quinta-feira, 28 de janeiro de 2010


QUALIDADES
ESSENCIAIS
DE UM LÍDER


- O modelo de treinamento adotado por Jesus aos discípulos e depois aos discípulos destes, era baseado na experiência prática à partir de princípios aplicados às experiência do dia-a-dia.

- Um dos métodos utilizados é o da resistência (Lc 10:17-24) onde o erro é parte integrante do aprendizado.

- A autoridade e a responsabilidade eram delegadas à medida que os discípulos iam aprendendo.

- Deus adapta o chamado conforme as características de quem é chamado.

- O texto de 1 Tm 3.2-7 relata todas as qualidade que um homem e uma mulher de Deus, quando colocados na liderança devem ter ou buscar.

- Uma vez lider, somos desafiados a desenvolver permanentemente nossos dons e talentos.

Veja quais as principais qualidades que devem ser desenvolvidas pelo líder:

a) DISCIPLINA a disciplina permite conquistar a nós mesmos.

- Discípulo e disciplina vêm da mesma raiz.

- O líder deve aprender a submeter-se voluntariamente a outros e a submeter-se a si mesmo.

- A autodisciplina só é possível se você é submisso a ser disciplinado.

- Muitos missionários abandonam o campo por ser incapaz de perseverar no propósito. É preciso aprender a obedecer.

- Quem lidera trabalha enquanto outros dormem, não têm hábitos desleixados, e assumem sem relutância tarefas desagradáveis que outros evitam.

- O líder cheio do Espírito Santo não relutará diante dos desafios. Para exercer a disciplina é preciso ter disposição tanto para dar quanto para receber.

b) VISÃO quem tem visão, vê mais longe que os demais; vê pela fé, deve ser capaz de traduzir os acontecimentos diários numa visão de Deus.

- Quem tem visão consegue falar e descrever aquilo que para os outros é apenas uma miragem distante.

- A visão inclui a previsão e visão interna de si mesmo. O líder precisa ter claro de que maneira as decisões propostas afetarão as gerações presentes e futuras.

- Devemos olhar sempre para o alvo; ao olhar para o alvo, e ainda que as circunstâncias não o apontem, continuar firme.

- Visão inclui otimismo e esperança. Jamais um pessimista tornou-se um líder. O otimista vê uma oportunidade em cada dificuldade.

- O homem prudente só tem uma função: ajudar o líder a ser mais realista, sem ser realista demais, evitando matar os sonhos.

- A visão comunica espírito de aventura, correndo riscos calculados, valorizando o passado e percebendo novos horizontes.

c) SABEDORIAé capacidade de fazer uso do conhecimento.

- É discernimento espiritual. A maioria das pessoas é sábia depois que o evento ocorreu.

- Vemos que a sabedoria foi considerada uma qualidade essencial para a escolha dos apóstolos em Atos 6.3 e Paulo sempre orava para que os crentes fossem cheios de sabedoria (Cl 1:9).

- A sabedoria dá ao líder o equilíbrio necessário e o livra da extravagância e da excentricidade.

d) DECISÃOa diferença entre um visionário e um líder é sua capacidade de decisão, geralmente, firme e rápida.

- A decisão deve ser baseada em premissas sólidas; ao estar seguro da vontade de Deus, o líder tem coragem suficiente para queimar as pontes atrás de si, com disposição de assumir a responsabilidade pelo sucesso ou pelo fracasso da decisão.

- Abraão e Moisés tomoram grande e irreversíveis decisões.

- O Apóstolo Paulo, logo após sua conversão, faz a primeira pergunta: "que farei, Senhor?" (At 22.10).

- Adiar e vacilar quanto se tem que tomar uma decisão, são fatais a uma liderança. Na maioria das decisões o problema fundamental não é tanto o que se deve fazer, mas, estar preparado para viver as conseqüências.

e) CORAGEM O líder deve ter coragem moral e física, isto é enfrentar a dificuldade sem medo, sem depressão mental e com firmeza.

- Paulo, em 1Co 2.3 e 2Co 7.5, fala das suas fraquezas e das tribulações que enfrentou.

- A verdade é que todos nós temos medo, razão pela qual a palavra de Deus nos instruir a ter bom ânimo para vencer o mundo.

- Deus transforma o medroso numa pessoa de coragem, veja João 20.19 e At 4.13. A presença do Espírito Santo enche-nos de coragem (2 Tm 1:7); a coragem de um líder se revela quando está disposto a enfrentar condições desagradáveis, sem desesperar e perder a cabeça.

- O rei Ezequias, diante do cerco militar, fez todas as coisas que precisavam ser feitas, mas gastou maior tempo em edificar a moral das pessoas, fortalecendo-os e isso fez a diferença na hora final (2Cr 32:7-8).

f) HUMILDADENo mundo material não é uma qualidade ambicionada; para Deus, ocupa lugar de destaque.

- O líder deve buscar a aprovação do Senhor e não dos liderados.

- João Batista foi exaltado nos céus por sua declaração em Jo 3:30 (importa que eu diminua para que Ele cresça).

- Essa qualidade deve estar sempre em desenvolvimento.

- Paulo, após 10 anos de conversão, declarava ser o menor dos apóstolos (1Co 15.9); alguns anos depois, declarou ser o menor de todos os santos (Ef 3.8) e no fim da vida, concluiu ser o principal dos pecadores (1Tm 1.15).

g) INTEGRIDADE e SINCERIDADEPaulo exibiu seus fracassos e seus sucessos e mesmo antes da conversão ele era íntegro naquilo que acreditava e fazia.

- Simplicidade é transparência de caráter e integridade pessoal significa sinceridade em prometer, fidelidade no cumprimento do dever, correção nas finanças, lealdade nos serviços e honestidade na palavra.

Conclusão:

Peçamos a graça e a misericórdia do Senhor para nos capacitar com todos estes dons!


Fonte: Missionário Elton Batista de Melo



===============

==============

============

A COMUNHÃO
NA IGREJA
I JOÃO 1.3



- Existem pessoas que estão longe de Deus e longe das pessoas.

- Outras estão perto de Deus e longe das pessoas.

- Outras estão longe de Deus e perto das pessoas.

Devemos estar perto de Deus e perto das pessoas.

I. COMUNHÃO COM DEUS

a) Enoc - Gn 5.24

b) Noé - Gn 6.9

c) Abraão - Gn 17.1

d) Moisés - Ex 33.11-23

e) Robert McKeyne, David Brainerd, Finney

II. COMUNHÃO COM O FILHO

a) Somos um só espírito com o Senhor - I Co 6.17

b) Ele habita em nossos corações - Ef 3.16-19

c) Ele ceia conosco - Ap 3.20

d) Figuras: NOIVO-NOIVA; VIDEIRA-RAMOS; CABEÇA-CORPO

III. COMUNHÃO COM O ESPÍRITO SANTO

a) Fomos batizados no corpo pelo Espírito e bebemos do mesmo Espírito - I Co 12.13

b) Comunhão do Espírito - II Co 13.13

c) Fp 2.1

IV. COMUNHÃO COM OS SANTOS

a) É o modo natural de viver daquele que tem um encontro com Jesus - At 2.42,46

b) Para ter comunhão com os irmãos, é preciso andar na luz - I Jo 1.7

c) Exige esforço conjunto - Ef 4.15,16

d) Exige correção de pecados - Ef 4.25-32

e) Envolve socorro em coisas materiais - I Jo 3.17; Rm 12.13; II Co 8.4; Gl 2.10; At 11.29,30.

V. MUTUALIDADE DA COMUNHÃO

a) Somos membros uns dos outros - Rm 12.5

b) Amai-vos cordialmente (filostorgoi) uns aos outros - Rm 12.10

c) Preferindo-vos em honra uns aos outros - Rm 12.10

d) Tende o mesmo sentimento uns para com os outros - Rm 12.16; 15.5

e) Acolhei-vos uns aos outros como também Cristo nos acolheu - Rm 15.7

f) Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo - Rm 16.16

VI. QUANDO A COMUNHÃO NÃO É RECOMENDADA

a) Quando as amizades são com pessoas ímpias - Sl 1.1-3

b) Quando a outra pessoa se diz crente, mas não vive como tal - I Cor 5.6-11

c) Quando a outra pessoa tem uma vida comprometida com práticas de pecado - Ef 5.5-14; II Co 6.14

d) Quando a outra pessoa não tem cuidado com a língua - I Co 15.33; Pv 20.19

e) Quando a outra pessoa resiste ouvir e obedecer a Palavra de Deus - II Ts 3.14; Pv 13.20

f) Quando a outra pessoa é semeadora de contendas - Pv 6.16-19

CONCLUSÃO

Fp 2.1-5.


AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes.

====================