domingo, 28 de fevereiro de 2010


JESUS, O VERBO DE DEUS



- Em Jesus, Deus se vestiu de pele humana.

- Em Jesus, o mistério da encarnação trouxe Deus para dentro da nossa história.

- Em Jesus, vemos a face de Deus, pois Jesus é o intérprete de Deus, a exegese de Deus, o Verbo de Deus.

- Jesus veio para revelar Deus. Ele mesmo é Deus. Ele e o Pai são um. Quem vê a Jesus, vê o Pai.

- O apóstolo João, no prólogo do seu evangelho, abre as cortinas, acende a luz no palco da eternidade e mostra o Verbo da vida, dizendo: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus" (Jo 1.1).

Dessa passagem sublime, destacamos três verdades benditas:

1. Jesus é o Verbo de Deus porque possui os mesmos atributos da divindade

João diz: "No princípio era o Verbo…".

- Jesus é o Verbo eterno de Deus. No princípio o Verbo já existia. O Verbo não teve início.

Ele é antes do início.

Ele é o Pai da eternidade.

- Na verdade todas as coisas vieram a existir por intermédio dele. "Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele nada do que foi feito se fez" (Jo 1.3).

- O Verbo de Deus é eterno.

Ele está fora do tempo e além do tempo.

Ele é transcendente sem deixar de ser imanente.

- O Verbo de Deus não é apenas eterno, mas também, o criador do tempo. Foi ele quem no princípio trouxe à existência as coisas que não existiam.

- O Verbo de Deus não é um ser inferior a Deus.

Ele é da mesma essência de Deus.

Ele é Deus de Deus, Luz de Luz, co-igual, co-eterno e consubstancial com o Pai.

Ele possui não apenas o atributo de eternidade, mas também de onipotência, uma vez que foi o agente da criação.

Ele criou tudo do nada. Criou os mundos estelares, o vastíssimo e insondável universo com seus bilhões de estrelas.
Aquela criança deitada na mangedoura em Belém é o maior mistério da história, a própria encarnação da divindade. Jesus é Deus entre nós.
Ele é o Emanuel!

2. Jesus é o Verbo de Deus porque possui íntima relação com Deus desde a eternidade

O apóstolo João continua: "… e o Verbo estava com Deus…".

- Jesus não é apenas eterno, mas também pessoal.

- Ele não é uma energia;
- ele é uma pessoa que estava com Deus antes do início de todas as coisas.

- Na eternidade o Verbo estava face a face com Deus, em plena comunhão com Deus.

- Antes dos fundamentos da terra serem lançados, antes das estrelas brilharem nos céus, antes do sol refletir os seus raios de luz cheios de calor e vida, antes dos anjos ruflarem suas asas, o Verbo de Deus já desfrutava de plena intimidade com o Deus Pai.

- A Trindade excelsa em comunhão de amor, pelo desenrolar dos tempos eternos, antes do princípio, vivia em perfeita harmonia.

- O Filho eternamente gerado do Pai e o Espírito eternamente procedente do Pai e do Filho habitavam a eternidade e eram perfeitos e completos em si mesmos em bendita, santa e feliz comunhão.

3. Jesus é o Verbo de Deus porque ele mesmo é Deus

- João conclui: "… e o Verbo era Deus".

- O Verbo não é apenas eterno e pessoal; é também divino.

- O Jesus de Nazaré, não é apenas um grande homem ou um espírito iluminado.

Ele é o criador dos homens e a Luz do mundo.

- O meigo rabi da Galiléia não é apenas um profeta especial, ele é aquele para quem os profetas apontaram, o Messias de Deus, o Salvador do mundo.

- O infante de Belém não nasceu apenas para ser o rei dos judeus, mas ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, diante de quem todos os joelhos se dobram nos céus, na terra e debaixo da terra.

- Jesus não é apenas uma divindade entre os muitos deuses dos povos.

Ele é o Deus bendito, que se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade.

- Os deuses dos povos são ídolos mortos, criados pela imaginação dos homens , mas Jesus é o Deus vivo e soberano, que por amor a nós se encarnou.

- Para cumprir o propósito eterno do Pai veio ao mundo e se entregou na cruz para nos resgatar do pecado, da morte e do inferno.

- Jesus é o onipotente Deus que venceu a morte, está à destra do Pai, reina absoluto no universo e voltará em glória para buscar-nos, a fim de reinarmos para sempre com ele!



FONTE: Rev. Hernandes Dias Lopes


++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++



ENCONTRO COM DEUS
Lucas 7.11-17



FELIZ É AQUELE QUE TEVE UM ENCONTRO REAL COM JESUS.

- Pois, num encontro com Jesus recebe-se dádivas maravilhosas:

1. RECEBE-SE A GRAÇA E A COMPAIXÃO DE DEUS ("Não chores")

- Antes éramos inimigos de Deus (Romanos 5.10);

- Em Cristo, ficamos em paz com Ele (Romanos 5.1);

- E, agora, podemos receber toda sua graça e compaixão;

2. RECEBE-SE UM COMANDO DE VITÓRIA SOBRE A MORTE ("Levante-te")

- Antes éramos escravos do pecado (por mais que lutássemos, não podíamos vencer nossosvícios e fraquezas);

- Nosso fim era a morte;

- Mas, neste encontro, verdadeiramente Jesus nos libertou de um modo que ninguémjamais poderia ter-nos libertado: Libertou-nos do poder do pecado e da morte.

3. RECEBE-SE A RESTITUIÇÃO DO QUE SE HAVIA PERDIDO ("e Jesus o restituiu a sua mãe")

Conclusão

- Por receber a graça e a compaixão de Deus, um comando de vitória sobre a morte e o pecado e por receber a restituição do que sem havia perdido, quem tem um encontro real com Jesusé uma pessoa realmente feliz.





:::::::::::::::::::::::::::::::::

:::::::::::::::::::::::::::::::::


POR FAVOR, DÊ UM CLIC

EM QUALQUER

ANÚNCIO DA GOOGLE

AO LADO OU ABAIXO

DESTES ESBOÇOS.


CONTO COM VC!


Pr. Robernane Ferreira Lima
Matozinhos - Minas Gerais


++++++++++++++++

++++++++++++++++

sábado, 27 de fevereiro de 2010


MOVENDO MONTANHAS



Quebra-gelo: Você acha possível mover montanhas?

Textos: Mateus 17:20 e Marcos 11:21-23


Introdução:


- A medicina reconhece hoje que ter fé, acreditar, é um diferencial para a recuperação de um paciente.

- Pessoas que acreditam se recuperam mais rapidamente em situações onde outras às vezes nem se recuperam.

- A Bíblia está cheia de relatos de acontecimentos extraordinários que tornaram-se fatos históricos porque pessoas acreditaram no que Deus falou e agiram baseadas em sua Palavra. Desafios extraordinários foram vencidos pela fé.

- A Bíblia em Marcos 11:21-23 mostra que uma figueira secou porque Jesus ordenou a ela que secasse, e neste mesmo texto Jesus radicaliza dizendo que se tivermos fé em Deus diremos a montes para erguerem-se e mudarem de lugar e assim acontecerá.

- Em Mateus 17:20, num texto semelhante Jesus diz que nada seria impossível aquele que cresse.

- Normalmente não teríamos interesse em que montanhas de pedra fossem mudadas de lugar, mas como gostaríamos que alguns obstáculos em nossa vida, alguns grandes desafios que poderíamos classificar como “montes” fossem retirados.

- Se tivermos fé no que Jesus ensina essa pode ser a nossa história também.

Para mover os montes de nossa vida precisamos:

1) Confiar em Jesus.

- Muitos tem se frustrado porque depositam a fé na coisa errada. Alguns dizem que só confiam neles mesmos. Está errado, a Bíblia diz que agir assim nos levará a destruição (Jeremias 17:5).

Deposite sua fé em Jesus e sua Palavra.

Confie Nele e as “montanhas” de sua vida serão movidas.

2) Não colocar limites para Deus. Não duvidar.

- Costumamos classificar o que é fácil e o que é difícil baseado em nossas habilidades e recursos, e levamos essa mania de classificar o que é fácil e o que é difícil para Deus.

- Costumamos confiar em coisas mais fáceis ou menos importantes e temos dificuldade de acreditar e descansar em Deus em coisas que consideramos mais difíceis ou mais importantes para nós.

Não coloque limites para Deus, creia em qualquer situação e verá a montanha se mover.

3) Agir baseado na Palavra de Deus.

- Faça o que Ele te manda.

- O mar se abriu porque Moisés acreditou e tocou as águas, se você acreditar e agir baseado na Palavra de Deus a montanha se moverá.

Conclusão:

- Você tem alguns montes que precisam ser removidos em sua vida?

- Confia em Jesus?

- Quer entregar sua vida e seus problemas a Ele e obedecê-lo?

Levante a mão, vamos orar.






+++++++++++++

+++++++++++++


QUANDO BUSCAMOS
CRESCIMENTO ESPIRITUAL
DEUS ENTRA
COM PROVIDÊNCIAS.




1. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE NOS FAZ VER QUE É PRECISO EXPANDIR - vs. 1.

- O cristão e a igreja que estão buscando crescimento espiritual sentem que não devem nem podem se acomodar, pois o nosso espaço sempre será pequeno.

- A Bíblia nos ensina em Isaías 54.2-3: "Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda".

2. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE DÁ A DIREÇÃO - v. 2.

- Alguns cristãos pensam que hoje em dia Deus não mais dá a direção particular às igrejas ou aos cristãos; que Ele não mais nos diz o que deve ser feito.

- Quantos não estão enganados achando que devem trilhar caminhos próprios sem depender exclusivamente de Deus.

- Tornam-se auto-suficientes profissionais e acabam se esquecendo o que a Bíblia diz em João 3.27 e Tiago 1.17 (por exemplo).

3. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO, ELE PREPARA UM INSTRUTOR - vs. 3.

- Moisés instruiu Josué;

- Elias instruiu Eliseu;

- Paulo instruiu Timóteo;

- Jesus instruiu os discípulos.

4. QUANDO BUSCAMOS CRESCIMENTO ESPIRITUAL, ELE NOS LEVA À DIMENSÃO DOS MILAGRES - v. 6.

- Para o aprendiz de profeta que derrubou o ferro do machado na água, ali era o fim de seu ministério profético, entretanto, para Deus ali começava uma vida de milagre.

- O ponto final do homem é o ponto de partida de Deus.

CONCLUSÃO:

- Se buscarmos crescimento espiritual, Deus mostrará que é preciso expandir (pois o espaço pequeno);

Ele nos dará a direção do que deve ser feito e, se isso não bastasse, Ele nos preparará um instrutor e nos levará a uma vida onde milagres acontecem.





++++++++++++++++

++++++++++++++++

++++++++++++++++

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010



POR QUE
A IGREJA EXISTE?

Referência:
Jó 4.24 – Ef 4.11-16 – Mt 28.18-20




INTRODUÇÃOPor que a igreja existe?

Por que nos reunimos aqui domingo após domingo?

Por que você está aqui e não assistindo fantástico?

Por que lê sua Bíblia e é chamado de crente?

A igreja é importante?

Qual é sua missão?

Qual é seu propósito?

Precisamos saber quem somos para sabermos o que fazer?

I. EM RELAÇÃO A DEUS A IGREJA EXISTE PARA ADORAR

1. Adoração é a maior missão da igreja

A igreja é uma comunidade adoradora.

A maior missão da igreja não é fazer missões, mas adorar a Deus. Deus e não o homem é o centro de todas as coisas.

Missões existem para salvar um povo que adora.

2. Adoração é centrada em Deus

Apocalipse descreve a igreja adorando aquele que está assentado no trono: ele é soberano, santo e tem as rédeas da história nas mãos.
Apocalipse descreve a igreja adorando o Cordeiro que foi morto.


Ele é o leão da tribo de Judá.

Ele venceu para abrir o livro e seus sete selos.

3. Adoração tem a ver com conteúdo e não com forma

- Não temos uma forma litúrgica na Bíblia. Temos, sim, o povo de Deus adorando a Deus com sinceridade, verdade, alegria.

- O culto não é um show nem um funeral.

- O culto não é uma apresentação para ser visto pelos homens (fariseu no templo orando).

1. Jesus diz para a mulher samaritana que o que adoração não é:

a) Não é adoração centrada em lugares sagrados (Jo 4:20)

– Não é neste monte nem naquele.

- Não existe lugar mais sagrado que outro.

- Não é o lugar que autentica a adoração, mas a atitude do adorador.

b) Não é adoração sem entendimento (Jo 4:22)

– Os samaritanos adoravam o que não conheciam.

- Havia uma liturgia desprovida de entendimento.

- Havia um ritual vazio de compreensão.

c) Não é adoração descentralizada da pessoa de Cristo (Jo 4:25-26)

– Os samaritanos adoravam, mas não conheciam o Messias.

- Cristo não era o centro do seu culto.

- Nossa adoração será vazia se Cristo não for o seu centro.

- O culto não é para agradar os homens. A música não é para entreter. A verdadeira música vem do céu e é endereçada ao céu (Sl 40:3).

2. Jesus diz para a mulher samaritana o que a adoração é:

a) A adoração precisa ser bíblica (Jo 4:24)

– O nosso culto é bíblico ou é anátema.

- Deus não se impressiona com pompa, ele busca a verdade no íntimo.

b) A adoração precisa ser sincera (Jo 4:24)

– Ela precisa ser em espírito, ou seja, de todo o coração.

- Precisa ter fervor. Não é um culto frio, árido, seco, chocho e sem vida.

Princípio bíblicos para o adorador:

1. O adorador precisa entender que a sua vida é a vida da sua adoraçãoNão está procurando adoração, mas adoradores que o adorem em espírito e em verdade.

- A prática da adoração está enraizada na vida do adorador.

- A prática da adoração jamais poder ser divorciada da pessoa do adorador.

Exemplo:

Caim – Deus rejeitou a vida de Caim antes de rejeitar a oferta e o culto da Caim.

- Se a nossa vida não estiver certa com Deus, o nosso culto será uma ofensa a Deus.

Isaías 1:14 – “As vossas festas de lua nova e as vossas solenidades, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer”.

E.M.Bounds disse: “Nós estamos procurando melhores métodos, enquanto Deus está procurando melhores homens. Deus não unge métodos, Deus unge homens”.

- Não é a grandes talentos que Deus usa, mas a homens piedosos – Vocês são as suas próprias ferramentas.

Mantenham-nas afiadas.

Mantenham sempre vestes alvas e tenham sempre óleo fresco sobre a cabeça.

2. O adorador precisa entender que a adoração não é uma questão de performance diante dos homens, mas de sinceridade diante de Deus.

- O profeta Isaías levantou a sua voz em nome de Deus e disse: “Este povo me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim.”

- Davi compreendeu que Deus procura a verdade no íntimo.

Exemplos:

1) Hofni e Finéias – Trouxeram a Arca da Aliança para o acampamento, símbolo da presença de Deus e mesmo assim, o povo foi derrotado.

2) Amós 5:21-24 – Deus disse: “Aborreço, desprezo as vossas festas e com as vossas assembléias solenes não tenho nenhum prazer. E, ainda que me ofereçais holocaustos e vossas ofertas de manjares, não me agradarei deles, nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais cevados. Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos, porque não ouvirei as melodias das tuas liras. Antes, corra o juízo como as águas; e a justiça, como ribeiro perene”.

3. O adorador precisa entender que um culto ainda que ortodoxo divorciado da vida cotidiana não agrada a Deus.

- Culto sem conexão com a vida diária é entretenimento espiritual.

- O apóstolo Paulo diz que o culto racional não é apenas um tempo de louvor e de ministramos que temos na igreja, mas a oferta do nosso corpo a Deus na dinâmica da vida (Rm 12:1).

- O profeta Jeremias denunciou o perigo de uma reforma externa sem uma transformação interna e a falsa confiança no templo, no culto, na liturgia. Jeremias 7:1-15

4. O adorador precisa entender que se Deus não for honrado no culto, ele é tempo perdido

- O profeta Malaquias fala dos sacerdotes que não honravam a Deus.

Eles desprezavam o culto.

Eles não ofereciam o seu melhor.

Eles faziam a obra do Senhor relaxadamente.

- Deus aconselhou no caso a apagarem o fogo do altar e a fechar a porta da igreja. Estavam perdendo tempo.

- A quem estamos honrando quando cultuamos: a nós mesmos ou a Deus?

- Tocamos e cantamos porque gostamos, ou o fazemos para glorificar aquele que é digno?

- O fariseu gostava de cantar QUANDO GRANDE ÉS TU diante do espelho.

- Ilustração: Magready, o ator inglês e o pregador.
O ministro de música de ONURI.


II. UMA RELAÇÃO A SI MESMA, A IGREJA EXISTE PARA TREINAR OS CRENTES – Ef 4.12-16.

- Lutero proclamou o sacerdócio de todos os crentes, mas 500 anos depois a estrutura das igrejas negam isso.

- Precisamos de uma nova reforma para devolver aos leigos a sua função de ministros da reconciliação. O leigo é o melhor e maior potencial da igreja.

- O crescimento espantoso da igreja na Coréia se deve ao treinamento dos leigos para testemunharem.

- A igreja de Deus não é apenas uma multidão, mas um corpo bem coordenado, onde cada um exerce sua função e cresce em maturidade.

- A igreja existe para nutrir e treinar os crentes. Este é o ponto central da doutrina de Calvino sobre a igreja. Por isso ficar fora da comunhão da igreja é como entregar uma pessoa a Satanás. A comunhão da igreja nos protege.

- Deus deu pastores à igreja como mestres (Ef 4.11), a Bíblia como o conteúdo do ensino (2Tm 3.16,17), e um modelo excelente como método de ensino (Cl 1.28,29).

Há, porém, alguns exemplos distorcidos do que é a igreja:

1. A igreja crecheÉ a igreja onde os crentes são bebês, crianças espirituais que não demonstram maturidade.

Uma criança é instável.

Uma igreja é centrada em si mesma.

Uma igreja tem uma compreensão limitada.

Uma igreja depende dos outros para cuidar de si mesma.

2. A igreja ApaeEsta é a igreja aonde os crentes com dez anos ainda tomam mamadeira. O crescimento é retardado.

3. A igreja desnutridaUma igreja que come apenas uma vez por semana fica desnutrida.

4. A igreja flácidaUma igreja que come e dorme; come e não faz exercício torna-se flácida espiritualmente.

Não tem músculos.

Não tem resistência espiritual.

Maturidade não é conhecimento.

Maturidade é vida, é caráter transformado à imagem de Cristo.

5. A igreja colônia de fériasO lugar onde gostamos de ir quando não temos uma coisa mais importante para fazer.

6. A igreja platéiaUm lugar aonde vamos para assistir o que acontece. Somos apenas platéia. Assentamo-nos, assistimos e vamos embora sem nenhum envolvimento.

7. A igreja clubeUm lugar onde pagamos nossa cota, para que tenhamos um ambiente limpo, gostoso e confortável.

- Lugar onde gostamos de ir com a família ter um tempo agradável e edificante.

- A igreja não é uma praça de entretenimento espiritual.

8. A igreja não é um prédio onde nos reunimosDepois que o véu do templo se rasgou de alto a baixo, sempre que o novo testamento se refere ao templo de Deus está falando do nosso corpo.

- Agora somos nós e não um prédio que é cheio do Espírito Santo.

O que é a igreja?

1. A igreja é um corpoque tem muitos membros.

- Cada membro exerce o seu trabalho, sua função. Mesmo os membros que não aparecem, têm uma função fundamental para a saúde do corpo.

Três coisas são importantes aqui:

a) Unidade – Os membros são diversos, mas há um só corpo. Estamos todos ligados à mesma cabeça.

b) Diversidade – Nós somos diferentes uns dos outros, mas pertencemos ao mesmo corpo.

c) Mutualidade – Há dois perigos: complexo de superioridade e complexo de inferioridade.

2. A igreja um corpo de leigos treinados para servir uns aos outros – Efésios 4.11-18

- Hoje a igreja tem pastores que são vocacionados e treinados para fazer o trabalho. Mas o papel dos líderes é treinar os santos para o desempenho do ministério.

- Somos todos sacerdotes reais.

- Precisamos de uma nova reforma, onde todos os crentes possam ser treinados para o serviço.

- Jesus investiu a maior parte do seu tempo treinando os doze discípulos – A igreja não é uma massa de pessoas; ela é a comunidade dos discípulos, ou seja, de pessoas treinadas para servir uns aos outros.

- Discipulado não é conhecimento, é vida, é caráter – Estaremos enganados se pensarmos que esse treinamento é apenas transmissão de conhecimento.

- Poderemos ter muitos estudos bíblicos e conhecermos profundamente a teologia e não sermos treinados para o serviço. Maturidade é vida.

- Quando Jesus mandou fazer discípulos disse que devemos ensinar a guardar.

- Crescimento numérico sem vida não é crescimento saudável da igreja – A expansão contínua das igrejas sem ensino profundo enfraquecerá as igrejas no futuro.

- Precisamos evitar dois extremos: numerolatria e numerofobia.

III. EM RELAÇÃO AO MUNDO A IGREJA EXISTE PARA TESTEMUNHAR – At 1.8; Mt 28.18-20.

1. A maioria dos crentes não sabe o que é testemunhar

- Apenas 5% dos crentes já levaram uma pessoa a Cristo.

- Atos 1.8Quando os crentes são revestidos com o Espírito Santo, eles recebem poder para testemunhar. Não apenas os apóstolos testemunhos, mas todos os crentes.

- Atos 8.1-4 os crentes foram pregando a Palavra. Os crentes é que estão envolvidos com os descrentes todos os dias e são eles que devem testemunhar.

a) A igreja como sal – Influência invisível.

b) A igreja como luz – Influência visível.

c) A igreja como perfume – Influência notada.

2. A evangelização é resultado da apostolicidade da igreja toda

- O trabalho de testemunhar não ficou limitado aos apóstolos. A igreja toda é herdeira dos apóstolos no sentido de dar continuidade à missão apostólica, ou seja, pregar o evangelho até os confins da terra.

- Estevão e Filipe eram diáconos, mas tornaram-se pregadores ungidos. O povo todo ao ser disperso, ia pregando a Palavra.

- Isaías 44.5 fala do compromisso de todo aquele que foi revestido com o poder do Espírito de falar e viver.

- Philip Schaff, historiador da igreja afirmou: “Não havia sociedades missionárias, nem instituições missionárias, nenhum esforço organizado nos três primeiros séculos; e em menos de 300 anos a população toda do império romano, que representava o mundo civilizado, foi nominalmente cristianizada. Cada congregação foi uma sociedade missionária, e cada cristão um missionário inflamado pelo amor de Cristo para converter seu amigo. Cada cristão contou a seu próximo, o trabalhador ao seu companheiro de trabalho, o escravo a seu amigo escravo, o servo a seu mestre e mestra, a história da sua conversão, como um marinheiro conta a história do resgate de um naufrágio”.

a) Tarefa imperativa – É ordem. A história do Sr. João que evangelizou duas tribos da Amazônia.

b) Tarefa intransferível – O anjo pergunta a Jesus. Alexandre Duff, missionário presbiteriano escocês na Índia.

c) Tarefa impostergável – O índio pergunta: Por que você não veio antes?

3. Fazer discípulos é a essência da grande comissão – Mt 28.19

a) O discipulado é dinâmico – Indo

b) O discipulado é prático – ensinando a guardar

c) O discipulado é integrador – batizando.

4. O lar deve ser o centro nevrálgico do testemunho do evangelho

- A igreja primitiva não tinha templos.

- Ela crescia através de suas reuniões nos lares. O lar dos crentes eram congregações, onde o evangelho era vivido e testemunhado com poder.

- Paulo testificava de casa em casa.

- Todas as igrejas que crescem saudavelmente têm voltado sua atenção para o ministério leigo e para o testemunho e nutrição dos crentes em grupos pequenos.

Exemplo:

- A Igreja Presbiteriana Sarang iniciou em 1978 com John Oaks e tem hoje 30.000 membros.

CONCLUSÃO

Para que a sua igreja existe?

Para que você existe?

Adoração, treinamento e testemunho não podem viver separadamente.





AUTOR: Rev. Hernandes Dias Lopes



****************



Pr. Robernane Ferreira Lima
Matozinhos - Minas Gerais

:::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::


TRAGÉDIAS AÉREAS

NOS ENSINAM



- Estes dias o mundo parou logo na segunda de manhã, atônito com a tragédia anunciada do desaparecimento dos radares do Vôo 447. Duzentas e 228 pessoas, simplesmente desapareceram. Certamente, estes não eram seus planos, muitos ali não estavam preparados para o acontecido e não imaginavam que estavam voando pela última vez e que teriam um fim tão rápido e trágico.

- Mas, o dia de nosso fim nesta terra, não está marcado em nossa agenda, apenas na agenda de Deus. Eis o “porque” do profeta escrever: “Prepara-te para te encontrares com o teu Deus”. Amós 4.12.

O que devemos aprender deste acontecimento?

1 - Primeiro, devemos aprender que a tecnologia da modernidade não pode impedir nossa partida deste mundo.

- O Salmista escreveu: “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda”. Sl 139. 16.

- Segundo os especialistas, o Avião que caiu, é um dos mais seguros do mundo equipado com todas as condições tecnológicas, de enxergar os possíveis problemas à sua frente, e desviar-se deles. Mas, mesmo assim, o 447, caiu.

- A verdade bíblica continua mais viva do que nunca. Há apenas um que comanda a história e que é capaz de remover verdadeiramente as montanhas, acrescentar ou subtrair os dias de nossa vida. Este ser é Deus.

- Eis a razão do salmista também escrever. Salmos 20:7. “Uns confiam em carros, outros, em cavalos; nós, porém, nos gloriaremos em o nome do SENHOR, nosso Deus”.

- O Vôo 447 nos ensina que, nossa confiança deve estar única e exclusivamente em Deus.

2 - Segundo, devemos aprender que as tragédias acometem a todos, sem distinção.

- Naquele avião estavam ricos e pobres, negros e brancos, famosos e desconhecidos, leigos e intelectuais, comandantes e comandados. Mas todos tiveram o mesmo fim.

- Diante de Deus, todos, somos iguais. O que somos ou temos neste mundo, não tem poder algum para nos livrar na hora de nossa morte.

- As Escrituras nos contam a história de um homem abastado que, colheu muito, tanto que teve que construir outros celeiros para acomodar e guardar sua safra.

- Com seus olhos cheios de satisfação e pensando que estava seguro por todos os anos que achava que ainda tinha, disse a si mesmo: “tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te, oh minha alma”. Lucas 12. 19.

- No entanto, Deus não autenticou suas palavras, pelo contrário, Ele disse: “Louco, esta noite pedirão a tua alma e o que tens preparado, para quem será?" Lucas 12.20.

- Perceba. O que a pessoa é ou tem neste mundo não o livra da morte.

3 - Terceiro, devemos aprender que o preparo para a eternidade é algo que não deve ser deixado para depois.

- Tardar o encontro com Deus nesta terra é arriscar-se a encontrar-se com Ele despreparado na eternidade.

- A ordem bíblica é: “Prepara-te para te encontrares com Deus”. Prepara-te, quando?

- Hoje, diz a Bíblia: “Hoje se ouvires a sua voz, não endureçais os vossos corações”.

- Prepara-te, como? Arrependendo-se de seus pecados e convertendo-se para Deus. “Arrependei-vos e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados e assim venham os tempos de refrigério pela presença do Senhor". Atos 3.19.

- Abrindo a porta de teu coração para Jesus entrar: “Eis que estou á porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir à porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo”. Apocalipse 3.20.

Conclusão

- O Vôo 447 é mais um momento na história humana que Deus usa para dar oportunidade de salvação, reconciliação e consagração de vida.

- Sabendo que nada pode impedir nossa partida deste mundo, que ninguém escapa do fim da vida aqui, que devemos nos preparar para a eternidade; paremos, pensemos e se necessário, mudemos.

Nossa vida é nossa única chance, não desperdicemos o dom que Deus nos deu.



Autor: Pr. Elton Melo


================

================



Pr. Robernane Ferreira Lima
Matozinhos - Minas Gerais


:::::::::::::::::::::::::::::::::

:::::::::::::::::::::::::::::::::

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010


CONHECENDO A VONTADE

DE DEUS PARA

A IGREJA DE HOJE


Texto: Ageu 1-2.7

Assunto: A vontade de Deus



INTRODUÇÃO:


Frase abertura: A vontade de qualquer pessoa tem a capacidade de alterar o curso da sua vida.

Exemplo:

1) Uma ou várias pessoas podem, pela vontade, decidir fazer guerra ou paz com outro

2) Chegamos aqui hoje pela nossa vontade de estar na casa de Deus.

Explicação:

- O que acontece é que nossa vontade é limitada e cheio de falhas. E quase sempre não coincide com a vontade de Deus.

- A vontade de Deus é soberana, não erra, e é a melhor coisa para nossas vidas.

Preposição:

A vontade de Deus é o melhor e mais seguro caminho para o crente.

Transição:

Para tanto devemos conhecer quais são as vontade de Deus para nós.

I. A VONTADE DO SENHOR PARA NÓS É QUE TENHAMOS O REINO DE DELE COMO PRIORIDADE EM NOSSAS VIDAS (Ag 1.1-15)

1. Prioridade: É a qualidade daquilo que está em primeiro lugar na vida de cada pessoa.

a) Aquilo que nós priorizamos hoje ou que esta em primeiro lugar nas nossas vidas determinará o nosso futuro.

2. A prioridade do povo de Israel deveria ser a construção do templo – v. 8

a) O templo simbolizava o relacionamento do povo de Israel com Deus.

b) A permanência do templo em ruína simbolizava a indiferença espiritual do povo.

3. Conseqüências por priorizar as coisas erradas: O povo estava buscando primeiramente a satisfazer suas necessidades, o conforto e o luxo – v.4

a) Perda das oportunidades – v. 2

b) Insatisfação generalizada – vv. 6,9

c) problemas de ordem geográfica – v.6- seca terrível, falta de chuva e escassez de produção agrícola.

4. Ilustração: O motivo de uma das maiores provações de Abraão: o sacrifício de Isaque (Gn 22.1-18).

5. Como Cristãos quais têm sido nossas prioridades? Será o Reino de Deus ou nosso próprio reino?

a) Buscai o Reino em primeiro lugar... (Mt 6.33)

b) Mateus 19.27-19

c) Marcos 12.28-30

II. A VONTADE DO SENHOR PARA NÓS É QUE VENÇAMOS O DESÂNIMO EM NOSSAS VIDAS ESPIRITUAIS (Ag 2.1-4)

1. Essa verdade é encontrada nesses versículos 23: Depois do povo responder a Palavra do Senhor e reinicia a obra do templo... Mas como na primeira vez, desde que retornaram o povo poderia desanimar novamente.

2. Nunca se viu tanto desânimo na igreja como nos dias de hoje.

3. Alguns motivos que levaram o povo de Israel ao desânimo:a) Na primeira vez: perseguição e medo (Ed 4.4,5)

b) Segunda vez: comparação entre o templo antigo e o novo – v. 3

4. Como vencer o desânimo?

a) Esforçando v. 4b

5. A recompensa do esforço: verão uma maior Glória de Deus em suas
vidas – v. 9

6. O Senhor nos ajuda no Trabalho – v. 4b

III. A VONTADE DO SENHOR PARA NÓS É QUE DEVEMOS REAVIVAR EM NÓS A ESPERANÇA DA SEGUNDA VINDA DE CRISTO (Ag 2.7).

1. Este verso referese a Cristo por dois motivos:

a) - Porque acontecerá um abalo entre as nações: “e farei tremer todas as nações....”

- tremer nações significa abalo e juízo. E isso só ocorrerá na volta de Jesus:

1) ...e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem... (Mt 24.29,30).

2) "Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão." (II Pedro 3 : 10)

b) - No original hebraco, apesar do verbo ba'a (virão) está na 3ª pessoa do plural completo, mas o adjetivo (Desejado) está no singular, indicando alguém.

2. Um Paradoxo (contradição): Os sinais da vinda de cristo se cumpre e o povo esfria sua esperança

a) Vivem hoje como se Cristo fosse voltar...

3. O apostolo Paulo no deu o maior exemplo de e esperança e perseverança na volta de Cristo

a) Iniciou seu ministério em 48 d.C. E ainda naquela época pregava e esperava a volta de Cristo.

- Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor (Ts 4.16,17).

- Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda (II Tm 4.7,8)

b) Empregava a primeira pessoal do plural para demonstra sua esperança na vinda de Cristo – 1 Ts 4.17.






::::::::::::::::::::::::::::::::::::


::::::::::::::::::::::::::::::::


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010


OITO RAZÕES

PARA SE EVITAR

A IMPUREZA

Meditação em I Coríntios capítulo 6



Definição de Impureza

- A palavra grega Katharsia = puro, limpo, acrescida da partícula "A", no início da palavra akatharsia, significa negação ou ausência, como ocorre no português com as palavras "normal e anormal".

- De modo geral "akatharsia" significa imundícia física ou moral.

- Deste modo, uma pessoa impura se entrega à prática de todos os pecados sexuais, desde os mais comuns até os mais abomináveis.

- Quando um crente não aceita a pureza bíblica, ensinada na Bíblia, isso se torna impureza.

A EXTENSÃO DO PECADO DA IMPUREZA

- A apreciação de revistas pornográficas, filmes imorais e programas de televisão que estimulam o erotismo caracterizam o envolvimento com práticas impuras.

- Frequentemente, pessoas que aprovam tais coisas usam de desculpas tais como: ver para reter alguma cousa boa - Jó 14.4.

- O pecado da impureza não é uma fraqueza tão somente dos tempos modernos. Ele é uma prática da velha natureza do homem, portanto existe desde a queda de nossos antigos pais, lá no Éden (Gn 2.24 c/ 4.19; Gn 13.13 c/ 19.4,5; Gn 36.2,3; 39.7; II Sm 11; II Reis 11.1-8).

- O apóstolo Paulo, já na sua época combatia a prática de tal pecado, exortando os crentes da igreja de Corinto, conforme podemos observar no capítulo 6 da sua primeira carta, nos versículos 12 a 20.

Ensino Principal

- Não podemos fazer uso de nossa liberdade cristã para pecar contra o Senhor.

- O crente continua livre para fazer aquilo que desejar, todavia por causa da sua nova natureza não lhe convém mais se envolver com aquilo que é impuro (vs 12).

Por esta razão, Paulo alista em sua carta oito razões para se evitar a impureza:

1. O corpo não é para a impureza, mas para o Senhor - 6.13

- O corpo do crente nascido de novo não deve ser dominado pela impureza, como ocorria na velha vida.

- O salvo deve consagrar a cada dia o seu corpo ao Senhor (Rm 12.1,2).

- Muito do que contamina o corpo penetra nele pelos olhos, portanto cabe ao crente vigiar e cuidar com aquilo que vê (Mt 6.22,23; Pv 4.25; Jó 31.1).

2. O corpo será ressuscitado pelo Senhor - 6.14

- Quando Jesus morreu, Ele deu a Sua vida para salvar também o corpo e não só a alma. Portanto, o corpo será ressuscitado em glória, será no futuro um corpo glorificado que adentrará a eternidade em perfeição e regozijo.

- Tão certo como Deus ressuscitou a Cristo, Ele também nos ressuscitará.

3. Os corpos dos crentes são membros do corpo de Cristo - 6.15

- O corpo de Cristo é puro, santo e imaculado, portanto os corpos dos crentes tem que ser achados também em pureza.

- Deus castigará (disciplina física) no corpo aquele crente que continuar praticando a impureza (I Cor 11.28-32).

4. Aquele que se une a uma prostituta se torna uma só carne com ela - 6.16

- Qualquer relacionamento sexual fora do casamento é ilícito e é PECADO. A união física de solteiros fora do casamento constitui em fornicação e de casados com outra pessoa que não o seu cônjuge é adultério.

- Ainda que o sistema mundano tenha tratado estas questões de maneira leviana, aos olhos de Deus estas práticas continuam sendo abomináveis e merecedoras de severo julgamento (Hb 13.4).

5. Aquele que se une ao Senhor é um só espírito com Ele - 6.17

- Há uma identificação espiritual com Deus através do novo nascimento.

- Na conversão a vida de Cristo é comunicada ao crente e isto produz no crente uma preciosa comunhão com Deus que não deve ser quebrada pelo pecado da impureza (II Cor 5.15; Gl 2.20; I Tm 2.12).

6. A imoralidade é pecado contra o próprio corpo - 6.18

- Paulo afirma que qualquer outro pecado é fora do corpo mas o pecado da impureza afeta o próprio corpo.

- Não é a toa que há uma diversidade de doenças sexuais transmissíveis que resultam do envolvimento com a impureza (gonorréia, sífilis, AIDS, etc.) - Rm 1.26,27.

7. O corpo do crente é santuário do Espírito Santo - 6.19

- O corpo do crente, após o novo nascimento passou a ser morada do Espírito Santo, que veio nele habitar de modo permanente.

- Assim como no Tabernáculo ou no Templo, no Santo Lugar e no Santo dos Santos não podia penetrar nada que não fosse consagrado a Deus, nenhuma oferta, homem ou animal impuros, assim também a impureza não há de ter lugar no Santuário do Espírito Santo, o corpo do crente. (II Cor 6.14,15; Rm 6.12,13).

8. O corpo do crente foi comprado por Deus - 6.20

- O corpo do crente não lhe pertence mais. Deus o comprou, e pagou um altíssimo preço. Custou a Deus o sangue precioso de Seu filho unigênito (I Pe 1.18,19).

- Os crentes são propriedade de Deus, e qualquer proprietário tem todo o direito de decidir o que quer fazer com sua propriedade.

* A melhor atitude a ser tomada diante da impureza é FUGIR..."Fugi da impureza." vs 18


I Ts 4.7 "porquanto Deus não nos chamou para a impureza e sim para a santificação."



AUTOR: Pr. Jadir Siqueira


**************

**************


+++++++++++

+++++++++++