sexta-feira, 22 de janeiro de 2010


PRATICANDO A
VERDADEIRA COMUNHÃO

“Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos” Sl. 133.1



- A vida foi feita para ser partilhada. Deus quer que vivamos juntos. A Bíblia chama isso de comunhão. A real comunhão é muito mais do que apenas aparecer nos cultos. É ter vida em comum.

Ela inclui:
Amar altruísticamente

Compartilhar com transparência

Servir nas necessidades práticas

Ser generoso com o sacrifício de si mesmo

Consolar compassivamente

E todas as outras orientações “uns aos outros” do NT.

- Você pode adorar no meio de uma multidão, mas não pode ter comunhão com ela. Jesus ministrou no contexto de um pequeno grupo de discípulos.

- Ele podia ter escolhido mais, porém sabia que doze estava em torno do número máximo de pessoas que um grupo pequeno pode conter para que todos possam participar.

- O corpo de Cristo, assim como seu próprio corpo, é na verdade um conjunto de muitas pequenas células. A vida do corpo está contida no interior das células. Por essa razão todo cristão deve estar envolvido em um pequeno grupo dentro da igreja. É no pequeno grupo que ocorre a verdadeira comunhão, e não nas grandes reuniões.

- Veja a promessa de Jesus: “pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali estou eu no meio deles” Mt. 18.20
Infelizmente, mesmo estar num grupo pequeno não lhe garante experimentar uma comunhão real.

Qual é a diferença entre a comunhão verdadeira e a falsa?
Na comunhão verdadeira, as pessoas encontram
autenticidade.

- A comunhão autêntica não é superficial. É genuína, de coração. Ela ocorre quando as pessoas são verdadeiras sobre quem são e sobre o que está acontencendo em sua vida.

- Elas dividem suas mágoas, revelam seus sentimentos, confessam suas falhas, admitem seus medos, e pedem ajuda e oração.

- Autenticidade é exatamente o oposto do que você encontra em algumas pessoas e em algumas igrejas. Em vez de uma atmosfera de honestidade e humildade, há uma conversação fingida, representada, politiqueira.

- As pessoas vestem máscaras e agem como se tudo em sua vida fosse positivo. Essas atitudes são a morte da verdadeira comunhão.

- A Bíblia diz: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros... se afirmamos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos” 1 Jo. 1.7-8

- O mundo pensa que a intimidade ocorre na escuridão, mas Deus diz que ocorre na luz. As trevas são usadas para esconder ferimentos, erros, medos, fracassos e falhas. Mas, na luz, nós os trazemos todos para um lugar aberto e admitimos quem realmente somos.

- A Bíblia diz: “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados”. Tg. 5.16

- Nós só crescemos assumindo riscos, e o mais difícil risco de todos é sermos honestos com nós mesmos e com os outros.

Na verdadeira comunhão, as pessoas encontram reciprocidade.

- Reciprocidade é a arte de dar e receber. É depender um do outro. Mutualidade é coração da comunhão. Edificar relacionamentos recíprocos. Dividir responsabilidades. Ajudar uns aos outros.

- Paulo disse: “Quero que nos ajudemos uns aos outros com a fé que temos. A vossa fé me ajudará, e a minha fé os ajudará" - Rm.1.12

- Todos somos mais constantes em nossa fé, quando outras pessoas caminham conosco e nos incentivam.

- A Bíblia ordena que haja prestação de contas, incentivo recíproco, mútuo atendimento e honra recíproca.

- Por mais de 50 vezes ao longo do NT, somos orientados a realizar direntes tarefas “uns aos outros” e “entre si”.

- A Bíblia diz: “Esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua” Rm.14.1

- Deus espera que você faça tudo o que puder para ajudar os membros do corpo de Cristo.

Na verdadeira comunhão, as pessoas encontram compaixão

- Compaixão não é simplesmente dar um conselho ou oferecer ajuda rápida; é compartilhar a dor dos outros.

- A Bíblia diz: “Como povo escolhido de Deus... revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência” Cl.3.12

“Compartilhem os seus problemas e transtornos uns com os outros e dessa forma obedeçam à lei de Cristo” Gl.6.2

- É em tempos de crise, tristeza e dúvidas profundas que mais precisamos uns dos outros. Quando as circunstâncias nos esmagam a ponto de nossa fé vacilar, é que mais precisamos de amigos crentes.

- Precisamos de um grupo pequeno de amigos que tenham fé em Deus por nós e para nos ajudar a vencer as dificuldades. Em um grupo pequeno, o corpo de Cristo é real e palpável, mesmo quando Deus parece distante.

Foi disso que Jó necessitou durante seu sofrimento. Ele exclamou:
“Um homem desesperado deve receber a compaixão de seus amigos, muito embora ele tenha abandonado o temor do Todo-Poderoso”
Jó 6.14

Na comunhão verdadeira, as pessoas encontram misericórdia

Todos precisamos de misericórdia, porque todos tropeçamos e caímos e precisamos de ajuda para voltar ao caminho.

- Precisamos oferecer misericórdia uns aos outros e estar dispostos a recebe-la uns dos outros.

- Deus diz: “Quando as pessoas pecarem, vocês devem perdoa-las e conforta-las, para que não sejam vencidas pelo desespero” 2 Cor. 2.7

Você não pode ter comunhão sem que haja perdão. Deus alerta:
“Jamais guardem rancor”
Cl.3.13. Porque amargura e ressentimento sempre destroem a comunhão.

- A Bíblia diz: “Vocês precisam ter consideração para com as faltas uns dos outros e perdoar aos que lhes ofendem. Lembrem-se: assim como o Senhor lhes perdoou, vocês devem perdoar uns aos outros” Cl.3.13

- Lembre-se: Jamais lhe será pedido que perdoe alguém mais do que Deus já lhe perdoou.

- O perdão deve ser imediato, tenha ou não a pessoa pedido por ele. A confiança deve ser reconstruída com o passar do tempo.

- O melhor lugar para restaurar a confiança é no contexto de apoio mútuo de um pequeno grupo, que ofereça tanto encorajamento como prestação de contas mútuos.

- Nós precisamos de Deus e nós precisamos das pessoas. Eu preciso de outras pessoas em minha vida. Você também precisa!
“Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos”
Sl. 133.1



FONTE: Pr. Luiz Sanches / Pastor Sênior

Nenhum comentário:

Postar um comentário