domingo, 20 de junho de 2010


A FAMÍLIA E
O SOFRIMENTO


Texto:

"que pelo poder de Deus sois guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo; na qual exultais, ainda que agora por um pouco de tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações" 1 Pe 1:5,6

- Sofrimento é um tema controvertido. Famílias estão enfrentando crises das mais diversas que provocam dor, preocupação e trazem muita tristeza.

- Como encarar então estas dores e sofrimentos?

- Como uma família que vê um de seus membros sofrimento deve agir?

- São tantas as indagações que parecem sufocar a mente que muitas vezes parece sem resposta.

- O Apostolo Pedro ao tratar sobre a vida futura do Cristão, fala de alguma coisas importantes.

- Ele afirma a proteção de Deus sobre seus filhos, uma proteção diferente do que ás vezes é pregada, e num aposto coloca o tema do sofrimento: “ainda que agora por um pouco tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações” 1 Pe 1:5.

- O próprio escritor Tiago diz: "Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma." (Tg 1:2-4).

I – CAUSA DOS SOFRIMENTOS

- O sofrimento é um grito de que existe algo errado, de que aconteceu algo que levou o homem a este estado de coisas.

- É diante das crises e sofrimentos que geralmente se pergunta os “porquês”?

- Na realidade nossa pergunta deveria ser “para quê”?

Vejamos então alguns coisas que causam o sofrimento.
a) PecadoA queda do homem trouxe consigo a própria corrupção do corpo humano.

- Em conseqüência o homem passou a enfrentar problemas que antes não possuía. Todos pecaram (3:23)

- Davi diz que em pecado foi concebido (Sl 51).

- Estes textos nos dão a ideia de que o homem distanciado de pelo pelo pecado (Is 59:2) sofre os efeitos dessa posição.

- Nossa Natureza então é descaída. Estamos fora do lugar (posição). Somente através de Jesus Cristo foi possível ao homem ser restaurado.

- Em Cristo fomos feitos novas criaturas (2 Co 5:17).

- Somente em Cristo os efeitos do pecado um dia cessarão e não haverá mais morte nem dor.... Tem-se que pensar ainda em dois tipos de pecado.

- Sofremos por causa do nosso pecado – Colhemos as consequências de nossos atos que não agradam a Deus.

- Sofremos por causa do pecado do outro. Na medida que o outro é pecador sua atitude para com o próximo tende a produzir sofrimento ao outro.

- Por isso, em nossos relacionamentos precisamos de perdão e da graça de Deus, senão nossas atitudes teriam a tendencia mais de fazer outros sofrerem

b) O inimigoA Bíblia nos informa que o alvo do inimigo é destruir (Jo 10.10)

- Ele é nosso adversário. Anda ao derredor procurando a quem possa traga (1 Pd 3.8).

- Ele tem causado grandes sofrimentos aos seres humanos. Homens e mulheres presos em seus grilhões sofrem e tem suas mentes obscurecidas.
c) Causas Naturais - Nossa finitude; por sermos seres humanos somos limitados.

- Com a idade chega os problemas físicos, a impotência diante de certas atividades que antes eram fáceis, mas que com a idade tornar-se difíceis.

- Estamos sujeitos como seres humanos a sentir fome, sono, a termos alguma fratura e tudo isto é devido nossas limitações.

- Não somos super-heróis. Não podemos atribuir assim o ficar doente como “maligno”, como se tudo isso fosse obra do inimigo.

d) Deus Deus permite circunstâncias em nossas vidas com propósitos específicos.

- Somos amadurecidos pelas experiências que passamos, e estas estão carregadas de dor e sofrimento.

- Nelas somos levados a reconhecer nossa dependência de Deus e nossa finitude.

- Como vimos existem diversas causas do nosso sofrimento. Cada família precisa buscar entender o processo que estão passando.

- Não sejamos precipitados em nossas palavras.

- O próprio Jó disse: "Quem é este que sem conhecimento obscurece o conselho? Por isso falei do que não entendia; coisas que para mim eram demasiado maravilhosas, e que eu não conhecia." (Jó 42:2).

- Ao conhecer a origem dos sofrimentos podemos nos posicionar diante deles, inclusive, buscando discernimento para como resolvê-los.
II – PROPÓSITO DE DEUS COM O SOFRIMENTO

a) Somos aperfeiçoados (aprendizado) - A palavra de Pedro é que o sofrimento é uma ferramenta usada por Deus para nosso aperfeiçoamento.

- Aprendemos com ele. (1 Pe 1..5).

- Muitos enxergam apenas pontos negativos nas circunstâncias difíceis e nas dores que enfrentam.

- Quantas famílias estão marcadas por pessoas que murmuram e não aceitam o que estão passando.

- Philip Yancei afirma que, assim como a dor física, tem aspectos positivos, a dor “não física” (sofrimento) também tem seus aspectos positivos. Eles nos ajudam a reconhecer nossa limitação. Nos ensina que dependermos de Deus.

- As famílias não podem ser pegas por uma “teologia” perigosa que afirma que o cristão na pode sofre.

- A vida cristã é feita de muitas vitórias, mas também há dores e sofrimentos. As famílias não estarão isentas de problemas.

- A diferença de uma família cristã é a forma de vê-los e de encará-los.

b) Propósito do sofrimento: Punição ou Correção?

- Herman Hoeksema afirma que o motivo da punição é a justa ira de Deus, mas, o motivo da correção é o seu amor eterno.

- Não pode-se esquecer que “Deus corrige a quem ama” (Hb 12:6).

- Herman afirma ainda que há diferença quanto ao propósito de ambas. Enquanto a punição é a vindicação da justiça de Deus, a correção é para nossa instrução e santificação (Hb 12:10).

- Quando alguém enfrenta dor e sofrimento não deve murmurar e achar que é o pior dos perdidos.

- Há propósitos eternos que muitas vezes não são compreendidos (Jó 42:1). No entanto, entendemos que “todas as coisas cooperam para o bem dos que temem ao Senhor” (Rm 8:28).

- Quanto ao resultado o autor encerra apresentado os resultados: A punição leva a morte eterna, a correção à glória eterna.

c) Deus nos prova – Dt 8:2,3

- O texto de Deuteronômio fala do cuidado de Deus para com a vida do povo de Israel.

- Durante o tempo em que viveram no deserto Deus não deixou com que vivem de forma indigna, pelo contrário, foi Deus provedor para eles.

- No entanto, o texto Bíblico afirma “E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor teu Deus tem te conduzido durante estes quarenta anos no deserto, a fim de te humilhar e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Sim, ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que nem tu nem teus pais conhecíeis; para te dar a entender que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor, disso vive o homem." (grifo nosso).

- Esta experiência leva-nos a olhar para o que disse o escritor Tiago: "Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma." (Tg 1.2-4).

III - ATITUDES DO CRISTÃO DIANTE DO SOFRIMENTO

a) Atitude negativas diante do sofrimento
- Muitos famílias cristãs não compreendem o que estão passando, sem discernimento murmuram e até enfraquecem na fé.

- Os espias que foram enviados por Moisés para espiar a terra provocaram o povo e eles murmuraram. O resultado disso foi a destruição dos espias (Nm 14:36,37).

- Diante das dificuldades muitas famílias começam a murmurar e trazem sobre si mesmos a destruição.

- O resultado de uma visão errada acerca do sofrimento pode levar muitos a cometerem erros que trarão conseqüências desastrosas para sua vida.

- Ainda que o deserto fosse difícil, e que a entrada em Canaã representa-se “algo” complicado, a atitude dos 10 espias deveria a de confiar em Deus.

Veja abaixo uma lista de atitudes erradas diante do sofrimento:
1. Ver a vida de forma pessimista - “Tudo dá errado pra mim”; “A minha vida não presta”.

2. Falta de fé - “Não tem jeito para mim”;

3. Fugir dos problemas – Os problemas existem e a diferença não está em quem tem ou não problemas, mas em como cada um os vê.

4. Deixar o tempo passar. “não vou fazer nada, com o tempo isto passa”

5. Colocar a culpa em Deus

6. Colocar a culpa no próximo

b) Atitudes positivas diante do sofrimento
1. Fé - A família deve andar por fé (Hq 2:4).

- Isto significa que confia nas promessas do Senhor Deus e não ainda pelo que “vê”.

- Ainda que as circunstâncias sejam desfavoráveis o cristão deve confiar em Deus, pois seu cuidado estará sempre conosco, ainda que tenhamos que passar pelo deserto, enfrentar a “fornalha” ou termos que encarar o “leões” da vida.

2. Alegria e Perseverança

– Paulo diz aos Romanos: “alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;" (Rm 12.12).

- Não devemos nos curvar diante do sofrimento. Nossa alegria vem da esperança coloada em nós por Deus. Além disso, podemos ter a certeza que não durará para sempre.

- A última palavra é de Deus e seu propósito não é que fiquemos sofrendo. Mais uma vez podemos usar as palavras do apóstolo Pedro (1:5) “ somos guardados, mediante a fé, para a salvação”.

- O fim é alcançarmos a salvação, e Deus tanto reservou a salvação para nós, como também está nos preparando para desfrutarmos plenamente dela no porvir.

- Fiquemos com a mensagem de ânimo das Escrituras: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”.

3. Submissão - Muitos diante da dor e sofrimento se rebelam contra Deus.

- Seus corações estão tão fechados que não se abrem para compreenderem o quanto Deus os ama.

- Submissão significa entender que de alguma forma o que passamos não é resultado do fatalismo ou do determinismo, pois isto indicaria que existem forças que atuam independente de Deus.

- Submeter é aceitação voluntária e consciente de que se tivermos que passar por alguma dor isto não será motivo para rebelar contra Deus e nem deixar de acreditar em sua misericordia e graça.

Conclusão:

- O apóstolo Paulo diz: “Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada.”

- O que Deus tem para seus filhos é inefável e grandioso. Porém, ao longo dessa caminha “passageira” aqui na terra, devido aos problemas que enfrentamos, famílias são levadas a desistir.

- Sua família pode viver dias difíceis, porém, isto não significa que estão abandonados. As situações de dor e sofrimento devem levar a família a buscar em Deus a solução.

- Mesmo diante das adversidades não cabe atitudes como o da murmuração, da incredulidade ou do abandonar Deus.

- Os grandes heróis da Fé passaram por grandes provações. Sofreram. A dor ensinou-lhes. O sofrimento não fez com que perdessem a fé, ainda que houvesse momentos de abalos. Cresceram diante de Deus. Enfrentaram seus problemas e dilemas, mesmo não tendo todas as repostas.

- Preferiram continuar crendo em Deus, do que viver pelas circunstâncias.

- Fiquemos com a palavra do Profeta Habacuque: Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado. todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é minha força, ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos. (Hq 3:17-19)


AUTOR: Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior


++++++++++++
++++++++++++
::::::::::::::::::::::::::
++++++++++++

VIDA ESPIRITUAL
DO CASAL



Texto:

"E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus , em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor do Senhor" Ef 55:18-21

- Quando falamos de vida espiritual nos referimos a uma obra que é realizada pelo o Espírito Santo de Deus. (Jo 3:3).

- Conforme o profeta Ezequiel profetizou Deus estaria trocando o coração duro do homem por um coração de carne e poria neles seu Espírito (Ez 36:26).

- Assim, podemos entender que é o Espírito de Deus quem aplica a obra redentora no homem (arrependimento, fé, regeneração, santificação – cf. Jo 16:8; Rm 5; 8:26 ). Somente os que andam no Espírito vivem a plena vida que Cristo tem a oferecer aos que o aceitam como Salvador.

- A forma como o casal conduz sua vida espiritual determina assim seu grau de maturidade e comunhão com Deus.

- Percebemos que apesar de viverem debaixo do mesmo teto, muitos casais estão vivendo níveis diferentes na vida espiritual o que tras em muitos momentos dificuldades no relacionamento e nas atividades cotidianas.

- As prioridades passam a ser diferentes, o modo de encarar a vida também tem outro sentido. Além disso, nota-se que não há a preocupação do cônjuge Ter uma experiencia profunda com Deus.

- Uma vida espiritual precisa ser marcada então pelo enchimento do Espírito, e é com base no que o apostolo Paulo nos falou é que vamos abordar então sobre a vida espiritual.

- Enchei-vos do Espírito, esta é a exortação.
Vejamos o que Paulo quer nos ensinar com isto. Antes porém, é bom que considere-se quatro ressalvas:

1. Ser Cristão verdadeiro não é uma garantia de que o casamento e a vida familiar darão automaticamente certo.

2. Ser cristão comprometido com os padrões bíblicos pode trazer dificuldade ainda maiores ao casamento.

3. Casamento e criação de filhos não são assuntos á parte de nossa fé.

4. O conceito bíblico de casamento é único e diferente de todos os demais.

- Assim podemos entender que não é somente ser crente que as situações se resolverão da noite para o dia.

- Na realidade passamos por um processo, onde o Espírito Santo vai trabalhando em nossas vidas nos preparando para a eternidade (II Co 3:18).

- Neste caminhar necessitamos várias vezes de nos enchermos do Espírito do Senhor.

I – COMO CASAL SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO?

- Para o apóstolo Paulo existem três passos necessários para obedecermos ao imperativo:

- Louvando ao Senhor de Coração v.19;

- Agradecendo por tudo ao Senhor v.20 e Sujeitando-nos uns aos outros no temor de Cristo v.21.

- Ser cheio do Espírito Santo não é apenas falar em línguas. O crente cheio do Espírito Santo demonstra na sua vida “marcas” que comprovam sua vida transformada.

Assim sendo, ser cheio do Espírito Santo inclui:

a) Uma vida de louvor a Deus v.19

- Em Jo 4:23 temos a orientação sobre a verdadeira adoração. Adorar a Deus deve ser uma atitude baseada na verdade e conduzida pelo Espírito. Somente aqueles que tem o Espírito podem verdadeiramente adorar a Deus.

- Desta mesma forma, o louvor a Deus deve ser uma atitude conduzida pelo Espírito. Não sou eu quem determino como devo louvar a Deus. É Deus que estabelece critérios sobre o louvor que Ele recebe.

- Deus é digno de louvor – 1 Cr 16:25;
- O louvor Deve estar continuamente em nossa vida Sl 34:1;
- Devemos estar na presença de Deus com louvor Sl 100:4;

- Deus deve ser louvado pelo que é – Sl 147:1;

- Devemos sermos como crianças a fim de que nosso louvor seja autêntico e sincero diante de Deus – Mt 21:16.

- Não podemos esquecer que também devemos oferecer sacrifícios de louvor (Hb 13:15), ou seja fruto dos nossos lábios que confessam que Cristo é Senhor.

b) Uma vida de gratidão a Deus v.20

- Um coração marcado pelo Espírito de Deus é grato. Sabe reconhecer as dádivas que vem de Deus e também aquilo que as pessoas fazem por ele.

- No mundo, onde o egoísmo e o individualismo impera, a gratidão é cada vez mais rara.

- Devemos aprender a sermos agradecidos (Cl 3.15,16).

- Ser grato a Deus é saber agradecê-lo provisão (Mateus 6:11,30-34), pela proteção sobre sua vida (Sl 91:1; Ed 8:31) pela salvação (Rm 3:24,25).

c) Uma vida de submissão a Deus e ao próximo v.21

- Paulo escrevendo aos Filipenses diz: nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; (2.3).

- Este texto é bem claro em dizer que o crente deve aprender a se submeter ao próximo. Esta submissão não é escravidão. Ela representa o ato de servir, de não querer ser mais que o outro, de ver no próximo alguém semelhante.

- É o Espírito de Deus que nos capacita a viver assim. Portanto, é preciso abrir “espaço” em seu coração para que cheio do Espirito de Deus você seja capacitado a respeitar e submeter ao próximo.

- Onde praticamos esta sujeição mútua?

- Na igreja v. 18–21;
- Na Família 5:22 a 6:4;
- No trabalho 6:5-9

- Observe que aqui o apóstolo afirma que uma vida cheia do Espírito é marcada pelo louvor, a gratidão e pela sujeição mútua. Entendemos então que ser cheio do Espírito não é apenas falar em línguas , ou pregar bem ou orar fervorosamente.

- A atuação do Espírito de Deus na vida do casal pode se evidenciar nestes pontos apresentados por Paulo e são características que demonstram a importância de um caráter transformado por Deus.

- Portanto, o ensino de Paulo sobre o casamento e a família (e também sobre nossos relacionamentos no trabalho) é a continuação explicativa do mandamento “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”, que por sua vez é uma explicação do mandamento principal enchei-vos do Espirito.
II – FAMÍLIA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO

- Paulo em Ef 5:22 ss esta tratando com maridos, mulheres , pais e filhos quanto aos seus deveres mútuos, passando-lhes instruções que devem controlar esses relacionamentos.

- Toda exortação de Paulo quanto ao procedimento do casal esta baseada num imperativo: ser cheio do Espirito.

- Assim, no relacionamento familiar saudável deve o Espirito de Deus Ter primazia para que assim haja a plenitude da ação de Deus.

- Lares onde o Espirito de Deus não tem liberdade são marcados por tristezas, problemas no relacionamento, visto que suas vidas estão vivendo longe do verdadeiro conhecimento de Deus.

- Tratando especificamento da questão da sujeição na família podemos verificar as seguintes questões:

- O amor do marido pela esposa, seguindo o modelo de Cristo é sacrificial;
- Santifica e cuida da esposa
- É sublime porque é figura do amor de Cristo pela igreja


- Quem alcança estas atitudes demonstra Ter na sua vida o Espírito de Deus e cumpre o mandamento da sujeição.

- Em resposta a uma atitude madura e provedora do homem Paulo demonstra que a mulher tem como resposta o respeito e a submissão ao esposo.

- É importante ressaltar que num mundo onde os papeis (não as pessoas) de homem e mulher não são mais caracterizados, a bíblia tras uma forte enfase sobre como devem andar enquanto casal que possuem vida espiritual.

- Esta atitude promovera o lar e trará oportunidades de crescimento tanto nas áreas do sentimento como também na fé.

III - IMPLICAÇÕES DE UMA VIDA ESPIRITUAL DO CASAL

- Uma vida do casal onde ambos são cheios do Espirito e procuram viver nessa dimensão tras diversos beneficios:

a) Proporciona a ambos a oportunidade de amadurecerem juntos na fé.

b) Representa a formação de uma herança espiritual para sua família (filhos)

c) Fortalece o relacionamento

d) Cria ambiente para ministrarem um ao outro (oração, consolo, exortação, ensino, etc...).

e) É um discipulado permanente no lar (um aprendendo com o outro) a como seguir a Cristo

f) Renova as forças da casal nas diversas áreas de suas vidas.

Conclusão:

- A palavra enchei-vos esta no tempo verbal que indica três coisas importantes.

- Esta no imperativo passivo – isto indica que a ação de encher não é nossa e sim do Espirito de Deus. Cabe-nos abrir nosso coração para que o Senhor nos encha.

- É uma atitude de disposição que Deus exige de nós.
Esta no plural – ou seja, é para todos serem cheios

- É uma ordem (imperativo) isto indica que não é uma opção e sim uma ordem.

Cabe a você hoje abrir seu coração pois Deus quer te encher.


AUTOR: Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior



++++++++++++++
++++++++++++++
++++++++++++++

SEIS PRINCÍPIOS

INDISPENSÁVEIS

PARA SE TER UM

CASAMENTO FELIZ


1 - MATURIDADE

- O período de ajustamento no matrimônio, considerado geralmente como três primeiros anos, produzirá naturalmente, conflitos de interesses.

- Nos primeiros vinte e poucos anos de vida, as pessoas funcionam como engrenagens independentes. Tomam decisões puramente na base do que querem ou do que é bom para elas.

- Após o casamento, dois indivíduos independentes devem aprender a viver juntos.

- A engrenagem sincronizada no casamento, é o altruísmo. Se duas pessoas maturas se unem pelos laços do casamento, seu espírito de desprendimento fará com que se ajustem com muita felicidade .

- Se são imaturas e egoístas, seus primeiros anos de casamento serão repletos de "arranhados barulhentos". "Uma animada rusga é boa para maioria dos casamentos.

- Pela graça de Deu, duas pessoas maturas podem encofar suas áreas de conflito, discuti-las de resolvê-las pela obediência aos ensinos da palavra de Deus.

- Não casa no hábito de esconder seus problemas sob o tapete. Encare-os e resolva-as no ESPÍRITO. Na realidade, não há nada errado em marido e mulher terem um conflito de interesses.

- Na verdade, cada caso é um teste de maturidade. O cônjuge que exigir "seu próprio caminho", estará enveredando para uma colisão que trará muita infelicidade para ambos.
- Na economia de Deus, nunca se consegue nada recebendo. O caminho para se Ter alguma coisa é dar.

- O casamento em deus deverá ser um acordo em que cada um entre com cem por cento; Isto é, você deverá se casar com a idéia de que estará dando todo de si, com o propósito de fazer seu cônjuge feliz sem nada esperar de volta.

Como vencer o egoísmo: Encare o egoísmo como um pecado!
- Não tente esconder o seu egoísmo atrás de uma sucesso acadêmico e econômico.
- Confesse seu egoísmo como um pecado. Peça a Deus para tirar de você o hábito de ser egoísta.

- Repare o dano feito pelo seu egoísmo. Repita essa fórmula todas as vezes que fizer ou disser alguma coisa sob a motivação do egoísmo.
2 - SUBMISSÃO:

- Nenhuma organização pode funcionar devidamente se possui duas cabeças. Isso é particularmente verdadeiro no lar. Um a dos maiores obstáculos para um lar feliz, hoje em dia, é falsa noção de que a mulher não tem de submeter-se ao marido.

- Quando a submissão deixa uma lar, a felicidade também se vai. Gostando ou não, a submissão é um mandamento de deus, e sua recusa em cumpri-lo é um ato de desobediência, Toda desobediência é pecado; logo, ela não pode esperar a benção de Deus em sua vida, a menos que deseje obedecer a Ele.

"E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará" (Gênesis 3:16)

"Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja; sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos" (Efésios 3:1,2)

"semelhantemente vós, mulheres, sede submissas a vossos maridos ; para que também, se alguns não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres, considerando a vossa vida casta, em temos" (I Pedro 3:1,2).

- Deus nunca manda as pessoas fazerem o que é impossível ou que não é bom para elas. Num ato de fé , a mulher cristã deve a aceitar que, para sua felicidade permanente e a do marido , é essencial que ela seja obediente a deus e se coloque em sujeição a seu marido.

3 - AMOR:

- A terceira chave que garante a felicidade de um casamento é o amor. Provavelmente nenhuma outra palavra é mais incompreendida do que esta.

- A maioria das pessoas, hoje confundem simpatia ou compaixão com amor. Amor é uma das experiências mais comuns do homem e uma das mais difíceis de se definir.

- Webster define-o como "um sentimento de forte ligação pessoal, induzido por uma atraente compreensão, ou por laços de afinidade; afeição ardente".
"O amor é muito paciente e bondoso, nunca é invejoso ou ciumento, nunca é presunçoso nem orgulhoso. Nunca é arrogante, nem egoísta, nem tampouco rude. O amor não exige que se faça o que ele quer. Não é irritadiço, nem melindroso . Não guarda rancor e dificilmente notará o mal que outros lhe fazem. Nunca está satisfeito com a injustiça, mas se alegra quando a verdade triunfa. Se você amar alguém, será leal para com ele, custe o que custar. Sempre acreditará nele, sempre esperará o melhor dele, e sempre se manterá em sua defesa". I Coríntios 13(VSS. 4-7)

- Henry Drummond, num livro "A maior coisa do mundo", aponta as nove características do amor, encontradas na passagem citada: paciência, bondade, generosidade, humildade, cortesia, altruísmo, domínio próprio, franqueza e sinceridade. Estude essas características e examine o seu amor, para ver se satisfaz os padrões de Deus.
- Erich Fromm em "A Arte de Amar" decompõe o amor em: Reconhecimento, consideração, Cuidado e respeito.
4 - COMUNICAÇÃO
- Jovens que se amam raramente têm problema de comunicação! Parecem ser capazes de conversar sobre tudo. De algum modo, essa capacidade quase sempre desaparece após se casarem. A perda de comunicação é, na maioria das vezes, um problema para os casais.

- Se não é perda de comunicação, é comunicação errada. "O mais importante ingrediente num casamento é a capacidade de se comunicar. O casais que podem discutir seus problemas, libertar-se de suas hostilidades, beijar-se fazer as pazes, constroem uma oportunidade excelente de caminharem juntos para a velhice".

- O Dr. Henry Brand aponta as três armas que as pessoas mais usam para se defender.
- A primeira arma é a explosão. Todas as vezes em que se diz a uma pessoa os seus defeitos, em vez de encará-los honestamente, sua reação natural é explodir. Nenhuma nudez é comparável à nudez psicológica.

- A segunda arma de autodefesa que impede a comunicação, são as lágrimas. Essa arma é usada na sua maioria pelas mulheres, mas algumas vezes, um homem melancólico ou sangüíneo fará uso dela. O marido aprende a distinguir entre as lágrimas de emoção de sua mulher, das do cansaço, alegria e auto-piedade.

- A terceira arma é o silêncio. Silêncio é uma arma que muitos dos cristãos mais velhos aprendem. Silêncio, é um instrumento muito perigoso. É perigoso no sentido que rapidamente sufoca a comunicação e se torna um fardo pesado, física e espiritualmente, sobre a pessoa.

- Seria bem melhor se duas pessoas pudessem aprender a comunicar livremente suas diferenças, evitando não somente os problemas, mas também seus efeitos colaterais. Lembre-se de que toda a raiva, zanga e ódio entristece ao Espírito Santo (Efésios 4:30). Nenhum homem pode andar no Espírito e ficar zangado com a esposa (Gálatas 5:16).

- Como se comunicar: Ore para ter sabedoria de Deus e para estar cheio do Espírito Santo.
- Planeje um momento que seja adequado para seu cônjuge.
- Fale a verdade com amor - em palavras bondosas, diga exatamente o que está em seu coração. Certifique-se de que seu amor é ilegal à sua verdade.

- Não perca a paciência. Casais que não levantarão a voz um para o outro. Sob a ação da raiva, geralmente dizemos mais do que pretendíamos, é em geral esse excesso é ferino, cruel e desnecessário.

- Espere por uma reação. Não se surpreenda se a sua comunicação encontrar reação explosiva.

- Entregue o problema a Deus. Uma vez que tenha falado a seu cônjuge, você já fez tudo o que podia fazer, humanamente falando.

- Duas Expressões de Ouro: Desculpe, Todo mundo comete erros.
- Eu te amo é absolutamente necessário, a todo ser humano, ser amado. Quanto mais o seu cônjuge o ama, mais ele aparecia que você expresse o seu amor. Diga-o de maneira expressiva e com freqüência.

5 - ORAÇÃO:

- Ora ao Pai é o melhor meio de comunicação entre duas pessoas, essa participação amplia o vínculo comum que existe entre marido e mulher.
- Alguma coisa sucede quando, humildemente, nos ajoelhamos juntos; isso é emocionalmente benéfico para ambos. A maioria dos casais reconhece que se erguem da oração mais genuinamente entrelaçados do que antes dela. Experimente, e veja.

- Quem deve iniciar a oração? Geralmente o marido que é o cabeça do lar; mas , se ele não o fizer, a esposa pode fazê-lo.
- Não esperem até que as complexidades da vida os levem a se ajoelhar. Se esperem até que alguma dificuldade apareça para orarem juntos, descobrirão que quando mais necessitam de Deus, menos O conhecem. Aprendam a conhecê-lo juntos, em oração, agora, de tal maneira que, quando a pressão da vida aumentar, vocês possam orar a alguém que já conhecem tão bem quanto a um amigo íntimo.
6 – JESUS CRISTO
- Duas coisas iguais a uma terceira são iguais entre si é um princípio geométrico bem conhecido. Se duas pessoas estão bem relacionadas de modo pessoal com Jesus Cristo quer ser mais bem relacionadas uma com a outra, Jesus Cristo quer ser o seu SENHOR e SALVADOR como indivíduo . Além disso, ele deseja ser o SENHOR do seu casamento. Se ele o for , o lar que você está construindo experimentará paz e benção permanentes.

- Viver de acordo com Sua vontade, é coisa mais importante que pode fazer para assegurar um casamento feliz. Você poderá então dizer:

- Cristo é o cabeça desta casa, Hóspede invisível em todas as refeições, Ouvinte silente de todas as conversas. Sem dúvida, Cristo é a maior chave para a felicidade conjugal. Se você pedir a Deus para ajudá-lo a usar essas chaves, em sua vida e no seu casamento, seu lar será cada vez mais abençoado e feliz.


AUTOR: Pr. Natanael Ribeiro

+++++++++++++++
+++++++++++++++
++++++++++++++
++++++++++++++


Motivados para motivar


Introdução

- Para que sejamos capazes de motivar outros, é preciso sermos líderes de visão, líderes de ação, líderes com capacidade de motivação.

- O livro de Neemias traz uma narrativa clara do que seja ser um líder assim. O episódio acontece no ano 600 a.C.. Babilônia havia levado cativo os judeus. Os que ficaram ficaram na miséria. Após anos, Neemias é convocado a restaurar os muros de Jerusalém. Eles ficaram cativos cerca de 70 anos. Os seus símbolos de fé foram destruídos, o templo de Jerusalém.

- A primeira pergunta que Neemias faz é : como está Jerusalém?

- Jerusalém fora uma cidade que Deus elegeu como a cidade que simbolizava salvação. Neemias nesse relato, representa um líder em forma de rosa, um líder que vai se abrindo aos poucos. Ele era copeiro do Rei, mas isso não impediu que ele desse continuidade á sua visão, ao seu sonho. Pelo contrário ele viu ali, um oportunidade de agir em favor do seu povo e passou da visão a ação e conseqüentemente a uma grande capacidade de motivação.

LIÇÕES A APRENDER COM NEEMIAS:

1 - O QUE FAZ UM LÍDER DE VISÃO? (Neemias 1)

• Ele se preocupa com os perdidos, com os seus, com os outros.

• Ele enxerga as necessidades do povo e chora por elas.

• Ele não fica só no lamento, ele coloca as necessidades diante do Senhor.

• Ele identifica-se com o povo, reconhecendo suas falhas, sua culpa na situação de miséria e humilha-se diante do Senhor.

• Ele coloca-se à disposição do Senhor. "DISPÕE-SE" a fazer alguma coisa.

• Ele não fica preso as suas limitações ou condições desfavoráveis, ele apenas oferece-se ao Senhor.

2 - O QUE FAZ UM LÍDER DE AÇÃO? (Neemias 2.1-10)

• Ele age com o que tem nas mãos, com a oportunidade que lhe aparece à frente.

• Ele não esconde o que move o seu coração, vence o medo e compartilha a sua visão.

• Ele não faz nada, sem antes orar ao Senhor.

• Ele consegue o que deseja, reconhecendo que só foi possível porque a boa mão de Deus é com ele.

3 - O QUE FAZ UM LÍDER COM CAPACIDADE DE MOTIVAÇÃO? (Neemias 2.11-20)

• Ele primeiro busca conhecer o que desmotiva as pessoas. Não age movido pelo impulso ou pelo que presume conhecer a respeito das pessoas. Ele gasta tempo estudando o estado de espírito das pessoas.

• Ele esclarece a situação e com essa atitude o oferecimento de fatores de motivação interrompe o processo de desmotivação.

• Ele compartilha suas experiências com Deus.

• Ele informa as atitudes já tomadas, como iniciou sua ação.

CONCLUSÃO

RESULTADOS NA VIDA DO LÍDER DE VISÃO-AÇÃO-MOTIVAÇÃO: (Neemias 2.18-20; 4.6; 6.16)

• O povo também se dispõe.

• O povo também fortalece as mãos para a boa obra.

• O povo se enche de coragem e também reconhece que todo o êxito da obra advêm do Senhor.

• A obra é feita porque o povo tem ânimo para trabalhar.

• As pessoas que antes não acreditavam passam a reconhecer o que pode realizar uma pessoa, quando esta está sob a intervenção de Deus.

- PARA MOTIVAR OUTROS É PRECISO ESTAR APAIXONADO PELO QUE FAZEMOS. É PRECISO AMAR. É PRECISO APRENDER COM O MESTRE DOS MESTRES O QUE SIGNIFICA VERDADEIRAMENTE AMAR.

- TODA VISÃO SEM AÇÃO NÃO PASSA DE SONHO. TODA AÇÃO SEM VISÃO É UTOPIA. MAS, UMA VISÃO DE DEUS, COM AÇÃO, PODE MUDAR O MUNDO". George Barna.


AUTORA: Rosângela Motta
Professora, psicopedagoga e educadora religiosa da Igreja Batista em Moça Bonita (RJ).



=============

=============