segunda-feira, 14 de dezembro de 2009


POR QUAIS CAMINHOS
TEMOS ANDADO?
Jn 1.1-17


Introdução:

Nem sempre o que Deus manda fazer nos agrada. Este era o caso de Jonas. Ele não queria ir até Nínive, tomou outra direção.
A Bíblia fala que ele se levantou para fugir de diante da face do Senhor (v.3), seria isso possível?

1. Deus está em todo lugar.

- O salmista declara: “Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também”(Sl 139.7,8)

- Foi uma tentativa inútil de Jonas. Deus é onipresente (está em todos os lugares) e onisciente (conhece todas as coisas).

- Nós também tentamos muitas vezes fazer isso. O Senhor nos dá uma direção e queremos ir para outra. Acabamos andando por lugares que não deveríamos e com pessoas que não nos querem bem, e entramos em situações que são muito complicadas.

2. Deus tinha uma direção clara para Jonas.

- Sempre que estamos dispostos a ouvir Deus ele nos dá direções corretas e precisas para nossas vidas. Nem sempre elas agradam nossa carne. Por vezes ficamos com medo de assumirmos estas posições, pensamos em nós mesmos, no nosso ciclo de amizades.

- Mais ou menos como Jonas. Que dirão os meus irmãos se for até Nínive e Deus mudar o castigo daquele povo tão cruel – como o fulano que faz ou fez tanta coisa errada pode agora posar de crente? E se o povo de lá for contra mim?

– por isso não falo de Jesus no meu emprego, ou para os meus amigos, pois eles podem se levantar contra mim.

- MESMO QUE VOCÊ NÃO PERCEBA, A DIREÇÃO DE DEUS É SEMPRE A MELHOR!

3. As conseqüências de uma direção errada.

- Jonas tentou ir para o outro lado, como fazemos muitas vezes. No princípio tudo aparentemente dá certo.

- O próprio Jonas conseguiu um navio, pagou a passagem e se deitou tranqüilamente no porão. A viagem começou. O balanço do mar era agradável e ele pegou no sono. Aí está o grande perigo.

- Quando estamos fora da direção de Deus, satanás nos leva a experimentar por algum tempo uma gostosa sensação de que está tudo bem, para que não percebamos a cilada em que estamos prestes a cair. É o sono espiritual no qual, muitos estão dormindo, arriscando perderem a salvação pela desobediência. De repente as coisas mudam!

a. Veio uma grande tempestade.

- As tempestades sempre alcançam os que estão fora do propósito do Senhor. Não foi diferente com Jonas e não é conosco.

- No meio da tempestade não temos para onde correr, nos molhamos, às vezes ficamos doentes, não é raro sujarmos nossas pés na lama que se forma.

- As tempestades da vida também têm muitos nomes: finanças, enfermidade, desemprego, problemas familiares, vícios, etc.
Será que você está no meio de alguma tempestade?

b. O Navio estava para se quebrar.

- Não adianta o quanto lutamos, parece que tudo vai se arrebentar, nada dá certo, nenhuma tentativa dá resultado.

- Tentamos, por exemplo, sair de uma dívida, entramos em outra ainda pior.

- Tentamos um novo emprego, mas as inquietações e insatisfações continuam.

- Fazemos de tudo para agradar a outra pessoa, mas nada parece estar bom.

c. Os amigos só querem se salvar.

- Nestas horas, em que as coisas vão mal, os “amigos” só querem salvar a “pele” deles, se for preciso lançam você no mar.

- São os amigos “do copo”, “do dinheiro”, “do carro” ou “ do status”. Quando você menos espera e mais precisa deles, eles somem.

4. O futuro de quem corre de Deus.

- A Bíblia diz que Jonas foi parar na escuridão, nas entranhas de um grande peixe por três dias e noites, ele lá ficou.

- Talvez você também esteja vivendo um momento de escuridão em alguma parte de sua vida. Com toda certeza isso não é agradável.

- As entranhas fala de um lugar onde há decomposição, coisas estragadas. Se não tomarmos cuidados, acabamos em decomposição também, estragamos a nossa vida e a de outros à nossa volta.

5. Mas há uma saída.

- O próprio Jonas nos revela: “Então, Jonas, do ventre do peixe, orou ao SENHOR, seu Deus, e disse: Na minha angústia, clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do abismo, gritei, e tu me ouviste a voz.”(Jn 2.1,2)

- Quando reconhecemos que estamos no caminho errado e clamamos a Deus, Ele em sua misericórdia nos faz sair da situação e nos leva de novo para a direção correta.

Conclusão:

- Por que caminhos você tem andado?

- Eles estão agradando a Deus?

- Será que há em sua vida alguma atitude que não está de acordo com o projeto do Senhor?

- Se existir, agora é o momento de clamar a Deus para que ele te reconduza ao caminho certo.

- Ore a Ele e peça perdão pelos caminhos que você tem andado, pela desobediência em fazer a vontade do Pai. Ainda há tempo, e este tempo se chama hoje!



FONTE: Prs. Everton & Zenilda – Tabernáculo de Sião




NATAL,
A GRANDEZA
DE JESUS
Lucas 1.26-38



INTRODUÇÃO

O Natal é celebração do nascimento de Jesus.

Mas quem é Jesus?

-Nos primeiros séculos as opiniões muito divergiram:

1) Os gnósticos – não acreditaram na sua encarnação

2) Os ebionistas – acreditavam que ele era apenas uma emanação de Deus

3) O arianismo – acreditava que ele era a primeira criação de Deus.

Hoje, muitos pregam um Jesus espírito iluminado.

Outros pregam um Jesus bonachão;

outros falam de um Jesus milagreiro.

Ainda outros pregam um Jesus paz e amor.

Mas, quem é Jesus?

- Ele não quem os homens dizem que ele é.

- Ele não é uma projeção do imaginário coletivo, nem o Jesus pregado pelas religiões.

- Ele é quem ele é, revelado nas Escrituras.

Esse texto nos fala da grandeza de Jesus. O anjo Gabriel aparece a Maria para revelar-lhe dois milagres:

1) Uma virgem vai conceber.

2) Uma mulher idosa e estéril já concebeu.

No segundo caso, Deus parece estar atrasado.

No primeiro caso, Deus parece estar adiantado. O princípio é mostrar que para Deus não há impossíveis.Nessa revelação de Gabriel o centro da conversa não é Maria, mas o Filho de Maria.

Gabriel destaca nesse episódio, a grandeza de Jesus:

I. A GRANDEZA DE JESUS QUANTO A SUA ORIGEM – v. 32,35

1. Jesus é não um filho de Deus, mas o Filho de DeusJesus é o Verbo eterno, Deus co-igual, co-eterno e consubstancial com o Pai.

Ele disse: “Eu e o Pai somos um”.

Ele não passou a existir, ele é Deus desde a eternidade.

Ele é o Pai da eternidade. Ele desfrutou sempre da glória do Pai, antes que houvesse mundo.Sua relação com o Pai é eterna. Aquele menino que nasceu em Belém, é Deus de eternidade a eternidade. Antes que os montes nascessem e se formasse, ele já existia.

Ele não teve começo nem terá fim.

Ele é a causa não causada, o efeito de todas as causas.

2. Jesus como Deus não teve mãe, como homem não teve Pai

O ente que vai nascer de Maria já existia antes dela. O Filho precede a mãe. Jesus foi concebido por obra do Espírito Santo. O verbo se fez carne por uma obra milagrosa do Espírito Santo no ventre de Maria. Como Deus ele sempre existiu, por isso Maria não pode ser sua mãe. Como homem foi gerado pelo Espírito Santo por isso não teve pai humano.


II. A GRANDEZA DE JESUS QUANTO AO SEU CARÁTER – v. 35

1. Jesus é um ente santo, ele não herdou o pecado original

Jesus não é um membro da raça como eu e você. Pois nascemos em pecado, pois herdamos o pecado de Adão. Mas Jesus não é semente do homem como todos os demais homens, mas semente da mulher (Gn 3.15). Ele nasceu sem pecado, nele não havia pecado.

2. Jesus não cometeu pecadoJesus nunca cometeu pecado.

Ele foi tentado, mas jamais cedeu à tentação. Aquele que não conheceu pecado fez-se pecado por nós. Nunca se achou dolo em sua boca.

Ele obedeceu completamente a lei em nosso lugar. Seus inimigos o perseguiram e para acusá-los, precisaram forjar provas falsas e contratar testemunhas falsas.

Ele é a verdade. Sua vida é irrepreensível, suas palavras irrefutáveis, suas obras irresistíveis.

III. A GRANDEZA DE JESUS COM RESPEITO À SUA OBRA – v. 31

1. Jesus é o criador do universoEle é o criador do universo.

Sem ele nada do que foi feito se fez. Ele criou o universo e tudo o que nele há.

- Hoje os homens cheios de empáfia zombam daqueles que pregam a criação.

- NO Rio de Janeiro, a governadora é escarnecida por ensinar nas escolas públicas a criação.

- Em Nova York, a exposição sobre Darwin, zomba dos americanos porque 70% deles crêem na criação. O Jesus do Natal é o criador.

2. Jesus é quem sustenta o universo

- Ele sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder.

- Ele dá a chuva e o sol.

- Ele intervém.

- Ele ouve as orações.

- Ele cura os enfermos.

- Ele age soberanamente. Nem uma folha cai de uma árvore sem que ele saiba e permita.Jesus é o Deus da providência.

- Ele está presente.

- Ele ama, cuida, consola, corrige, levanta, restaura.

- Ele cura os enfermos, ergue os abatidos, repreende os faltosos.

- Ele está com as rédeas da história nas mãos.

- Ele está com o livro da história nas mãos.

- Ele está no trono do universo.

- Ele reina!

3. Jesus é o Salvador

a) Ele veio para desfazer as obras do diabo – ele esmagou a cabeça da serpente. Ele expôs o diabo e suas hostes ao desprezo. Ele se manifestou para desfazer o mal.

b) Ele veio para vencer o pecado – Jesus viveu sem pecado, morreu pelo nosso pecado e venceu o pecado. Agora não precisamos ser escravos do pecado. Ele veio para nos salvar do pecado e não no pecado. Ele verteu o seu sangue. Ele nos comprou. Nos redimiu. Nos resgatou do império das trevas.

c) Ele veio para nos reconciliou com Deus – Estávamos perdidos e fomos achados, mortos e revivemos. Longe e fomos reconciliados. Agora somos filhos, herdeiros. Agora temos livre acesso à presença de Deus.

d) Ele veio para morrer em nosso lugar – Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Ele morreu a nossa morte. Foram os nossos pecados que o levaram à cruz.

Ele bebeu o cálice.

Ele se fez pecado.

Ele deu um brado: está consumado!

IV. A GRANDEZA DE JESUS EM RELAÇÃO AO SEU REINO – v. 32,33

1. As características do seu Reino

a) Seu reino é espiritual – ele governa não com espada, não com a força dos déspotas. Ele governa pelo amor. Ele reina nos corações.

b) Seu reino é de justiça, alegria e paz – Os súditos desse reino são as pessoas mais felizes do mundo. Não há injustiça, nem tristeza nem perturbação.

2. Em sua extensão

- O seu reino alcança todos os povos, línguas e nações. Jesus morreu para comprar os que procedem de toda tribo, povo língua e nação.

- Todo joelho se prostra diante dele. Nenhum centímetro desse universo está fora dos limites do seu reinado.

3. Em sua duração

- O seu reinado não tem fim. Os reinos do mundo se levantam e caem. Mas o Reino de Cristo é eterno.

- Ele jamais será destruído. Os reinos deste mundo foram grandes e hoje são apenas mataria de estudo de história.

- Daniel 2 fala dos reinos deste mundo. E também fala de uma pedra que enche toda a terra. Essa pedra é o Reino de Cristo.

CONCLUSÃO

Quais são as implicações da grandeza de Jesus?

1) Precisamos saber que ele não chega nem atrasado nem adiantado na nossa vida. Isabel podia pensar que era tarde demais e Maria podia pensar que era cedo demais. Mas ele chega no tempo certo.

2) Precisamos saber que para ele não há nada impossível. Sua causa pode ser impossível para os homens. Maria perguntou: Como será isto? (v. 34). Isabel sendo velha e estéril dá à luz.

3) Precisamos nos submeter à agenda de Deus (v. 38) – Maria era uma jovem favorecida (v. 28), bendita entre as mulheres (v. 42), crente (v. 45), disponível para fazer a vontade de Deus (v. 38).

4) Os pastores o adoraram. Os magos o adoraram. Os anjos o louvaram. E você?



FONTE: Rev. Hernandes Dias Lopes.