sábado, 9 de janeiro de 2010




CORAGEM PARA LUTAR,
CORAGEM PARA VENCER!


“Os quais por meio da fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca de leões.” (Hebreus 11:33)


- Nos últimos dias Deus tem levantado remanescentes na igreja, os quais estão dispostos a mudar qualquer histórico negativo e medíocre, qualquer sentença de acusação que havia contra nós, qualquer jugo de baixa auto-estima.

- Historicamente, vemos que o catolicismo colocou jargões e estereótipos contra a igreja cristã evangélica por séculos.

- Resultado dessa semente: a sociedade foi cruel para conosco. Vivíamos tempos primitivos: jogavam ovos podres, tomates e pedras, insultavam-nos com palavrões, blasfêmias e calúnias; muitos pastores e evangelistas eram presos por pregarem o evangelho. Foi uma inquisição em outro nível.

- Depois começou a guerra do Estado contra a igreja. Não tínhamos paz, éramos “discriminados”, não tínhamos oportunidades, as portas dos cargos públicos se fechavam;enfrentamos uma verdadeira guerra de sobrevivência, mas vencemos essas etapas.

- Logo após veio a guerra mais cruel: a que se dava entre irmãos. Não havia união, nem unidade; o comportamento da igreja de Jesus era similar ao relacionamento de judeus e árabes. Os tradicionais versus os pentecostais. Essa guerra foi a mais traumática de todas, pois não era externa e sim interna.

- Vimos denominação contra denominação, igreja contra igreja, pastor contra pastor, ovelha contra pastor, pastor contra ovelha, ovelha contra ovelha. Essa foi a mais cruel e traumática de todas. Porém, a situação não está resolvida completamente. Ainda temos resquícios dessa guerra.

- Com isso, o adversário ganhou territórios e fragilizou a capacidade de avanço da igreja; enfraqueceu os relacionamentos e fortaleceu reinos particulares.

- Vivemos a realidade do eu sou de Paulo; ou eu de Apolo; ou eu sou de Cefas; ou eu sou de Cristo (I Co 1:12). Entretanto, mesmo em meio a tantas controvérsias, somos chamados a nos levantar como arautos, atalaias, para bradarem um novo começo.

- Classifico esses como os ungidos de Deus, dotados de uma coragem não-humana, acima da mediocridade e da esfera comum, cheios do amor de Deus no seu coração para abortarem todo medo (I Jo 4:18). Esses são valentes de Deus!!!

- Ler Joel 2:4 a 11 - Esse grande exército é formado por muitos Abraãos, Isaques, Jacós, Moisés, Josués, Calebes, Elias, Eliseus, Neemias, Esdras, Rutes, Ester, Davis, Gideões, por muitos discípulos e apóstolos que não representam apenas figuras humanas históricas, mas representam os valentes de Deus que mudaram e mudam a história, os contextos e realidades opostas aos princípios de Deus.

- Dentre esse exército quero narrar a vida de Gideão: Juizes 6: 1 a 8:33. Mais uma vez, os israelitas pecaram contra Deus e por isso Ele deixou que os midianitas, as tribos do deserto, os dominassem durante 7 anos.

- O povo de Mídiã devastava tudo quanto Israel semeava, prejudicando suas colheitas e roubando seu gado. Os Israelitas escondiam-se dos midianitas em cavernas nas montanhas. Israel foi levado pelos midianitas à miséria, então os israelitas pediram socorro a Deus (6:1 a 10).

- Um dia Gideão estava malhando trigo no tanque de pisar uvas, escondido, para que os midianitas não o encontrassem (6:11). O anjo de Deus, de repente, apareceu e falou: “Deus está com você, valente guerreiro”. Gideão respondeu: “Se Deus está conosco, por que Ele nos entregou aos midianitas?”.“Você deverá aniquilá-los”, respondeu o anjo.Gideão respondeu: “Como posso libertar Israel? A minha família é a mais pobre da nossa tribo e eu sou a pessoa menos importante da minha família”.Deus disse: “Você pode fazer isso porque eu ajudarei” (6:12 a 16)Naquela mesma noite, Deus mandou que Gideão destruísse o altar feito por seu pai, Joás, para o deus Baal. Na manhã seguinte, quando o povo descobriu o que Gideão fizera, ficou indignado e quis matá-lo. Joás respondeu: “Se Baal é um deus verdadeiro, deixem que ele se vingue”, e Gideão foi poupado (6:25 a 32)Mais uma vez os midianitas se preparam para atacar Israel. Gideão enviou mensageiros às quatro tribos (Manasses, Aser, Zebulom e Naftali) e formou um exército (6: 33 a 35).Gideão ficou em dúvida e desejou um sinal de Deus. Ele falou a Deus: “Vou por um pouco de lã no lugar onde malhamos o trigo. Se de manhã o orvalho tiver molhado somente a lã e o chão em volta dela estiver seco, então saberei que Tu realmente me usarás para libertar Israel”. Aconteceu assim, porém Gideão não estava satisfeito. Ele pediu: “Deixa que eu faça outra prova com a lã. Que desta vez a lã fique seca, e que haja orvalho somente em volta dela”. Deus fez isso naquela noite (6:36 a 40)Gideão tinha um exército de trinta e dois mil homens. Deus avisou a Gideão que, porque tinha gente demais, se vencessem, diriam que foi sem a ajuda de Deus. “Diga aos que têm medo que podem voltar para seus lares”. Ficaram apenas dez mil homens (7:3). Deus falou: “Ainda é gente demais. Leve-os para a margem do rio e depois mande-os beber água. A um lado ficarão aqueles que lamberem a água com a língua, tal qual fazem os cães, e de outro os que beberem de joelhos”. Somente trezentos juntaram água nas mãos e lamberam a água levando as mãos à boca. Deus falou: “Com estes trezentos que lamberam a água, eu libertarei vocês” (7:4 a 7).Gideão dividiu os homens em três regimentos e deu a cada soldado uma corneta e um jarro com uma tocha acesa tocha. No meio da noite, os três regimentos dirigiram-se para o acampamento dos midianitas. Quando todos se encontraram, eles tocaram as suas trombetas, quebraram seus jarros e ergueram as tochas acesas. “Todos juntos puseram-se a gritar:” À espada do Senhor e de Gideão”. Com isso, o acampamento dos midianitas foi tomado de pânico. Julgaram estar sendo atacados por um grande exército e na escuridão e na confusão reinantes, começaram a lutar entre eles. Segui-se o pânico e uma luta encarniçada e logo os inimigos de Israel destruíram-se uns aos outros. Os inimigos fugiram e os israelitas os perseguiram. O inimigo foi totalmente subjugado (7:16 a 25).Pelo resto da vida de Gideão, o povo de Israel viveu em paz, livre de seus inimigos (8:28).Depois de salvar Israel dos midianitas, os homens de Gideão deram-lhe o ouro tirado dos inimigos e Gideão fez do ouro um ídolo. Isso foi uma armadilha para Gideão e sua gente. Gideão foi pai de setenta filhos, pois tinha muitas mulheres (8:22 a 30).Depois que Gideão morreu, os israelitas abandonaram a Deus novamente (8:33).

Algumas características dos valentes de Deus presentes na vida de Gideão:

< Ser um homem consciente da sua chamada. Juízes 6: 11 a 24 – aparecimento do anjo, o diálogo com Gideão, a oferta de Gideão: Um cabrito, bolos asmos de um efa de farinha. ...

Ilustração: Abraão.

- Todos nós fomos chamados por Deus para algo grandioso. Cada um dentro da sua perspectiva, cada um na sua fileira. Ninguém no reino precisa estar ocioso!

- Na visão da igreja celular, podemos nos ocupar em 100% e fazer exatamente o que o Senhor mandou que fizéssemos: discípulos de todas as nações (Mt. 28:19)

- Que tipo de discípulo é gerado por um valente de Deus? Você não é mais um na regra, você é exceção à regra. Nós, em Deus, somos diferentes, para fazer a diferença.

< Ser um homem de fé. Juízes 6:25 a 39 – Gideão destrói os altares de Baal e pede confirmação de Deus para exercer seu plano...

Ilustração: Moisés, Hebreus 11:27 diz: “Pela fé Moisés rompeu com o Egito, não ficando amedrontado com a cólera do rei: Antes permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível, Deus”.

- Nós também hoje mais do que em qualquer outra era somos chamados a ter fé para conquistar reinos. Precisamos ter fé para assumirmos para nós a profecia de Joel 2:4 a 11 (ler)

< Ter Unidade de Propósito. Juízes 7: 1 a 18 a convocação do povo das 4 tribos: Manasses, Aser, Zebulom e Naftali. A dispensa dos tímidos e medrosos, a prova da água: a escolha dos 300 homens.

Ilustração: Muralha de Jericó (Josué 6).

- Assim como o povo de Israel foi desafiado a conquistar a terra prometida, hoje nós somos desafiados a implantar o reino do céu aqui na terra. Teremos um modelo do céu na terra, quando todos conhecerem o Messias Jesus, e no novo nascimento da semente incorruptível alcançar a nossa gente (I Pe 1:23)

- Agora, não podemos aceitar que uma comunidade que diz ter essa semente incorruptível viva na dimensão do reino da terra, sem ousar viver o reino do Céu. O Reino de Deus está dentro de nós (Lucas 17:21).

- Eu e você somos conscientes do poder da unidade de propósito que existe a disposição da igreja?

Conclusão:

< Como valentes de Deus eu e você precisamos estar conscientes do nosso chamado, ser discípulos e fazer discípulos.

< Precisamos nos dispor a sermos homens e mulheres de fé e como isto exige de nós um romper de limites a cada amanhecer, isto é desconfortante, dói, nos tira da zona de conforto e segurança humana. Mas gera crescimento, alarga a visão.

< E por fim precisamos estar mais que conscientes da importância de se ter Unidade de propósito em tudo que nos dispormos a fazer para o Senhor de nossas vidas.

< Nesta manhã desafio você se colocar diante de Deus e avaliar o seu chamado, você tem sido discípulo de Jesus?.

< Quero que você avalie sua fé, seus limites, sua dependência de Deus. E por fim quero que você avalie sua visão de unidade.

< Confronte seu coração, seu egoísmo, seu orgulho, seu pecado e reconheça o quanto esses sentimentos, atitudes e posturas são usados pelo inimigo para roubar a unidade de propósito na vida de nossa igreja e com isto a conquista que nos está reservada como povo e como cidade.


Cântico: Guerreiros da última geração.












============


<<<<<<<<<<<<




=============


=============


=============

Nenhum comentário:

Postar um comentário