplo e pelo amor.

2. A oração. Tanto nos casos que possa­mos julgar fáceis, como nos difíceis, a intercessão pelos fi­lhos e pelo lar é mui­to necessária. Jó fazia isso, diaria­mente, Jó 1:5.
"A vida de um ho­mem não consiste na abundância dos bens que ele pos­sui", Lucas 12:15. Os bens de que a famí­lia mais necessita não podem ser ad­quiridos em lojas. Os maiores bens de uma família são a co­munhão com Deus, o amor, a paz e a harmonia.

Extraído da revista de estudos biblicos ALELUIA
Com algumas adaptações pelo Pr. Aldenir Araújo /
http://opregadorfiel.blogspot.com/2010/06/filhos-rebeldes-de-quem-e-culpa.html


==============
==============

+++++++++++++
+++++++++++++

Por Que
Duvidamos?


Quebra-gelo: Você já duvidou de algo para descobrir depois que era verdade?

Texto: Mateus 14: 24 e 27-31.

Introdução:

- Duvidamos de verdades o tempo todo.

- Falamos até por hábito: Ah, duvido. É só ouvir uma história um pouco diferente, ou fora do comum, que já manifestamos nossa incredulidade (ceticismo) através de frases como: Não sei não; ou: Só vendo; ou mesmo o popular: Duvido.

- Por que duvidamos? Simples, duvidamos porque determinadas histórias contam coisas muito diferentes das que estamos acostumados, e como não estamos acostumados, mesmo sendo verdade, duvidamos.

- A vida com Jesus (vida cristã) é uma vida diferente, com muitos mandamentos e orientações diferentes, que, quando obedecidos, nos levam a experimentar grandes bênçãos. Aí está a dificuldade de muitos na vida com Jesus: ouvir, acreditar e obedecer.

- Não falamos que duvidamos de Jesus, mas também não fazemos o que Ele manda e sofremos com uma vida religiosa, mas sem a bênção ou o milagre.

- O texto de Mateus 14 mostra que é possível a pessoas como nós, que se dispõe a viver para obedecer a Jesus, fazer coisas extraordinárias e sobrenaturais.

- Pedro andou sobre as águas até duvidar, aí afundou.

- Nós também podemos “andar sobre as águas”, então porque duvidamos de Deus e não obedecemos?
1) Duvidamos porque damos atenção a muita coisa, menos a Palavra de Jesus.
- Mateus 14 fala que enquanto Pedro prestou atenção só a palavra de Jesus, ele estava andando sobre as águas, quando olhou para o vento forte teve medo, duvidou e afundou.

- Muitas coisas podem nos fazer duvidar, podem nos fazer ter medo, dê atenção a Palavra de Jesus e não a essas coisas.

- Quer uma vida sobrenatural? Dê atenção a Jesus e ao que Ele fala, sempre.2) Duvidamos porque temos medo.
- Temos medo por muitos motivos, o problema é que isso nos faz duvidar. Na vida com Jesus também temos medo.

- Temos medo de confiar em Jesus e não dar certo, temos medo de sofrermos, temos medo de não conseguirmos o que precisamos, temos medo por ser uma vida muito diferente da que estamos acostumados.

- Precisamos jogar fora o medo e obedecer a Jesus.Conclusão:

- Jesus falou que tudo é possível ao que crê (Marcos 9:23).

- Você precisa da bênção de Jesus? Quer uma vida diferente, cheia do poder e da presença de Deus?

- Quer ter experiências com Deus que tornem mais fácil confiar Nele?

- Quer entregar sua vida a Jesus e confiar Nele para fazer o que Ele manda e, no tempo Dele, experimentar a bênção e o milagre em sua vida?

- Quer isso? Levante a mão, vamos orar.
Fonte:
http://www.imm.com.br/celulas01.php?cod=76




+++++++++++++

++++++++++++++

+++++++++++++

+++++++++++++



SETE PASSOS

PARA JEJUAR

E ORAR

COM SUCESSO


- Como começar seu jejum - Como iniciar e conduzir o seu jejum determinará em grande parte o seu sucesso. Seguindo estes passos básicos para o jejum, você fará de seu tempo com o Senhor mais significativo e espiritualmente recompensador.

- Através do jejum e da oração, nós nos humilhamos perante Deus de tal forma que o Espírito Santo moverá as nossas almas, despertará nossas igrejas e sarará a nossa terra de acordo com 2 Crônicas 7.14. Faça disso uma prioridade em seu jejum.

1 - Defina o seu objetivo

- Por que você está jejuando?

- É por renovação espiritual, por direção, cura, solução dos problemas, graça especial para enfrentar uma situação difícil?

- Peça ao Espírito Santo que mostre claramente a Sua direção e os objetivos para o seu jejum e oração. Isto o capacitará a orar mais específica e estrategicamente.

2 - Faça o seu compromisso

- Ore sobre o tipo de jejum que você deve adotar. Jesus deu a entender que todos os Seus seguidores deveriam jejuar (Mateus 6.1 6-1 8; 9.14,15).

- Para Ele era uma questão de quando os crentes iriam jejuar e não se eles jejuariam.

Antes de jejuar, decida sobre os tópicos a seguir:

• Qual será a duração do seu jejum - uma refeição, um dia, uma semana, várias semanas, quarenta dias (os iniciantes devem começar lentamente, até alcançar jejuns mais prolongados).

• Que tipo de jejum Deus quer que você adote (de água apenas ou de água e sucos; que tipos de sucos você tomará e com que frequência).

• A que atividades físicas ou sociais você irá se restringir.

• Quanto tempo por dia você dedicará a oração e a Palavra de Deus. Fazer esses compromissos com antecedência o ajudará a sustentar seu jejum quando as tentações físicas e as pressões da vida tentarem fazer você abandoná-lo.

3 - Prepare-se Espiritualmente

- O fundamento básico do jejum e da oração é o arrependimento. Pecados não confessados irão bloquear suas orações.

- Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para preparar o seu coração:

• Peça a Deus para ajudá-lo a fazer uma lista abrangente dos seus pecados.

• Confesse cada pecado que o Espírito Santo trouxer a sua mente e aceite o perdão de Deus (1 João 1.9).

• Procure obter o perdão de todos os que você ofendeu e perdoe a todos os que o feriram (Marcos 11.25; Lucas 11.4;1 7.3,4).

• Faça restituições à medida que o Espírito Santo lhe mostrar.

• Peça a Deus para enchê-lo do Seu Espírito Santo de acordo com a sua ordem em Efésios 5.18 e Sua promessa em 1 João 5.14,15.

Entregue a sua vida completamente a Jesus Cristo como seu Senhor e Mestre; recuse-se a obedecer a sua natureza mundana (Romanos 12.1,2).

• Medite sobre os atributos de Deus, Seu amor, soberania, poder, sabedoria, fidelidade, graça, compaixão, e outros (Salmo 48.9,10;103.1-8,11-13).

• Comece o seu tempo de jejum e oração com um coração cheio de expectativas (Hebreus 1 1.6).

• Não subestime a oposição espiritual. Satanás muitas vezes intensifica a batalha natural entre o corpo e o espírito (Gálatas 5.16,17).

4 - Prepare-se Fisicamente

- Jejuar requer certas precauções razoáveis. Consulte seu médico em primeiro lugar, particularmente se você toma alguma medicação ou tem uma enfermidade crônica.

- Algumas pessoas nunca devem jejuar sem a supervisão de um profissional.

- A preparação física faz com que uma mudança drástica na sua rotina alimentar seja um pouco mais fácil, de tal modo que você possa concentrar toda a sua atenção no Senhor em oração.

• Não comece o seu jejum abruptamente.· Prepare o seu corpo. Faça pequenas refeições antes de começar um jejum. Evite alimentos com alto teor de gordura e açúcar.

• Coma frutas e verduras cruas por dois dias antes de começar o jejum.

Enquanto você jejuar

- Seu tempo de jejum e oração chegou. Você está se abstendo de todas as comidas sólidas e começou a buscar o Senhor.

Eis algumas sugestões úteis a considerar:

• Evite medicações, mesmo que sejam a base de ervas naturais e homeopáticas. As medicações devem ser retiradas apenas com a supervisão de seu médico.

• Limite suas atividades.

• Exercite-se moderadamente. Ande de 1 a 4 Kms por dia, se for conveniente e cômodo.

• Descanse o máximo que o seu programa permitir.

• Prepare-se para um período de desconforto mental temporário tais como: impaciência, irritação e ansiedade.

• Espere algum desconforto físico, especialmente no segundo dia. Você poderá ter dores passageiras, causadas pela fome, tonturas ou algo "esquisito".

- A retirada de café e açúcar pode causar dor de cabeça. O mau estar físico pode causar fraqueza, cansaço ou sonolência. Os primeiros dois ou três dias são geralmente os mais difíceis. Mas, à medida que continuar a jejuar, você experimentará uma sensação de bem-estar, tanto física quanto espiritual. Quando sentir a "dor-de-fome", aumente a ingestão de líquidos.

5 - Mantenha-se no Programa

- Para aproveitar espiritualmente ao máximo, separe bastante tempo para estar sozinho com o Senhor. Ouça a Sua direção.

- Quanto mais tempo você passar com Ele, mais significativo será o seu jejum.

Manhã

• Comece o seu dia com louvor e adoração.

• Leia e medite na Palavra de Deus, de preferência de joelhos.

• Convide o Espírito Santo para trabalhar em você, fazendo prevalecer e realizando a Sua boa vontade de acordo com Filipenses 2.13.

• Peça a Deus que o use. Peça a Ele que mostre a você como influenciar seu mundo, sua família, sua igreja, sua comunidade, seu país e assim por diante.

• Ore pela visão dEle em sua vida e por poder para fazer a Sua vontade.

Tarde

• Volte à oração e à Palavra de Deus.

• Faça uma breve caminhada de oração.

• Passe um tempo intercedendo pelo líderes de sua comunidade e nação,pelas milhões de pessoas não alcançadas, por sua família e por suas necessidades especiais.

Noite

• Fique um tempo sozinho, sem pressa, para "buscar a Sua face".

• Se outras pessoas estiverem jejuando com você, encontrem-se para orar.

• Evite assistir televisão e outras coisas que possam desviar o seu foco espiritual.
Quando possível, comece e termine cada dia de joelhos com o seu cônjuge para um breve momento de louvor e agradecimento a Deus. Períodos maiores com o nosso Senhor em oração e estudo da Sua Palavra são sempre melhores quando estamos sozinhos.

- Uma rotina diária é vital também. Dr. Julio C. Ruibal (nutricionista, pastor e especialista em jejum e oração) sugere um programa diário e uma lista de sucos que podem ser úteis e satisfatórios para você. Modifique este programa e os líquidos que irá ingerir de acordo com suas circunstâncias e gosto.

- 5:00-8:00h - Sucos de frutas, preferencialmente naturais ou se a fruta for ácida, misturados e diluídos em 50% de água destilada. Maçã, pera, laranja, mamão, melancia ou outros sucos de frutas são geralmente melhores. Se não puder preparar o próprio suco, compre-os sem açúcar ou conservantes.

- 10:30-12:00h - Suco de vegetais frescos, à base de alface, salsão e cenoura em três partes iguais.

- 14:30- 16:00h - Chá de ervas com uma gota de mel. Evite chá preto ou qualquer chá com cafeína.

- 18:00-20:30h - Caldo feito à base de batata, salsão e cenoura sem sal. Depois de cozinhá-los por meia hora, separe o caldo e beba.

Dicas sobre o Jejum de Líquidos

• Consumir suco de frutas irá diminuirá sua "dor-de-fome" e fornecerá alguma energia natural do açúcar. O sabor e o estímulo irá motivá-lo e fortalecê-lo a continuar o jejum.
• Os melhores sucos são feitos a partir de melancias, limões, uvas, maçãs, repolhos, beterrabas, cenouras, salsões ou folhas de legumes verdes frescos. Em tempos de frio você poderá desfrutar de um caldo de vegetais quente.

• Misture os sucos ácidos (laranja, tomate) com água para não comprometer seu estômago.

• Evite bebidas com cafeína. Evite também os chicletes ou mentolados, mesmo que o seu hálito esteja ruim. Eles estimulam a ação digestiva do seu estômago.
Terminando o jejum

- Quando o tempo estabelecido do jejum terminar, você poderá começar a comer novamente. Mas, saber como terminar o seu jejum é extremamente importante para o seu bem-estar físico e espiritual.

6 - Termine o Jejum Gradualmente

- Comece a comer gradualmente.
Não coma comidas sólidas imediatamente após o seu jejum.
Reintroduzir subitamente alimentos sólidos em seu estômago e aparelho digestivo provavelmente trará consequências negativas, até perigosas.
Tente fazer várias refeições pequenas ou lanches a cada dia. Se você terminar o seu jejum gradualmente, os efeitos benéficos, físicos e espirituais, resultarão em uma boa saúde constante.

- Eis algumas sugestões para ajudá-lo a terminar seu jejum apropriadamente:

• Termine um jejum prolongado de líquidos com frutas como a melancia.

• Enquanto continuar a beber sucos de frutas ou verduras, adicione o seguinte:

Primeiro dia: Acrescente uma salada crua.

Segundo dia: Acrescente batata assada ou cozida, sem manteiga e sem temperos.

Terceiro dia: Acrescente uma verdura cozida no vapor.

Nos dias seguintes: Retorne a sua dieta normal.

• Volte, gradualmente, fazendo vários lanches pequenos durante os primeiros dias. Comece com um pouco de sopa e frutas frescas tais como a melancia ou melão. Prossiga com algumas colheres de comida sólida como fruta e verdura fresca ou uma salada crua e batata assada.
Uma palavra final

7 - Espere os Resultados

- Se você se submeter sinceramente ao Senhor, arrepender-se, orar e procurar a face de Deus; se você meditar consistentemente em Sua Palavra, você experimentará um aumento na percepção de Sua presença (João 14.21).

- O Senhor lhe dará um novo e fresco discernimento espiritual. Sua confiança e fé em Deus irá se fortalecer. Você se sentirá mental, espiritual e fisicamente renovado. Você verá respostas às suas orações.

- Um simples jejum, entretanto, não é um remédio "cura-tudo" espiritual. Assim como precisamos diariamente ser cheios do Santo Espírito, nós também precisamos de novos períodos de jejum diante de Deus. Um jejum de 24 horas a cada semana é muito recompensador para muitos cristãos.

- Leva tempo para fortalecer seu músculo do jejum espiritual. Se você falhar em fazê-lo no primeiro jejum, não desanime. Você pode ter tentado jejuar muito tempo da primeira vez ou talvez precise fortalecer seu entendimento e determinação. Assim que possível, submeta-se a um outro jejum até que seja bem sucedido. Deus haverá de honrá-lo por sua fidelidade.

- Eu o encorajo a jejuar e orar, repetidamente, até que experimentemos verdadeiramente um reavivamento em nossas casas, nossas igrejas, nossa nação amada e em todo o mundo.


Fonte: http://www.ibivitoria.org/index.php?option=com_content&view=article&id=305:7-passos-basicos-para-jejuar-e-orar-com-sucesso-&catid=44:jejum&Itemid=96



==============

================