domingo, 20 de junho de 2010


A FAMÍLIA E
O SOFRIMENTO


Texto:

"que pelo poder de Deus sois guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo; na qual exultais, ainda que agora por um pouco de tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações" 1 Pe 1:5,6

- Sofrimento é um tema controvertido. Famílias estão enfrentando crises das mais diversas que provocam dor, preocupação e trazem muita tristeza.

- Como encarar então estas dores e sofrimentos?

- Como uma família que vê um de seus membros sofrimento deve agir?

- São tantas as indagações que parecem sufocar a mente que muitas vezes parece sem resposta.

- O Apostolo Pedro ao tratar sobre a vida futura do Cristão, fala de alguma coisas importantes.

- Ele afirma a proteção de Deus sobre seus filhos, uma proteção diferente do que ás vezes é pregada, e num aposto coloca o tema do sofrimento: “ainda que agora por um pouco tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações” 1 Pe 1:5.

- O próprio escritor Tiago diz: "Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma." (Tg 1:2-4).

I – CAUSA DOS SOFRIMENTOS

- O sofrimento é um grito de que existe algo errado, de que aconteceu algo que levou o homem a este estado de coisas.

- É diante das crises e sofrimentos que geralmente se pergunta os “porquês”?

- Na realidade nossa pergunta deveria ser “para quê”?

Vejamos então alguns coisas que causam o sofrimento.
a) PecadoA queda do homem trouxe consigo a própria corrupção do corpo humano.

- Em conseqüência o homem passou a enfrentar problemas que antes não possuía. Todos pecaram (3:23)

- Davi diz que em pecado foi concebido (Sl 51).

- Estes textos nos dão a ideia de que o homem distanciado de pelo pelo pecado (Is 59:2) sofre os efeitos dessa posição.

- Nossa Natureza então é descaída. Estamos fora do lugar (posição). Somente através de Jesus Cristo foi possível ao homem ser restaurado.

- Em Cristo fomos feitos novas criaturas (2 Co 5:17).

- Somente em Cristo os efeitos do pecado um dia cessarão e não haverá mais morte nem dor.... Tem-se que pensar ainda em dois tipos de pecado.

- Sofremos por causa do nosso pecado – Colhemos as consequências de nossos atos que não agradam a Deus.

- Sofremos por causa do pecado do outro. Na medida que o outro é pecador sua atitude para com o próximo tende a produzir sofrimento ao outro.

- Por isso, em nossos relacionamentos precisamos de perdão e da graça de Deus, senão nossas atitudes teriam a tendencia mais de fazer outros sofrerem

b) O inimigoA Bíblia nos informa que o alvo do inimigo é destruir (Jo 10.10)

- Ele é nosso adversário. Anda ao derredor procurando a quem possa traga (1 Pd 3.8).

- Ele tem causado grandes sofrimentos aos seres humanos. Homens e mulheres presos em seus grilhões sofrem e tem suas mentes obscurecidas.
c) Causas Naturais - Nossa finitude; por sermos seres humanos somos limitados.

- Com a idade chega os problemas físicos, a impotência diante de certas atividades que antes eram fáceis, mas que com a idade tornar-se difíceis.

- Estamos sujeitos como seres humanos a sentir fome, sono, a termos alguma fratura e tudo isto é devido nossas limitações.

- Não somos super-heróis. Não podemos atribuir assim o ficar doente como “maligno”, como se tudo isso fosse obra do inimigo.

d) Deus Deus permite circunstâncias em nossas vidas com propósitos específicos.

- Somos amadurecidos pelas experiências que passamos, e estas estão carregadas de dor e sofrimento.

- Nelas somos levados a reconhecer nossa dependência de Deus e nossa finitude.

- Como vimos existem diversas causas do nosso sofrimento. Cada família precisa buscar entender o processo que estão passando.

- Não sejamos precipitados em nossas palavras.

- O próprio Jó disse: "Quem é este que sem conhecimento obscurece o conselho? Por isso falei do que não entendia; coisas que para mim eram demasiado maravilhosas, e que eu não conhecia." (Jó 42:2).

- Ao conhecer a origem dos sofrimentos podemos nos posicionar diante deles, inclusive, buscando discernimento para como resolvê-los.
II – PROPÓSITO DE DEUS COM O SOFRIMENTO

a) Somos aperfeiçoados (aprendizado) - A palavra de Pedro é que o sofrimento é uma ferramenta usada por Deus para nosso aperfeiçoamento.

- Aprendemos com ele. (1 Pe 1..5).

- Muitos enxergam apenas pontos negativos nas circunstâncias difíceis e nas dores que enfrentam.

- Quantas famílias estão marcadas por pessoas que murmuram e não aceitam o que estão passando.

- Philip Yancei afirma que, assim como a dor física, tem aspectos positivos, a dor “não física” (sofrimento) também tem seus aspectos positivos. Eles nos ajudam a reconhecer nossa limitação. Nos ensina que dependermos de Deus.

- As famílias não podem ser pegas por uma “teologia” perigosa que afirma que o cristão na pode sofre.

- A vida cristã é feita de muitas vitórias, mas também há dores e sofrimentos. As famílias não estarão isentas de problemas.

- A diferença de uma família cristã é a forma de vê-los e de encará-los.

b) Propósito do sofrimento: Punição ou Correção?

- Herman Hoeksema afirma que o motivo da punição é a justa ira de Deus, mas, o motivo da correção é o seu amor eterno.

- Não pode-se esquecer que “Deus corrige a quem ama” (Hb 12:6).

- Herman afirma ainda que há diferença quanto ao propósito de ambas. Enquanto a punição é a vindicação da justiça de Deus, a correção é para nossa instrução e santificação (Hb 12:10).

- Quando alguém enfrenta dor e sofrimento não deve murmurar e achar que é o pior dos perdidos.

- Há propósitos eternos que muitas vezes não são compreendidos (Jó 42:1). No entanto, entendemos que “todas as coisas cooperam para o bem dos que temem ao Senhor” (Rm 8:28).

- Quanto ao resultado o autor encerra apresentado os resultados: A punição leva a morte eterna, a correção à glória eterna.

c) Deus nos prova – Dt 8:2,3

- O texto de Deuteronômio fala do cuidado de Deus para com a vida do povo de Israel.

- Durante o tempo em que viveram no deserto Deus não deixou com que vivem de forma indigna, pelo contrário, foi Deus provedor para eles.

- No entanto, o texto Bíblico afirma “E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor teu Deus tem te conduzido durante estes quarenta anos no deserto, a fim de te humilhar e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Sim, ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que nem tu nem teus pais conhecíeis; para te dar a entender que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor, disso vive o homem." (grifo nosso).

- Esta experiência leva-nos a olhar para o que disse o escritor Tiago: "Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma." (Tg 1.2-4).

III - ATITUDES DO CRISTÃO DIANTE DO SOFRIMENTO

a) Atitude negativas diante do sofrimento
- Muitos famílias cristãs não compreendem o que estão passando, sem discernimento murmuram e até enfraquecem na fé.

- Os espias que foram enviados por Moisés para espiar a terra provocaram o povo e eles murmuraram. O resultado disso foi a destruição dos espias (Nm 14:36,37).

- Diante das dificuldades muitas famílias começam a murmurar e trazem sobre si mesmos a destruição.

- O resultado de uma visão errada acerca do sofrimento pode levar muitos a cometerem erros que trarão conseqüências desastrosas para sua vida.

- Ainda que o deserto fosse difícil, e que a entrada em Canaã representa-se “algo” complicado, a atitude dos 10 espias deveria a de confiar em Deus.

Veja abaixo uma lista de atitudes erradas diante do sofrimento:
1. Ver a vida de forma pessimista - “Tudo dá errado pra mim”; “A minha vida não presta”.

2. Falta de fé - “Não tem jeito para mim”;

3. Fugir dos problemas – Os problemas existem e a diferença não está em quem tem ou não problemas, mas em como cada um os vê.

4. Deixar o tempo passar. “não vou fazer nada, com o tempo isto passa”

5. Colocar a culpa em Deus

6. Colocar a culpa no próximo

b) Atitudes positivas diante do sofrimento
1. Fé - A família deve andar por fé (Hq 2:4).

- Isto significa que confia nas promessas do Senhor Deus e não ainda pelo que “vê”.

- Ainda que as circunstâncias sejam desfavoráveis o cristão deve confiar em Deus, pois seu cuidado estará sempre conosco, ainda que tenhamos que passar pelo deserto, enfrentar a “fornalha” ou termos que encarar o “leões” da vida.

2. Alegria e Perseverança

– Paulo diz aos Romanos: “alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;" (Rm 12.12).

- Não devemos nos curvar diante do sofrimento. Nossa alegria vem da esperança coloada em nós por Deus. Além disso, podemos ter a certeza que não durará para sempre.

- A última palavra é de Deus e seu propósito não é que fiquemos sofrendo. Mais uma vez podemos usar as palavras do apóstolo Pedro (1:5) “ somos guardados, mediante a fé, para a salvação”.

- O fim é alcançarmos a salvação, e Deus tanto reservou a salvação para nós, como também está nos preparando para desfrutarmos plenamente dela no porvir.

- Fiquemos com a mensagem de ânimo das Escrituras: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”.

3. Submissão - Muitos diante da dor e sofrimento se rebelam contra Deus.

- Seus corações estão tão fechados que não se abrem para compreenderem o quanto Deus os ama.

- Submissão significa entender que de alguma forma o que passamos não é resultado do fatalismo ou do determinismo, pois isto indicaria que existem forças que atuam independente de Deus.

- Submeter é aceitação voluntária e consciente de que se tivermos que passar por alguma dor isto não será motivo para rebelar contra Deus e nem deixar de acreditar em sua misericordia e graça.

Conclusão:

- O apóstolo Paulo diz: “Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada.”

- O que Deus tem para seus filhos é inefável e grandioso. Porém, ao longo dessa caminha “passageira” aqui na terra, devido aos problemas que enfrentamos, famílias são levadas a desistir.

- Sua família pode viver dias difíceis, porém, isto não significa que estão abandonados. As situações de dor e sofrimento devem levar a família a buscar em Deus a solução.

- Mesmo diante das adversidades não cabe atitudes como o da murmuração, da incredulidade ou do abandonar Deus.

- Os grandes heróis da Fé passaram por grandes provações. Sofreram. A dor ensinou-lhes. O sofrimento não fez com que perdessem a fé, ainda que houvesse momentos de abalos. Cresceram diante de Deus. Enfrentaram seus problemas e dilemas, mesmo não tendo todas as repostas.

- Preferiram continuar crendo em Deus, do que viver pelas circunstâncias.

- Fiquemos com a palavra do Profeta Habacuque: Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado. todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é minha força, ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos. (Hq 3:17-19)


AUTOR: Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior


++++++++++++
++++++++++++
::::::::::::::::::::::::::
++++++++++++

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.